MPF vai recorrer à Justiça contra a liberação de Temer da prisão

Por
26 de março de 2019

O Ministério Público Federal (MPF) anunciou, na segunda-feira, 25, que irá recorrer à Justiça da decisão que concedeu a liberdade ao ex-presidente da República Michel Temer, ao ex-ministro Moreira Franco e outras seis pessoas presas na Operação Descontaminação.

Temer e as outras sete pessoas haviam sido presas preventivamente no dia 21, no Rio de Janeiro, acusados de integrar uma quadrilha que cometeu crimes de corrupção ativa e passiva, lavagem de dinheiro e fraudes à licitação relacionados à construção da Usina Nuclear Angra 3.

Segundo os procuradores federais, o grupo seria chefiado por Temer e teria movimentado cerca de R$ 1,8 bilhão nos últimos 40 anos.

As prisões foram determinadas pelo juiz federal Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal, que julga os processos relacionados à Lava Jato no Estado do Rio de Janeiro.

Os habeas corpus (HC) pedidos pelas defesas dos acusados foram acolhidos no dia 25 pelo desembargador Ivan Athié, do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2), permitindo que deixassem a prisão. Ainda na segunda-feira, o ex-presidente retornou para sua residência na cidade de São Paulo.

Comente

Temer é preso em desdobramento da Lava Jato

Por
21 de março de 2019

O ex-presidente Michel Temer foi preso preventivamente, na manhã desta quinta-feira, 21, em São Paulo. A informação foi confirmada por fontes da Polícia Federal. Temer está sendo levado para o Aeroporto Internacional de Guarulhos, de onde segue para o Rio de Janeiro.

No Rio, fará exame de corpo delito e será encaminhado para a sede da instituição.

A prisão foi determinada pelo juiz federal Marcelo Bretas, titular da 7ª Vara Federal Criminal do Rio, responsável pelas ações de desdobramento da Operação Lava Jato.

O ex-ministro de Minas e Energia da administração emedebista Moreira Franco também foi preso nesta quinta-feira.

A Operação Descontaminação investiga desvios na Eletronuclear. Ao todo, foram expedidos oito mandados de prisão preventiva, dois de prisão temporária e 24 de busca e apreensão no Rio de Janeiro, em São Paulo, no Paraná e Distrito Federal.

De acordo com nota da PF, "a investigação decorre de elementos colhidos nas Operações Radioatividade, Pripyat e Irmandade, deflagradas anteriormente e, notadamente, em razão de colaboração premiada firmada pela Polícia Federal.

Filiado ao Movimento Democrático Brasileiro (MDB), Temer assumiu a Presidência da República em maio de 2016, depois do processo de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff. Ao longo de sua trajetória política, Temer foi presidente da Câmara dos Deputados, secretário da Segurança Pública e procurador-geral do estado de São Paulo.

Partido

O MDB lamenta a postura açodada da Justiça à revelia do andamento de um inquérito em que foi demonstrado que não há irregularidade por parte de Temer e do ex-ministro Moreira Franco. O MDB espera que a Justiça restabeleça as liberdades individuais, a presunção de inocência, o direito ao contraditório e o direito de defesa.

Detalhes da operação serão esclarecidos em entrevista coletiva hoje, às 16h, na sede da PF, no Rio de Janeiro.

(Com informações de Agência Brasil)

Comente

Para pesquisar, digite abaixo e tecle enter.