Nota pelo falecimento do Cardeal Serafim Fernandes de Araújo, arcebispo emérito de Belo Horizonte 

Por
08 de outubro de 2019

"Com pesar, tomei conhecimento do falecimento do Cardeal Serafim Fernandes de Araújo, Arcebispo Emérito de Belo Horizonte, neste dia 08 de outubro.

Dom Serafim dedicou seu longo episcopado à Igreja no Brasil, especialmente em Belo Horizonte. Foi um grande pastor e seu exemplo de vida e de pastoreio trouxe referência e serenidade à Igreja no Brasil. Que Deus o acolha agora entre seus bons e fiéis servidores neste mundo!

Nesta ocasião, manifesto a minha solidariedade a Dom Walmor Oliveira de Azevedo, Arcebispo de Belo Horizonte, aos bispos auxiliares, ao clero, religiosos e todo o querido Povo de Deus de Belo Horizonte. Rezo pelo estimado Cardeal falecido e transmito as condolências da Arquidiocese de São Paulo à Arquidiocese de Belo Horizonte."

 

Dom Odilo Pedro Scherer
Arcebispo Metropolitano de São Paulo

Comente

Cardeal Scherer fala sobre encontro do Papa com a presidência do Celam

Por
18 de setembro de 2019

O Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo, conceceu uma entrevista ao Vatican News sobre o encontro do Papa Francisco com a presidência do Conselho Episcopal Latino-Americano (Celam), nesta terça-feira, 12. Desde maio, Dom Odilo é o Primeiro Vice-Presidente da Entidade. 

As novas perspectivas do Celam, sua renovação, o serviço intercontinental às Conferências Episcopais da América Latina e do Caribe, a promoção de iniciativas e subsidiariedade foram alguns dos temas citados por Dom Odilo na entrevista. 

OUÇA A ENTREVISTA COM CARDEAL ODILO PEDRO SCHERER

Comente

Cardeal Scherer prestigia a Festa de São Gregório Iluminador

Por
11 de junho de 2019

O Cardeal Scherer, Arcebispo Metropolitano de São Paulo, compareceu no domingo, 9, à Festa do Padroeiro dos Armênios, São Gregório Iluminador. 

O evento que reuniu aproximadamente mil pessoas e foi realizado na Catedral Armênia Católica São Gregório Iluminador, localizada no bairro da Luz, começou com a celebração da Divina Liturgia, em rito armênio, às 10h30, presidida pelo Bispo dos Armênios Católicos da América Latina, Dom Paulo León Hakimian, que mora na Argentina.  

Após a cerimônia os fiéis participaram da festa junina com uma imensa com variedade de comidas típicas da Armênia.  O Grupo de Danças Armênias Narek, de Buenos Aires, foi a principal atração cultural do evento.

Dom Odilo destacou​ a alegria de estar prestigiar a festa. ​

“Aqui eu venho com muita alegria para saudar Dom Paulo e Dom Vartan Boghossian  [bispo emérito dos armênios católicos] e a todos vocês na festa de São Gregório, festa da comunidade armênia católica aqui em São Paulo. Minha saudação a todos vocês, bom almoço, boa festa, bom divertimento e que Deus abençoe a todos”. ​
A Igreja Católica Armênia é uma entre as 15 Igrejas de diferentes ritos orientais em plena comunhão com a Igreja Católica Apostólica Romana. Atualmente, a Igreja Armênia Católica tem cerca de 740 mil fiéis no mundo. No Brasil vivem aproximadamente 7 mil católicos armênios.

(Por Sidinei Fernandes)
 

Comente

Cardeal Scherer apresenta Campanha da Fraternidade ao Governador de SP

Por
16 de abril de 2019

O Arcebispo Metropolitano de São Paulo, Cardeal Odilo Scherer, apresentou nesta terça-feira, 16, a Campanha da Fraternidade 2019 para o Governador de São Paulo, João Doria. A edição deste ano tem como tema “Fraternidade e Políticas Públicas” e o lema “Serás libertado pelo direito e pela Justiça”, inspirada no versículo bíblico de Isaías, 1:27.

“A missão pública é atender sobretudo os mais humildes, os mais pobres, aqueles que mais precisam da presença e da ação do Estado. Entre os quais, aqueles que estão desempregados, pessoas em situação de rua, vítimas das drogas, mulheres que são agredidas e ameaçadas, a comunidade negra e a comunidade indígena”, disse Doria.

Por meio da ação, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) convida os brasileiros para participarem da formulação, avaliação e controle social das políticas públicas para melhorar a qualidade dos serviços prestados ao povo.

“Não viemos aqui ensinar ao Governo como fazer políticas públicas, mas uma reflexão justamente sobre aquilo que a Campanha da Fraternidade propõe, isto é, as políticas públicas sejam orientadas por um sentido de fraternidade e solidariedade social. De modo que de fato se estenda a todos e de maneira muito especial a quem mais precisa”, afirmou o Arcebispo.

A CAMPANHA

Criada em 1962, a campanha é apresentada todo ano na Quarta-Feira de Cinzas, quando tem início a Quaresma, período de 40 dias que antecede a Páscoa. Este ano, a ação lança um olhar para as ações e os programas do Estado para garantir direitos previstos na ,legislação brasileira.

O texto-base descreve o ciclo e etapas da política pública e faz a distinção entre as políticas de governo e as políticas de Estado, bem como apresenta os canais de participação popular, como os conselhos previstos na Constituição Federal.

Por meio da ação, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) convida os brasileiros para participarem da formulação, avaliação e controle social das políticas públicas para melhorar a qualidade dos serviços prestados ao povo.

ASSISTA O VÍDEO DO ENCONTRO

Comente

Dom Odilo Scherer preside missa na Catedral de Toledo (PR)

Por
28 de março de 2019

O Arcebispo Metropolitano de São Paulo, Cardeal Odilo Pedro Scherer, presidiu, no sábado, 23, uma missa na Catedral Cristo Rei, em Toledo (PR), com a participação de aproximadamente mil pessoas.

Em junho de 2019, a Diocese de Toledo completará 60 anos de criação. Nesta Diocese, Dom Odilo ingressou no seminário, recebeu a ordem diaconal e presbiteral e exerceu seu ministério até ser nomeado Bispo Auxiliar de São Paulo em 2001.

Na homilia, Dom Odilo exortou que, neste período de preparação para a Páscoa, os cristãos estejam abertos à penitência, escuta da Palavra de Deus e revisão da própria vida. “Estamos vivendo de acordo com nossas promessas batismais? Vivemos de acordo com aquilo que significa o nosso Batismo? Por isso, a cada dia da Quaresma, temos uma questão-chave da nossa vida cristã. Neste domingo [3º Domingo da Quaresma], Deus manifesta sua misericórdia, vindo ao nosso encontro. Portanto, nosso Deus não é uma ideia vaga, Ele caminha com seu povo e está presente na nossa história”, disse.

O Arcebispo também exortou que todos busquem a conversão das próprias atitudes na Quaresma e que ajudem a produzir frutos de corresponsabilidade com os irmãos e irmãs. “Quais frutos Deus espera de nós? Quais frutos nossa vida cristã está produzindo ou ela é uma planta que não dá fruto, é uma figueira estéril? Pior ainda se dá frutos ruins. Portanto, este converter-se significa dar os frutos esperados, produzir os frutos de caridade, de justiça, de fé que provêm da verdadeira relação com Deus”, completou.

Dom Odilo também dirigiu uma mensagem especial aos pais, ao citar o recente massacre na Escola Raul Brasil, em Suzano (SP): “Aquilo leva a pensar muito. Um fato de violência sem explicação. Do que se alimentam as motivações das pessoas? Onde eles alimentaram este desejo de cometer o massacre? Temos um ponto de reflexão e de vigilância. Todos cuidam ao pôr bons alimentos para seus filhos em suas casas. Olhem para esse aspecto: onde estamos buscando os alimentos da alma, do coração, das motivações?”, questionou.

(Com informações de Paulo Weber Junior, da Diocese de Toledo)
 

LEIA TAMBÉM: CNBB e Cáritas Brasileira lançam a campanha ‘SOS África: Moçambique, Zimbábue e Malawi’

Comente

São José: ‘Guardião da Sagrada Família e patrono da família de Deus’

Por
20 de março de 2019

Em muitos países, o Dia de São José, 19 de março, é também a data em que se comemora o Dia dos Pais. Assim, é também uma oportunidade de conhecer melhor como a história deste Santo, inspira as famílias de todos os tempos e lugares.

Em alguns países da Europa, a festa do Dia dos Pais acontece em junho e, no Brasil, a data é comemorada em agosto. O SÃO PAULO selecionou alguns trechos de homilias dos papas, que, a cada solenidade litúrgica de São José, refletem sobre a figura do Santo, Padroeiro da Igreja universal.

 

O SONHADOR

O Papa Francisco, em 2017, numa meditação matutina sobre São José, o recordou como um “sonhador”. Francisco inspirou-se na Liturgia da Palavra que fala de “descendência, herança, paternidade, filiação, estabilidade”. Todas essas expressões, observou, “são uma promessa, mas depois se concentram num homem que não fala, não profere uma única palavra, um homem do qual se diz que era justo, só isso. E depois um homem que nós vemos que age como um homem obediente”

“Um homem do qual não sabemos nem sequer a idade” e que “carrega nos ombros todas essas promessas de descendência, herança, paternidade, filiação e estabilidade do povo.” Uma grande responsabilidade que, no entanto, como se lê no Evangelho de Mateus (Mt 1,13- 15.19-23), encontra-se toda concentrada “num sonho”.

O Papa afirma que José é um sonhador porque é capaz “de aceitar esta tarefa, aceita a promessa de Deus e leva-a em frente em silêncio, com fortaleza, leva-a em frente para que se cumpra a vontade de Deus”

Francisco explica que José era capaz de sonhar e foi o guardião de um sonho de Deus: “O sonho do nosso Pai, o sonho de Deus, da redenção, da salvação de todos, desta recriação, é confiado a ele”.

 

UM HOMEM DIGNO DE CONFIANÇA

Durante uma viagem apostólica a Camarões e Angola, o Papa Bento XVI, em 2009, presidiu a Solenidade Litúrgica de São José e afirmou que, “na História, José é o homem que deu a Deus a maior prova de confiança, precisamente em face de um anúncio tão assombroso”

O Papa Bento XVI fez, então, uma pergunta aos fiéis: “E vós, queridos pais e mães de família que me ouvis, tendes confiança em Deus que faz de vós os pais e as mães dos seus filhos de adoção? Aceitais que ele conte convosco para transmitir aos vossos filhos os valores humanos e espirituais que recebestes e que hão de fazê-los viver no amor e no respeito do seu santo Nome?”

“Se o desânimo vos invadir, pensai na fé de José; se a inquietação se apoderar de vós, pensai na esperança de José; se a aversão ou o ódio vos penetrar, pensai no amor de José, que foi o primeiro homem a descobrir o rosto humano de Deus na pessoa do menino concebido pelo Espírito Santo no seio da Virgem Maria”, continuou o Papa.

 

PARTICIPANTE DO PROJETO DE DEUS

São João Paulo II, por sua vez, em uma homilia proferida no dia 19 de março de 1998, ajudou os fiéis a compreender o modo como São José foi introduzido por Deus no desígnio salvífico da Encarnação.

“Como Maria, também José acreditou na Palavra do Senhor e dela se tornou partícipe. Acreditou, como Maria, que este projeto divino se teria realizado graças à sua disponibilidade. E assim aconteceu: o eterno Filho de Deus fez-Se homem no seio da Virgem Mãe”, afirmou São João Paulo II.

E continuou o Papa: “Aos olhos dos habitantes de Belém, de Nazaré e de Jerusalém, o Pai de Jesus é José. E o Carpinteiro de Nazaré sabe que, de alguma forma, é mesmo assim. Sabe isso, porque acredita na paternidade de Deus e é consciente de ter sido chamado em certa medida a partilhá-la. A Igreja, ao venerar São José, elogia a sua fé e a total obediência à vontade divina”.

 

Cardeal Scherer preside missa na Paróquia São José do Belém

Na terça-feira, 19, às 15h, o Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo Metropolitano de São Paulo, presidiu missa na Paróquia São José do Belém, que foi concelebrada pelo Pároco, Padre Marcelo Maróstica.

Durante todo o dia, foram colocados no Largo São José do Belém confessionários para atendimento de confissões das pessoas que se dirigiam à igreja-matriz ou até aquelas que passavam pela praça.

 

PATRONO DA IGREJA

Na homilia, o Cardeal salientou o fato de São José ser padroeiro da Igreja Católica em todo o mundo e recordou os motivos pelos quais o Santo é tão querido, invocado e conhecido pelas pessoas.

“Deus escolheu São José para uma grande missão: ser o esposo de Maria, ninguém menos que a mãe do Filho de Deus – que se fez homem por meio dela. São José foi escolhido para ser o cuidador de Maria e o cuidador do Menino. São José, portanto, é cuidador da Sagrada Família e também parte dela”, disse Dom Odilo.

José ouviu a voz de Deus, obedeceulhe e cumpriu a missão que recebeu de Deus. “São José foi declarado patrono, isto é, cuidador – pai – padroeiro de toda a Igreja. Ele é o patrono universal da Igreja.

“Recordamos São José com muita fé. Recordando também que São José é o padroeiro das famílias, da grande família de Jesus que é a Igreja com tantos filhos, tantos irmãos, mas também das nossas famílias. Como seria bom se todos os pais, esposos e avôs vivessem a missão da paternidade como recebida de Deus”, continuou o Cardeal.

No fim da homilia, Dom Odilo insistiu que São José deve inspirar e interceder pelos pais para que saibam educar os filhos com sabedoria: “Peça que São José ajude, que São José interceda. Um homem justo, um homem bom, um homem prudente. Pais, não terceirizem a educação dos filhos, cuidem vocês mesmos daquilo que é importante para a vida deles. Sejam cuidadores da família como São José foi.”

(Colaboraram: Flávio Rogério Lopes e Jenniffer Silva)

Comente

Padre Zacarias Carvalho assume como reitor do Santuário Arquidiocesano Nossa Senhora Aparecida

Por
14 de março de 2019

Padre Zacarias José de Carvalho Paiva recebeu, no domingo, 10, a posse canônica como Pároco da Paróquia Nossa Senhora Aparecida e também como Reitor do Santuário no bairro do Ipiranga. A celebração eucarística, com rito de posse canônica, teve início às 10h, presidida pelo Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo Metropolitano, tendo entre os concelebrantes Dom José Roberto Fortes Palau e Dom Devair Araújo da Fonseca, Bispos Auxiliares da Arquidiocese de São Paulo.

Anteriormente, Padre Zacarias esteve como Pároco, por 12 anos, na Paróquia São Gabriel da Virgem Dolorosa, na Região Episcopal Santana.

No início da celebração, o Cardeal agradeceu ao Padre Anísio Hilário para os sete anos de dedicação ministerial como Pároco e recordou a importância histórica da igreja, tida como um memorial do Congresso Eucarístico Nacional de 1942.

 

RITO DE POSSE

Na sequência, foram lidos os decretos de nomeação e provisão canônica do Padre Zacarias como Pároco da Paróquia e Reitor do Santuário pelo período de seis anos. Dom Odilo manifestou votos para que Deus ilumine e fortaleça o Padre na nova missão. O Sacerdote fez, publicamente, sua profissão de fé. No momento da aclamação ao Evangelho, Dom Odilo entregou o Evangeliário ao novo Pároco, dizendo que é sua missão proclamar a Palavra

Após a homilia, Padre Zacarias fez a renovação das promessas sacerdotais e o juramento, expressando o comprometimento com a ação pastoral no Santuário e na Paróquia. Logo depois, recebeu das mãos do Cardeal as chaves do sacrário da Capela do Santíssimo, o óleo para o sacramento do Batismo e a estola para administração do sacramento da Penitência.

 

GRATIDÃO E COMPROMISSO

Em mensagem de agradecimento à comunidade paroquial, o novo Pároco e Reitor expressou seu desejo de continuar a obra iniciada pelo Padre Mário Marques e Serra, primeiro Pároco, e recordou que a imagem de Nossa Senhora Aparecida, localizada no centro do altar do templo, fruto do Congresso Eucarístico de 1942, lembra o compromisso de todos como missionários da Eucaristia.

O Sacerdote disse esperar que o Santuário seja “lugar da caridade, onde partilhamos o que temos com aqueles que nada têm. Esta casa deve ser um braço da caridade da Igreja em São Paulo”.

Padre Zacarias ainda exortou que o Santuário ressoe nos meios de comunicação da Arquidiocese e outras mídias católicas. A comunidade, por sua vez, saudou o novo Reitor com uma mensagem na qual ressaltou que a sua nomeação é recebida como um “importante sinal de fé”, pois foi lá que o Padre exerceu seu diaconato e recebeu a ordenação sacerdotal em 2005.

Sobre as expectativas para a missão assumida, Padre Zacarias citou a aplicação do sínodo arquidiocesano de uma maneira mais abrangente, de modo que o Santuário seja “o lugar do encontro da Arquidiocese com Nossa Senhora, e o lugar de efervescência das devoções marianas”. Também falou sobre a continuidade das reformas estruturais do Santuário.

Para atender a comunidade e os inúmeros romeiros que buscam o templo mariano, o Santuário conta com os serviços dos Vigários Paroquiais, Padre Rodrigo Felipe da Silva e Padre Christopher Velasco, e do Diácono Permanente Luís Massonetto.

 

IGREJA HISTÓRICA

Como gesto concreto do Ano Mariano Nacional (2016-2017), que celebrou os 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida, a igreja no Ipiranga foi elevada a Santuário Arquidiocesano, em 12 de outubro de 2017, quando festejava 75 anos de fundação, memória que remonta ao Congresso Eucarístico de 1942. Na ocasião, o então Arcebispo de São Paulo, Dom José Gaspar d’Affonseca e Silva, confiou ao Padre Mário Marques e Serra a incumbência de construir uma igreja que acolhesse a primeira imagem peregrina do Congresso: uma réplica da imagem de Nossa Senhora Aparecida.

Além da revitalização da torre e a reestruturação da parte elétrica, no mês passado foi inaugurada a sala dos milagres do Santuário, espaço onde objetos, como cartas e fotografias, são deixados por devotos em agradecimento pelas graças alcançadas.

 

LEIA TAMBÉM: Dom Sergio dá posse ao novo pároco da Paróquia Santa Teresinha

Comente

Cardeal Scherer encontra-se com formadores e seminaristas

Por
27 de fevereiro de 2019

O Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo Metropolitano, reuniu-se com os seminaristas e formadores da Arquidiocese de São Paulo, no sábado, 23. O encontro, realizado na Paróquia Menino Jesus, no Tucuruvi, marcou o início do ano letivo das casas de formação que compõem o Seminário Arquidiocesano.

Logo no início da reunião, o Cardeal convidou a todos a partilhar suas atividades na férias, sobretudo aqueles que realizaram diferentes ações missionárias nesse período.

Entre os temas tratados pelo Cardeal, foram lembrados os eventos que acontecerão em 2019 na Igreja, entre eles a visita do Papa Francisco ao Marrocos e o Mês Missionário Extraordinário, em outubro, quando será celebrado, também, o Sínodo dos Bispos para a Amazônia. Dom Odilo salientou a importância de os seminaristas se informarem, sobretudo por meios de comunicação católicos.

Em nível arquidiocesano, o Cardeal explicou quais são as prioridades do sínodo arquidiocesano para 2019,. Além das assembleias paroquiais ampliadas, as paróquias são convidadas a conhecer e aprofundar a própria história, bem como a história do seu padroeiro ou o título a que são dedicadas. 

Após o encontro, seminaristas e formadores participaram da missa com fiéis da Paróquia Menino Jesus.

 

SEMINÁRIO

Fundado há 161 anos, o Seminário Arquidiocesano Imaculada Conceição passou por diversas configurações para corresponder às necessidades da formação presbiteral da Igreja em São Paulo. Atualmente, é constituído do Seminário Propedêutico Nossa Senhora da Assunção, na Vila Nova Cachoeirinha; do Seminário de Filosofia Santo Cura d’Ars, na Freguesia do Ó; e do Seminário de Teologia Bom Pastor, no Ipiranga. Desde 2011, a Arquidiocese também conta com o Seminário Missionário Arquidiocesano Internacional Redemptoris Mater “São Paulo Apóstolo”, no Jaraguá, voltado especificamente para a formação de padres do clero secular preparados para ser enviados em missão.

 

CONGRESSO VOCACIONAL

Dom José Roberto Fortes Palau, Bispo Auxiliar de São Paulo na Região Ipiranga, é Referencial da Pastoral Vocacional e da Coordenação Pastoral dos Ministérios Ordenados. Ele falou aos padres, diáconos e seminaristas sobre um congresso nacional que acontecerá em Aparecida (SP), entre os dias 5 e 8 de setembro.

Com o tema “Vocação e discernimento” e o lema “Mostra-me Senhor os teus caminhos” (Sl 25,4), o congresso contará com a presença do Padre italiano Amedeo Cencini, que tem vários livros sobre o assunto.

O evento pretende reunir pessoas de todo o País para refletir sobre o tema vocação. Um texto-base já foi preparado e um pré-congresso arquidiocesano também. O pré-congresso acontecerá no dia 18 de maio. Mais informações sobre horário e local serão divulgadas em breve.

 

ANIMADOR VOCACIONAL

Padre José Carlos dos Anjos, da Paróquia Santa Isabel Rainha, da Região Episcopal Belém, foi nomeado o novo responsável pela Pastoral Vocacional Arquidiocesana. Ele participou do encontro de Dom Odilo com os formadores e seminaristas e falou sobre o valor da oração constante. Ordenado em 2006, o Sacerdote demonstrou grande alegria pela nova missão assumida na Arquidiocese.

 

LEIA TAMBÉM: Caritas Arquidiocesana realiza assembleia geral

Comente

‘Não poderemos superar nossas pobrezas se não voltarmos o coração para Deus’

Por
23 de novembro de 2018

No domingo, 18, data em que a Igreja comemorou o 2º Dia Mundial dos Pobres, o Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo, presidiu missa na Casa Guadalupe, no Belezinho, uma das casas da Missão Belém para a acolhida de pessoas em situação de rua. 

Participaram da celebração cerca de cem pessoas, que haviam sido acolhidas pela comunidade naquele mesmo dia, além de mais 150 voluntários, a maioria deles ex-moradores de rua que hoje colaboram nas casas de acolhida. Também participou da Eucaristia o Cônsul Geral da Itália em São Paulo, Filippo La Rosa, em visita à casa, acompanhado da esposa e filhas.

A missa foi concelebrada pelo Padre Gianpietro Carraro, Fundador da Missão Belém, e pelos Padres Gilson Frank dos Reis e Paulo Gomes da Silva, membros da comunidade.

 

OUVIR O CLAMOR

Com o tema “Este pobre clama e o Senhor o escuta”, o Dia Mundial dos Pobres foi convocado pelo Papa Francisco ao término do Ano Santo Extraordinário da Misericórdia, em 2016, com o objetivo de chamar a atenção da Igreja e da sociedade para olhar com mais solicitude para os pobres de todo o mundo.

“São tantos os pobres. A grande pobreza está espalhada por toda a cidade, nas ruas, no centro, nos cortiços, nas moradias improvisadas, na grande periferia, nas comunidades e habitações muito pobres, onde falta muita coisa para haver uma vida digna”, afirmou o Cardeal, durante a homilia, lembrando, ainda, que a pobreza não atinge pessoas em particular, mas alcança até povos inteiros. “Hoje mesmo, o Papa Francisco recordou que precisamos estar atentos ao ‘grito dos pobres’”, acrescentou. 

O Arcebispo destacou também que, além da ajuda individual que é devida aos pobres, é necessário que se estabeleçam melhores condições de convivência e de justiça social para “superação da pobreza da qual muitos não conseguem sair devido a situações estruturais das políticas econômicas mundiais”, e que, “por isso, é necessário que também levantemos a voz e digamos ‘olhemos para os pobres’, para que eles possam sair da situação em que se encontram”, afirmou. 

Dirigindo-se às pessoas acolhidas, o Cardeal Scherer motivou-as a permanecer firmes, a fim de superar as situações de sofrimento e restaurar a vida. “A Missão Belém está propondo a vocês um caminho de restauração da vida, da dignidade”. 

“Não poderemos superar nossas pobrezas se não voltarmos o coração para Deus... A grande riqueza que Deus tem para nos dar não é deste mundo, é a vida eterna, a participação na sua vida”, acrescentou o Arcebispo que, recordando São João Paulo II, destacou: “Se nós damos muitas coisas aos pobres, mas ainda não lhes damos Deus, nem os ajudamos a encontrá-Lo, ainda demos muito pouco a eles”. 

 

UMA NOVA FAMÍLIA

A Casa Guadalupe é uma das quatro casas da Missão Belém na cidade, onde é feita a primeira acolhida das pessoas em situação de rua. “Os irmãos chegam aqui, vindos da rua, muitos deles da região da Cracolândia, no centro da Capital. Lá, os acolhidos ficam de três a seis dias até serem encaminhados a um dos sítios da comunidade no interior. Por semana, passam por essas casas 150 pessoas em média”, explicou o Padre Gianpietro. 

O caminho de acolhida e restauração feito nas casas da Missão Belém afeta não apenas a vida da pessoa que é acolhida, como também a de sua família. Nas casas da comunidade, é possível recuperar a dignidade e até construir uma nova família, como foi o caso de Leônidas Alves Junior, 44, e Adimeia Gomes Alves, 45, que deram o testemunho de sua história ao fim da missa. 

Leônidas chegou à Missão Belém em 2009. Ele conheceu as drogas aos 15 anos, quando morava com os pais em Campinas (SP). Expulso de casa pelo pai, foi para Santos, no litoral paulista. Lá, sua dependência química se agravou. Anos depois, em São Paulo, conheceu o crack e foi parar nas ruas. Após cinco dias internado por causa da droga, foi encaminhado à Missão Belém. “Eu fui acolhido com um abraço, me ofereceram banho, roupa limpa, alimento e uma cama para dormir. Ali, Deus estava me dando a oportunidade de recomeçar a minha vida, de ter uma vida nova”.

Nesse período, Leônidas recebeu a preparação para os sacramentos da Iniciação Cristã, sendo batizado, crismado, além de receber a primeira Comunhão. Foi quando ele conheceu Adimeia, que se envolvera com o crack havia 10 anos, e chegou a perder a guarda de suas quatro filhas, na época. Quando estava grávida da quinta filha, foi parar nas ruas, tendo sido acolhida pela Missão Belém em uma casa destinada a mães e gestantes. “Lá eu conheci o Leônidas, iniciamos um caminho de namoro e nos casamos. Da nossa união, nasceram dois filhos, Lucas e Maria”, contou Adimeia, que hoje cuida da Casa das Mães, onde foi acolhida.

Esses dois filhos se somaram às cinco meninas que Adimeia já tinha. No entanto, essa história não parou por aí: o casal também acolheu outras sete crianças abandonadas, formando, assim, uma grande família. “Aqui eu consegui, aos poucos, reconstruir aquilo que a droga havia destruído. Sempre desejei ter uma família e hoje Deus me concedeu uma família e a oportunidade de sermos família para essas crianças”, afirmou Leônidas. 

 

MULTIPLICADORES DA CARIDADE

Atualmente, a Missão Belém tem 180 casas-famílias, onde vivem cerca de 15 pessoas em cada uma delas, que são acompanhadas por um ex-morador de rua que se torna o “pai” ou “mãe” do grupo. Há, ainda, 45 casas que acolhem cerca de 600 enfermos que foram tirados das ruas.

“Gostaria de agradecer, em nome dos pobres, a todas as organizações da Igreja e da sociedade que se voltam para os pobres. Essas organizações precisam de apoio para que, por meio delas, também possamos ajudar. Elas são multiplicadoras da prática da caridade. Que todos possam se unir, de uma forma ou de outra, a essas organizações que fazem tanto pelos pobres em nome da Igreja, da fé, de Jesus Cristo”, manifestou o Cardeal. 

Dom Odilo também transmitiu palavras e gratidão às muitas pessoas que passaram pelo caminho de restauração na Missão Belém e hoje estão ajudando a restaurar outros irmãos. “Que bonito! Quem recebeu, agora, passa a ajudar. Assim nós podemos superar muitas situações de sofrimento e de pobreza”, afirmou. 

Por fim, o Cardeal reforçou às pessoas que apoiem o trabalho realizado pelas organizações que atuam com os pobres. “São agregadoras de caridade, de solidariedade. Assim, muitos podem ajudar a fazer o trabalho bonito de voluntariado em todos os níveis. Há muito espaço para muitas pessoas trabalharem”, concluiu.

 

LEIA TAMBÉM: Viver a fé em contato com os mais necessitados

Comente

Dom Odilo faz nomeações para o Colégio de Consultores da Arquidiocese

Por
01 de novembro de 2018

Com o fim do mandato de alguns membros do Colégio de Consultores da Arquidiocese de São Paulo, Dom Odilo Pedro Scherer, Arcebispo Metropolitano, nomeou novos membros para tal organimos da Igreja em São Paulo, com mandato de cinco anos. São eles:

Pe. Michelino Roberto

Pe. Pedro Luiz Amorim

Pe. Jorge Bernardes

Pe. Valeriano Santos Costa

Pe. Aparecido Silva

Pe. Zacarias de Carvalho Paiva

 

Ainda, Dom Odilo confirmou estes outros sacerdotes como membros do Colégio por mais três anos:

Pe. José Miguel de Oliveira

Pe. João Júlio de Farias

Pe. Cícero Alves de França

Mons. Sérgio Tani

Côn. Walter Caldeira

 

O Colégio de Consultores é um organismo previsto pelo Direito Canônico, regido pelo cânon 502, e obrigatório em todas as dioceses. Sua função é de auxiliar o bispo no governo da diocese do ponto de vista administrativo, além de realizar funções no caso de vacância da sé diocesana.

 

Comente

Páginas

Para pesquisar, digite abaixo e tecle enter.