Mais de 20 mil fiéis passam pelo Santuário Nossa Senhora Aparecida, no Ipiranga

Por
17 de outubro de 2018

Na sexta-feira, 12 de outubro, foi celebrada pela Igreja em todo o Brasil a Solenidade de Nossa Senhora da Conceição Aparecida. Na Arquidiocese de São Paulo, as celebrações aconteceram em diferentes regiões episcopais e reuniram fiéis que rezaram a Deus pela intercessão da Virgem Mãe Aparecida. 

Às 9h, houve missa na Catedral da Sé e, às 17h, procissão seguida de missa no Santuário Arquidiocesano Nossa Senhora Aparecida, na rua Labatut, no bairro do Ipiranga. No dia 27 de outubro, o Santuário Arquidiocesano promoverá uma romaria ao Santuário Nacional, em Aparecida (SP), com saída às 6h e retorno às 16h.

 

FIÉIS LOTAM SANTUÁRIO

Desde as primeiras horas da manhã da sexta-feira, devotos de Nossa Senhora chegavam ao Santuário Arquidiocesano, para a primeira das dez celebrações do dia, em honra a Rainha e Padroeira do Brasil. 

Este ano, os devotos dirigiram-se ao templo, para, além de render graças a Mãe Santíssima, celebrar o primeiro aniversário de elevação da igreja à categoria de santuário. Durante todo o dia, foi intensa a movimentação de fiéis para participar das celebrações, confessar-se, visitar o velário do Santuário e aproveitar a quermesse com o tradicional bolo de Nossa Senhora. 

Às 17h, teve início a procissão com a imagem de Nossa Senhora Aparecida pelas ruas no entorno do Santuário (Rua Labatut, Rua 1822, Rua 2 de Julho, Rua Cipriano Barata, retornando pela Labatut). A procissão durou cerca de 45 minutos, num bonito momento com cantos marianos e orações. 

Após a procissão, teve início a missa solene, presidida por Dom Carlos Lema Garcia, Bispo Auxiliar da Arquidiocese de São Paulo e Vigário Episcopal para a Educação e a Universidade, e concelebrada por Dom Eduardo Vieira dos Santos, Bispo Auxiliar da Arquidiocese na Região Sé. Na saudação inicial, o presidente da celebração resgatou fatos importantes da fundação do Santuário, vinculados à história da Arquidiocese de São Paulo, e recomendou o Brasil à proteção de Maria, de maneira especial neste momento de eleições em que será definido o futuro do País. Na homilia, Dom Carlos ainda refletiu sobre a beleza do gesto de gratidão ao longo da história da salvação. “Queremos levar Nossa Senhora em nossos corações para nossas casas”, afirmou Dom Carlos. 

Dezoito crianças homenagearam a Mãe Aparecida com cantos e danças, enquanto a imagem de Nossa Senhora Aparecida foi coroada. Mais de 20 mil de fiéis participaram das dez missas. Dez padres atenderam confissões durante todo o dia, e seis diáconos foram destacados para as bênçãos.
 

AÇÃO DE GRAÇAS

Benedita Ribeiro Marques, 64, mora perto do Santuário e participa com frequência das missas. “Fiquei feliz com a inauguração do velário, pois para nós que temos fé, acender uma vela para Nossa Senhora é render ação de graças por tudo o que ela representa. Eu mesma recebi uma grande graça há oito dias. Fiz um tratamento psíquico durante vários anos e recebi alta em novembro, mas tive uma recaída há pouco mais de uma semana e rezei para Nossa Senhora, ajoelhada diante de um altarzinho que fiz na minha casa. E percebi, no mesmo dia, que eu recebi a graça de me reestabelecer”, contou Benedita, emocionada. 

Egle Mariana dos Santos, 34, estava com a família no Santuário Arquidiocesano Nossa Senhora Aparecida. Sua filha, vestida de anjinho, vai com os pais todos os anos na procissão de Nossa Senhora Aparecida para agradecer a Deus pela saúde.

Para Rodrigo Vidal, 29, foi a primeira visita ao Santuário no Ipiranga. “Achei a igreja muito linda, a torre, as imagens, uma festa muito bonita. Para mim, a presença de Maria é um conforto espiritual. Ela me ajuda a viver e praticar minha fé”, disse Rodrigo à reportagem do O SÃO PAULO.

 

LEIA TAMBÉM: Projeto Tietê esperança Aparecida
 

 

Comente

Para pesquisar, digite abaixo e tecle enter.