Em busca da paz, esporte une as Coreias e o mundo

Por
29 de janeiro de 2018

Após meses de crescente tensão militar entre os dois vizinhos, a Coreia do Norte decidiu retomar o diálogo com a Coreia do Sul, o que não acontecia desde dezembro de 2015. Nesse diálogo histórico, foi revelada a intenção dos nortecoreanos de enviar uma delegação de atletas aos Jogos Olímpicos de Inverno, que terão início em 9 de fevereiro, no condado sul-coreano de PyeongChang. 

“A Trégua Olímpica é tão relevante atualmente como era nos tempos antigos. Mais do que nunca, o mundo precisa do espírito olímpico de paz e solidariedade”, afirmou Thomas Bach, Presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI).

COREIA DO NORTE NOS JOGOS DE INVERNO

No sábado, 20, foi realizada uma reunião entre os representantes dos dois países, na sede do COI, em Lausanne, na Suíça, na qual o Comitê autorizou o envio da delegação de atletas norte-coreanos, por meio da assinatura da “Declaração Olímpica na Península da Coreia”. 

“Os Jogos Olímpicos nos mostram o que o mundo poderia parecer se fôssemos guiados pelo espírito olímpico de respeito e compreensão - essa é a mensagem olímpica que PyeongChang está prestes a transmitir ao mundo”, afirmou Bach. 

A Coreia do Norte enviará 22 atletas, que irão competir em três esportes: esqui, patinação artística e hóquei sobre gelo - que pela primeira vez na história terá uma seleção feminina mista, com atletas dos dois países. Também ficou acordado que os atletas da Coreia do Sul e os da Coreia do Norte marcharão juntos sobre uma mesma bandeira na cerimônia de abertura.

AS COREIAS EM JOGOS OLÍMPICOS

As Coreias que estiveram em guerra entre 1950 e 1953, mais uma vez decidiram se unir pelo esporte. A Coreia do Sul participou pela primeira vez das Olimpíadas em 1948, e enviou participantes em todos os Jogos de Verão desde então, com exceção de 1980, em Moscou, na Rússia. 

Nos Jogos de Inverno, os sul-coreanos participaram de todas as edições desde 1948, com exceção de 1952 em Oslo, na Noruega. Os atletas conquistaram um total de 246 medalhas, somadas as participações nos Jogos Olímpicos. 

A primeira participação da Coreia do Norte nas Olimpíadas de Inverno foi em 1964, e a partir de 1972 participou dos Jogos de Verão. O País esteve em quase todos os Jogos, exceto em 1984, em Los Angeles, nos Estados Unidos, e em 1988, em Seul, capital da Coreia do Sul. 

Já nos Jogos de Inverno, os nortecoreanos não mantiveram a mesma fre- quência, tendo apenas sete participações nas últimas 12 edições. Os atletas conseguiram um total de 43 medalhas, somadas as participações nos Jogos. 

TRÉGUA OLÍMPICA 

A Trégua Olímpica não se limita ao recente diálogo entre as Coreias, mas é uma tradição que tem origem na Grécia antiga, berço dos Jogos Olímpicos em 776 a.C. Junto com os Jogos, surgiu o primeiro tratado de paz que se tem registro, prevendo que sete dias antes e sete dias depois dos Jogos Olímpicos qualquer guerra ou disputa estava proibida. Assim, atletas e espectadores podiam viajar para Olimpíada para participar das festividades e voltar para casa em segurança. 

Em 1896, ocorreram em Atenas os primeiros Jogos Olímpicos da era moderna, por iniciativa do francês Barão Pierre de Coubertin, que esperava que os Jogos ajudassem a fomentar a comunicação e a paz internacional. Foi o renascimento dos Jogos, interrompidos na Grécia antiga.

Uma parceria da ONU com o COI negociou o retorno da tradição da Trégua Olímpica, permitindo, assim, que os atletas da extinta Iugoslávia, que enfrentava uma guerra civil, participassem dos Jogos em Barcelona, na Espanha, em 1992.

“Desde a Antiguidade, o esporte age pela paz. Os Jogos Olímpicos da Antiguidade foram criados, e, para o deslocamento, alojamento e retorno ao lar dos atletas, espectadores e comerciantes, foi instituída a Trégua Olímpica.” afirmou Marcos Wilson, colaborador da Pastoral do Esporte da Arquidiocese do Rio de Janeiro durante os Jogos Rio 2016.

Em outubro de 2015, a Assembleia Geral da ONU aprovou a observação da Trégua Olímpica durante os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016, juntamente com a resolução “Esporte para o desenvolvimento e a paz: construindo um mundo mais pacífico e melhor por meio do esporte e do ideal olímpico”. 

“A resolução foi apoiada por 180 dos 193 países membros da ONU, e teve como fato mais relevante o apelo para a ajuda dos países membros para identificar os atletas de alto rendimento que se encontram em situação de refugiados.” concluiu Marcos Wilson.

(Com informações de G1, Agência Brasil, Univesp, ONU e COI) (Colaborou: Daniel Gomes)
 

 

 

Comente

Coreias do Sul e Norte dialogam e se comprometem a reduzir tensão militar

Por
09 de janeiro de 2018

Após dois anos de rompimento e tensões, as Coreias do Sul e Norte se reuniram para dialogar, na terça-feira, 9, e se comprometeram a buscar a reconciliação entre os países e reduzir a tensão militar na península Coreana, segundo um comunicado conjunto divulgado após a reunião entre representantes dos dois lados.

Também ficou acertada a restauração de uma de suas linhas telefônicas militar, destinada à comunicação dos militares na região do mar amarelo (chamado de Mar do Oeste nas duas Coreias), que permanecia inutilizada há quase dois anos por decisão do Norte.

Seul propôs a realização, em meados de fevereiro, coincidindo com as festividades do ano novo lunar, de uma reunião de famílias coreanas separadas desde a guerra entre os dois países, entre 1950 e 1953, mas ainda não há confirmação oficial desse encontro.

IGREJA REZA PELO DIÁLOGO

“A Igreja coreana reza muito pelo diálogo entre as duas Coreias. Estou feliz, muito feliz”. Assim expressou-se o Bispo de Daejeon, Dom Lazzaro You Heung-sik, ao comentar à Agência Asianews o encontro entre as duas delegações coreanas do norte e do sul na zona desmilitarizada.

O Papa Francisco se reuniu na terça-feira, 9, no Vaticano, em audiência com os embaixadores juntos à Santa Sé. A tradicional reunião com o Corpo diplomático é a ocasião para o Pontífice fazer um dos mais importantes discursos do ano, por tratar de temas de interesse global e internacional.

"É de primária importância que se possa apoiar qualquer tentativa de diálogo na península coreana, a fim de encontrar novas estradas para superar os conflitos atuais, fazer crescer a confiança recíproca e assegurar um futuro de paz ao povo coreano e ao mundo inteiro", ressaltou Francisco classificando como "impensável" uma guerra nuclear.

JOGOS DE INVERNO

A Coreia do Norte disse que enviará uma delegação de representantes do seu governo aos Jogos Olímpicos de Inverno, que serão realizados no mês de fevereiro no condado sul-coreano de PyeongChang.

Os patinadores artísticos Ryom Tae-ok e Kim Ju-ik são os dois únicos atletas norte-coreanos classificados para os Jogos de PyeongChang, embora o Comitê Olímpico Internacional (COI) tenha dito que outros poderiam competir por meio de um convite, desde que o regime permita a viagem deles.

(Com informações de UOL e Vatican News)

Comente

Para pesquisar, digite abaixo e tecle enter.