Documento do Papa aos jovens: Deus os ama e a Igreja necessita da juventude

Por
02 de abril de 2019

“Cristo vive: é Ele a nossa esperança e a mais bela juventude deste mundo! Tudo o que toca torna-se jovem, fica novo, enche-se de vida. Por isso as primeiras palavras, que quero dirigir a cada jovem cristão, são estas: Ele vive e quer-te vivo!”

Assim começa a Exortação Apostólica pós-sinodal "Christus vivit" do Papa Francisco, assinada segunda-feira, 25 de março, na Santa Casa de Loreto, e dirigida “aos jovens e a todo o povo de Deus”.

No documento, composto por nove capítulos divididos em 299 parágrafos, o Papa explica que se deixou “inspirar pela riqueza das reflexões e diálogos do Sínodo dos jovens”, celebrado no Vaticano em outubro de 2018.

 

A vida de Cristo

Francisco aborda o tema dos primeiros anos de Jesus. Para ele, estes aspectos de Sua vida não deveriam ser ignorados na pastoral juvenil, “para não criar projetos que isolem os jovens da família e do mundo”.

O Pontífice retoma um de seus ensinamentos e explica que é necessário apresentar a figura de Jesus “de modo atraente e eficaz” e diz: “Por isso é necessário que a Igreja não esteja demasiado debruçada sobre si mesma, mas procure sobretudo refletir Jesus Cristo. Isto implica reconhecer humildemente que algumas coisas concretas devem mudar”.

Na Exortação, se reconhece que há jovens que sentem a presença da Igreja “como importuna e até mesmo irritante”. Há jovens que “reclamam uma Igreja que escute mais, que não passe o tempo a condenar o mundo. Não querem ver uma Igreja calada e tímida, mas tampouco desejam que esteja sempre em guerra por dois ou três assuntos que a obcecam”.

Sobre a realidade juvenil, o Papa recorda os jovens que vivem em contextos de guerra, explorados e vítimas de sequestros, criminalidade organizada, tráfico de seres humanos, escravidão e exploração sexual, estupros. “Não podemos ser uma Igreja que não chora à vista destes dramas dos seus filhos jovens. Não devemos jamais habituar-nos a isto”, escreve.

Acenando a “desejos, feridas e buscas”, Francisco fala da sexualidade: “num mundo que destaca excessivamente a sexualidade, é difícil manter uma boa relação com o próprio corpo e viver serenamente as relações afetivas”, mas lamenta que os jovens vejam na Igreja um espaço de julgamento e condenação.

A Exortação se detém em seguida sobre o tema do “ambiente digital”, que criou “uma nova maneira de comunicar”, mas é também um território de solidão, manipulação, exploração e violência. “A reputação das pessoas é comprometida através de processos sumários on-line. O fenômeno diz respeito também à Igreja e seus pastores.”

 

Migração, proteção dos menores, empenho social

Outro tema tocado pelo Pontífice são os migrantes e como os jovens estão diretamente envolvidos nas migrações. O Papa os alerta para a difusão de uma mentalidade xenófoba, contrapondo-os entre si.

O Papa fala também dos abusos sobre menores e expressa gratidão “a quantos têm a coragem de denunciar o mal sofrido”.

O abuso não é o único pecado dos membros da Igreja, recorda o Papa. Mas ela não recorre a cirurgias estéticas. “Lembremo-nos, porém, que não se abandona a Mãe quando está ferida.” Com a ajuda preciosa dos jovens, este momento pode ser uma oportunidade “para uma reforma de alcance histórico para se abrir a um novo Pentecostes”.

A todos os jovens, o Papa anuncia três grandes verdades. A primeira: “Deus que é amor”. A segunda: “Cristo salva-te”. A terceira verdade é que “Ele vive!”. Nestas verdades, aparece o Pai e aparece Jesus. E onde estão o Pai e Jesus, também está o Espírito Santo, escreve Francisco, aconselhando os jovens a invocarem todos os dias o Espírito Santo: “Não perdes nada e Ele pode mudar a tua vida”.

Francisco recorda ainda que a juventude não pode ser um “tempo suspenso”, porque é “a idade das escolhas”, por isso é importante buscar «um desenvolvimento espiritual. O Papa propõe “percursos de fraternidade” e a importância de ser jovens comprometidos, que buscam o bem comum.

“O empenho social e o contato direto com os pobres continuam a ser uma oportunidade fundamental para descobrir ou aprofundar a fé e para discernir a própria vocação”. Em outras palavras, os jovens são chamados a ser “missionários corajosos”.

Não poderia faltar a referência à “relação com os idosos”. Se “os jovens se enraizarem nos sonhos dos idosos, conseguem ver o futuro”. É preciso, portanto, “arriscar juntos”.

 

Pastoral juvenil

Um inteiro capítulo é dedicado à “Pastoral dos jovens”. A pastoral juvenil precisa de adquirir outra flexibilidade, explica, sendo um espaço onde não só recebam uma formação, mas lhes permitam também compartilhar a vida.

Serve “uma pastoral juvenil popular”, “mais ampla e flexível que estimula, nos distintos lugares onde se movem concretamente os jovens, as lideranças naturais e os carismas que o Espírito Santo já semeou entre eles”.

Outro ponto fundamental é o discernimento, seja para a vida familiar, seja para a consagração a Deus.

No que diz respeito ao trabalho, o Papa recorda que “é uma necessidade, faz parte do sentido da vida nesta terra, é caminho de maturação, desenvolvimento humano e realização pessoal”.

A Exortação se conclui com “um desejo” do Papa Francisco:

“ “Queridos jovens, ficarei feliz vendo-vos correr mais rápido do que os lentos e medrosos. Correi atraídos por aquele Rosto tão amado, que adoramos na sagrada Eucaristia e reconhecemos na carne do irmão que sofre…A Igreja precisa do vosso ímpeto, das vossas intuições, da vossa fé...E quando chegardes aonde nós ainda não chegamos, tende a paciência de esperar por nós”. ”

 

LEIA TAMBÉM: Motu próprio sobre a proteção dos menores e das pessoas vulneráveis

Comente

Vila Cuore: um centro de cultura, educação e arte no coração de São Paulo

Por
29 de março de 2019

Um a um, os alunos vão chegando para a aula de panificação com a professora Angela Cintra Xavier, que é autodidata no ramo da panificação e especialista em fermentação natural de pães. É a segunda turma a ter a oportunidade de fazer o curso de Gastronomia oferecido pelo Projeto Vila Cuore, que nasceu por iniciativa do Grupo Cuore e da Comunidade Católica Aliança de Misericórdia.

O objetivo é transformar o espaço, onde antes funcionava uma casa de acolhida para crianças e adolescentes, em um centro cultural e de formação para toda a comunidade.

Na cozinha industrial, montada para que os alunos possam ter a experiência de uma cozinha profissional, o forno já estava aquecido para que fossem assados os pães preparados pela turma, sob orientação de Angela.

 

TRANSFORMAÇÃO

Localizado no bairro de Taipas, na zona Noroeste, o projeto abrange todo o entorno e os bairros de Perus e Botuquara. As iniciativas começaram a ser pensadas após um censo realizado em 2018 pelo Instituto São Paulo Pesquisas, para identificar as principais demandas das pessoas.

O projeto almeja atender 1.950 crianças e adolescentes, a partir de 2021, ano previsto para a conclusão das obras, e ser um espaço de educação, convivência, esporte, cultura e artes.

“Eu sempre me emociono, porque vejo o quanto a região precisa de projetos que façam a diferença”, disse à reportagem do O SÃO PAULO Ana Lucia Comolatti, uma das idealizadoras do projeto e fundadora do Grupo Cuore.

Ana Lucia salientou que o objetivo principal é transformar o entorno e envolver os familiares das crianças, adolescentes e jovens que frequentam o Núcleo Educacional ou que estarão acolhidos nos espaços destinados àqueles que já completaram 18 anos e, ao saírem das Casas Lares (casas de acolhida mantidas pela Prefeitura de São Paulo com o apoio da Aliança de Misericórdia), não têm para onde ir.

 

O GRUPO CUORE

Fundado por Ana Lucia Comolatti, o Grupo Cuore é formado por cerca de 50 pessoas que trabalham voluntariamente para obter os recursos necessários para manter e expandir os projetos.

A primeira turma de Gastronomia e Empreendedorismo teve início em agosto de 2018. Outros cursos nas áreas de Estética, Tecnologia e Formação Humana e Espiritual estão sendo gestados e terão início nos próximos semestres.

Para a captação de recursos, o Grupo Cuore promove eventos beneficentes de pequeno e grande portes e está em constante movimento. O próximo evento, em parceria com uma empresa de navegação, é a venda de convites para um cruzeiro pela costa brasileira, cuja renda será revertida para o projeto.

 

APRENDIZADO

Rosanete Casado, 53, está na turma de Gastronomia que começou há pouco mais de uma semana na Vila Cuore. Depois de uma semana de aulas teóricas e Empreendedorismo, ela estava ansiosa para a segunda aula prática no ramo da Panificação, que aconteceu na quinta-feira, 21.

Junto com o esposo, Rosanete pretende investir em uma cooperativa de alimentos e estava muito feliz pela oportunidade de realizar o curso. Márcia Nascimento, 38, e Marly Gabriela Nascimento, 16, mãe e filha, estão juntas participando do curso.

“Gostamos muito de cozinhar em casa e decidimos fazer o curso porque minha filha desejava cursar Gastronomia ou Nutrição, mas não tinha certeza se era isso mesmo que ela queria. O curso está ajudando a definir o futuro dela”, disse Márcia.

Para Jeniffer Oliveira da Silva, 20, o curso é uma oportunidade de inserção no mercado de trabalho e de enriquecimento profissional. “Estou muito feliz em participar e estamos aprendendo bastante com os professores, que são extremamente capacitados”, disse a jovem.

 

LUGAR DE CHEFS

Ivan Carlos dos Santos é chef e trabalha junto com a equipe da também chef de cozinha Monica Brancher, atual responsável pelo curso de Gastronomia da Vila Cuore. Muitos chefs já passaram pelo projeto, a maior parte deles trabalhando de maneira voluntária.

“Espero transformar estas vidas e tenho certeza que, no fundo, eu é que vou aprender muito”, afirmou Monica, em uma reportagem publicada pela Aliança de Misericórdia logo após a missa na qual foi inaugurado o primeiro dos prédios onde acontecem as aulas, em 16 agosto de 2018.

Ana Lucia Comolatti explicou que o objetivo é que os alunos do curso de Gastronomia e os jovens acolhidos na Vila Cuore tenham a oportunidade de, mensalmente, ter aulas com um chef da gastronomia internacional.

“Será uma aula lúdica, transmitida ao vivo pela internet, na qual, além da questão gastronômica, os alunos poderão entrar em contato com culturas e idiomas diferentes e, anualmente, realizaremos também uma semana de culinária italiana, com um chef italiano que irá ministrar aulas presenciais para os alunos”, explicou Ana Lucia.

 

GESTÃO COMPETENTE

Regina Pereira, gestora do Projeto Vila Cuore, já trabalhava com a Aliança de Misericórdia em outros projetos e, atualmente, é a gestora de todos os que estão em andamento e daqueles que estão sendo pensados no espaço.

Ela mostrou à reportagem um mapa no qual estão expostos todos os objetivos do projeto, entre eles, uma escola formal e atividades artísticas, como dança, teatro e circo.

“Um dos diferenciais de todas as nossas atividades é a formação humana e também espiritual, oferecida não somente aos alunos, mas a todos os colaboradores, professores e funcionários”, apontou Regina.

A gestora também recordou que querem tornar o lugar um espaço de lazer e cultura a longo prazo. “A comunidade tem muita carência de espaços de lazer, como parques e praças. Queremos que a Vila Cuore seja um espaço de acolhida para as famílias”, continuou.

Ana Lucia explicou ainda que, além do Empreendedorismo, o próximo passo é a abertura das turmas com aulas de Costura e Bordado, que também objetivam atender a uma demanda da comunidade.

 

A COMUNIDADE 

Em censo realizado pelo Instituto São Paulo Pesquisas no período de elaboração do projeto, os idealizadores identificaram os problemas da região e traçaram o perfil do público-alvo, sendo o principal objetivo criar oportunidades de inclusão do público jovem no mercado de trabalho.

Foram entrevistadas 405 pessoas, com idades entre 7 e 18 anos, entre janeiro e fevereiro de 2018, e alguns dados se tornaram essenciais para a elaboração dos projetos, tais como:

FAMÍLIA

As famílias têm entre 

4 e 5 mebros 

A maior parte dos entrevistados mora com os pais e as mães que decidem por eles;

PAIS: 59% possuem ensino médio e 62% encontramse na informalidade ou desempregados


 

COMUNICAÇÃO

57% não tem acesso

A rádio, tv por assinatura ou jornal impresso

Acessam

Frequentemente WhatsApp, Facebook, YouTube


 

EDUCAÇÃO

66%

Gostam de estudar

62%

Não estudam nem trabalham (14 a 18 anos)

87%

Gostariam de fazer curso

Profissionalizante

36%

Quer cursar faculdade

 

AREAS DE INTERESSE:

Administração Estética/Beleza

Idiomas

Comunicação e Artes

Saúde

Manutenção

Gastronomia

 

PROFISSÕES DESEJADAS:

Jogador de futebol

Professor

Policial

Cantor

Cabeleireiro

 

PARA SER VOLUNTÁRIO OU FAZER DOAÇÕES

Para ser voluntário e fazer parte da equipe da Vila Cuore, é preciso entrar em contato com a Comunidade Católica Aliança de Misericórdia por meio da página e a equipe responsável entrará em contato.

 

LEIA TAMBÉM: Jovens: o agora de Deus

Comente

Projeto ajuda jovens moradores de rua

Por
29 de março de 2019

Djibouti é um pequeno país do leste da África, situado entre a Eritreia, Etiópia e Somália, cujo litoral dá acesso ao Golfo de Áden, entre a África e a Península Arábica. Quase toda a população do País, de pouco menos de 1 milhão de habitantes, é muçulmana. Há 5 mil cristãos, na maioria católicos, e uma diocese sob a responsabilidade de Dom Giorgio Bertin, com três sacerdotes e cerca de 30 religiosas.

O diretor da Cáritas local, Francesco Martialis, contou um pouco sobre a ação social da Igreja no País: “Nossa missão é ficar ao lado dos pobres, qualquer que seja a sua religião e qualquer que seja a sua etnia”, explicou. Com efeito, ao longo de seus 42 anos de independência, o País sofreu com o conflito entre as duas principais etnias: Issa (60% da população) e Afar (35%).

Os projetos apoiados pela Cáritas são numerosos, porém um dos principais é voltado para ajudar jovens moradores de rua, vítimas potenciais do tráfico de seres humanos. Mais de mil jovens recebem atendimento médico, roupas, alimentos e também formação – aulas de Inglês e Francês, bem como de Matemática e Artes. Os jovens, em boa parte, são imigrantes e vivem em péssimas condições, frequentemente recorrendo às drogas, à violência e à prostituição. Um dos principais objetivos do projeto é reinseri-los em suas famílias e na sociedade.

Fonte: Fides
 

LEIA TAMBÉM: Padre acusado falsamente de abusos é absolvido 8 anos depois

Comente

Papa assina carta para os jovens: ‘Cristo vive’

Por
28 de março de 2019

Em visita ao Santuário Mariano de Loreto, na Itália, o Papa Francisco assinou um documento dedicado especialmente aos jovens. Christus vivit, em Latim, ou “Cristo vive”, em Português, é uma exortação apostólica póssinodal na forma de uma carta aos jovens de hoje.

Embora tenha sido assinado na segunda-feira, 25, o documento só será publicado em 2 de abril. É a data do aniversário de morte de São João Paulo II, escolha proposital que, segundo o porta-voz do Vaticano, Alessandro Gisotti, demonstra o importante laço entre dois pontífices muito amados pela juventude.

 

NOS PASSOS DO SÍNODO

A exortação é o principal resultado documental da reflexão do Sínodo dos Bispos sobre o tema “Os jovens, a fé e o discernimento vocacional”. A assembleia geral foi realizada em outubro de 2018, mas o debate começou ao menos um ano antes.

Esse também foi o primeiro Sínodo que incluiu uma reunião pré-sinodal, na qual 300 jovens foram a Roma e deixaram um documento que serviu de base para o Sínodo. Agora, espera-se que cada igreja particular – dioceses, paróquias, movimentos – também leve o tema da juventude ao centro dos encontros e aplique os resultados do Sínodo.

O Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida já está organizando um evento pós-sinodal: uma conferência a ser realizada em junho deste ano, na Itália, reunindo jovens indicados pelos bispos de vários países, visando a concretizar as diretrizes do Sínodo.

 

NAS MÃOS DE MARIA

Francisco escolheu assinar o texto em Loreto (foto) e colocar nas mãos de Maria os jovens do mundo inteiro. No famoso santuário italiano, há uma chamada “casa de Maria”, venerada por muitos fiéis como residência da Virgem. Segundo uma tradição popular local, a casa de Maria foi levada pelos anjos da Terra Santa até a Itália.

Nesse local, disse o Papa, vê-se claramente que Maria continua a falar para todas as gerações, acompanhando cada um na busca da própria vocação. “Por isso, eu quis assinar aqui a exortação apostólica, fruto do Sínodo dedicado aos jovens”, mencionou durante a missa.

 

LEVAR O EVANGELHO A TODOS

“No evento da Anunciação, aparece a dinâmica da vocação expressa nos três momentos que marcaram o Sínodo: escuta da Palavra-projeto de Deus; discernimento; e decisão”, disse. A “casa de Maria”, continuou, também é casa das famílias e dos doentes.

“Deus, por meio de Maria, confia- -nos uma missão neste tempo: levar o Evangelho da paz e da vida aos nossos contemporâneos, frequentemente distraídos, atraídos por interesses terrenos ou imersos em um clima de aridez espiritual”, afirmou o Papa.

“Precisamos de pessoas simples, sábias, humildes e corajosas, pobres e generosas”, como Maria, “que acolham o Evangelho sem reservas na própria vida”, completou.

 

LEIA TAMBÉM: Ajuda humanitária a Moçambique, Malawi e Zimbábue

 

 

Comente

Jovens: o agora de Deus

Por
28 de março de 2019

O Setor Juventude da Arquidiocese de São Paulo (Sejusp) promoveu no sábado, 23, uma formação para líderes jovens de pastorais, grupos, movimentos e novas comunidades.

O encontro ocorreu na Faculdade Paulus de Tecnologia e Comunicação (Fapcom), com palestra do Monsenhor Antonio Luiz Catelan Ferreira, professor na PUC-RJ. Ele foi recepcionado por Dom Carlos Lema Garcia, Bispo Auxiliar da Arquidiocese, Vigário Episcopal para a Educação e a Universidade e Referencial do Setor Juventude.

 

PERSPECTIVA JUVENIL

Inicialmente, o Monsenhor fez uma breve apresentação do projeto IDE – uma iniciativa de evangelização permanente da CNBB que a Pastoral Juvenil realizará até 2020, trabalhando os eixos de “Missão”, “Formação” e “Estruturas de Acompanhamento”

Na sequência, o Monsenhor tratou do tema principal do encontro, o aprofundamento da eclesiologia do Papa Francisco na perspectiva juvenil, refletindo sobre a Exortação Apostólica Evangelii Gaudium.

A palestra enfatizou três capítulos: o 3º – “Alegria que se renova e comunica”; o 8º - “Aqui está a fonte da ação evangelizadora, porque, se alguém acolheu este amor que lhe devolve o sentido da vida, como é que pode conter o desejo de o comunicar aos outros?”; e o capítulo 14º, que aborda a XIII Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos, sobre o tema “A nova evangelização para a transmissão da fé cristã”

 

NOVA EVANGELIZAÇÃO

O palestrante recordou que a nova evangelização interpela a todos, realizando-se fundamentalmente em três âmbitos: pastoral ordinária, que envolve os fiéis que frequentam regularmente a comunidade, destacando-se os fiéis que conservam uma fé católica intensa e sincera, exprimindo-a de diversos modos, embora não participem frequentemente no culto; o segundo âmbito é das pessoas batizadas que não vivem as exigências do Batismo, não sentem uma pertença cordial à Igreja nem experimentam a consolação da fé; e, por fim, o terceiro âmbito, que está essencialmente relacionado com o anúncio do Evangelho aos que não conhecem Jesus Cristo ou que sempre O recusaram.

Foi ainda ressaltado pelos participantes que, com foco e determinação, o jovem pode potencializar o poder de mudar sua realidade e a de sua comunidade. “Porque vocês, queridos jovens, não são o futuro, mas o agora de Deus”, como disse o Papa Francisco, na Jornada Mundial da Juventude do Panamá neste ano.

 

LEIA TAMBÉM: Retiro espiritual acontece na Eparquia Nossa Senhora do Paraíso dos Greco-Melquitas

 

Comente

Bem-aventurados os jovens

Por
25 de janeiro de 2019

Falar de santidade, a princípio, pode parecer um assunto um tanto quanto démodé, ou seja, fora de moda. Mas o fato é que a santidade é um chamado comum a todos os que seguem Jesus, em diferentes estados de vida. No Brasil, estão em processo de canonização jovens que dedicaram suas vidas para fazer o bem e viver em consonância com os ensinamentos do Evangelho.

A Beata Albertina Berkenbrock e a Serva de Deus Isabel Cristina Mrad Campos têm aspectos em comum em suas histórias de vida, como a maneira com que morreram, pela violência que vitima tantas mulheres no Brasil e no mundo. Mas o que chama atenção na biografia de ambas é a vida de piedade, a sensibilidade e atenção para com as pessoas próximas e necessitadas, demonstrando, assim, atitudes de intensa caridade cristã.

Padre Ezequiel Ramin, por sua vez, era missionário comboniano e também morreu assassinado aos 32 anos, em 24 de julho de 1985, em Cacoal, Rondônia. A rogatória diocesana para a causa de beatificação foi concluída em março de 2017.

A história desses jovens e de mais de 70 brasileiros que podem ser canonizados pela Igreja e já tiveram seus processos abertos está no livro “A Caminho da Santidade – Do Brasil para o Mundo”, de José Luís Lira.

Padre Armênio Rodrigues Nogueira apresenta um quadro, de mesmo nome, aos domingos na rádio 9 de Julho, às 17h55.

 

FÉ E FORÇA

Albertina Berkenbrock foi beatificada em solene celebração eucarística, no dia 20 de outubro de 2007 em frente a Catedral Diocesana de Tubarão (SC). A missa foi presidida pelo Prefeito Emérito da Congregação para a Causa dos Santos, Cardeal José Saraiva Martins.

Albertina nasceu em 11 de abril de 1919, na Comunidade de São Luís, próxima à Paróquia São Sebastião de Vargem do Cedro, no município de Imaruí (SC). Filha de um casal de agricultores, Henrique e Josefina Berkenbrock, teve oito irmãos e irmãs. Foi batizada em 25 de maio de 1919, crismada em 9 de março de 1925 e fez a primeira comunhão em 16 de agosto de 1928.

Aos 12 anos, em 15 de junho de 1931, Albertina foi assassinada ao defender-se numa tentativa de estrupo. O assassino, Idalício Cipriano Martins, era empregado da família e a degolou após a menina não ceder diante das inúmeras tentativas. O martírio e a consequente fama de santidade espalharam-se rapidamente porque ela era uma menina de grande sensibilidade para com Deus e as pessoas próximas e mais necessitadas.

 

EDUCAR PARA AS VITRINES

Desde a preparação para a primeira Confissão e a primeira Comunhão, Albertina passou a frequentar constantemente esses sacramentos e chamou atenção pela sua forma simples de expressar-se sobre o mistério eucarístico como experiência do amor de Deus.

Todas as virtudes humanas e cristãs mostram que Albertina, apesar de sua pouca idade, foi uma pessoa que correspondeu à vocação para a santidade e viveu os valores do Evangelho de modo admirável.

 

SERVA DE DEUS

“Espero que nós continuemos a nos amar mais e mais, a cada dia que passar. Assim, construiremos o nosso pequenino mundo cheio de amor, paz e amizade.” A frase foi dita pela Serva de Deus Isabel Cristina, que nasceu em 29 de julho de 1962 em Barbacena (MG) e foi brutalmente assassinada em 1º de setembro de 1982 por um montador de móveis na cidade de Juiz de Fora (MG). O assassino teria dado 13 facadas na jovem em sinal de revolta por não ter conseguido consumar o estupro.

De família cristã, Isabel estudava, namorava e participava de movimentos da Igreja, como a Sociedade São Vicente de Paulo. Sonhava em ser pediatra para cuidar de crianças carentes e, por isso, mudou-se para Juiz de Fora, a fim de prestar vestibular para a faculdade de Medicina.

Em setembro de 1982, um homem foi ao seu apartamento para montar um guarda-roupas e tentou violentá-la. Isabel foi agredida com uma cadeira, amordaçada, amarrada e esfaqueada, mas impediu o homem de consumar o estupro. Em 26 de janeiro de 2001, seu processo de beatificação foi instalado e a Santa Sé conferiu a ela o título de Serva de Deus. Em agosto de 2009, seus restos mortais foram levados para o Santuário de Nossa Senhora da Piedade, em Barbacena. Seu processo de beatificação está na Santa Sé desde 1º de setembro de 2009.

 

MISSIONÁRIO ALÉM-FRONTEIRAS

Concluiu-se em 2017 a rogatória aberta em 9 de abril de 2016, após o início da investigação da Diocese de Ji-Paraná (RO) sobre a fama de santidade de Padre Ezequiel Ramin, pela indicação de “super martyrio”, ou seja, que demonstra a consciência de que o religioso morreu na defesa da própria fé, da paz e da justiça.

Ezequiel nasceu em Padova, Itália, em 1953. Ainda jovem, decidiu ser missionário. Foi ordenado sacerdote em 1980, e, aos 30 anos, enviado em missão ao Brasil. Desejava viver uma experiência de fronteira. Em abril de 1983, antes de chegar ao Brasil, partilhou: “Ainda não sei aonde irei, porém estou contente com o fato de partir. É uma coisa mais forte do que eu.”

Quando chegou em Cacoal (RO), encontrou comunidades consolidadas e lideranças que estavam sendo formadas e, também, deparou-se com conflitos de terra constantes naquela região.

No dia 24 de julho de 1985, Padre Ezequiel Ramin, aos 32 anos, foi brutalmente assassinado quando voltava de uma missão de paz, na qual havia visitado posseiros na Fazenda Catuva para pedir-lhes que se retirassem, pois corriam perigo. Foi pego de surpresa por pistoleiros e seu corpo recebeu muitos tiros de espingarda. Ficou caído na estrada a uns 50 metros da traseira do carro.

“Sigo a estrada do missionário, não porque eu tenha escolhido Deus, mas porque Deus me busca e continuamente me pede para segui-lo”, escreveu Ezequiel a um amigo quando decidiu ingressar na Congregação dos Missionários Combonianos do Coração de Jesus e foi estudar em Florença, na Itália, antes de vir para o Brasil como missionário.

(Com informações de www.beataalbertina.com, www.arquimariana.com.br, www.pom.org.br e do livro “ A Caminho da Santidade – Do Brasil para o Mundo”. )
 

Comente

‘Copinha’ é vitrine para jovens talentos e traz histórias de superação

Por
19 de janeiro de 2019

Desde o dia 2, a 50ª edição da Copa São Paulo de Futebol Júnior, maior vitrine de talentos do futebol brasileiro, está agitando os gramados paulistas. Em cinco décadas de disputa, o campeonato se notabilizou também pelas histórias de superação, sobretudo de jovens que deixaram seus familiares, viajaram durante dias em busca de seus sonhos e enfrentaram muitos outros adversários fora de campo.

 

CURIOSIDADES

O torneio, disputado desde 1969, inicialmente chamava-se Taça São Paulo de Juniores, e era organizado pela Prefeitura de São Paulo. Em 1987, a competição não aconteceu. Ao retornar no ano seguinte, passou a ser organizada pela Federação Paulista de Futebol (FPF).

Somente em 1971 foram incluídos clubes de outros estados brasileiros, após uma mudança de formato estabelecida pela FPF, pela qual até mesmo algumas equipes estrangeiras puderam participar. Com a criação do Campeonato Brasileiro Sub-20, em 2010, a Federação optou por admitir jogadores até 19 anos.

A grande final tradicionalmente acontece no dia 25 de janeiro, no Estádio do Pacaembu, no aniversário da Capital Paulista.

 

HORAS DE VIAGEM

Muitos clubes que participam da “Copinha” se preparam durante todo o ano para a disputa e enfrentam muitas dificuldades. Algumas equipes chegam a passar dias na estrada, como o River (PI), que enfrentou quase três dias de viagem até Jaguariúna, no interior paulista, sede do time na competição.

A virada do ano foi celebrada dentro do ônibus, durante os quase 2,5 mil quilômetros percorridos pela equipe, que saiu de Teresina em 30 de dezembro. Durante a viagem até São Paulo, a comissão técnica do time piauiense fez algumas paradas para realizar treinos físicos, em campos ao lado de postos de gasolina e quadras das cidades próximas.

 

AJUDA ADVERSÁRIA 

Por pouco, o meio-campo Juninho, peça fundamental no empate por 1 a 1 do Carajás (PA) contra o Taubaté (SP), no dia 7, não entrou em campo, pois o jogador não tinha uma chuteira. Ele só pôde jogar graças a uma ajuda do Vasco da Gama, que também esteve no grupo 27 do torneio e emprestou o calçado ao jogador.

O camisa 10 do time paraense comprou uma chuteira pela internet para estreia, mas a entrega atrasou. O caso chegou aos ouvidos de comissões técnicas de outras equipes e gerou comoção. Após o empate contra o Taubaté, a maioria dos atletas deixou o campo chorando.

Eles estavam emocionados por ser o primeiro ponto do time na história da “Copinha”. Na estreia da competição, justamente contra o Vasco, Juninho utilizou a chuteira do preparador de goleiros e balançou as redes. Porém, os cariocas venceram a partida, de virada, por 4 a 1

 

CAXUMBA

O Galvez (AC) conseguiu uma classificação história após vencer o XV de Piracicaba por 2 a 0, no dia 9. A equipe, que está sediada em Capivari, interior paulista, somou seis pontos com a vitória e alcançou a segunda colocação do grupo 12, conseguindo classificação para o mata-mata do torneio pela primeira vez.

O time excedeu todas as previsões e avançou até a terceira fase, quando foi eliminado pelo Palmeiras, mas o que mais chamou a atenção foi a superação do elenco, que teve alguns desfalques entre os 25 jogadores inscritos para jogar na “Copinha”. Tudo isso porque um surto de caxumba atingiu a equipe do clube acreano e afastou seis jogadores dos treinamentos.

 

ESTATÍSTICAS

Um levantamento feito pela FPF mostrou que, nas 128 equipes participantes do torneio, há 3.088 jovens de várias partes do Brasil e de outros cinco países, de três continentes diferentes. Segundo a FPF, são três chineses, dois equatorianos, um camaronês, um equatoriano e um japonês. Os brasileiros vêm de 845 cidades diferentes.

O Tocantins tem 40 atletas cadastrados, incluindo os que defendem a equipe do Capital. As cidades paulistas com mais jogadores na disputa são: São Paulo (291 jogadores), Campinas (50), Ribeirão Preto (49), Santo André (22) e São Bernardo do Campo (21). De outros estados, os destaques são para as cidades do Rio de Janeiro (148), Salvador (82) e Brasília (71).

 

(Com informações de FPF, Futebol do Interior e Globoesporte.com)

Comente

Jovens da Comunidade Canto de Maria são enviados à JMJ

Por
16 de janeiro de 2019

No domingo, 13, os jovens da Comunidade Canto de Maria participaram, na Paróquia Sant’Ana, da missa de envio para a Jornada Mundial da Juventude (JMJ).

Este ano, o encontro dos jovens com o Papa Francisco acontecerá na Cidade do Panamá, no Panamá, entre os dias 22 e 27. Os jovens participarão também da pré-jornada na Costa Rica, entre os dias 15 e 20 deste mês.

Na missa presidida pelo Padre Mauricio Vieira, Pároco, os jovens agradeceram a Deus por ter permitido que sejam enviados à JMJ, e às famílias e paroquianos pelas contribuições e orações para a viagem.

Ao fim, com a bênção de envio, receberam um crucifixo como sinal de adesão ao discipulado de Cristo.

 

LEIA TAMBÉM: Avançam os preparativos de livro sobre o Padre Tommaso Leporale

Comente

JMJ Panamá: jovens saem da Polônia e da França de barco para conhecer o Papa

Por
15 de janeiro de 2019

Atravessar o oceano com a mente e o coração no Panamá. Essa é a experiência que cerca de 150 jovens polacos estão vivendo a bordo do veleiro "Dar Mlodziezy" (Presente da Juventude). São mais de dois meses de viagem para o país latino-americano que vai sediar, no fim de janeiro, a Jornada Mundial da Juventude com a participação do Papa Francisco.

A viagem começou no dia 11 de novembro, dia da independência da Polônia. O número de jovens a bordo oscila entre 150 e 170. Alguns participaram apenas das primeiras etapas da viagem, outros embarcaram no meio do caminho.

Padre Michał Siennicki é um missionário palotino que, como os meninos que acompanha no barco, aguarda ansiosamente o abraço do Papa. "Estamos esperando suas palavras, uma nova motivação para nós que buscamos a Cristo". O religioso diz que a experiência como capelão na viagem é importante para sua vocação. "Muitas pessoas pediram o sacramento da confissão e muitas participaram da missa todos os dias. Foi uma boa oportunidade para testar minha disponibilidade, a possibilidade de proclamar a Cristo ".

 

Do mar da França ao Panamá

Da França, 32 jovens em três embarcações diferentes cruzaram o Oceano Atlântico, durante cinco meses de viagem, com o mesmo objetivo: chegar ao Panamá para participar da Jornada Mundial da Juventude. Um caminho marcada pela experiência da fé, com duas paradas importantes: uma em Santiago de Compostela, na Espanha, e outra no Santuário de Nossa Senhora de Fátima, em Portugal, onde colocaram o sucesso da viagem nas mãos da Virgem Maria.

 

 

LEIA TAMBÉM: "Seguir o exemplo do Bom Samaritano para socorrer os doentes"

Comente

De Perus rumo à Jornada Mundial da Juventude

Por
09 de janeiro de 2019

No dia em que a Igreja celebrou a Epifania do Senhor, no domingo, 6, a Paróquia São José, em Perus, fez o envio das jovens Anna Catarina Dória, 19, Anna Clara Gonçalves de Jesus, 19, Giovanna Sabino Dória, 23, e Michele Pereira Sousa, 19, para participar da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), entre os dias 22 e 27 deste mês no Panamá. 

Durante a missa de envio, a escritora e moradora do bairro, Maria Edméa Augusto, leu um poema de sua autoria em homenagem às jovens, intitulado “Quatro jovens de coragem”. Nesse poema, a autora evidenciou a alegria dos paroquianos em ser representados pelas jovens.

O Padre Cilto Rosembach, Pároco, enfatizou a luta das jovens, que há um ano e dez meses abraçaram o projeto “De Perus ao Panamá – Rumo à JMJ” e se dedicaram para conseguir os recursos necessários que viabilizassem sua participação no evento.

As jovens compartilharam que, além do nervosismo, ansiedade e muito amor, os sentimentos que levam consigo são alegria e gratidão. Elas explicaram que sentem “alegria por sermos jovens e termos a oportunidade de levar o nome da nossa Paróquia, do nosso bairro e de cada um que colaborou conosco até outro país. Algo que na condição de jovens periféricas já supera as perspectivas. E gratidão por todo o caminho trilhado até aqui, com o apoio e incentivo justamente daqueles a quem vamos representar”.
 

LEIA TAMBÉM: Paróquia São Luís Gonzaga organiza a Folia de Reis

Comente

Páginas

Para pesquisar, digite abaixo e tecle enter.