Pastoral da Saúde discute políticas públicas em defesa do SUS

Por
17 de outubro de 2017

No sábado, 7, a Faculdade Zumbi dos Palmares sediou o 2º Seminário dos Militantes nas Políticas Públicas de Saúde e em Defesa do SUS, promovido pela Pastoral da Saúde da Arquidiocese de São Paulo. 

O encontro contou com presença significativa de representantes da Pastoral da Saúde das seis regiões episcopais. O Assistente Eclesiástico da Pastoral da Saúde na Arquidiocese de São Paulo, Padre João Inácio Mildner, destacou que a atividade foi parte de um “serviço que a Igreja presta para articular a população na defesa dos seus direitos”.

Em breve saudação aos participantes, o Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo, manifestou o total apoio da Arquidiocese de São Paulo à luta por melhorias na saúde pública, especialmente em benefício daqueles que não têm condições de pagar por planos de saúde particulares. Destacou, ainda, que eventos como aquele ajudam para que a sociedade “esteja atenta à voz daqueles que têm mais necessidade de contar com as estruturas dos serviços públicos de saúde”.

Um dos debatedores do encontro foi o Padre Antônio Luiz Marchioni, mais conhecido como Padre Ticão, da Diocese de São Miguel Paulista. Ele lembrou que a motivação da Pastoral da Saúde para a garantia da vida é encontrada no livro do Êxodo 3, 7-10: “Deus viu o sofrimento do povo”. 

O médico Jorge Kayano apresentou os contrapontos do sistema público de saúde, assegurado na Constituição Federal. Ele comparou o Artigo 196, que, em essência, defende o direito à saúde, com o Artigo 199, que retira a garantia desse sistema igualitário, pois concede à gestão privada concessões de lucro voltadas à mesma proposta de qualidade para a saúde.

Ao final do encontro, foram reveladas as ações concretas que serão realizadas a partir do seminário. Uma delas será uma maior aproximação e interação dos participantes com as unidades básicas de saúde. A outra, o engajamento na coleta de assinaturas, promovida pelo Conselho Nacional da Saúde, para anular a Emenda 95, aprovada em 2016, que permite o congelamento dos gastos para Saúde e Educação por 20 anos.

(Colaborou: Jenniffer Silva)
 

Comente

Ministério da Saúde vacinará crianças e adolescentes no sábado, 16

Por
15 de setembro de 2017

No sábado, 16, acontecerá o Dia D da Campanha de Multivacinação do Ministério da Saúde, que este ano convoca mais de 47 milhões de crianças menores de 5 anos, de 9 anos e também adolescentes de 10 a 15 anos completos, para atualizarem o calendário vacinal.

Com o slogan “Todo mundo unido fica mais protegido”, a campanha começou no dia 11 e segue até o dia 22 em aproximadamente 36 mil postos fixos de vacinação. Ao todo, 350 mil profissionais participam da ação.

De acordo com o Ministério, de janeiro a agosto deste ano, todas as unidades da Federação receberam 143,9 milhões de doses de vacinas de rotina. Para a campanha, foram enviadas 14,8 milhões de doses extras.

A meta é resgatar todas as crianças e adolescentes não vacinados e, com isso, iniciar ou completar os esquemas de imunização. Segundo o Ministério, 53% não estão com a vacinação em dia.

Em 2016, o Brasil registrou a menor cobertura vacinal dos últimos 10 anos, segundo a coordenadora-geral do Programa Nacional de Imunizações, Carla Domingues.

“Não podemos dizer que temos uma tendência, mas é preocupante e por isso queremos reverter essa situação. O objetivo da campanha é resgatar os não vacinados para que esse dado de 2016 não se repita em 2017”, disse.

Em 2017, o Ministério da Saúde fez alterações no esquema vacinal e, por isso, orienta os pais a irem aos postos de saúde para checar a caderneta de vacinação.

CLIQUE AQUI E SAIBA MAIS DETALHES SOBRE A CAMPANHA

(Com informações de Ministério da Saúde e Agência Brasil)

NA RÁDIO 9 DE JULHO

Acompanhe os boletins jornalísticos diários, às 11h e às14h.

Ouça em AM 1.600 kHz

Acesse em: www.radio9dejulho.com.br

CLIQUE AQUI, BAIXE O APLICATIVO E OUÇA EM SEU CELULAR

Comente

É possível vacinar-se contra a gripe até o dia 9 de junho

Por
05 de junho de 2017

Até a manhã da quinta-feira, 25, foram vacinados contra a gripe 35,1 milhões de brasileiros nas unidades básicas de saúde de todo o País, 63,6% do público da campanha nacional, que foi prorrogada até 9 de junho, para alcançar a meta de imunizar 90% do público alvo, incluindo a população privada de liberdade, funcionários do sistema prisional e pessoas com comorbidades.

Nesta 19ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza, o Ministério da Saúde adquiriu 60 milhões de doses da vacina. “É importante que a população da campanha se vacine neste período para ficar protegida quando o inverno chegar. A vacina demora 15 dias para fazer efeito no organismo, por isso o Ministério da Saúde planeja a campanha antes do inverno, período de maior circulação dos vírus da influenza”, disse Carla Domingues, coordenadora do Programa Nacional de Imunizações, em entrevista à Agência Brasil.

A vacina disponibilizada protege contra os três subtipos do vírus da gripe determinados pela Organização Mundial da Saúde para este ano (A-H1N1, A-H3N2 e Influenza B).

A dose é segura e também é considerada uma das medidas mais eficazes na prevenção de complicações e casos graves de gripe. Pessoas com mais de 60 anos, crianças de 6 meses a 5 anos, professores e agentes de saúde estão entre as pessoas mais vulneráveis aos vírus. Outros detalhes podem ser obtidos pelo Disque Saúde, 136, em ligação gratuita.

Comente

2º Congresso da Pastoral da Saúde em São Paulo

Por
31 de mai de 2017

No domingo, 28, a Pastoral da Saúde do Regional 1 da CNBB (São Paulo) promoveu a 2ª edição do Congresso Estadual da Pastoral da Saúde, no anfiteatro da instituição de ensino Uninove, no bairro da Barra Funda, em São Paulo.

O tema “A Pastoral da Saúde nos tempos atuais: O sofrimento humano e a perda dos direitos sociais” foi a base para reflexões sobre o perdão e a espiritualidade na vida do integrante da Pastoral de Saúde, Bioética e a espiritualidade do agente da pastoral, e o sofrimento humano diante das perdas sociais.

Aproximadamente 300 pessoas partilham seus serviços e experiência de fé durante a atividade destinada a coordenadores, agentes e pessoas interessadas em conhecer mais profundamente a Pastoral da Saúde.

O dia de formação e reflexões foi iniciado com missa, presidida pelo Padre João Inácio Mildner, assistente eclesiástico da Pastoral da Saúde na Arquidiocese de São Paulo.

Foram feitas discussões que versaram sobre as seguintes reflexões: Medicina Alternativa e Farmácia Viva na Segunda Dimensão Comunitária da Pastoral da Saúde, com mostras do trabalho desenvolvido na Diocese de Jales (SP); Reflexões sobre Bioética Social, com Dr. Venâncio Pereira Dantas Filho, professor do Centro Interdisciplinar de Bioética-CIB na UNICAMP; Mistanásia, com Dr. Flávio César de Sá, professor do Centro Interdisciplinar de Bioética-CIB na Unicamp; O Perdão na vida do Agente de Pastoral da Saúde, com a professora e escritora Maria Gabriela Oliveira Alves; O Sofrimento Humano diante das perdas Sociais, com o professor Luiz Bassegio e sua esposa Luciene. Ele coordena o Projeto Direitos Sociais e Saúde e presidente o Grito dos Excluídos Continental.

No Congresso destacou-se que a Pastoral da Saúde é essencial para que as pessoas doentes e hospitalizadas se sintam compreendidas e amparadas não somente nas suas necessidades físicas, mas também humanas e espirituais.

Venâncio falou, por exemplo, que hoje é unanimidade que a assistência religiosa-espiritual “é benéfica para os pacientes, familiares e profissionais envolvidos com o atendimento”.

Ao longo do dia também houve homenagem e agradecimento a grupo de 40 Bombeiros Civis que auxiliaram a Pastoral da Saúde durante a procissão arquidiocesana dos 100 anos das aparições Nossa Senhora, em Fátima, em 13 de maio.

A 2ª edição do Congresso Estadual da Pastoral da Saúde foi concluída com agradecimento pela presença de todos e dos esforços da Equipe Coordenadora da Pastoral da Saúde na Arquidiocese de São Paulo que acolhe em dois anos seguidos o Congresso Estadual da Pastoral da Saúde CNBB Regional Sul 1.

 

(Colaborou Marcos Rubens, da Pastoral da Saúde do Regional Sul 1 da CNBB)

Comente

O aplicativo das vacinas

Por
16 de mai de 2017

A Sociedade Brasileira de Imunizações desenvolveu um aplicativo que auxilia usuários a registrar e organizar seu histórico de vacinas. Disponível para os sitemas operacionais iOS e Android, o aplicativo “Minhas Vacinas” pode ser baixado gratuitamente pelo site. Segundo a entidade, o aplicativo cria uma caderneta de vacinação digital para toda a família. A partir da informação da idade e do sexo, são apresentadas as vacinas recomendadas e o local em que estão disponíveis, em redes públicas e/ou privadas.

Além disso, a ferramenta informa quando deve ser tomada a segunda dose, quando for necessário. Assim, à medida que se aproxima a data, o aplicativo emite alertas ao usuário.

Fonte: Agência Brasil

Comente

Se aproxima o ‘Dia D’ da Campanha de Vacinação contra a Influenza

Por
16 de mai de 2017

A Campanha de Vacinação contra a Influenza 2017 já começou. Além de pessoas com 60 anos de idade ou mais, contempla crianças na faixa etária de 6 meses a 5 anos de idade, as gestantes, as puérperas (até 45 dias após o parto), os trabalhadores da saúde, os povos indígenas, os grupos portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, os adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas, presos e funcionários do sistema prisional. Também estão incluídos para a vacinação os professores das escolas públicas e privadas.

A vacinação, que começou em 10 de abril, foi dividida em etapas. Inicialmente, foram vacinados os trabalhadores de saúde dos hospitais; depois, os que atuam na área da saúde dos serviços públicos e privados e as pessoas com 60 anos ou mais; na sequência, a vacinação se estendeu às gestantes, puérperas, crianças (entre 6 meses e 5 anos de idade) e indígenas; e desde o dia 8 passaram a ser vacinados também os professores.

No sábado, 13, será realizado o ‘Dia D’ da Campanha de Vacinação contra a Influenza, com aplicação da vacina a todos estes grupos em todas as unidades de saúde pelo Brasil e em algumas unidades móveis.

Comente

Páginas

Para pesquisar, digite abaixo e tecle enter.