Diocese incentiva combate à má nutrição de crianças

Por
18 de março de 2019

Durante a Quaresma, o Arcebispo de Manila, Cardeal Luis Antonio Tagle, convida os fiéis a ajudar a campanha contra a má nutrição das crianças filipinas, que se chama “Pondo ng Pinoy” e é promovida pela Arquidiocese: “A caridade é fundamental para a missão da Igreja. O tempo da Quaresma é um tempo de misericórdia. Praticar a caridade constitui a prova concreta do fato de que buscamos seguir Jesus e nos damos a nós mesmos, participando de maneira ativa da vida da comunidade cristã”, ensinou o Cardeal.

A iniciativa começou em 2005 e, desde então, já ajudou a nutrir mais de 2 milhões de crianças em todo o País. Os pais das crianças também recebem instrução e formação profissional, para ajudar a melhorar sua condição de forma estável. Em breve, o programa deve fornecer uma refeição diária a pelo menos 30 mil crianças durante 120 dias.

Fonte: Fides
 

LEIA TAMBÉM: A crise e a travessia do deserto

Comente

Crianças aprendem educação fiscal e financeira com a ‘Turma da Mônica’

Por
18 de janeiro de 2019

A Secretaria do Tesouro Nacional (STN), do Ministério da Economia, em parceria com o Instituto Mauricio de Sousa, e apoiada pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) no Brasil, iniciou, em 2018, o projeto “Em Busca do Tesouro”.

A proposta é que, de forma lúdica e com a linguagem acessível característica dos gibis da “Turma da Mônica”, as crianças aprendam a participar de escolhas públicas e acompanhar a gestão das verbas públicas e das finanças pessoais.

No fim do ano passado, o piloto do programa foi aplicado em nove escolas no Estado de Goiás, sendo sete delas públicas, uma privada de educação pública e uma privada. Foram alcançados 732 estudantes dos 4º, 5º e 6º anos.

O conteúdo sobre educação financeira e fiscal foi contextualizado por histórias vividas pela Mônica, Cebolinha, Magali, Cascão e sua turma. Além de disseminar conceitos como equilíbrio e transparência das contas estatais, a STN espera promover a educação fiscal e financeira por meio de informações sobre a função social dos tributos. Outra pauta discutida pela iniciativa é o necessário controle do cidadão dos gastos públicos. Do ponto de vista institucional, a ideia é fazer com que crianças, jovens e adultos entendam quais são as funções de administração financeira do Estado e quais são os dados produzidos e consolidados pelo Tesouro Nacional.

Em 2019, haverá a avaliação de impacto do projeto, com a meta de ampliá-lo para até 30 mil meninos e meninas de escolas do Distrito Federal.

Fonte: ONU Brasil
 

LEIA TAMBÉM: Surto de Aedes aegypti pode afetar mais de 500 cidades neste verão

Comente

Vicentinos em ação na Paróquia São Luis Gonzaga

Por
16 de janeiro de 2019

Durante o período do Advento, a comunidade de fiéis da Paróquia São Luis Gonzaga, no Setor Pereira Barreto, mais uma vez mobilizou-se para a Campanha de Natal, organizada pela Conferência dos Vicentinos, que tem como objetivo dar assistência às famílias em situação de vulnerabilidade social e acolhimento às pessoas idosas.

Ao todo, apenas vinculado ao grupo da Paróquia, anualmente são atendidas 78 famílias e mantidos três lares para idosos na região.

Para a Campanha de Natal de 2018, foram arrecadadas mais de 160 cestas básicas e 250 brinquedos para famílias em situação de vulnerabilidade social que residem na área de abrangência do Setor Pereira Barreto.

Em 22 de dezembro, aconteceu a tradicional festa de Natal para entrega das cestas e brinquedos às famílias. Tudo organizado por voluntários da Paróquia para atender mais de 400 pessoas que participaram de uma manhã com brincadeiras para as crianças, oração e lanche para todos.

As crianças ainda encenaram o nascimento de Jesus Cristo.

O grupo da Conferência Vicentina atua durante o ano todo e sempre recebe doações de produtos alimentícios, limpeza, higiene e fraldas geriátricas. Outras informações podem ser obtidas pelo telefone (11) 3975-6790.

 

Comente

Gênero: lobby para receitar hormônio a crianças ‘trans’

Por
15 de janeiro de 2019

Segundo Michael Laidlaw, médico certificado no estado americano da Califórnia, a Associação Profissional Mundial para a Saúde Transgênero tem atuado para que os endocrinologistas receitem hormônios para crianças “transexuais” ou “transgêneros”: “O que eles fizeram, de forma muito esperta, foi envolver-se com a maior organização profissional global representando o campo da endocrinologia, chamada Sociedade Endocrine”, denuncia o Doutor Laidlaw, ele mesmo um membro da Sociedade.

“A Sociedade Endocrine estabeleceu as diretrizes para tudo que está relacionado à terapia afirmativa de gênero, desde medicamentos até tratamentos cirúrgicos para adultos e crianças”, explicou o Doutor.

A pressão desse grupo, sem nenhuma oposição organizada, levou ao apoio de recomendações “pró-transição” para crianças – isto é, tratamentos que têm como objetivo a “mudança de sexo” por meios cirúrgicos e medicais. Outras associações médicas seguiram o exemplo da Sociedade Endocrine, dando a impressão de que esse tipo de tratamento é adequado e aprovado pela comunidade médica, quando, na verdade, nada é menos certo do que isso.

Para piorar a situação, a pressão política é tão grande que médicos que desaprovam esse tipo de tratamento têm medo de falar abertamente sobre o assunto, porque temem perder seus empregos: “Um médico admitiu para mim: ‘Não posso falar nada contra isso, porque posso perder meu emprego. Tenho uma família para sustentar’”, afirmou o Doutor Laidlaw

Um dos tratamentos que têm sido incentivados é a administração de Leuprorrelina – um remédio que reduz a produção de hormônios masculinos (testosterona) ou femininos (estrogênio), utilizado, por exemplo, no tratamento de câncer de próstata ou de mama – a crianças saudáveis que se identifiquem com o sexo oposto, para inibir ou retardar a puberdade.

Apesar da pressão política, “tem havido alguns poucos médicos que levantam a voz para dizer: ‘precisamos questionar isso, há algo de errado aqui. Por que estamos usando drogas para o câncer em crianças sem câncer e interrompendo a puberdade normal?’”, afirmou o Doutor. Segundo esses médicos, esse tipo de tratamento é temerário, entre outras razões, porque não se sabe o efeito que pode ter no longo prazo à saúde das crianças.

Mas o que deveria ser feito com as crianças “trans”? Segundo o Doutor Laidlaw, “a disforia de gênero não é uma condição endocrinológica, mas sim psicológica, e deveria, portanto, ser tratada com a assistência psicológica adequada”.

Fontes: The Christian Post/ CNA
 

LEIA TAMBÉM: Saldo do ano: 40 missionários mortos

Comente

Crianças carentes participam da 1ª edição do projeto ‘Pequenos Chefs na Catedral’

Por
13 de dezembro de 2018

A Catedral Metropolitana de São Paulo, localizada na Praça da Sé, abriu suas portas no dia 5, para acolher 80 crianças carentes de abrigos e projetos sociais assistidos pela Pastoral do Menor da Arquidiocese. Elas participaram da 1º edição do projeto “Pequenos Chefs na Catedral”. 

Na ação, crianças do Centro Educacional Comunitário (CEC) São Francisco de Assis, do Centro Social Nossa Senhora do Bom Parto (Bompar), na zona leste, e do Centro de Crianças e Adolescentes (CCA) do Jardim Vista Alegre, na zona Noroeste, conheceram a igreja-mãe da Arquidiocese e aprenderam algumas receitas com o chef Anderson Clayton.

 

TOUR PELA CATEDRAL

As crianças tiveram a oportunidade de conhecer a cátedra, altar, torres, cúpula, cripta e também toda história da Catedral da Sé. Muitas foram à igreja pela primeira vez e ficaram impressionadas. 

“Gostei de visitar as alturas. A Praça da Sé é linda, tem bastante árvores. A Catedral Metropolitana de São Paulo tem muitas imagens bonitas, e gostei muito de conhecer a Cripta.”, disse Dan Josué Chiara, 11, do CEC São Francisco de Assis, boliviano, filho de imigrantes, que visitava a Catedral da Sé pela primeira vez. 

Depois de realizar o tour pela igreja, as crianças tiveram a oportunidade de se tornar pequenos chefs de cozinha, com direito a diploma, mas antes aprenderam receitas mais saudáveis de brigadeiro com aveia, musse de chocolate e suco verde. 

“Estou adorando a experiência. Antes eu fazia brigadeiro normal, agora aprendi que com aveia é mais saudável. Gostei de saber sobre os bispos enterrados na Cripta. É a primeira vez que entrei nessa igreja”, disse Luciana Vitória, 12, do CCA Vista Alegre.

 

PEQUENOS CHEFS 

O chef Anderson Clayton, idealizador do projeto “Pequenos Chefs” contou que o principal objetivo da iniciativa é, por meio do aspecto social, levar a cultura e a gastronomia para as crianças, em parceria com a Arquidiocese de São Paulo e a Catedral da Sé. O evento contou com o apoio da Sabesp e do Governo do Estado de São Paulo. 

“É gratificante poder abrir as portas para a comunidade, pois é em volta da mesa que acontecem um dos maiores exemplos, um dos atos mais lindos da Igreja, que é a Santa Ceia. Por meio disso, conseguimos levar gastronomia, história e cultura às crianças.” disse Anderson ao O SÃO PAULO.

O Chef recordou que a expectativa de sua equipe foi grande, pois tudo foi preparado com muito carinho, com o principal objetivo de “fazer um fim de ano com mais esperança, pois é disso que as crianças precisam.” 

“Com esperança, podemos ter um país diferente, pois olhando para as crianças, olhamos para a educação; quando olhamos para as crianças, olhamos para o futuro. Então, levando amor, a gente terá um futuro melhor e é isso que a gente espera com esse projeto”, concluiu Anderson. 

 

IGREJA ACOLHEDORA 

Sueli Camargo, coordenadora arquidiocesana da Pastoral do Menor, falou sobre a importância do projeto, que reuniu crianças de várias realidades. Ela reiterou que muitas estavam entrando na Catedral pela primeira vez, ficaram impressionadas e interagiram bastante.

A Coordenadora destacou a alegria em ver a igreja-mãe da Arquidiocese abrir as portas para as crianças e adolescentes, que participaram de todos os momentos propostos, inclusive da oração no altar e antes da partilhar dos alimentos, conduzida pelo Padre Luiz Eduardo Pinheiro Baronto, Cura da Catedral. 

“É perceptível a alegria das crianças por serem acolhidas, e no momento da culinária, serem protagonistas da preparação do seu café da manhã. São crianças carentes da periferia, e na proximidade do Natal é muito importante essa questão de acolher e abrir as portas.”, concluiu.

 

 

Comente

TJ-SP estimula adoção de crianças

Por
01 de novembro de 2018

O programa Adote um Boa-Noite, criado pelo Tribunal de Justiça de São Paulo para estimular a adoção de crianças e jovens com mais de 8 anos e/ou com alguma deficiência, completou um ano. Dos jovens que participaram do projeto ao longo deste primeiro ano – 56 adolescentes que não tinham nenhuma perspectiva de adoção –, quatro já foram adotados e 17 estão em alguma fase do processo (estágio de convivência ou aproximação). Mais de 400 pessoas manifestaram interesse em adotar, e todos os pretendentes precisam passar por uma avaliação antes da aproximação com as crianças. 

O projeto-piloto teve a participação de jovens das jurisdições dos foros regionais de Santo Amaro e Tatuapé, na Capital Paulista. Diante dos excelentes resultados, o programa foi ampliado para todas as varas do Estado. 

O projeto conta com um site com fotos e relatos de crianças e adolescentes acolhidos pelo Poder Judiciário, sem chances de adoção, por falta de interessados (www.adoteumboanoite.com.br). Os clubes de futebol Corinthians e São Paulo também abraçaram a causa. Levaram crianças do projeto a jogos e eventos, sendo que algumas delas entraram em campo com os jogadores, e divulgaram o programa nos telões dos estádios e nas redes sociais. 

Cerca de 5 mil crianças e adolescentes esperam para ser adotados no Brasil, apesar de haver mais de 41 mil pretendentes à adoção. A conta não fecha porque a grande maioria das crianças tem mais de 7 anos, enquanto aqueles que estão na fila para adotar desejam meninos e meninas mais novos. Adotar adolescentes e crianças que tenham 8 anos ou mais é a maneira mais rápida de realizar o sonho de ser pai ou de ser mãe. E, principalmente, de realizar o sonho de quem quer ter alguém pra desejar um simples “boa noite”.

Fonte: Tribunal de Justiça de São Paulo
 

LEIA TAMBÉM: IV Fórum Famílias Novas será realizado em São Paulo nos dias 3 e 4

Comente

Projeto para matar crianças doentes

Por
26 de outubro de 2018

Funcionários do Hospital para Crianças Doentes de Toronto e o Centro para Bioética da Universidade de Toronto discutem em um artigo a possibilidade de matar crianças doentes sem o consentimento dos pais. O artigo foi publicado pelo jornal científico British Medical Journal of Medical Ethics. A eutanásia foi aprovada no Canadá há dois anos, mas, por enquanto, está limitada a maiores de idade. Os especialistas discutem cenários em um futuro próximo, em que o procedimento seja acessível a todos e em que crianças e menores de idade com alguma doença incurável desejem morrer. Se os pais forem contra, como os médicos podem fazer para matá-la? Seria lícito realizar a eutanásia sem informá-los? Essas são algumas das questões discutidas pelos que escreveram o artigo.

Fonte: NCR
 

LEIA TAMBÉM: Estatísticas da Igreja

 

Comente

Unidas, 1 milhão de crianças rezam o Terço pela Paz

Por
24 de outubro de 2018

As crianças da Paróquia São João Batista da Vila Guarani, no Setor Imigrantes, atenderam ao convite “Um milhão de crianças rezam o Terço pela Paz”, da Fundação Pontifícia Ajuda à Igreja que Sofre (ACN). 

A Campanha aconteceu no mundo inteiro, no dia 18, e na Paróquia foi recordada no domingo, 21, quando crianças se uniram a milhares de outras e, com suas famílias, rezaram pela unidade, pela paz mundial e pelas missões.

As crianças da Catequese trouxeram o próprio Terço para ser abençoado. Terços também foram distribuídos para as outras crianças e famílias que não o possuíam. Rodrigo Arantes, membro da ACN, afirmou que, em muitos países, também as crianças sofrem os efeitos dos conflitos e guerras e que, como os super-heróis têm um escudo para se protegerem do mal, todos tem um escudo de proteção: a oração do Terço. 

Todas as crianças receberam um cartaz como lembrança desse momento para ser colocado em algum lugar da casa para que toda família se lembre de rezar o Terço. Ao serem perguntadas pelo Padre Ricardo Pinto, Pároco, sobre o que elas achavam que poderia nascer na família e no mundo com a oração do Terço, as respostas foram: harmonia, felicidade, respeito, amizade, fraternidade, justiça, partilha e esperança. 

 

LEIA TAMBÉM: Devotos comemoram o dia de Santa Edwiges

Comente

Paróquia promove ação solidária em favor de crianças com deficiência

Por
24 de outubro de 2018

As crianças da Catequese da Paróquia São João Maria Vianney, no Setor Pastoral Lapa, motivadas pelo Padre Raimundo Rosimar Vieira, Pároco, e pela catequista Maria Ida Comino, do Grupo Perseverança, promoveram uma ação solidária em prol de crianças carentes com deficiência física. 

Por meio da venda de trufas no final das missas e de doações espontâneas dos paroquianos, foram levantados fundos para comprar seis cadeiras de rodas adaptadas. As crianças contempladas foram selecionadas e indicadas pela Associação de Assistência à Criança Deficiente (AACD). 

A entrega foi feita durante uma das missas de 7 de outubro, contando com a presença das crianças cadeirantes beneficiadas e seus familiares. 

A comunidade paroquial se engajou nesta campanha das crianças. Foram momentos vividos por todos: adultos, crianças da Catequese e as crianças com deficiência física.

(Colaborou: Padre Raimundo Rosimar Vieira)
 

LEIA TAMBÉM: Apostolado da Oração realiza encontro anual

 

Comente

Crianças celebram seu dia na Paróquia Santo Alberto Magno

Por
19 de outubro de 2018

A Comunidade Católica Filhos do Céu, que forma o grupo de jovens da Paróquia Santo Alberto Magno, no Jardim Bonfiglioli, Setor Butantã, realizou na sexta-feira, 12, no salão paroquial, um encontro chamado “Kairos Kids”, reunindo cerca de cem crianças da Paróquia e toda a região. 

Com a celebração da Santa Missa em honra a Nossa Senhora Aparecida, presidida pelo Pároco, Padre Antonio Francisco Ribeiro, as crianças tiveram a oportunidade de homenagear a Padroeira do Brasil e participar de gincanas, teatro, brincadeiras de roda e momentos de catequese e evangelização.

De acordo com o coordenador dos jovens, Júlio Walker, essa festa fará parte do calendário da Paróquia, para que as crianças da Catequese e as demais da Paróquia tenham um espaço na comunidade para participar e se inserir na igreja. O encontro das crianças é uma oportunidade de reunir as famílias e vivenciar o que o Papa Francisco afirmou: “onde existem crianças e jovens, há futuro, alegria e esperança”.

 

LEIA TAMBÉM: Formação destaca a temática da Campanha da Fraternidade 2019

 

Comente

Páginas

Para pesquisar, digite abaixo e tecle enter.