SÃO PAULO

Exposição

‘São Francisco na arte de mestres italianos’

Por Nayá Fernandes
25 de fevereiro de 2019

Mostra, aberta ao público, permanece até o dia 12 de abril no Museu de Arte Brasileira, na FAAP

Obras de Tiziano Vecellio, Orazio Gentileschi, Guido Reni e até mesmo de Pietro Perugino estão à mostra no Museu de Arte Brasileira da Fundação Armando Alvares Penteado (FAAP) até o dia 12 de abril. A exposição é aberta ao público e reúne obras de mestres italianos que homenagearam, em suas trajetórias, São Francisco de Assis, o Santo italiano que viveu entre os séculos XII e XIII, na Itália.

Artistas consagrados que viveram nos séculos XV, XVI e XVIII retrataram, de diferentes maneiras, o pobrezinho de Assis em suas obras. São Francisco é protagonista numa mostra que reúne 18 obras trazidas de diferentes lugares da Itália e que já aconteceu no Rio de Janeiro (RJ) e em Belo Horizonte (MG).

Entre os organizadores e apoiadores da mostra estão a Embaixada da Itália no Brasil, o Consulado Geral da Itália em São Paulo, a Casa Fiat, o Grupo Comolatti, o Museu Nacional de Belas Artes e a Fundação Armando Alvares Penteado.

A abertura oficial da mostra aconteceu no dia 14, e contou com a presença de autoridades e convidados, entre eles o Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo Metropolitano de São Paulo; Guglielmo Picchi, subsecretário do Ministério do Exterior da Itália; Celita Procopio de Carvalho, presidente do Conselho de Curadores da FAAP; Antonio Bernardini, embaixador da Itália no Brasil; e Sergio Comolatti, presidente do Grupo Comolatti.

 

A MOSTRA

A exposição já passou pela Casa Fiat de Cultura, em Belo Horizonte, e pelo Museu Nacional de Belas Artes, no Rio de Janeiro, e conta com a curadoria de Giovanni Morello, especialista em História da Arte, e de Stefano Papetti, diretor da Pinacoteca Civica Di Ascoli. A maior parte das obras é oriunda de coleções públicas de regiões diversas da Itália. O conjunto apresenta as fases mais relevantes da representação de São Francisco por meio de trabalhos que se integraram à cultura local e que ainda encontram espaço na cultura ocidental por seus valores artístico, histórico e simbólico.

“Desde sempre, a imagem de Francisco de Assis, o Pobrezinho, tocou a sensibilidade dos artistas. Comovidos pelo carisma emanado por Francisco, muitos pintores da época eram entusiastas em contar sua história”, afirmou Morello.

 

 

IMAGENS, ESTIGMAS E CONVERSAS SAGRADAS

A mostra divide-se em três núcleos: Imagens, Os Estigmas e Conversas Sagradas. No primeiro deles, telas que trazem as primeiras representações de São Francisco de Assis – uma figura franzina, por conta das privações que sofria, mas imbuído de uma grande força espiritual. Deste período, San “Francesco d’Assisi e quattro disciplinati” (1499), de Perugino, e São Francisco contemplando um crânio (c.1604-07), de Ludovico Cardi, conhecido como Cigoli.

O segundo núcleo volta-se ao tema dos estigmas, cicatrizes recebidas por Francisco, em 1224, quando então meditava no monte Alverne. Apesar de sua manifestação física, os estigmas são tradicionalmente considerados de origem espiritual, reproduzindo as cinco chagas de Jesus Cristo.

Dessa seção, um dos grandes destaques da exposição, “San Francesco riceve le stimmate” (c. século XVI, anos 60), um óleo sobre tela de Tiziano com quase três metros de altura, que traz a aparição do Cristo Ressuscitado ao Santo, vendo-se às suas costas uma cruz em fogo; e “San Francesco consolato da un angelo musicante” (1607-1608), óleo sobre cobre de Guido Reni, que retrata o momento seguinte ao dos estigmas, quando Francisco recebe em sonhos a aparição de um anjo tocando uma melodia, em uma clara referência à mesma experiência vivida por Jesus no Jardim das Oliveiras.

A mostra encerra-se com o núcleo Conversas Sagradas, em que São Francisco aparece associado à Virgem Maria em glória e a outros santos de devoção dos fiéis e dos comitentes, como atesta a esplêndida “Virgem com o Menino entre os santos Sebastião, Antônio, Francisco e Roque” (c. 1530), obra de Nicola Filotesio.

 

 

 

 

VISITA À BASÍLICA

 

 Para quem já conhece ou para aqueles que não tiveram a oportunidade de visitar a cidade de São Francisco, Assis, a mostra oferece uma experiência imperdível: uma sala de realidade virtual que possibilitará ao visitante caminhar pela Basílica Superior de Assis (1228), uma das mais importantes e belas basílicas da Itália, que guarda obras- -primas do pintor italiano Giotto (1266-1337), artista símbolo dos períodos medieval e pré-renascentista.

 

SOBRE A BASÍLICA

Situada na cidade de Assis, na Itália central, a Basílica Superior faz parte do complexo da Basílica de São Francisco. A construção foi iniciada em 1228, dois anos após a morte de Francisco, a pedido do Papa Gregório IX, e os principais arquitetos e artistas daquele período e região estiveram envolvidos na construção do edifício, que muito contribuiu para a difusão do estilo artístico gótico na Itália. Em 1253, a obra foi concluída e inaugurada pelo Papa Inocêncio IV.

Na sala de Realidade Virtual da exposição “São Francisco na Arte de Mestres Italianos”, por meio do uso de óculos de tecnologia 3D, o público poderá visitar a nave da Basílica e apreciar obras-primas do pintor Giotto: o ciclo de afrescos “Le storie di San Francesco”, que mostra 28 episódios da vida de São Francisco, pintados entre 1292 e 1296. Ligada à sala de Realidade Virtual, encontra-se uma sala de vídeo que também mostra o ciclo de afrescos para aqueles que preferirem não utilizar os óculos.

 

COM ÓCULOS ESPECIAIS

Os óculos possuem um sistema de audioguia, que vai conduzir o visitante desde a fachada da Basílica, explicando seus aspectos arquitetônicos e a escolha da colina para a construção, conhecida como “Monte do Inferno”, no período medieval, onde eram enterrados os condenados e executados. A viagem segue para a nave da Basílica, na qual ganham destaque descritivo nove afrescos de Giotto: “Francisco homenageado por um homem simples”; “A renúncia aos bens paternos”; “A visão dos tronos celestiais”; “A prova do fogo de frente ao sultão”; “Oração aos passarinhos”; “Francisco recebe os estigmas no Monte Alverne”; “A morte de Francisco”; “O pranto de Clara e de suas companheiras sobre o corpo do santo” e “A liberação do herege arrependido”.

 

SERVIÇO
Exposição “São Francisco na Arte de Mestres Italianos na Casa Fiat de Cultura”
Curadoria: Giovanni Morello e Stefano Papetti
Data: até 12 de abril de 2019
Horário de funcionamento: Segundas, quartas, quintas e sextas-feiras, das 10h às 19h (última entrada às 18h);
Aos sábados, domingos e feriados, das 10h às 18h (última entrada às 17h).
(Fechado às terças-feiras, inclusive quando feriado)
Local: Museu de Arte Brasileira, da FAAP
Endereço: Rua Alagoas, 903, Higienópolis
Telefone: (11) 3662-7198
Entrada gratuita
Agendamento de visitas educativas:
(11) 3662-7200 / museu.educativo@faap.br

 

 

LEIA TAMBÉM: 

Exposição no RJ trata de ‘São Francisco na Arte de Mestres Italianos’

 

 

Exposição São Francisco

Luciney Martins/O São Paulo
Luciney Martins/O São Paulo

Exposição São Francisco

Para pesquisar, digite abaixo e tecle enter.