Programa ‘Rua da Gente’ dissemina prática esportiva pela cidade

Por
08 de novembro de 2019

Estimular a ocupação adequada do espaço público e a integração das famílias com atividades esportivas e culturais, brincadeiras, oficinas e práticas de cuidados com o corpo e a mente. Com esses objetivos, a Prefeitura de São Paulo, por meio das secretarias municipais de Esportes e Lazer, Cultura e Relações Sociais, realiza o Programa “Rua da Gente” aos fins de semana, com diversas atividades nas ruas, praças e centros esportivos da capital paulista.
“Estamos fazendo uma evolução no programa ‘Ruas Abertas’, por meio do qual a Prefeitura garantia o fechamento dos espaços da cidade e a população era quem se responsabilizava pela execução das atividades. Aqui não: nós teremos 320 edições, sendo cem em 2019 e 220 no ano que vem. Serão ao menos quatro edições por fim de semana em todos os cantos da cidade, em especial nas 
regiões mais periféricas”, destacou o prefeito Bruno Covas (PSDB), no lançamento do programa em setembro. 

TODOS OS PÚBLICOS 
O secretário municipal de Esportes e Lazer, Carlos Bezerra Junior, disse em entrevista coletiva que o objetivo da iniciativa é promover o encontro das famílias e da comunidade local, além de trazer de volta à vida das pessoas o valor da rua, da praça e dos próprios clubes. “O programa foi desenhado de forma a abranger o maior número de espaços, como também a faixa etária mais elástica possível”, enfatizou.
As atividades são divididas em quatro polos, com opções para pessoas de todas as idades: Práticas Esportivas (atletismo, basquete, futebol, futsal e lutas), Práticas Corporais (alongamentos, exercícios funcionais, crossfit e street dance), Práticas de Lazer (brincadeiras tradicionais e contemporâneas, gincanas e oficinas de artesanato) e Práticas Integrativas e Complementares (práticas terapêuticas, danças e meditação).

VARIADOS ESPAÇOS
O primeiro espaço a receber o projeto foi a Praça do Samba, em Perus, zona Noroeste de São Paulo. Houve pintura facial, recreação, piscina de bolinhas, cama elástica, além das oficinas de cata-vento e mini pipa. Diversos outros bairros já receberam a iniciativa.
“Diferente de outros programas, o ‘Rua da Gente’ poderá realizar suas atividades nos mais variados espaços abertos da cidade, como ruas, praças e clubes municipais que tenham uma infraestrutura básica para atender às especificidades das modalidades apresentadas”, completou o secretário.
O programa é realizado aos sábados e domingos e irá contemplar todas as re-
giões da cidade de São Paulo, priorizando as áreas de maior vulnerabilidade social. As atividades ocorrem das 9h às 18h. 
A programação completa, com os locais e bairros que acolherão o programa, pode ser conferida no site prefeitura.sp.gov.br


(Com informações de Prefeitura de São Paulo)


 

Comente

Cuidados e benefícios da prática esportiva no inverno

Por
21 de agosto de 2018

As regiões sudeste e sul do Brasil são as mais afetadas com as características típicas do inverno, que, no Hemisfério Sul, tem início no dia 21 de junho e termina no dia 22 de setembro. A estação é caracterizada pelas baixas temperaturas, dias mais curtos, noites mais longas, e períodos com baixa umidade do ar. A prática esportiva durante essa estação requer cuidados. 

 

CUIDADOS

É ideal que os exercícios sejam rea- lizados na temperatura média dae 20 graus, pois marcas inferiores a 14 graus são prejudiciais à saúde. O aquecimento deve ser realizado antes de qualquer atividade, porém, no inverno, precisa ser feito com maior atenção, pois no frio a musculatura está mais contraída e tensa, o que aumenta o risco de lesões. 

A atividade física deve começar de forma leve e aumentar gradativamente. O professor e preparador físico Sandro Marcondes recorda que, durante o inverno, o corpo trabalha em dobro, pois se movimenta nas atividades físicas e precisa se manter aquecido. Por isso, é necessário tomar alguns cuidados. 

“No clima frio eu sempre recomendo utilizar um agasalho durante o treino. Se o clima estiver seco, beber bastante água, e procurar se exercitar nas primeiras horas do dia ou no início da noite, para conseguir um pouco de umidade do ar”, afirmou o professor em entrevista ao O SÃO PAULO. Sandro não recomenda a prática esportiva ao ar livre entre às 9h e 16h, principalmente em dias mais secos.

Por outro lado, segundo o professor, o mais importante é a sequência da atividade física, independentemente das condições climáticas, para o corpo “conseguir maior adaptação ao esporte”.

Por outro lado, segundo o professor, o mais importante é a sequência da atividade física, independentemente das condições climáticas, para o corpo “conseguir maior adaptação ao esporte”.

 

BENEFÍCIOS

A atividade física faz bem para a mente e para o corpo. Os benefícios vão muito além de manter ou perder peso. Entre as vantagens, estão a redução do risco de hipertensão, doenças cardíacas, acidente vascular cerebral, diabetes, depressão e quedas em geral. Além disso, a atividade física fortalece ossos e músculos, reduz ansiedade, estresse, melhora a disposição e estimula o convívio social. 

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda 150 minutos semanais de atividade física leve ou moderada (cerca de 20 minutos por dia) ou, pelo menos, 75 minutos de atividade física 
de maior intensidade por semana (cerca de 10 minutos por dia). Mas, a falta de tempo por conta da rotina apertada de trabalho e de estudo faz com que muitas pessoas não façam nenhuma atividade física. Para se ter uma ideia, a Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) de 2017 mostrou que um a cada dois adultos não pratica o nível de atividade física recomendado pela OMS. Um estudo divulgado pela Organização estima que pessoas sedentárias têm de 20% a 30% mais risco de morte por doenças crônicas, como problemas no coração e diabetes, do que pessoas que realizam ao menos 30 minutos de exercícios três vezes por semana.

 

ALIMENTAÇÃO

A refeição pré-exercício tem como objetivo manter os níveis de glicose no sangue dentro da faixa de normalidade durante o treino, para um bom rendimento durante a atividade. A composição dessa refeição depende de fatores como horário de início dos exercícios, duração, intensidade e modalidade, e de questões individuais como facilidade de digestão dos alimentos e preferências.

“Costumo recomendar que a pessoa consuma mais alimentos, porque o próprio organismo pede isso, é o natural fisiológico nosso. No clima frio, você gasta mais energia, o corpo sente mais fome, e naturalmente você vai ingerir mais alimentos, mas com moderação e cuidado”, reiterou Sandro Marcondes. 

Tanto para os treinos aeróbios (corrida, ciclismo, natação) quanto para os de força (musculação), a sugestão é investir principalmente em fontes de carboidratos. Aposte nas frutas, sucos naturais, frutas secas, pães, batata doce e barras de cereais. Faça a ingestão entre 60 e 20 minutos antes da prática.

(Com informações de Ministério da Saúde e Hospital Albert Einstein)
 

 

 

Comente

Para pesquisar, digite abaixo e tecle enter.