Fiéis festejam a canonização de Dom Oscar Romero

Por
19 de outubro de 2018

A noite do domingo, 14, foi de festa para os fiéis da Comunidade Dom Oscar Romero, da Paróquia Cristo Rei, no Setor Pastoral Perus. A missa presidida por Dom Devair Araújo da Fonseca, Bispo Auxiliar da Arquidiocese na Região Brasilândia, e concelebrada pelos Padres Rafael Vicente, Vigário Paroquial, e Adriano Robson, foi em ação de graças pela canonização de Dom Oscar Romero, realizada naquele dia pelo Papa Francisco, no Vaticano. Na ocasião, o Pontífice canonizou outros seis beatos, entre os quais o Papa Paulo VI (leia mais na página 8). 

As comemorações pela canonização do Padroeiro da Comunidade foram iniciadas com um tríduo, em março, e em outubro aconteceu a novena, tudo isso em meio às obras de recuperação do telhado da Comunidade, destruído após uma forte chuva. Também foi acolhida a Cruz Peregrina da Jornada Mundial da Juventude, que tem sido levada a paróquias do Setor Perus. 

Dom Devair, na homilia, lembrou que os cristãos devem se orientar pela Palavra de Deus e buscar uma riqueza que não é material, mas espiritual, de santas virtudes. Lembrou, ainda, que a pobreza não se resume a um aspecto puramente econômico e social, e que se deve considerar que a pobreza maior é a de fé e de virtudes. 

Padre Rafael, em entrevista, lembrou que a comunidade historicamente tem tradição de rezar nas casas e nos grupos de rua, além de uma forte ligação com a vida social e política, por suas origens de uma comunidade eclesial de base (CEB). Ele afirmou que, mesmo antes da beatificação de Dom Oscar Romero, em 2015, sempre houve grande devoção ao Arcebispo de San Salvador, assassinado em 1980. “Com o anúncio da canonização, essa devoção continuou aumentando. O povo tem uma fé muito simples, mas muito rica. De dois anos para cá, nós começamos uma meditação na Comunidade no viés da espiritualidade de Dom Oscar Romero, sobre o que o motivou a ser um bom cristão e um ótimo bispo, fato que o levou para o martírio também”, afirmou. 

A Comunidade Dom Oscar Romero está localizada na rua Igaporã, 15, no Jardim Canaã -Morro Doce. As missas semanais acontecem sempre aos domingos, às 18h.

(Colaborou: Daniel Gomes)
 

LEIA TAMBÉM: Na Vila Zatt, devotos rendem graças à Padroeira do Brasil 

Comente

Dom Eduardo celebra a Festa de São Francisco de Assis

Por
10 de outubro de 2018

No dia 4, na memória litúrgica de São Francisco de Assis, Dom Eduardo Vieira dos Santos, Bispo Auxiliar da Arquidiocese na Região Sé, presidiu missa na Paróquia São Francisco de Assis, no Setor Pastoral Catedral, concelebrada pelo Pároco, Frei Alvaci Mendes da Luz, OFM. 

Na homilia, Dom Eduardo afirmou que São Francisco deve ser para todos um testemunho de alguém que teve muita fé em Deus. Em sua vida, Francisco viveu e pregou a paz. Uma paz que não é apenas a ausência de conflitos, mas a paz que Jesus desejou aos seus apóstolos e que deseja a todos. 

“A paz de Deus enche o nosso interior, porque quando o nosso interior está vazio de Deus, começamos a colocar coisas de fora: riqueza, prazer, poder, dinheiro. Mas quando estamos em paz com Deus, como fez São Francisco e outros santos e santas de Deus, Ele nos basta”, assegurou o Bispo.

Dom Eduardo disse que o compromisso dos cristãos batizados é testemunhar o amor de Deus na realidade onde está. “Onde quer que estejamos, somos chamados a viver este amor. Quantos desafios temos nesta cidade? O mundo precisa de conversão, nós precisamos de conversão. O mundo precisa de oração, nós precisamos de oração”, afirmou.

Ao concluir a homilia, Dom Eduardo entoou uma canção conhecida dos brasileiros: “Amar como Jesus amou”, do Padre Zezinho.

(Colaborou: Rafael Faria)
 

LEIA TAMBÉM: Ano Nacional do Laicato em destaque na Noite Teológica do Itelsé

Comente

Bosque da Saúde celebra a festa de Santa Teresinha do Menino Jesus

Por
10 de outubro de 2018

Nas últimas semanas, a Paróquia Santa Teresinha do Menino Jesus, no Bosque da Saúde, festejou a padroeira. Entre 22 e 30 de setembro, foi celebrada a novena de Santa Teresinha, com os temas ligados à Exortação Apostólica Gaudete et Exsultate. As missas foram presididas por padres convidados. O encerramento foi feito por Dom Carlos Lema Garcia, Bispo Auxiliar da Arquidiocese e Vigário Episcopal para a Educação e a Universidade.

Foram celebradas missas durante todo o dia 1º de outubro, data comemorativa da Padroeira. A das 15h foi presidida pelo Cardeal Cláudio Hummes, Arcebispo Emérito de São Paulo; e a das 20h, por Dom José Roberto Fortes Palau, Bispo Auxiliar da Arquidiocese na Região Ipiranga. Antes da celebração, Dom José caminhou com os devotos e paroquianos pelas ruas do bairro.

No fim de semana, a programação foi voltada às crianças. No sábado, 6, a equipe da Catequese organizou uma gincana com as turmas.

No domingo, 7, houve a comemoração dos dez anos da missa “Celebrando com Crianças”, que foi presidida por Dom José Roberto e concelebrada pelo Padre Uilson dos Santos, Pároco. Gabriele Rinaldi, 19, ressaltou a alegria de ter sido participante dessa missa e de agora fazer parte da equipe: “Eu cresci dentro do ‘Celebrando’, e tenho duas visões, a de quem participou e de quem serve. Lembro de como era legal ter 9 anos e participar da missa”.
 

LEIA TAMBÉM: A devoção a São Francisco de Assis na Vila Clementino

Comente

Novena e Festa de São Francisco de Assis

Por
19 de setembro de 2018

A Paróquia São Francisco de Assis, no Setor Pastoral Catedral, celebra o padroeiro com novena preparatória e missas. Os festejos terão início no dia 22 de setembro, com a missa em honra a São Francisco das Chagas, às 12h e às 14h, e tarde de prêmios.

A novena preparatória será de 25 de setembro a 3 de outubro, de terça-feira a sábado, às 15h; aos domingos às 10h30, e às segundas-feiras, às 12h. A procissão com a imagem de São Francisco será no dia 30, às 9h30, saindo do Mosteiro de São Bento e terminando na Igreja de São Francisco, com missa às 10h30.

No dia do padroeiro, 4 de outubro, haverá celebrações eucarísticas às 7h30, 9h, 10h30, 12h, 13h30, 15h, 16h30 e 18h, sendo que às 9h haverá a abertura da exposição “Relíquias Franciscanas” e, durante todo o dia, a bênção dos animais.

A Paróquia São Francisco de Assis fica no Largo São Francisco, 133, na Sé. Outras informações pelo telefone (11) 3291-2400

Comente

Festa de Santa Teresinha

Por
19 de setembro de 2018

A Paróquia Santa Teresinha, no Setor Pastoral Santa Cecília, comemora a festa da padroeira com novena preparatória e missas festivas, a partir do tema “Santa Teresinha encoraja-nos no caminho da santidade”, e lema “A santidade é a face mais bela da Igreja (Papa Francisco)”

Será dos dias 22 a 30, de segunda-feira a sexta-feira, às 19h; aos sábados, às 15h30, e aos domingos, às 18h.

No dia da Festa de Santa Teresinha, 1º de outubro, haverá missas às 7h30, 9h, 12h, 15h30 (presidida por Dom Eduardo Vieira dos Santos, Bispo Auxiliar da Arquidiocese na Região Sé) e às 19h.

A Paróquia Santa Teresinha está localizada na Rua Maranhão, 617, Higienópolis. Mais informações pelo telefone (11) 3660-1220.

Comente

Devotos festejam a padroeira da Paróquia Nossa Senhora das Dores

Por
19 de setembro de 2018

Entre os dias 6 e 14, festejou-se o setenário de Nossa Senhora das Dores. Em cada dia, foi recordada e rezada uma das dores da Virgem Gloriosa. Já na solenidade da padroeira, no sábado, 15, houve missas às 10h, 15h e 18h, seguidas da tradicional quermesse com fogazza, vários salgados, bolos, doces, feira de artesanato e show de prêmios.

No domingo, 16, aconteceu a procissão em ruas próximas à igreja-matriz, e, às 10h, a missa solene, presidida por Dom José Roberto Fortes Palau, Bispo Auxiliar da Arquidiocese na Região Ipiranga. Logo após, houve o tradicional almoço de Nossa Senhora das Dores. Homenagear a padroeira significa, para os fiéis, celebrar sua compaixão, piedade e as sete dores de Maria, cujo ponto mais alto se deu no momento da crucificação de Jesus.

A devoção a Nossa Senhora das Dores possui fundamentos bíblicos, pois é na Palavra de Deus que são encontradas as sete dores de Maria: o velho Simeão, que profetiza a lança que transpassaria (de dor) o seu Coração Imaculado; a fuga para o Egito; a perda do Menino Jesus em Jerusalém; o encontro com Jesus no caminho do Calvário; a presença de Maria junto à Cruz de Jesus; Maria que recebe Jesus em seus braços; e que deposita Jesus no sepulcro.

A Igreja não recorda as dores de Nossa Senhora somente pelo sofrimento em si, mas também porque, pelas dores oferecidas, a Santíssima Virgem participou ativamente da Redenção de Cristo. Dessa forma, Maria, imagem da Igreja, aponta para uma nova vida, que não significa ausência de sofrimentos, mas, sim, oblação de si para uma civilização do amor.

(Com informações da Pascom da Paróquia Nossa Senhora das Dores)

Comente

Dom Eduardo preside missa na festa de Santa Ifigênia

Por
20 de setembro de 2018

No sábado, 15, por ocasião da festa de Santa Ifigênia, Co Padroeira, da Paróquia Nossa Senhora da Conceição, Dom Eduardo Vieira dos Santos, Bispo Auxiliar da Arquidiocese de São Paulo, na Região Episcopal Sé, celebrou missa que marcou as comemorações. A santa eucaristia foi concelebrada pelo Padre Ruy Barbosa mendes de Morais, SSS.

Os festejos começaram no dia 13 e seguem até o dia 22. Do dia 13 a 21, às 17h45, os paroquianos se reúnem para a tradicional novena preparatória, às 18h50, missa e às 20h noite cultural. Todos os dias, barracas com comidas típicas e atrações compõem as comemorações.

No sábado, 22, data de encerramento da festa, às 18h50 haverá missa em honra a Santa Ifigênia e às 20h, benção do bolo.

SANTA IFIGÊNIA, ROGAI POR NÓS!

A Princesa Ifigênia, filha dos Reis Eggipus e Eufenisa, de Noba, um pequeno reino da Etiópia, que até a chegada de São Mateus Evangelista, oito anos após Ascenção de Jesus Cristo, vivia de maneira inteiramente pagã.

Mesmo com a forte repressão dos sacerdotes pagãos da época, que ao verem a fé em Jesus se espalhar, pelo testemunho de São Mateus e de Ifigênia, começaram a caluniar sobre seus ensinamentos e afirmaram que a jovem deveria ser oferecida em sacrífico, como uma forma de desculpas, por meio de um “incêndio sagrado”.

Quando chegou o dia de sua morte, ela confiou sua vida a Deus e enquanto as chamas subiam, invocou com voz alta o nome de Jesus. Nesse momento, um anjo lhe apareceu e lhe tirou do lugar aonde seria assassinada.

O povo passou a crer nas palavras de São Mateus e a Princesa tornou-se uma das responsáveis pela expansão da fé no Palácio Real e no país. A tradição conta, que Ifigênia recebeu uma revelação divina, dizendo que ela deveria servir a Deus com a contrução de um local que acolhesse um “exército de virgens”, muitas mulheres creram e a seguiram.

As grandes provações da Princesa começaram após a morte de seus pais. Príncipe Hirtaco, seu tio, alegando que ofereceria a São Mateus metade do reino, caso Ifigênia aceitasse se casar com ele. Obediente a Deus, ela recusou o pedido. Hirtaco, ordenou então, que São Mateus fosse morto e que a casa em que ela e as outras viagens moravam fosse incendiada. Elas, porém, clamaram a Deus e o fogo não só deixou de atingir a casa, como passou a queimar o Palácio de Hirtaco, que fugiu. 

Antes de morrer, Santa Ifigênia, novamente, recebeu um chamado de Deus afirmando que ela deveria se desfazer de todos os seus bens, e foi o que fez. No dia de sua morte, espalhou-se um suave perfume pelo convento.

Santa Efigênia é proclamada como protetora contra incêndios, como padroeira dos militares e como auxiliadora daqueles que buscam adquirir moradia. Sua festa é comemorada em 21 de setembro, mesmo data em que se celebra o dia de São Mateus.

A PARÓQUIA

Inaugurada na década de 70, é uma das capelas mais antigas de São Paulo, foi dedicada desde o início à Nossa Senhora da Conceição, e também a primeira Igreja edificada no Anhangabaú. Um ano após uma demolição, que ocorreu em 1794, o novo templo recebeu a primeira missa, porém, só foi elevada como paróquia Nossa Senhora da Conceição de Santa Ifigênia em 21 de abril de 1809.

Cem anos depois, em 1908, uma nova demolição marca a história da paróquia, que durante 1930 a 1954, foi usada como Catedral Provisória de São Paulo. O Papa Pio XII a elevou Basílica Menor em 1958.

Presente no Setor Pastoral Catedral, na Região Episcopal Sé, a Paróquia tem hoje o Padre Antônio Ruy Barbosa Mendes de Moraes, como Pároco e Padre José Regivaldo dos Santos, como Vigário. Ela é situada na Rua Santa Ifigênia, 30, Santa Efigênia.

Comente

Fiéis festejam o dia de Santa Mônica

Por
05 de setembro de 2018

Em 27 de agosto, os fiéis da Paróquia Santa Mônica, no Jardim Santa Mônica, Setor Pastoral Pirituba, celebraram a memória litúrgica da Santa, participando da missa festiva presidida pelo Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo Metropolitano, e que teve entre os concelebrantes o Padre Flavio Heliton, Pároco, com a participação do Diácono André Iasz.

Durante a celebração, Dom Odilo realizou a bênção da nova Capela do Santíssimo. Ao final, todos foram convidados para um coquetel no salão paroquial.

 

Comente

Paróquia Nossa Senhora da Consolação festeja padroeira

Por
29 de agosto de 2018

A Paróquia Nossa Senhora da Consolação, no Setor Pastoral Santa Cecília, está festejando a padroeira com novena preparatória, procissão e missas solenes. 

A novena preparatória iniciou no dia 24 e ocorrerá até o dia 1º de setembro. Durante a semana, inicia-se com o terço mariano, às 18h30, seguido da Santa Missa, às 19h. Nos fins de semana, a novena tem início às 18h. Dom Eduardo Vieira dos Santos, Bispo Auxiliar da Arquidiocese na Região Sé, encerrará a Novena Preparatória com a missa solene, no dia 1º de setembro.

No dia da padroeira, 2 de setembro, haverá missas festivas às 10h, com a procissão pelas ruas do bairro, e às 18h, com a Dedicação da Igreja e do Altar, presidida pelo Cardeal Dom Odilo Pedro Scherer, Arcebispo Metropolitano de São Paulo.

A Paróquia Nossa Senhora da Consolação está localizada na Rua da Consolação, 585, Consolação, próximo da Estação República do Metrô.

Para mais informações:

Telefone: (11) 3256-5356, ou pelo Facebook: Igreja da Consolação

(Com informações da Paróquia Nossa Senhora da Consolação)
 

Comente

Paróquia Santo Inácio de Loiola celebra Festa de Nossa Senhora do Mar

Por
22 de agosto de 2018

No domingo, 19, dia em que a Igreja no Brasil celebra a solenidade da Assunção de Maria, a Paróquia Santo Inácio, do Setor Pastoral Paraíso, festejou Nossa Senhora do Mar, uma tradição de 77 anos. A devoção foi trazida por imigrantes italianos da cidade Santa Maria de Castellabate, quando aqui chegaram em São Paulo.

A festa foi preparada por um tríduo. Houve a procissão, com as imagens de Nossa Senhora do Mar e Santo Inácio de Loiola. O evento contou com a presença da CET, Polícia Militar, e a Marinha e da Banda marcial Colégio Marquês de Monte Alegre. As crianças da catequese também estiveram presentes e o povo participou em bom número. 

Após a procissão, uma missa foi presidida pelo Padre Mário Pizetta, SSP, Pároco, e concelebrada pelo Padre Rodrigo Dionísio, capelão da Marinha. No final da celebração, houve a coroação do Menino Jesus e de Nossa Senhora.

(Com informações do Padre Mário Pizetta, SSP)
 

Comente

Páginas

Para pesquisar, digite abaixo e tecle enter.