O detetive particular que se tornou sacerdote

Por
01 de agosto de 2017

Blas Damián López González tinha um bom emprego e uma namorada. Ele era detetive particular: “O trabalho que eu tinha era um trabalho no qual se descobre a verdade, mas também se descobre o pior lado das pessoas”. De família muito católica, Blas começou a se ques
tionar sobre sua verdadeira vocação. Ele se sentia interpelado pela vida sacerdotal e cheio de admiração pelas vidas dos grandes santos. 

Aos 30 anos, Blas terminou com a namorada, largou o emprego e começou a estudar Teologia. Aos 32 anos, Blas entrou para o seminário. No dia 16, Blas foi finalmente ordenado sacerdote na Diocese de Cartagena. Sua vocação é, segundo ele mesmo diz, “fruto da graça de Deus e da vida doada de seus pais”.

Fonte: ACI 

Comente

Para pesquisar, digite abaixo e tecle enter.