Em missa na Sé, Igreja reza pela pátria e pelo povo brasileiro

Por
07 de setembro de 2019

Na celebração da Independência do Brasil, a Arquidiocese de São Paulo realizou na manhã deste sábado, 7, na Catedral da Sé a missa pela pátria e pelo povo brasileiro.

“Lembremos do nosso País com carinho e ofereçamos nossas preces pelo bem e pela jornada deste dia”, afirmou o Padre Tarcísio Mesquita, Secretário Arquidiocesano de Pastoral, no começo da missa por ele presidida e que foi concelebrada pelo Padre Luiz Baronto, Cura da Catedral.

Manter a esperança

Padre Tarcísio, na homilia, destacou que a liturgia deste dia menciona a esperança, algo que não deve faltar aos brasileiros, que “não devem se abater, precisam guardar a fé e seguir em frente”, afirmou, comentando, ainda, que a palavra independência,  especialmente lembrada em 7 de setembro, deve ser entendida como projeto de vida, garantido em uma nação com pessoas livres para se expressar, para formar o próprio destino.

Amor aos compatriotas

O Sacerdote também destacou que todos são corresponsáveis pelas condições dos que sofrem com a falta de alimento, moradia e emprego e que especialmente os cristãos devem dar testemunho de amor ao próximo, de compaixão.

“É o Dia da Pátria. Dia em que nós manifestamos de maneira civil e com expressões culturais, que devemos amar o Brasil, mas não simplesmente um amor a um pedaço de pano colorido; devemos expressar este amor sobretudo para com os nossos compatriotas”, afirmou, exortando todos ao compromisso de solidariedade mútua “para que tenhamos um Brasil melhor, mais justo, mais fraterno e mais humano”.

Atenção aos mais vulneráveis

Padre Tarcísio também disse que os ocupantes de funções no poder público não são proprietários, mas servidores, e que todos os esforços e estruturas do País devem estar a serviço, prioritariamente, dos que menos tem condições.

“Façamos deste momento celebrativo, um ato de repúdio à maldade, a toda espécie de divisão e de ódio, a toda indiferença em relação à dignidade do nosso povo, mas façamos também, como clama a Palavra de Deus neste dia de hoje nesta celebração, um ato de renovação da nossa esperança por um Brasil humano e fraterno”, concluiu.

Grito dos Excluídos

Após a missa, membros das pastorais sociais da Arquidiocese de São Paulo participaram da 25o Grito dos Excluídos, que acontece em diferentes cidades do país neste 7 de setembro, com o lema “Este sistema não vale. Lutemos por justiça, direitos e liberdade”.

Ao término da missa na Catedral da Sé, Paulo Pedrini, da Pastoral Operária, convidou os fiéis a participar do Grito dos Excluídos, que teve início na Praça da Sé e seguirá ao longo do dia passando  em frente ao Pateo do Colégio, Largo São Bento e Largo São Francisco, onde haverá um ato inter-religioso conclusivo.

“O grito é um momento de denúncia, mas também de anúncio da construção de uma sociedade justa e igualitária”, comentou Pedrini.

Comente

A história da independência viva em São Paulo

Por
04 de setembro de 2019

O pequeno riacho do Ipiranga presenciou, no dia 7 de setembro de 1822, um dos acontecimentos mais importantes da história do nosso País. Dom Pedro I bradou “Independência ou Morte”, e se tornou o primeiro imperador do Brasil, que deixou de ser colônia de Portugal.

Desde aquele acontecimento, muitos pretendiam marcar de alguma forma o local onde ocorreu o grito da independência, porém, somente em 1895, foi inaugurado o que hoje é o Museu Paulista, popularmente conhecido como Museu do Ipiranga, que está fechado desde 2013, por problemas estruturais.

RESTAURO E AMPLIAÇÃO 
As obras de restauro e ampliação devem começar neste mês. “O museu e os seus jardins estarão totalmente recuperados para, em setembro de 2022, fazermos uma grande celebração dos 200 anos da Independência do Brasil”, disse João Doria, governador do estado de São Paulo, na apresentação do cronograma de captação de recursos, iniciado em março. O projeto possui o orçamento de R$ 160 milhões, arrecadados por meio de parcerias do Governo Estadual com a sociedade civil e com 13 empresas da iniciativa privada.


Com a reforma, além da adequação às normativas atuais de infraestrutura, acessibilidade, segurança e sustentabilidade, o edifício será ampliado em 4 mil metros quadrados. A nova área proporcionará a melhoria dos acessos e fluxos, acolhimento do público e novas facilidades, como mirante, área de exposições temporárias, auditório, salas para ações educativas, café e loja.


O objetivo é triplicar a capacidade anual de visitação, de cerca de 300 mil pessoas em 2013 para 900 mil após a reinauguração. A construtora responsável pelas obras, que terão duração prevista de 30 meses, deve ser anunciada no próximo dia 7.

COMPLEXO DO IPIRANGA 
O Edifício-Monumento foi inaugurado em 7 de setembro de 1895, como museu de História Natural e marco representativo da Independência. Em 1963, o local passou a ser administrado pela Universidade de São Paulo (USP) e tornou-se uma instituição científica e educacional. Seu acervo é constituído por cerca de 450 mil itens, entre objetos e documentos.


O Parque da Independência, inaugurado em 1989, abriga além do museu e seus jardins, o Monumento à Independência e a Casa do Grito. Esse complexo é tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional - IPHAN, e também pelos órgãos estaduais e municipais. 


O monumento foi inaugurado em 1922, como parte das comemorações do centenário da independência. Na parte interna está a cripta construída em 1953, que abriga os restos mortais de Dom Pedro I. A Casa do Grito possui exposições diversas. Os documentos mais antigos sobre a sua origem datam de 1884: acredita-se que foi construída nesse ano. Ambos, Monumento e Casa do Grito, estão abertos para visitação de terça-feira a domingo, das 9h às 17h.

FECHAMENTO DO MUSEU 
Em 2013, o museu foi fechado para visitação pública após um laudo apontar problemas estruturais causados pela infiltração de água nos forros. Após um planejamento, o acervo foi removido, com exceção de algumas obras como a pintura “Independência ou Morte”, de Pedro Américo, com 4,6 metros de altura e 7,6 metros de largura, e da “Maquete da Cidade de São Paulo”, em mármore, que representa a capital em 1841. 


Sete imóveis foram alugados no bairro do Ipiranga: em dois passaram a funcionar a administração do museu e as atividades educativas e de extensão, e outros cinco foram preparados para receber o acervo.


Mesmo após o fechamento o Edifício-Museu continua atendendo os pesquisadores e realizando os procedimentos de curadoria e exposições externas.


“O fechamento foi a melhor atitude, pois salvaguardou o acervo e não trouxe danos à população que visitava o museu, não havendo consequências mais sérias. Efeito maior foi fechar ao público um acervo tão importante. Porém, isso chamou a atenção para as condições de conservação e possibilitou uma discussão maior sobre o restauro e ampliação no edifício para atender melhor o público”, disse ao O SÃO PAULO, Fernanda Gibertoni Carneiro, arquiteta-urbanista e técnica do IPHAN em São Paulo.

PRESERVAÇÃO EFETIVA 
No dia 2 de setembro de 2018, o Museu Nacional, localizado no Rio de Janeiro, onde um dia residiu a Família Real, foi destruído pelas chamas, e grande parte de seu acervo com mais de 200 anos de história do Brasil foi perdido, além das pesquisas desenvolvidas. O local já demonstrava clara degradação e estava com o terceiro andar fechado ao público devido ao elevado risco de incêndio. 


“Essa tragédia nos lembra a importância de cuidarmos do patrimônio histórico brasileiro. Tanto que após este caso do Museu Nacional, houve uma vistoria geral em diversos museus em todo o Brasil. Temos que cuidar desse patrimônio e precisamos ter leis que fiscalizem e responsabilizem os maus gestores desses locais”, alertou o historiador Caio Pereira à reportagem. 


Segundo Fernanda, para que uma nova tragédia não ocorra, a preservação desse patrimônio não deve envolver só as autoridades federais, estaduais e municipais, mas é necessário também o empenho de todos para uma ação efetiva e permanente, pois só assim os bens ficam conservados e sempre disponíveis para o público.


“O maior desejo é que existam ações conservativas e permanentes dos edifícios e dos acervos, mesmo isso tendo um custo e exigindo mais profissionais qualificados, para uma conservação de rotina. Quando isso não é priorizado pelo governo ou pelas instituições em termos de orçamento, são necessárias ações com custos maiores, como uma restauração de grande porte”, concluiu a técnica do Iphan. 

Comente

100 anos de independência

Por
13 de novembro de 2018

A Polônia celebra o centenário de sua independência no domingo, 11. O País reconquistou sua independência ao fim da 1ª Guerra Mundial, em 1918. Por ocasião das celebrações, os bispos da Polônia publicaram um alerta aos poloneses: para permanecer independente, o País precisa guardar a fé católica. 

Os bispos denunciam as “ameaças à liberdade e soberania espiritual da nação”. Eles explicam que a independência exige não apenas “luta armada e esforços políticos e diplomáticos”, mas também “fé firme e oração”. O que tem enfraquecido o País, moralmente e espiritualmente, são “o álcool, as drogas, a pornografia, as ameaças da internet, o jogo”. 

“Celebrar este aniversário nos obriga a refletir sobre a situação atual da Polônia e sobre os perigos à sua existência soberana. O mais grave deles surge ao abandonar a fé católica e os princípios cristãos que governam a nossa vida nacional e o funcionamento do Estado. Isso já nos levou, no passado, ao colapso da República”, alertaram os bispos. 

A Polônia é provavelmente o país mais católico da Europa. Na França, dos cerca de 60% de cidadãos que se declaram católicos, apenas 7% vão à missa pelo menos uma vez por mês, e o número de sacerdotes caiu de 29 mil em 1995 para 15 mil em 2015. Já na Polônia, 93% da população se declara católica, dos quais 37% vão à missa todos os domingos. Com uma população bem menor que a francesa (38 milhões contra 67 milhões de franceses), o País possui 25 mil sacerdotes e mais de 2 mil seminaristas apenas nos seminários diocesanos. 

Historicamente, a luta pela liberdade e pela independência se confunde com a luta pela preservação da fé católica e da cultura polonesa. Os bispos poloneses garantem que as duas coisas continuam a andar juntas.

Fontes: Catholic Herald/ Conferência Episcopal Polonesa
 

LEIA TAMBÉM: Absolvida pela justiça, condenada pela multidão

Comente

Veja o que abre e fecha no feriado de 7 de setembro

Por
06 de setembro de 2018

Alguns serviços municipais operam em esquema especial em função do feriado pela Independência do Brasil, na próxima sexta-feira, 7. O Rodízio Municipal de Veículos estará suspenso na sexta-feira (07), feriado, inclusive para veículos pesados (caminhões). Também estarão liberadas as demais restrições existentes na cidade: Zona de Máxima Restrição à Circulação de Caminhões (ZMRC) e a Zona de Máxima Restrição aos Fretados (ZMRF).

Na próxima sexta-feira, 7, os hospitais, as Unidades de Pronto Atendimento (UPA) e Assistências Médicas Ambulatoriais (AMA) 24 horas funcionarão o dia todo, ininterruptamente.

Os parques administrados pela Secretaria do Verde e Meio Ambiente (SVMA) irão funcionar normalmente no feriado. A remoção de animais silvestres encontrados pela população pode ser feita pelo atendimento da Guarda Civil Ambiental, acionada pelo telefone 153.

Na segunda-feira, 9, as 24 unidades do Centro de Apoio ao Trabalho e Empreendedorismo (CATe) não funcionam. Nos mercados e sacolões municipais, na sexta-feira, 7, apenas os mercados da Lapa e de São Miguel estarão fechados.  O famoso Mercadão do Centro funcionará normalmente. O Mercado Municipal de Pinheiros, que opera das 8h às 18h, em dias normais, fechará às 15h. No caso do sacolão do Butantã, que em dias normais fica aberto das 7h às 19h, o atendimento será feito até as 13h30. Já a unidade do Rio Pequeno vai abrir das 7h às 14h. No fim de semana, todos os mercados e sacolões funcionarão no período normal.

Veja abaixo mais informações sobre os serviços municipais:

 

ASSISTÊNCIA SOCIAL

Abertos

• Serviços de Acolhimento Institucional para Crianças e Adolescentes (SAICAs)

• Centros de Acolhida (incluindo Atendes e CTAs)

• Central de Pronto Atendimento Social - CPAS – via 156

• Núcleos de Convivência para Adultos em Situação de Rua

Fechados

• Supervisões de Assistência Social (SAS)

• Centros de Referência de Assistência Social (CRAS)

• Centros POP

• Centros de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS)

· Núcleo de ProteçãoJurídica (NPJ)

• Rede Socioassistencial de Proteção Social Básica

• Rede Socioassistencial de Proteção Social de Média Complexidade

 

CENTROS ESPORTIVOS
Os Centros Esportivos funcionam normalmente.

 

CICLOFAIXAS

As ciclofaixas de lazer serão ativadas na sexta-feira (7) e no domingo (09), das 7h às 16h.

 

CULTURA

Arquivo Histórico Municipal – Estará aberto ao público na sexta-feira, 7, e no sábado, 8, das 10h às 17h
Beco do Pinto – Aberto todos os dias, das 9h às 17h
Bibliotecas de Bairro – Fechadas na sexta-feira, 7.
Biblioteca Mário de Andrade – Aberta todos os dias das 8h às 20h
Bibliotecas Monteiro Lobato, Álvares de Azevedo, Cora Coralina, Pe. José de Anchieta, Raul Bopp, Viriato Correa e Paulo Setúbal – Fechadas apenas na sexta-feira (7)
Bosques de Leitura – Fechados apenas na sexta-feira, 7.
Capela do Morumbi – Aberta todos os dias, das 9h às 17h
Casa da Imagem (antiga Casa nº 1) –  Aberta todos os dias das 9h às 17h
Casa de Cultura Brasilândia – Fechada todos os dias
Casa de Cultura Butantã – Fechada todos os dias
Casa de Cultura Campo Limpo (Nathalia Rosemburg) – Fechada todos os dias
Casa de Cultura Ipiranga (Chico Science) – Aberta apenas na sexta-feira, 7.
Casa de Cultura Hip Hop Leste Cidade Tiradentes (Espaço Cultural Casa da Fazenda) – Fechada apenas na sexta-feira, 7.
Casa de Cultura Hip Hop Sul (Cora Coralina) – Fechada apenas na sexta-feira, 7.
Casa de Cultura do Itaim Paulista – Fechada apenas no domingo, 9.
Casa de Cultura de Santo Amaro (Manoel Cardoso de Mendonça) – Fechada apenas na sexta-feira, 7.
Casa de Cultura Santo Amaro / Paço Cultural Julio Guerra (Casa Amarela) – Fechada para reforma
Casa de Cultura M’ Boi Mirim – Aberta todos os dias
Casa de Cultura Itaquera Raul Seixas (Parque Raul Seixas) – Aberta todos os dias
Casa de Cultura Freguesia do Ó (Salvador Ligabue) – Fechada todos os dias
Casa de Cultura Guaianases – Fechada apenas na sexta-feira, 7.
Casa de Cultura de São Miguel Paulista (Antonio Marcos) – Fechada apenas na sexta-feira, 7.
Casa de Cultura São Mateus – Fechada todos os dias
Casa de Cultura São Rafael – Fechada apenas na sexta-feira, 7.
Casa de Cultura do Tremembé – Fechada todos os dias
Casa de Cultura Vila Guilherme (Casarão) – Aberta todos os dias
Casa do Bandeirante – Aberta todos os dias das 9h às 17h
Casa do Grito – Aberta todos os dias, das 9h às 17h
Casa Modernista – Aberta todos os dias das 9h às 17h
Casa do Sertanista (Casa do Caxingui) – Aberta todos os dias das 9h às 17h
Casa do Tatuapé – Aberta todos os dias das 9h às 17h
Centro Cultural São Paulo – A Biblioteca Multimeios estará fechada todos os dias e a de Braile abrirá apenas no sábado, 8.
Centro Cultural da Juventude Ruth Cardoso – Aberto no sábado, 8, e no domingo, 9.
Centro Cultural da Penha – Aberto no sábado, 8, e no domingo, 9.
Centro Cultural da Vila Formosa – Aberto no sábado, 8, e no domingo, 9.
Centro Cultural do Grajaú (Palhaço Carequinha) – Fechado todos os dias
Centro Cultural do Jabaquara – Aberto todos os dias
Centro Cultural Olido – Aberto todos os dias
Centro Cultural Santo Amaro – Fechado apenas na sexta-feira, 7.
Centro Cultural Municipal Tendal da Lapa – Fechado apenas na sexta-feira, 7.
Centro de Formação de Cidade Tiradentes – Aberto todos os dias
Centro da Memória do Circo – Aberto todos os dias
Chácara Lane – Aberta todos os dias, das 9h às 17h
Escola Municipal de Bailado – Fechada todos os dias
Escola Municipal de Iniciação Artística – Fechada todos os dias
Escola Municipal de Música – Fechada todos os dias
Espaço Cultural Itaim – Aberto todos os dias

Fundação Teatro Municipal / Praça das Artes – Consulte a programação
Hemeroteca – Atendimento mediante agendamento
Monumento à Independência (Capela Imperial) – Aberto todos os dias, das 9h às 17h
OCA (Pavilhão Lucas Nogueira Garcez) – Aberto todos os dias, das 9h às 17h
Pavilhão das Culturas Brasileiras – Fechado para restauro
Polo Cultural e Criativo Vila Itororó – Fechado apenas no domingo, 9.
Ponto de Leitura Piqueri – Fechado apenas na sexta-feira, 7.
Sítio da Ressaca – Aberto todos os dias, das 9h às 17h
Sítio Morrinhos – Aberto todos os dias, das 9h às 17h
Solar da Marquesa de Santos – Aberto todos os dias, das 9h às 17h
Teatro Alfredo Mesquita – Aberto todos os dias
Teatro Arthur Azevedo – Aberto todos os dias
Teatro Cacilda Becker – Aberto todos os dias
Teatro Décio de Almeida Prado – Aberto todos os dias
Teatro Flávio Império – Aberto todos os dias
Teatro João Caetano – Aberto todos os dias
Teatro Paulo Eiró – Aberto todos os dias

 

DESCOMPLICA SP / FAB LABS / TELECENTROS

O Descomplica SP, implantado junto à Prefeitura Regional de São Miguel Paulista, a rede de 133 Telecentros e as 12 unidades dos laboratórios de fabricação digital Fab Lab Livre SP estarão fechados nesta sexta-feira, 7. A medida obedece ao estabelecido pelo Decreto Nº 58.085, publicado em 8 de fevereiro de 2018.

No sábado, 8, as 54 unidades do programa Telecentro irão funcionar normalmente, entre 9h e 13h. Os 12 laboratórios de fabricação digital Fab Lab Livre SP também funcionarão das 9h às 13h. As unidades instaladas no Centro Cultural da Juventude, Centro Cultural São Paulo e o Centro Cultural da Penha funcionarão das 10h às 14h. Confira os endereços

 

EDUCAÇÃO

As unidades educacionais permanecem fechadas durante o feriado pela Independência do Brasil (7 de setembro). Já os Centros Educacionais Unificados (CEUs) funcionam das 8h às 18h. Consulte a programação

 

ECOPONTOS
As unidades funcionam de segunda a sábado das 6h às 22h e aos domingos e feriados das 6h às 18h. Consulte as regras e endereços

 

HOSPITAIS VETERINÁRIOS
As unidades do Hospital Veterinário das zonas Leste e Norte estarão fechadas no dia 7, retomando o atendimento normal na segunda-feira, dia 10 de junho. Apenas para urgências, a unidade da zona Leste atenderá no sábado (8). Consulte os endereços das unidades

 

MERCADOS, FEIRAS E SACOLÕES

Na sexta-feira, 7, tanto os mercados e sacolões vão operar em horário diferenciado. As feiras -livres  funcionam, como habitualmente. 

Confira abaixo o horário de atendimento de todos mercados e sacolões municipais na sexta-feira, 7: 

 

Mercado

7 de setembro

Central Leste

Aberto das 7h às 13h

Guaianases

Aberto das 8h30 às 13h

Ipiranga

Aberto das 8h às 13h

Kinjo Yamato

Aberto das 3h às 15h

Lapa

Fechado

Paulistano

Aberto das 6h às 18h

Penha

Aberto das 8h às 13h

Pinheiros

Aberto das 8h às 15h

Pirituba

Aberto das 7h às 14h

Santo Amaro

Aberto das 8h às 13h

São Miguel

Fechado

Sapopemba

Aberto das 8h às 13h

Tucuruvi

Aberto das 8h às 13h

Vila Formosa

Aberto das 8h às 13h

Teotônio Vilela

Aberto das 7h às 13h

Pátio Pari

Aberto das 4h às 17h

 

Sacolão

7 de setembro

Avanhandava

Aberto das 7h às 17h

Bela Vista

Aberto das 7h às 14h

Brigadeiro

Aberto das 7h às 13h

Butantã

Aberto das 7h às 13h30

COHAB Adventista

Aberto das 8h às 14h

Cidade Tiradentes

Aberto das 8h às 15h

Estrada do Sabão

Aberto das 7h às 14h

City Jaraguá

Aberto das 8h às 14h

Jaguaré

Aberto das 7h às 13h

Jaraguá

Aberto das 7h às 14h

João Moura

Aberto das 7h às 13h

Lapa

Aberto das 8h às 13h

Piraporinha

Aberto das 7h às 14h

Rio Pequeno

Aberto das 7h às 14h

Santo Amaro

Aberto das 7h às 16h

São Miguel

Fechado

Freguesia do Ó

Aberto das 7h às 15h

 

PREFEITURAS REGIONAIS

As praças de atendimento das Prefeituras Regionais estarão fechadas.

 

SAÚDE
Durante o feriado de Independência do Brasil, na próxima sexta-feira, 7, os hospitais, Prontos-Socorros, Unidades de Pronto Atendimento (UPA), Assistência Médica Ambulatorial (AMA) 24 horas e 12 horas funcionarão normalmente.

As UBS Integrais, AMA Especialidades e unidades da Rede Hora Certa fecharão na sexta-feira, 7, assim como os Ambulatórios de Especialidades e Unidades Básicas de Saúde (UBS).

TRABALHO
Na sexta-feira, 7, as 24 unidades do Centro de Apoio ao Trabalho e Empreendedorismo não abrirão no feriado. O funcionamento volta ao normal na segunda-feira, 10 de setembro. Lembrando que o CATe atende de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. Confira os endereços das unidades.

 

TRÂNSITO
A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) implanta a Operação Estrada para o feriado da Independência do Brasil, entre os dias 06 e 10 de Setembro, com o objetivo de garantir a segurança, fluidez do tráfego e a mobilidade de motoristas e pedestres, em razão do aumento no fluxo de veículos, especialmente nos acessos às rodovias. Estima-se que aproximadamente 1,8 milhão de veículos deixem a capital em direção ao litoral e ao interior do Estado.

A CET recomenda aos motoristas com destino às rodovias que evitem utilizar o sistema viário principal das 12h às 22h, de quinta-feira, 6, e sexta-feira, 7, programando preferencialmente sua  viagem para depois das 22h. A orientação aos motoristas que utilizam as rodovias no entorno da capital, em especial os que conduzem veículos de carga, é evitar o acesso ao sistema viário da cidade.

A operação horário de Pico (Rodízio Municipal de Veículos) estará suspensa na sexta-feira, 7, feriado, inclusive para veículos pesados (caminhões). Também estarão liberadas as demais restrições existentes na cidade: Zona de Máxima Restrição à Circulação de Caminhões (ZMRC) e a Zona de Máxima Restrição aos Fretados (ZMRF).

 

Operação Estrada

A Operação Estrada, que visa o monitoramento da saída e do retorno à Capital, será realizada nos horários previstos com maior fluxo de veículos na região das principais estradas, sendo:

Operação saída: Quinta-feira, 6, no período da tarde e sexta-feira, 7, no período da manhã e tarde.

Operação retorno: Domingo, 9, no período da manhã e da tarde, e na segunda-feira, 10, no período da manhã.

A CET vai monitorar o trânsito especialmente nos acessos e chegadas das rodovias, com o objetivo de garantir a fluidez e a segurança de motoristas e pedestres.

Principais Pontos de Operação

- Marginal Tietê;

- Marginal Pinheiros;

- Avenida dos Bandeirantes;

- Avenida Presidente Tancredo Neves;

- Avenida das Juntas Provisórias;

- Rodovia Anchieta (Trecho urbano);

- Avenida Professor Luís Inácio de Anhaia Melo;

- Avenida Salim Farah Maluf;

- Avenida Professor Abraão de Morais;

- Eixo Norte / Sul;

- Eixo Leste / Oeste;

- Avenida Professor Francisco Morato;

- Avenida Raimundo Pereira de Magalhães;

- Avenida Jacu-Pêssego;

Terminais Rodoviários

Os agentes e técnicos da CET também estarão monitorando e operacionalizando o trânsito no entorno dos terminais rodoviários do Tietê, da Barra Funda e do Jabaquara, para garantir maior fluidez do tráfego e acessibilidade aos usuários e passageiros.

Alternativas

Os motoristas oriundos da região Norte do País pelas rodovias Presidente Dutra, Fernão Dias e Ayrton Senna, com destino ao Sul; assim como aqueles provenientes da região Sul, pelas rodovias Régis Bittencourt, Raposo Tavares, Castelo Branco e sistema Anhanguera / Bandeirantes, poderão utilizar as Rodovias Dom Pedro I e Rodoanel Governador Mário Covas.  Os veículos oriundos do interior do Estado com destino ao Litoral Paulista através do sistema Anchieta/Imigrantes podem evitar a malha viária da Cidade, especialmente a Marginal Pinheiros e a Avenida dos Bandeirantes, fazendo uso do Rodoanel Governador Mário Covas.

 Recomendações:

· Observar as orientações da CET nos Painéis de Mensagem Variáveis;
· Utilizar o cinto de segurança, inclusive no banco traseiro; 
· Respeitar à preferência do pedestre; 
· Respeito ao ciclista; 
· Nunca fechar o cruzamento; 
· Manter distância do veículo à sua frente; 
· Não trafegar pelo acostamento;
· Não beber antes de dirigir; 
· Checar os equipamentos de segurança do veículo antes de iniciar a viagem. 
· Respeite os limites de velocidade.

VERDE E MEIO AMBIENTE

Os parques administrados pela Secretaria do Verde e Meio Ambiente (SVMA), irão funcionar normalmente no feriado, inclusive os planetários.

Centro de Manejo e Conservação de Animais Silvestres

O Centro de Manejo e Conservação de Animais Silvestres (CeMaCAS), no Parque Anhanguera, manterá o recebimento dos animais das 8h às 12h, com plantão telefônico das 8h às 17h. Já a Unidade de Fauna do Parque do Ibirapuera estará fechada.

A remoção de animais silvestres encontrados pela população pode ser feita pelo atendimento da Guarda Civil Ambiental, acionada pelo telefone 153.

Comente

‘Como ser patriota no Brasil hoje?’

Por
06 de setembro de 2018

Ao celebrar a Semana da Pátria, que tem seu ápice em 7 de setembro, quando se comemora os 196 anos da Proclamação da Independência do Brasil, o jornal O SÃO PAULO e a rádio 9 de Julho propuseram aos leitores e ouvintes uma reflexão a partir da seguinte pergunta: “Como ser patriota no Brasil hoje?”.

 

PATRIOTISMO

A palavra “pátria” tem origem no termo latino patria ou, no grego, patris. De acordo com o Dicionário Aurélio da Língua Portuguesa, designa “o país onde nascemos”, “nosso lugar de origem”. A pessoa que ama a pátria e procura servi-la é patriota, e o patriotismo é, por sua vez, o sentimento de profunda compreensão e, consequente, observância dos deveres cívicos, e admiração à própria nação.

 

NA DOUTRINA

A Igreja Católica ensina que os cristãos, por estarem no mundo, apesar de não serem do mundo (cf. Jo 17,11.14), não se privam da vida civil, mas, pelo contrário, se inserem nela como bons cidadãos que são chamados a ser (cf. Mt 22,21). Contudo, não vivem somente uma certa civilidade, mas encaram a vida na sociedade como um grande dever, incluído no Quarto Mandamento da Lei de Deus.

Santo Tomás de Aquino, na sua Suma Teológica (STh. II-II q.101), diz que o dever do cristão em relação à pátria deriva da virtude da piedade filial, do dever de prestar honra e culto àqueles que o precedem, de forma especial aos pais e à pátria, aqueles por terem dado a vida natural, esta por ser o lugar em que a pessoa se desenvolve e encontra seu espaço vital, além de viver a fraternidade com seus concidadãos.

Também o Catecismo da Igreja Católica, no parágrafo 2239, esclarece que a virtude do patriotismo faz com que cada cidadão colabore “com os poderes civis Também o Catecismo da Igreja Católica, no parágrafo 2239, esclarece que a virtude do patriotismo faz com que cada cidadão colabore “com os poderes civis para o bem da sociedade, num espírito de verdade, de justiça, de solidariedade e de liberdade. O amor e o serviço da pátria derivam do dever da gratidão e da ordem da caridade”.

 

NACIONALISMO

É importante ressaltar que patriotismo é diferente de nacionalismo, que, por sua vez, é um fenômeno de exaltação e preferência pela própria nação, muitas vezes, em detrimento de outras. O patriota sabe que existem outras pátrias maiores, com maior riqueza de criações científicas ou artísticas e, por isso, não se fecha para a cooperação entre as nações, em vista do seu mútuo desenvolvimento. Já o nacionalista se baseia na premissa de que a lealdade do indivíduo e devoção ao estado-nação deve necessariamente estar acima dos outros indivíduos ou grupos de interesses.

Nesse sentido, o Compêndio da Doutrina Social da Igreja, no artigo 157, ao referir-se aos direitos e deveres dos povos e nações lembra que “a nação tem um fundamental direito à existência; à própria língua e cultura” e que, acima de tudo, deve haver uma livre cooperação em vista do bem comum da humanidade. “A ordem internacional requer um equilíbrio entre particularidade e universalidade, ao qual são chamadas todas as nações, para as quais o primeiro dever é o de viver em atitude de paz, respeito e solidariedade com as outras nações”, afirma o texto.

'AMO MINHA PÁTRIA, MAS PODE MELHORAR'

A maioria das respostas dos leitores e ouvintes indica um sentimento de amor pela pátria, reforçado pelo desejo de transformá-la em um lugar melhor para todos os cidadãos. Houve mensagens de descontentamento quanto à postura dos governantes, em especial pela gestão nas áreas de saúde, educação e segurança pública, além do desejo de que se combata a corrupção, não só na esfera política, mas nas atitudes do dia a dia, a começar na própria família. Veja algumas das respostas abaixo.


Eu sou patriota. Nosso País é o melhor do mundo. O que estraga são os nossos governantes. Quando ouço os nossos hinos, do Soldado, da Bandeira, o hino Nacional, fico emocionada e fico pensando ‘Ó minha Pátria Amada, o que fizeram de você?' 

Ouvinte Angela, pelo WhatsApp da rádio 9 de Julho


Ser patriota é defender o seu país, ser unido em todos os momentos e amar seu lugar de origem e servi-la. É sentir orgulho, ter sentimento de devoção à pátria, aos seus símbolos.”

Zete Cordeiro, pelo Facebook da rádio 9 de Julho


Ser patriota é trabalhar honestamente contribuindo com nosso País... Não sendo corruptos.”

Ouvinte Ana Paula, pelo WhatsApp da rádio 9 de Julho


Ser patriota é amar e respeitar sua pátria como se fosse nossa mãe.”

Ouvinte Edna, pelo WhatsApp da rádio 9 de Julho


Como ser patriota? Votando. Acompanhar seu eleito dando sustentação ao mandato. Não ficar dizendo que são todos ladrões, esclarecendo os que por várias razões não têm informação.”

Ouvinte Jane, pelo WhatsApp da rádio 9 de Julho


Amando o lugar onde nascemos. O Brasil e um país ótimo. Só está doente pela atual administração. Tenho e sempre terei orgulho da minha pátria querida.”

Edna Bento, pelo Facebook do jornal O SÃO PAULO


Amo este País, de todo coração, com todas dificuldades, tantos abusos de nossos representantes. Saúde, educação, segurança, um caos. Que Deus nos abençoe nessas eleições.”

Ouvinte Estela, pelo WhatsApp da rádio 9 de Julho


Ser patriota é ser digno, honesto.”

Ouvinte Coração Nascimento, pelo WhatsApp da rádio 9 de Julho


Ser patriota no Brasil de hoje é agir para que todos os irmãos tenham condições de viver, e não apenas sobreviver, com mais dignidade, com alimentação, vestuário, educação para lutar por uma vida melhor, assistência à saúde e segurança.”

Ouvinte Emília, pelo WhatsApp da rádio 9 de Julho


Ser patriota é defender o País e ser unido em todos os seus momentos, e ter amor a sua pátria.”

Ouvinte Vanilde, pelo WhatsApp da rádio 9 de Julho


Ser patriota é querer que o povo tenha educação e respeito para com nosso próximo.”

Ouvinte Nice, pelo WhatsApp da rádio 9 de Julho


Ser patriota hoje e sempre consiste em, primeiro, ser conhecedor dos seus direitos e deveres; cumprir os deveres e cobrar seus direitos, pois só pode cobrar direitos o cidadão que cumpre com seus deveres.”

Ouvinte Sandra, pelo WhatsApp da rádio 9 de Julho


Ser patriota é amar seu país com todos seus problemas. O Brasil é um país rico, sempre mal governado!”
Ouvinte Sandra, pelo WhatsApp da rádio 9 de Julho


Ser patriota é defender seu país, independentemente de qualquer situação em que se encontra, respeitando a sua pátria.”
Ouvinte Simone, pelo WhatsApp da rádio 9 de Julho


Difícil! Mas não impossível! Vamos começar! Pátria Amada Brasil! Que Deus proteja nossa Nação!”
Maria Helena, pelo Facebook do jornal O SÃO PAULO


Não existe patriotismo no Brasil. Nenhum motivo para se orgulhar, País falido.”

Celso Jr, pelo Twitter do jornal O SÃO PAULO


Vamos amar e respeitar a nossa pátria. Tem que começar dentro de nossa casa, para quando chegar ao Congresso, este respeitar a pátria com amor, sem corruptos e roubalheira. Salário justo para todos e saúde digna para todos. Os que deveriam honrar com todo respeito a pátria são os que mancham a pátria amada e abençoada, e a mais triste mancha querendo aprovar a lei do aborto, manchando a pátria com sangue inocentes.”

 
Aparecida Aguida Mendes, pelo Facebook do jornal O SÃO PAULO

Penso que para ser patriota nos dias de hoje no Brasil, é necessário o Amor à Pátria prevalecer, pois não vai ser abandonando tudo que iremos resolver. Precisamos, sim, nos unir e, nas próximas eleições, saber que um voto correto é a chave de tudo. Eu amo meu Brasil e tenho esperança de voltar a teruma terra amada por todos.”

Sonia Oliveira, pelo Facebook do jornal O SÃO PAULO


É entender que em vez de criticar, é preciso dar o exemplo, mostrando que se pode fazer diferente sem prejudicar o outro. Isso é ser patriota.”

Ouvinte Ana Franco, pelo WhatsApp da rádio 9 de Julho


Ser Patriota é não abandonar o barco quando está afundando, fazendo a nossa parte para ajudar. Esperança sempre para um Brasil melhor!”

Ouvinte Silvana, pelo WhatsApp da rádio 9 de Julho

 

Comente

Arquidiocese celebra missa pela pátria

Por
07 de setembro de 2017

Na manhã desta quinta-feira, 7, Dia da Independência do Brasil, Dom Devair Araújo da Fonseca, Bispo Auxiliar de São Paulo, presidiu a Missa pela Pátria na Catedral da Sé. Participaram da celebração membros das pastorais sociais da Arquidiocese, que nesta data também realizam o Grito dos Excluídos. Neste ano, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, CNBB, propôs aos católicos de todo o Brasil uma jornada de oração pelo Brasil na Semana da Pátria, convidando os católicos a um dia de jejum e oração pelo país neste feriado.

Na homilia, Dom Devair destacou que a escuta da Palavra de Deus deve ser ocasião para louvor e para iluminar a realidade e a vida do povo de Deus. “Nosso povo está sofrendo com o desemprego e com as incertezas que diariamente são noticia. É verdade que também existem notícias de reação positiva da economia, e da diminuição do desemprego. Mas ainda estamos muito longe de ver restaurada a vida e a dignidade dos milhões de desempregados, pessoas que permanecem excluídas, e isso é um fato”, afirmou.

O Bispo lembrou, ainda, que a corrupção ocupa, cada vez mais, as manchetes e os debates públicos. “O mal da corrupção, que está alastrado e que impregnou as diferentes esferas da sociedade, não encontra espaço para conviver com a vida cristã”, salientou.

Diante desse cenário, Dom Devair enfatizou que tem crescido o desencanto das pessoas com as instituições e também com a política. “Infelizmente ganham espaço os projetos pessoais e as iniciativas ideológicas, que em nada ajudam os mais pobres e excluídos, mas favorecem interesses de alguns”.

“A fé exige discernimento, e a Igreja, atenta aos sinais dos tempos e cumprindo sua função de mãe e mestra, ensina que ‘A política é uma forma sublime de exercer a caridade’, como disse o Beato Paulo VI. Por isso é preciso separar aqueles que se acostumaram a fazer a política do interesse, daqueles que realmente se interessam pelos problemas sociais e por isso fazem política”, completou o Bispo.

Grito dos Excluídos

Após a celebração, os membros das pastorais sociais realizaram a manifestação do 23º Grito dos Excluídos iniciativa apoiada pela Conferência Nacional dos bispos do Brasil (CNBB), que, este ano, tem como lema “Por direitos e Democracia, a luta é todo dia” e tema “Vida em primeiro lugar”.

Em São Paulo, será dado destaque para as questões da violência contra a população em situação de rua e a realidade dos dependentes químicos na região conhecida como Cracolândia. Os participantes do ato realizaram uma caminhada da praça da Sé até a praça Princesa Isabel, onde atualmente se encontra a maior concentração de usuários de crack.  

Jornada de oração pelo Brasil

Para a realização da jornada de oração pelo país, a CNBB disponibilizou  um roteiro de preces para serem feitos pelas comunidades e famílias católicas nada data. Confira: 

“A paz é o nome de Deus” (Papa Francisco)

Diante do grave momento vivido por nosso país, dirijamos nossa oração a Deus, pedindo a bênção da paz para o Brasil.

Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil!

Vivemos um momento triste, marcado por injustiças e violência. Para construirmos a justiça e a paz, em nosso país, necessitamos muito do vosso amor misericordioso, que nunca se cansa de perdoar.

Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil!

Estamos indignados, diante de tanta corrupção e violência que espalham morte e insegurança. Pedimos perdão e conversão. Nós cremos no vosso amor misericordioso que nos ajuda a vencer as causas dos graves problemas do País: injustiça e desigualdade, ambição de poder e ganância, exploração e desprezo pela vida humana.

Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil!

Ajudai-nos a construir um país justo e fraterno. Que todos estejamos atentos às necessidades das pessoas mais fragilizadas e indefesas! Que o diálogo e o respeito vençam o ódio e os conflitos! Que as barreiras sejam superadas por meio do encontro e da reconciliação! Que a política esteja, de fato, a serviço da pessoa e da sociedade e não dos interesses pessoais, partidários e de grupos.

Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil!

Vosso Filho, Jesus, nos ensinou: “Pedi e recebereis”. Por isso, nós vos pedimos confiantes: fazei que nós, brasileiros e brasileiras, sejamos agentes da paz, iluminados pela Palavra e alimentados pela Eucaristia.

Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil!

Vosso filho Jesus está no meio de nós, trazendo-nos esperança e força para caminhar. A comunhão eucarística seja fonte de comunhão fraterna e de paz, em nossas comunidades, nas famílias e nas ruas.

Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil!

Neste ano em que celebramos os 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida, queremos seguir o exemplo de Maria, permanecendo unidos a Jesus Cristo, que convosco vive, na unidade do Espírito Santo.

Amém!

(Pai nosso! Ave, Maria! Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo!)

Comente

CNBB convida católicos para oração e jejum pelo Brasil

Por
05 de setembro de 2017

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) convida os católicos das comunidades, paróquias, dioceses e regionais para a Jornada de Oração pelo Brasil, de 1º a 7 de setembro, e, no seu último dia, que marca a Independência do Brasil, convida a todos para um dia de oração e jejum.
Segundo Dom Leonardo Steiner, Bispo Auxiliar de Brasília(DF) e Secretário-Geral da CNBB, a Jornada de Oração é uma oportunidade para que os cristãos e pessoas de boa vontade que querem um Brasil melhor, mais fraterno e não dividido se unam.
“Nós estamos necessitados de um novo Brasil, mais ético; de uma política mais transparente. Nós não podemoschegar a um impasse de acharmos que a política pode ser dispensada. A política é muito importante, mas do modo do comportamento de muitos políticos, ela está sendo muito rejeitada dentro do Brasil. Nós esperamos que esse dia de jejum e oração ajude a refletir essa questão em maior profundidade”, diz a carta do Conselho Episcopal Pastoral (Consep) enviada aos bispos brasileiros.
O Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo, reforçou a motivação para o Dia de Oração e Jejum pelo Brasil na carta enviada aos padres, diáconos, religiosos e leigos da Arquidiocese, na segunda-feira, 28. Na carta, Dom Odilo também recorda a celebração do aniversário da dedicação da Catedral da Sé no dia 5 de setembro.
de São Paulo. Peço que se organizem Missas e turnos de oração e adoração, na intenção posta; diáconos, ministros extraordinários da sagrada comunhão e equipes litúrgicas poderão ajudar. Para as Missas, oriento que se tomem as indicações do Missal Romano para as celebrações ‘pelo bem público’. As leituras poderão ser escolhidas de acordo com a circunstância”, orientou Dom Odilo.
Segundo o Arcebispo, será uma maneira diferente de se comemorar o Dia da Independência do Brasil. “E não esqueçamos de pedir a intercessão e a proteção de Nossa Senhora Aparecida pelo Brasil”, acrescentou.

Comente

Para pesquisar, digite abaixo e tecle enter.