Preocupação com Equador e Síria

Por
15 de outubro de 2019

Após a oração do Ângelus do último domingo (13), o Papa Francisco manifestou especial preocupação com a atual situação da Síria e do Equador.

Violência na Síria

No norte da Síria, uma operação militar da Turquia avançou em territórios curdos. O Observatório Sírio para os Direitos Humanos (OSDH), uma organização que acompanha os conflitos no país, informou que houve um bombardeio contra um comboio de carros, matando 14 pessoas. Em diferentes ataques, 26 civis morreram na região apenas no domingo.

“Meu pensamento vai, mais uma vez, ao Oriente Médio. Em particular, à amada e martirizada Síria, de onde chegam novamente notícias dramáticas sobre o destino das populações do nordeste do país, obrigadas a abandonar as próprias casas por causa das ações militares”, disse o Papa.

“Entre essas populações há também muitas famílias cristãs. A todos os atores envolvidos e também à comunidade internacional, por favor, renovo o apelo de se empenharem com sinceridade, honestidade e transparência na estrada do diálogo para encontrar soluções eficazes.”

Instabilidade no Equador

Quanto ao Equador, um decreto do governo que elevou os preços dos combustíveis produziu uma onda de protestos. O presidente Lenín Moreno havia retirado subsídios para combustíveis – a ideia era tirar benefícios para os mais ricos – mas os valores aumentaram em mais de 120%.

Mas, diante dos protestos, inclusive de lideranças indígenas, foi obrigado a recuar no domingo (13). Os protestos deixaram mais de 1,3 mil feridos e mais de 1,1 mil presos.

Sobre essa situação, disse o Papa: “Junto a todos os membros do Sínodo dos Bispos para a região pan-amazônica, especialmente aqueles provenientes do Equador, sigo com preocupação o que está acontecendo nas últimas semanas naquele país”. Ele confiou o país à oração e à intercessão dos novos santos canonizados no domingo, entre eles Ir. Dulce.

Comente

Para pesquisar, digite abaixo e tecle enter.