SÃO PAULO

JOSEMARIA ESCRIVÀ

São Josemaría Escrivá é mestre de santidade para os dias atuais

Por Fernando Geronazzo
05 de julho de 2019

Afirmou o Cardeal Odilo Scherer, em missa pela memória do fundador do Opus Dei, na Catedral da Sé
 

Os fiéis da Prelazia da Santa Cruz e Opus Dei presentes em São Paulo participaram de uma missa na Catedral da Sé, no sábado, 29 de junho, em honra a seu fundador, São Josemaría Escrivá, cuja memória litúrgica é celebrada no dia 26 de junho. 

A missa foi presidida pelo Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo. Entre os concelebrantes estavam o Vigário-Geral do Opus Dei, Monsenhor Antoni Pujals, e o Vigário Regional da Prelazia no Brasil, Monsenhor Vicente Ancona. 

BIOGRAFIA
Josemaría Escrivá de Balanger nasceu em Barbastro, Espanha, em 9 de janeiro de 1902. Ingressou no seminário de Zaragoza em 1920, sendo ordenado sacerdote em 1925. Em 1927, recebeu a autorização para ir a Madri formar-se em Direito. 

No dia 2 de outubro de 1928, durante um retiro espiritual, o Padre Josemaría viu com clareza a missão que o Senhor lhe confiava: pessoas de todas as nações e raças, culturas e mentalidades que procuram e encontram Deus no meio da vida corrente, na família, no trabalho, no círculo de amigos e conhecidos. Assim, nasceu o Opus Dei (Obra de Deus). 

Quando São Josemaría morreu, vítima de uma parada cardíaca, em Roma, em 26 de junho de 1975, o Opus Dei já estava nos cinco continentes, contando com mais de 60 mil membros de 80 nacionalidades.

PRELAZIA 
Em 28 de novembro de 1982, São João Paulo II tornou o Opus Dei uma prelazia pessoal, uma instituição da Igreja cuja jurisdição não está ligada a um território geográfico, mas aos fiéis leigos e clérigos a ela ligados.

Atualmente, a Obra possui 95 mil fiéis em todo o mundo, dos quais 4 mil são sacerdotes. No Brasil, são aproximadamente 2,5 mil fiéis que pertencem à Prelazia, além de dezenas de milhares de pessoas que recebem formação ou orientação espiritual nos centros da Obra espalhados pelo País. 

AMAR O MUNDO 
Na homilia, Dom Odilo definiu São Josemaría como “mestre de santidade para os dias atuais, pois ele ensina a buscar a santidade na vida ordinária, no cultivo da espiritualidade e no exercício das reponsabilidades públicas e privadas”. 

“São Josemaría foi um homem que nos ensinou a amar o mundo apaixonadamente. Foi um precursor da ideia de que mesmo uma pessoa frágil e com misérias, como nós, é chamada a ser santa e pode se santificar vivendo a sua vida ordinária. Uma dona de casa, um vendedor de sorvete, um guarda civil, um comerciante, pode ser um santo, realizando o melhor possível o seu trabalho, atendendo seus familiares e procurando  se apoiar na força dos sacramentos”, completou Monsenhor Vicente.  

VIDA COTIDIANA
O professor universitário aposentado José Maria Bechara, 73, é membro do Opus Dei desde 1975. Casado e pai de quatro filhos, ele revelou ao O SÃO PAULO que a formação recebida na Obra o ajudou a dar um direcionamento diferente para sua vida, tanto no exercício do trabalho profissional quanto na dimensão familiar, na relação com as pessoas, e, sobretudo, no cultivo das virtudes. “A santificação se dá na vida comum do dia a dia. A mudança acontece aos poucos, a cada dia, com o auxílio dos sacramentos e da vida espiritual”, afirmou. 

O líder de projetos na área de TI Felipe Oliveira Gimenes, 28, e sua esposa, a bancária Ana Priscila Bastos Gimenes, 27, também são membros da Obra. “Eu comecei a frequentar a Obra quando ainda estava na faculdade. Nessa ocasião, aprendi a valorizar mais o estudo e, posteriormente, o trabalho como caminho de realização da vontade de Deus”. 

Ana conhece a Obra desde quando nasceu, pois seus avós já frequentavam as atividades da Prelazia. Para ela, o Opus Dei a ajuda a viver melhor em todas as dimensões. “Eu aprendi na Obra que qualquer coisa que eu realizar bem e com amor durante o dia é uma oportunidade de santificação e de me tornar uma mãe, uma profissional e uma esposa melhor.”

Para pesquisar, digite abaixo e tecle enter.