Surto de Aedes aegypti pode afetar mais de 500 cidades neste verão

Por
18 de janeiro de 2019

Dados do Ministério da Saúde apontam que mais de 500 cidades no Brasil correm o risco de surto de doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti (foto), como a dengue, zika, chikungunya e febre amarela. Outras 1.881 cidades estão em sinal de alerta.

Foram examinados 5.538 municípios brasileiros. O método adotado pelo Ministério da Saúde investiga a infestação desse inseto em diferentes regiões.

A região Centro-Oeste apresentou o maior número de casos suspeitos no ano passado: foram 93 mil. Em seguida, vêm as regiões Sudeste, com 68 mil casos; Nordeste, com 66 mil; Norte, com 16 mil; e Sul, com 2,9 mil casos.

O Ministério da Saúde também identificou os principais criadouros de cada região: no Nordeste, tonéis, barris e tinas são os principais locais para o desenvolvimento das larvas dos mosquitos. Já no Sudeste, predominam os criadouros em vasos, frascos com água, pratos e garrafas retornáveis. Nas regiões Centro-Oeste, Norte e Sul, os vilões em relação ao acúmulo de água são garrafas PET, latas e entulhos, objetos facilmente encontrados no lixo.

Fontes: TV Globo e Ministério da Saúde
 

LEIA TAMBÉM: Prêmio de literatura reconhecerá novos escritores

Comente

Para pesquisar, digite abaixo e tecle enter.