Mediador de conflito étnico, sacerdote é assassinado

Por
16 de outubro de 2019

O Padre David Tanko, da Diocese de Jalingo, Nigéria, foi assassinado, na quinta-feira, 29 de agosto, dentro de seu carro enquanto se dirigia à cidade de Takum para um encontro com outros sacerdotes a fim de dialogar sobre os conflitos entre os grupos étnicos Tiv e Jukun. O Sacerdote morreu carbonizado, pois um grupo de homens armados o emboscou e ateou fogo ao veículo. 


O Sacerdote exercia seu ministério na Paróquia São Pedro, na localidade de Amadu, e o assassinato ocorreu na cidade de Kufai Amadu, no estado de Taraba, nordeste do país. 


O Bispo de Jalingo, Dom Charles Hammawa, disse que recebeu a notícia emocionado. “Isso é triste. A diocese está de luto”. 


“Estamos pregando a paz e fazendo esforços para levar ambos os grupos em crise a uma mesa-redonda”, disse o Prelado segundo a imprensa local. 


O presidente do Conselho do estado de Taraba, Shiban Tikari, afirmou aos meios locais de comunicação que o crime foi realizado por uma milícia da etnia Tiv. Já o presidente da Nigéria, Muhammadu Buhari, reagiu energicamente ao assassinato e prometeu empreender mais esforços para acabar com o conflito. 


“O assassinato de um sacerdote católico enfatiza a urgência de enfrentar esse conflito duradouro e embaraçoso. Em nome do governo federal e de toda a população do país, apresento minhas condolências à comunidade católica, ao governo e ao povo de Taraba, pelas perdas decorrentes da violência que abala as comunidades”, disse o presidente do país. 


O chefe de Estado salientou a necessidade do diálogo entre as etnias envolvidas para a solução do problema: “A solução a longo prazo, e duradoura, depende da vontade daqueles que estão envolvidos em ouvir a razão e em dar uma chance à paz”.


“É hora de os líderes dos grupos étnicos se encontrarem e elaborarem um plano para uma paz duradoura. O impacto dessa violência persistente na vida social e econômica das pessoas é incalculável”, concluiu.


Fontes: Vatican News/ ACI Prensa

Comente

Morre jovem sacerdote ordenado em hospital

Por
26 de junho de 2019

Na segunda-feira, 17, o Padre Michal Los, ordenado no mês passado em seu leito de hospital, faleceu devido a um câncer terminal. A Congregação dos Filhos da Divina Providência (Orionitas) da Polônia expressou tristeza pelo falecimento do jovem Sacerdote: “Acreditamos que ele se encontrou com Cristo Ressuscitado, a quem desejava servir como Sacerdote”.

Padre Michal foi ordenado diácono e sacerdote na mesma cerimônia, devido à dispensa concedida pelo Papa Francisco. A cerimônia, que ocorreu em 24 de maio, foi presidida por Dom Marek Solarczyk, Bispo Auxiliar da Diocese de Varsóvia -Praga. Outros sacerdotes da congregação e familiares também participaram da celebração. Um dia antes da ordenação, Padre Michal professou votos perpétuos na Congregação dos Orionitas.

O Neossacerdote pôde celebrar sua primeira missa em 26 de maio, que foi acompanhada por milhares de fiéis pela internet. A sua imagem elevando a hóstia foi compartilhada nas redes sociais e tornou-se conhecida no mundo todo.

Em 7 de junho, data de seu aniversário, o Padre recebeu a visita do presidente da Polônia, Andrzej Duda. A foto do Presidente ajoelhado recebendo a bênção do Padre Michal também se espalhou na internet.

Fontes: ACI digital/ National Catholic Register

Comente

Padre Cilto José Rosembach celebra 30 anos de sacerdócio

Por
17 de dezembro de 2018

No sábado, 8, na Paróquia São José, no Setor Pastoral Perus, o Padre Cilto José Rosembach celebrou 30 anos de sacerdócio, acompanhado com a comemoração das lideranças da paróquia, com o lema “Um por todos e todos pela comunidade”. A celebração foi transmitida pala Pascom paroquial e retransmitida pela Pascom Brasilândia, e contou com a presença de padres amigos do jubilando, autoridades civis e pessoas de comunidades por onde o sacerdote passou. Após a missa, houve uma recepção no salão paroquial com a partilha de lanche comunitário.

 

PADRE JOSÉ CILTO ROSEMBACH

Nascido em 16 de julho de 1954, Padre Cilto foi ordenado no dia 10 de dezembro de 1988. 

Sua vida sacerdotal se destaca na virtude de comunicar-se, o sacerdote é assessor eclesiástico da Pastoral da comunicação na Região Episcopal Brasilândia e vice - diretor da Associação Cantareira de Comunicação.

 

(Com Informações de Arquidiocese de São Paulo)

 

LEIA TAMBÉM: Pastoral da Saúde organiza missa na Paróquia Santos Apóstolos 

Comente

Monge beneditino é ordenado sacerdote

Por
07 de agosto de 2018

Às 10h do sábado, 28 de julho, no Mosteiro de São Bento, teve início a celebração eucarística com rito de ordenação presbiteral do monge Dom Ezequiel Vinicius de Oliveira Pereira, OSB, presidida pelo Cardeal Odilo Pedro Scherer, e concelebrada por Dom Matthias Tolentino Braga, Abade do Mosteiro; Dom Isidoro de Oliveira Preto, OSB; Dom Luís Proença, OSB; Dom Camilo de Jesus Dantas, OSB; Dom Guilherme Pinto, OSB; e Frei Rothmans Campos, o.Carm. 

A solene missa, com canto gregoriano tradicional, foi acompanhada pelo organista José Luís de Aquino, a convite de seu ex-aluno, que na celebração recebeu o sacramento da Ordem no grau de presbítero. 

 

O RITO

O rito teve início logo após a Liturgia da Palavra, com a eleição do candidato - em que o Abade dá testemunho de que o candidato foi considerado digno ao ministério presbiteral, tendo consultado o povo de Deus e ouvido a comunidade monástica -, o propósito do eleito - no qual foram respondidas perguntas feitas pelo Cardeal -, o juramento de obediência e a Ladainha, com os pedidos a Deus e a todos os santos.

Na sequência, Dom Odilo, os concelebrantes e os demais presbíteros impuseram as mãos sobre o Eleito e fizeram a oração consecratória. Membros da comunidade beneditina fizeram a entrega das vestes e, logo depois, Dom Odilo realizou a unção das mãos do ordenado com o óleo do Santo Crisma e cingiu-lhe as mãos com um lenço, que foi desatado pelos pais, aos quais o novo presbítero concedeu sua primei
ra bênção sacerdotal. Dom Ezequiel recebeu das mãos de Dom Odilo o pão e o vinho, para o sacrifício eucarístico, para que o neossacerdote conforme sua vida ao mistério da Cruz do Senhor.

 

BERÇO DA VOCAÇÃO

Natural de Unaí (MG), Dom Ezequiel conta que deve sua vocação religiosa no berço familiar e que sempre buscou a vida contemplativa. Em 2012, o então Frade Carmelita da Província Carmelitana de Santo Elias, deixou o Convento do Carmo e foi para o Mosteiro dos Beneditinos no Vale do 
Anhangabaú, onde pôde viver o carisma beneditino e expressar seu amor pela lturgia. Hoje, ele cursa mestrado em órgão no Pontifício Instituto de Música Sacra de Roma e mora na Basílica de São Paulo Fora dos Muros, Abadia Beneditina, onde atua como cantor e organista. 

 

AS BEM-AVENTURANÇAS COMO CAMINHO DE SANTIDADE

Na homilia, Dom Odilo disse que a ordenação de um sacerdote é um momento precioso na vida da Igreja e na vida de uma comunidade religiosa. O Cardeal propôs a reflexão sobre a vida sacerdotal a partir da Exortação Gaudete et Exsultate , em que o Papa Francisco apresenta as bem-aventuranças como caminho de santidade. Dom Odilo esclareceu que a vivência das bem-aventuranças pelos sacerdotes se dá no cuidado com o povo de Deus e na sua formação, para que seja fiel ao Espírito Santo; no desempenho assíduo do exercício da Palavra; na celebração da Eucaristia, de modo a edificar o povo de Deus; e no serviço da caridade e da misericórdia para com todos, especialmente para com aqueles que necessitam da mão samaritana.
 

 

Comente

Para pesquisar, digite abaixo e tecle enter.