Maior comunidade da capital, Heliópolis recebe novas moradias populares

Por
24 de setembro de 2018

A Prefeitura de São Paulo e o Governo do Estado entregaram neste sábado, 22, 150 novas moradias em Heliópolis, no Ipiranga.  As obras, localizadas na avenida Almirante Delamare, altura do número 3.250,  foram realizadas por meio da Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU). As famílias beneficiadas recebiam auxílio-moradia da Prefeiturapor terem sido removidas de frentes de obras públicas.

"A Prefeitura e o Governo do Estado uniram esforços para, hoje, realizarmos a entrega dessas 150 moradias. A política habitacional precisa ser prioridade nas gestões, para beneficiar as famílias", afirmou o prefeito Bruno Covas.

Para o  secretário municipal de Habitação, Fernando Chucre, retirar as famílias do aluguel social e proporcionar-lhes uma casa é um momento muito significativo, tanto para elas como para a Prefeitura.

"Essas unidades habitacionais irão tornar melhor a vida das pessoas que nelas vão morar, o que é muito importante para a capital", disse.

O projeto completo para a área conhecida como Sabesp II prevê a construção de 1.200 apartamentos distribuídos em cinco condomínios. Em setembro deste ano, o Condomínio I foi concluído com a entrega de 150 apartamentos. Outros 90 foram entregues às famílias em março de 2018. O Condomínio II foi entregue com 240 apartamentos em dezembro 2017. A primeira fase do Condomínio III, com 120 apartamentos, está em obras, com previsão de entrega em 2019, e o restante dos condomínios em fase de licitação e  previsão de início de obras no próximo ano.

A área do Sabesp II tem 81 mil m² foi desapropriada pela Prefeitura em 2011 por R$ 18,8 milhões. Complementar ao aporte do Governo do Estado, por meio da CDHU, o município também aportou recursos do Fundo de Desenvolvimento Urbano (FUNDURB) e o Fundo Municipal de Saneamento Ambiental (FMSAI) para construção das unidades. Para os condomínios I, II e III A, estão sendo investidos R$ 130,8 milhões, sendo 51,94% do valor investido pelo Governo do Estado e o restante, além da desapropriação da área, pela Prefeitura de São Paulo.

Todos os condomínios para a área da Sabesp II apresentam a mesma tipologia e são formados por oito blocos de oito pavimentos com 30 unidades por bloco, servidas por um elevador. Cada apartamento possui 50 m², dois dormitórios, banheiro, sala cozinha e área de serviço. Os condomínios também contam com salão de festas, playground, equipamentos de ginástica, sala de estudos, bicicletário e área de jardim

O projeto original foi assinado pelo arquiteto Ruy Ohtake e se caracteriza  por um conceito diferenciado de moradia popular com ventilação cruzada entre os espaços internos, mantendo a temperatura mais amena comparada ao ambiente externo e o uso compartilhado dos espaços com prédios que integram a área comum entre os condomínios.

 

Cerca de 10 mil moradias previstas para Heliópolis

Localizada na região do Ipiranga, na zona sul, considerada a maior comunidade em extensão territorial da cidade, Heliópolis é composta por 14 glebas e possui mais de 100 mil habitantes em uma área de quase um milhão de metros quadrados.

A Secretaria Municipal de Habitação e a Companhia Metropolitana de Habitação (Cohab – SP), desde 2005, vêm implantando ações de urbanização e regularização na comunidade.

São cerca de 10 mil unidades planejadas em todo complexo pela Prefeitura de São Paulo em diferentes estágios. São 1.301 moradias em obras ou prestes a serem iniciadas, outras 459 em processo de licitação e 8,8 mil apartamentos que serão viabilizados por meio de Parceria Público Privada da Habitação Municipal.

 

PPP: 8  mil novas moradias em Heliópolis

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal de Habitação e Cohab-SP, autorizou em março deste ano a abertura da licitação para contratação da 1º Parceria Público-Privada da habitação do município de São Paulo. Ela prevê a construção de até 34 mil moradias populares, com investimento privado de até R$ 7 bilhões. Do total de unidades habitacionais, cerca de 8 mil moradias serão erguidas em Heliópolis.

Apresentando um novo conceito em habitação popular, a PPP determina que 20% dos valores aplicados na construção das moradias sejam investidos em infraestrutura urbana e equipamentos públicos. O bairro receberá um investimento de R$ 1,7 bilhão (correspondentes a 8 mil unidades), sendo que mais de R$ 400 milhões vão para infraestrutura e equipamentos como escolas e postos de saúde.

A abertura dos envelopes com as propostas será no final de novembro.  A Cohab-SP é o poder concedente da PPP e responsável pela concorrência.  A meta é entregar, no mínimo, 4 mil unidades habitacionais até 2020 em diversas regiões da cidade.

 

GLEBA G: Construção de 221 moradias

A Secretaria Municipal de Habitação construiu 199 moradias na primeira fase da Gleba G, entregue em 2014. Agora, na segunda fase, será construído o Condomínio B, com 221 moradias. A previsão é que as obras sejam iniciadas em novembro deste ano, e finalizadas em dezembro de 2020.

Com um custo de R$ 167 milhões, o conjunto será construído com recursos da Prefeitura de São Paulo, Fundo de Desenvolvimento Urbano (FUNDURB) e o Fundo Municipal de Saneamento Ambiental (FMSAI).

 

Regularização Fundiária

Em Heliópolis, o processo dos imóveis da região segue em curso com a previsão de legalizar 996 lotes por meio da Cohab-SP.

Para a Gleba K, a Companhia elaborou um plano para regularizar as construções locais e promover a urbanização da área.  A Gleba H recebeu recentemente os certificados de quitação de ISS do empreendimento (área residencial e comercial) e o certificado de conclusão Habite-se. Agora, a Cohab-SP prepara a documentação para o registro das unidades comerciais e residenciais junto ao Cartório de Registro de Imóveis.

Comente

Igreja Santa Paulina é inaugurada no Heliópolis

Por
01 de julho de 2017

A comunidade do Heliópolis, na periferia da zona Sul de São Paulo, esteve em festa na noite da sexta-feira, 30 de junho. Após quase 14 anos da criação da Paróquia Santa Paulina, em dezembro de 2003, finalmente a igreja-matriz foi inaugurada, fruto da mobilização dos paroquianos, de toda a Arquidiocese (já que parte dos recursos foram da coleta da missa do centenário da Arquidiocese em 8 de junho de 2008) e também da doação de católicos da Alemanha.

“Alegres vamos à casa do Pai e na alegria cantar seu louvor, em sua casa, somos felizes, participamos da ceia do amor”, foi o canto entoado pelo ministério de música e cantado pela multidão de fiéis, às 19h30, ao ingressarem novo templo, após as portas serem abertas pelo Cardeal Odilo Pedro Scherer, arcebispo metropolitano, que recebeu as chaves da igreja das mãos do pároco, o Padre Pedro Luiz Amorim Pereira.

No começo da celebração, Dom Odilo destacou que a nova igreja é esforço dos paroquianos e de todos que de alguma forma colaboraram para construí-la. “A igreja é feita para Deus e para a família de Deus”, afirmou o Cardeal. “Que aqui seja sempre sinal que Deus habita este bairro, que tem casa no meio de nós”, complementou.

Na sequência, houve a bênção da água, que foi aspergida sobre os fiéis, o templo e o altar. O rito de dedicação da igreja e do altar prosseguiu após a homilia, com a Ladainha de Todos os Santos; deposição sob o altar das relíquias de Santa Paulina, Santo Antônio de Sant’Anna Galvão, São José Marello e Santa Felicidade; prece de dedicação; unção do altar e das paredes da igreja com o óleo do Crisma; incensação do altar e da igreja, e posterior iluminação do altar e do templo.

Na homilia, Dom Odilo exortou os paroquianos a darem testemunho da fé católica no bairro e lembrou que a matriz-paroquial deve reunir a comunidade, como família de Deus, ser lugar de amor, respeito, caridade, fraternidade, alegria e esperança. “Nós construímos aqui a casa de Deus, mas a casa de Deus verdadeira somos nós”, afirmou.

O Arcebispo ressaltou, também, que a igreja é o local do sacramento da Eucaristia e disse ser indispensável a participação dos fiéis nas missas, especialmente nas dominicais.

Na parte final da celebração, o Cardeal agradeceu ao empenho do Padre Pedro Luiz para a conclusão das obras, e o Sacerdote também expressou gratidão a todos que se empenharam com as doações nos últimos nove anos e na conclusão das obras, que foram iniciadas em agosto do ano passado.

Por fim, Dom Odilo lembrou que a cada ano, no dia 30 de junho, deve ser celebrado, de modo solene, o aniversário de dedicação da Igreja Santa Paulina.

Além da igreja-matriz, localizada na Rua 28 de Outubro, 07, Cidade Nova Heliópolis, a Paróquia Santa Paulina é composta pelas comunidades São Benedito, Santa Isabel e Santa Clara. O prédio da Comunidade São José, antiga matriz-paroquial, será transformada em um centro pastoral.

 

Leia a reportagem completa na próxima edição impressa do O SÃO PAULO, a partir de quarta-feira, dia 5

Comente

Para pesquisar, digite abaixo e tecle enter.