Padre acusado falsamente de abusos é absolvido 8 anos depois

Por
29 de março de 2019

Há alguns anos, o Padre Adam Stanisław Kuszaj, sacerdote polonês, foi em missão para a República Tcheca, na Diocese de Ostrava-Opava: queria servir os católicos desse País, considerado um dos mais descristianizados do mundo. Ele, porém, nunca pensou que acabaria em um tribunal, acusado de assédio sexual por uma jovem de 16 anos.

Em 2011, o Padre Adam foi suspenso pelas autoridades eclesiásticas e deixou de exercer o ministério sacerdotal. Além disso, foi considerado culpado pelo tribunal e condenado. Expulso da sua congregação, privado de meios de subsistência, com a infame marca de assédio e abandonado por seus conhecidos, ele teve que mudar completamente a sua vida, trabalhando como operário.

Recentemente, enquanto decorria no Vaticano o encontro para tratar a respeito de abusos sexuais contra menores, o tribunal da cidade de Jesenik absolveu o padre polonês, conforme informações publicadas pela ACI Stampa. No apelo à sentença, alguns jovens amigos da suposta vítima revelaram que as alegações de assédio haviam sido inventadas. Até os especialistas afirmaram que as histórias da suposta abusada não eram confiáveis.

No fim, descobriu-se que a acusadora queria se vingar do Padre porque este não lhe queria dar dinheiro. Como disse o porta-voz da Diocese, Pavel Suida, depois de considerar esses novos fatos, a suspensão do Sacerdote foi retirada e até mesmo os superiores da congregação à qual ele pertencia devem analisar a nova situação.

O próprio Padre Adam disse que queria voltar ao ministério sacerdotal o mais rapidamente possível: “Este é o meu sonho e quero que isso aconteça. Sempre quis servir as pessoas e a Deus antes de tudo. Percebo que perdi nove anos, mas também aprendi muito”, disse o Padre a uma rádio católica tcheca.

Ninguém poderá compensar o Padre Adam pelos sofrimentos e humilhações durante o julgamento, pela perseguição nos meios de comunicação social, pelo distanciamento dificilmente suportável do sacerdócio e pelos anos de trabalho árduo para sobreviver. No entanto, seu caso levanta questões: o que teria acontecido se não houvesse testemunhas que revelassem a intriga e se apenas as palavras da acusadora fossem consideradas verdadeiras?

Fonte: ACI Stampa
 

LEIA TAMBÉM: Projeto ajuda jovens moradores de rua

Comente

Padre é atacado com ácido durante Confissão

Por
18 de dezembro de 2018

O Padre Mario Guevara foi ferido em um ataque com ácido sulfúrico enquanto ouvia Confissão, na Catedral de Manágua. Elis Leonidovna Gonn, 24, uma mulher de nacionalidade russa, foi identificada pela Polícia como a responsável pelo crime. O motivo do ataque ainda está sendo investigado. 

O Sacerdote sofreu queimaduras em seu rosto e braço, foi levado ao hospital e não corre maiores riscos. A mulher foi retida pelas pessoas que estavam na Catedral no momento do incidente, até a chegada da Polícia.

O ataque ocorreu dois dias após um homem, Ramon Mercedes Cabrera, ter publicado um vídeo com ameaças ao Cardeal Leopoldo Brenes e a “todos que sejam católicos”. No vídeo, Cabrera afirma ter o apoio da Frente Sandinista, o partido que está no poder, do presidente Daniel Ortega. Ortega acusou os bispos católicos de apoiarem um “golpe de Estado” contra o seu governo, e as relações entre a Igreja e o governo nicaraguense se deterioraram desde então. 

A atual crise no País e os confrontos entre as autoridades e a população já provocaram mais de 300 mortes, de acordo com grupos de defesa dos direitos humanos. A Igreja tentou mediar uma solução para a crise, mas Ortega recusa qualquer perspectiva de deixar o poder. 

Fontes: CNA/ Revista Confidencial
 
 

LEIA TAMBÉM: ‘Terão que me matar primeiro’

Comente

Chantagista ameaça padre e é preso

Por
26 de outubro de 2018

Um homem telefonou para o Padre Gustavo Méndez Medici, da Paróquia Nossa Senhora do Carmo, em Vila Mercedes, no dia 11 de outubro. Ele exigiu que o Sacerdote pagasse 150 mil pesos (pouco mais de 4 mil dólares) para que ele não divulgasse um suposto material comprometedor. O Padre marcou um encontro com o criminoso e chamou a Polícia. Ele entregou uma bolsa com algumas notas e papel ao chantagista, que, ao sair da igreja, foi detido com duas outras pessoas pela Polícia. 

Um dos envolvidos é um velho conhecido do Sacerdote. Segundo a mídia local, o “material comprometedor” não passava de fotos nas quais o Padre aparece praticando esporte. O Padre Gustavo é sacerdote há mais de 30 anos e diretor do Instituto Superior Nossa Senhora do Carmo.

Fonte: ACI
 

LEIA TAMBÉM: Projeto para matar crianças doentes

 

Comente

Padre emprega pessoas em situação de rua

Por
25 de setembro de 2018

Muitas pessoas em situação de rua já começam a reconhecer o carro do Padre Marko Djonovic. Quando ele chega com seu amigo Marcus Cobb, diversos deles recebem uma proposta de trabalho por algumas horas, em troca de almoço e algum dinheiro.

Em parceria com a administração da cidade de Detroit, pessoas em situação de rua voluntariamente trabalham para limpar estacionamentos e vias públicas. “Eles querem trabalhar. E há uma grande necessidade na cidade de Detroit”, explicou o Sacerdote.

Padre Marko é parte de uma nova congregação do Oratório de São Filipe Neri, na Paróquia Nossa Senhora do Rosário. Marcus Cobb acredita que a iniciativa tem sido bem recebida pelas pessoas em situação de rua, porque “dá a elas algo pelo qual esperar e uma chance de retribuir e voltar à sociedade”

Todo o trabalho termina com o almoço e com uma reflexão sobre uma leitura da Bíblia. O Sacerdote e Marcus Cobb também lhes distribuem orações e procuram ajudá-los na medida do possível, colocando-os em contato com atendimento médico quando necessário, ou com outros serviços de que precisam.

Padre Marko financia o projeto com o seu próprio dinheiro e com as doações que recebe.

Fonte: CNA

Comente

Padre Luís Gutiérrez: 50 anos de sacerdócio e de testemunho da fé

Por
19 de setembro de 2018

No sábado, 15, com os fiéis da Paróquia Menino Deus, o Padre Luís Gutiérrez Pardo celebrou 50 anos de sua ordenação presbiteral, com a presença do Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo.

“Hoje é motivo de a gente agradecer a Deus, louvar a Deus, pelo sacerdócio do Padre Gutiérrez”, disse o Cardeal. “Junto com a ação de graças, queremos pedir novas graças, para ele e para todos os sacerdotes”, rezou Dom Odilo, pedindo orações pelas vocações na Arquidiocese.

Padre Gutiérrez é Pároco da Paróquia Menino Deus há 16 anos, onde há diversas comunidades do Caminho Neocatecumenal, movimento que nasceu no mesmo ano da sua ordenação, em 1968, e na mesma diocese, Madri, na Espanha.

“De uma forma maravilhosa, lenta e progressiva, o Caminho Neocatecumenal vai iluminando a história das pessoas configurando-a com a história da Salvação que Deus permitiu e que é o paradigma da salvação oferecida para todos os povos”, relatou Padre Gutiérrez. “Sei que o Caminho Neocatecumenal dará muitos frutos de vida para a Arquidiocese”, afirmou.

Na homilia de pouco mais de dez minutos – ele brincou ter sido esta a mais curta dos últimos 50 anos - Padre Gutiérrez comentou: “Temos tido pastores admiráveis”, ao recordar os três arcebispos de São Paulo com quem conviveu: os cardeais Arns, Hummes e Scherer. “Onde está o bispo, está a Igreja”, disse.

A equipe responsável formada pelo Caminho Neocatecumenal no Brasil, Padre José Folqué, Raul Viana e Pilar de la Plaza, enviou uma saudação especial ao Padre Gutiérrez, em nome do Caminho. “Mesmo à distância, unimo-nos à comunidade paroquial Menino Deus, em São Paulo, para juntos agradecermos a Deus pelo Padre Luís Gutiérrez e pelo seu sim dado ao serviço Dele”, dizia a carta.

“Eu vivi a realização do Concílio Vaticano II durante os estudos de Filosofia e Teologia. No seminário, o ambiente que me rodeava era de apoio, fervor e entusiasmo por aquele ímpeto do Concílio”, expressou Padre Gutiérrez.

 

BIOGRAFIA

Nascido na Espanha, em 1943, Padre Luís Gutiérrez foi ordenado em 2 de março de 1968, por Dom Casimiro Morcillo, Arcebispo de Madri. Formado na Congregação dos Sagrados Corações, ele veio para o Brasil em 1972. De todos estes anos de vida sacerdotal, 40 foram dedicados à Arquidiocese de São Paulo. Há muitos anos, ele está incardinado no clero arquidiocesano. Trabalhou de 1978 a 1996 na Paróquia Santa Bernadete; de 1996 a 2002, como catequista itinerante em Curitiba (PR), Porto Alegre (RS), Ponta Grossa (PR), Paranaguá (PR), com licença concedida por Dom Paulo Evaristo Arns e confirmada depois por Dom Cláudio Hummes, e há 16 anos atua na Paróquia Menino Deus.

 

Comente

Um missionário no Himalaia

Por
11 de setembro de 2018

O Padre Federico Juan Highton, sacerdote argentino com 37 anos, é missionário no Tibete, onde existem milhares de aldeias que nunca ouviram falar de Jesus Cristo. Padre Federico disse que sentiu pela primeira vez o chamado para o trabalho missionário quando se preparava para a sua primeira comunhão, embora na época não conhecesse nenhum missionário: ele queria ir pregar o Evangelho onde as pessoas ainda não conhecessem o Cristo. 

Antes de ser sacerdote, ele estudava Direito, mas decidiu largar sua namorada e a perspectiva de se tornar um advogado para entrar no seminário. Depois de ordenado, foi enviado a Taiwan para evangelizar. Ele pediu permissão para ir ao lugar mais extremo, onde não havia católicos, no Himalaia. “Disseram que era impossível, que não havia nenhum católico, que era estrangeiro, que os budistas não permitiriam”, contou o Sacerdote. 

Padre Federico se estabeleceu finalmente na fronteira entre o território do Tibete sob o domínio da China, o Nepal e Butão, e mantém uma escola com 43 alunos, que são educados e aprendem o catecismo. Ele trabalha junto com algumas religiosas e leigos que atuam como voluntários. O Padre viaja a muitos vilarejos distantes para falar de Deus a pessoas que nunca tiveram contato com a Igreja.

Apesar de todas as restrições à evangelização impostas pelos budistas, Padre Federico confia na ação do Espírito Santo: “Pode ser que algum dia nos expulsem, mas até então pregaremos Jesus Cristo”.

Fonte: ACI
 

Comente

Padre Euclides completa 35 anos de sacerdócio

Por
29 de agosto de 2018

No sábado, 18, na Paróquia Cristo Jovem da Lapa de Baixo, no Setor Pastoral Lapa, a comunidade paroquial comemorou o aniversario de 35 anos de ordenação sacerdotal do Padre Euclides Eustáquio de Castro. Além de uma missa de ação de graças, a comunidade promoveu um jantar beneficente. 

Padre Euclides agradeceu a toda comunidade e pediu que rezassem por ele, para iluminar o seu caminho na evangelização.

 

Comente

Sacerdote trabalha para reabilitar dependentes de drogas

Por
29 de agosto de 2018

O Padre Luciano Airel Felloni, missionário argentino que vive nas Filipinas há vinte anos, começou na sua paróquia um programa de reabilitação de dependentes de drogas para ajudá-los a se livrar do vício e viver uma vida digna e cheia de sentido. 

O presidente Rodrigo Duterte tem conduzido, desde sua eleição em 2016, uma grande campanha contra as drogas, utilizando não apenas os meios legais e oficiais, mas também “esquadrões da morte” que executam extrajudicialmente suspeitos de tráfico e viciados. Em resposta, a Igreja procura propôr uma alternativa mais conforme à dignidade das pessoas, sobretudo dos dependentes da droga: “Nós nos perguntamos o que poderíamos fazer, com nossos poucos recursos, para ajudar a campanha contra as drogas, mas trabalhando por um caminho correto, na defesa da dignidade de cada pessoa e da comunidade”, explicou o Padre Luciano à Agência Fides.

No começo, o projeto enfrentou a hostilidade da polícia e o ceticismo dos dependentes: ninguém tinha muita esperança de que fosse dar certo. Em menos de um ano, 40 pessoas já estavam inscritas, e a confiança no sucesso foi aumentando. A ideia é reabilitar, recuperar e reinserir os dependentes de drogas na sociedade.

Fonte: Fides
 

Comente

O detetive particular que se tornou sacerdote

Por
01 de agosto de 2017

Blas Damián López González tinha um bom emprego e uma namorada. Ele era detetive particular: “O trabalho que eu tinha era um trabalho no qual se descobre a verdade, mas também se descobre o pior lado das pessoas”. De família muito católica, Blas começou a se ques
tionar sobre sua verdadeira vocação. Ele se sentia interpelado pela vida sacerdotal e cheio de admiração pelas vidas dos grandes santos. 

Aos 30 anos, Blas terminou com a namorada, largou o emprego e começou a estudar Teologia. Aos 32 anos, Blas entrou para o seminário. No dia 16, Blas foi finalmente ordenado sacerdote na Diocese de Cartagena. Sua vocação é, segundo ele mesmo diz, “fruto da graça de Deus e da vida doada de seus pais”.

Fonte: ACI 

Comente

Para pesquisar, digite abaixo e tecle enter.