Papa Francisco ao arcebispo de Paris: "Notre Dame volte a ser sinal de fé"

Por
16 de abril de 2019

Que a Catedral de Notre Dame “volte a ser, graças ao trabalho de reconstrução e mobilização de todos, aquele bonito tesouro no centro da cidade, sinal de fé daqueles que a construíram, igreja mãe de sua diocese, patrimônio arquitetônico e espiritual de Paris, da França e da humanidade”.

É o que afirma o Papa Francisco no telegrama enviado ao arcebispo de Paris, dom Michel Aupetit, nesta terça-feira (16/04), após o incêndio devastador que destruiu parcialmente a catedral francesa.

“Uno-me à sua tristeza e a dos fiéis de sua diocese, dos habitantes de Paris e de todos os franceses. Nesta Semana Santa, em que recordamos a Paixão de Jesus, sua morte e ressurreição, asseguro a minha proximidade espiritual e minha oração”, afirma Francisco.

“Esta catástrofe danificou seriamente um edifício histórico. Estou ciente de que também atingiu um símbolo nacional muito querido aos parisienses e franceses na diversidade de suas convicções. De fato, Notre Dame é um tesouro arquitetônico de memória coletiva, lugar de encontro de muitos grandes eventos, testemunho da fé e oração dos católicos na cidade”, ressalta ainda o Papa.

Por fim, o Papa pediu a Deus para que abençoe os bispos da França, os fiéis da arquidiocese e demais habitantes de Paris, e todos os franceses.

Comente

Fogo consome Catedral de Notre-Dame

Por
15 de abril de 2019

Um incêndio de grandes proporções destruiu a Catedral de Notre-Dame, em Paris, na Franca, nesta segunda-feira, 15. As autoridades francesas tratam o episódio como acidente e, até o momento, descartam a possibilidade de que as causas sejam criminosas ou que se trate de um atentado terrorista. Segundo a agência AFP, os bombeiros acreditam que o fogo está “potencialmente relacionado” com os trabalhos de restauração pelo qual passava o edifício medieval.

O fogo teve início por volta das 18h50 locais (13h50 no horário de Brasília), poucos minutos depois de a Igreja ser fechada para visitação. As chamas surgiram na parte superior da construção, onde eram realizados trabalhos de restauração. Cerca de uma hora após o início das chamas, a torre central da igreja, de 93 metros de altura, desabou.

DESTRUIÇÃO

O porta-voz da Catedral, André Finot, declarou que pela intensidade das chamas que consomem o templo “não restará nada” da construção. 

A procuradoria francesa já abriu uma investigação para determinar o que iniciou o fogo.

REPERCUSSÃO

Via Twitter, o presidente francês, Emmanuel Macron, lamentou o ocorrido. “Notre-Dame de Paris em chamas. Emoção de uma nação inteira. Meus Pensamento estão com todos os católicos franceses. Como todos os nossos compatriotas, estou triste esta noite em ver esta parte de nós queimar”, disse. 

Segundo o jornal La Croix, o presidente da Conferência Episcopal Francesa, Dom Eric Moulin-Beaufort, afirmou ter recebido com horror a notícia do incêndio. “Eu fui ordenado nesta catedral. Esse lugar representa tantos eventos. Este drama nos lembra que nada nesta terra é feito para durar para sempre”, afirmou, manifestando solidariedade para com a Arquidiocese de Paris, que celebraria a Missa do Crisma com todo o clero na Catedral na manhã desta quinta-feira, 18. 

O TEMPLO

A Catedral Metropolitana de Nossa Senhora (em francês: Cathédrale métropolitaine Notre-Dame) é o principal local de culto católico em Paris e teve sua construção iniciada em 1163.

Localizado no coração da capital francesa, na praça de mesmo nome, o templo representa uma das construções góticas mais famosas do mundo. Basílica Menor desde 1805 e Patrimônio Mundial da Unesco desde 1991, Notre Dame recebe anualmente cerca de 13 milhões de turistas e fiéis de todas as partes do mundo.

No ano passado, a Igreja Católica na França lançou um apelo urgente pela mobilização de fundos para salvar o templo, que estava começando a desmoronar.

(Com informações de Vatican News, UOL, O Globo, La Croix, AFP e EFE)

Comente

Novo Arcebispo de Paris é médico especialista em Bioética

Por
11 de janeiro de 2018

“Ninguém na minha família era praticante, exceto minha mãe, que ia à missa aos domingos. Nunca fui coroinha nem escoteiro e não frequentei uma escola católica”, contou Dom Michel Aupetit, novo Arcebispo de Paris. Com um percurso diferente da maioria dos bispos, Dom Michel se formou em Medicina e atuou como médico durante 12 anos. Ele se especializou em Bioética e ensinou essa disciplina no Hospital Henri Mondor de Créteil. 

Aos 39 anos, decidiu entrar no seminário para se tornar sacerdote: “Deus me chamou para ser padre quando eu era médico”, disse em uma entrevista ao canal de televisão KTO . Cinco anos depois, Dom Michel recebeu sua ordenação sacerdotal na Arquidiocese de Paris. Ele realizou seu ministério em diferentes paróquias da Arquidiocese durante mais de dez anos, tendo sido, também, capelão em diferetes escolas de Paris. 

Em 2013, foi nomeado Bispo Auxiliar de Paris e recebeu sua ordenação episcopal das mãos do Cardeal André Vint-Trois, seu predecessor. Foi nomeado Bispo de Nanterre, em 2014, e, finalmente, Arcebispo de Paris no dia 7 de dezembro. A missa de instalação do novo Arcebispo foi celebrada no sábado, 6. Dom Michel convidou os presentes a “reconhecer a dignidade divina nos mais fracos, nos mais pobres e nos mais frágeis”.

Fontes: La Croix/ Catholic Herald
 

Comente

Para pesquisar, digite abaixo e tecle enter.