SÃO PAULO

Nossa Senhora Aparecida

Santuário Nossa Senhora Aparecida no Ipiranga terá programação especial em 12 de outubro

Por Nayá Fernandes e Jenniffer Silva
05 de outubro de 2018

Elevado à categoria de santuário em 2017, templo tornou-se referência de devoção mariana e peregrinação na capital

Luciney Martins/O SÃO PAULO

“A história dos pescadores que encontraram no Rio Paraíba do Sul o corpo e depois a cabeça da imagem de Nossa Senhora, e que foram em seguida unidos, nos lembra que neste momento difícil do Brasil, a Virgem Maria é um sinal que impulsiona para a unidade construída na solidariedade e na justiça.” 

O trecho acima é do Papa Francisco e foi pronunciado em outubro de 2017, ao saudar os fiéis brasileiros na Praça de São Pedro, em Roma. A devoção a Nossa Senhora Aparecida, lembrada a cada 12 de outubro, une os fiéis de todo o País, e sua imagem pode ser encontrada tanto nas grandes igrejas e santuários quanto nas casas mais humildes, bares, hospitais e associações.

Em São Paulo, na rua Labatut, 781, no bairro do Ipiranga, o Santuário Nossa Senhora Aparecida, único dedicado à Virgem Aparecida na Capital Paulista, tem expansão de suas atividades e projetos pastorais desde que foi elevado à condição de santuário arquidiocesano no dia 12 de outubro de 2017. 

Em entrevista ao O SÃO PAULO, Padre Anísio Hilário, Reitor, comentou que, neste primeiro ano, a comunidade está concentrando os esforços para adequar-se à condição de santuário. “Mantemos as atividades que existiam e acrescentamos outras, como, por exemplo, uma missa diária às 12h e a ampliação dos horários para atender confissões”, explicou o Padre, que salientou também que o trabalho tem sido feito continuamente com o objetivo de tornar o Santuário conhecido e que ele seja, cada dia mais, um lugar de peregrinação para os fiéis de São Paulo.

 

HISTÓRIA

A construção da Igreja Nossa Senhora Aparecida, no bairro do Ipiranga, está intimamente ligada ao Santuário Nacional de Aparecida. Por ocasião do IV Congresso Eucarístico Nacional, realizado em 1942, a Arquidiocese de São Paulo acolheu a réplica da imagem da Padroeira do Brasil. 

O Arcebispo Metropolitano à época, Dom José Gaspar d’Afonseca e Silva, a escolheu como primeira peregrina do Congresso. A imagem foi trazida do próprio Santuário Nacional, e, após ser recebida na Praça da Sé, esteve em todas as celebrações ocorridas entre os dias 4 e 7 de setembro do mesmo ano.

Após o encerramento do Congresso, Dom José decidiu erguer uma igreja para abrigar a imagem de Nossa Senhora Aparecida e, em 13 de setembro, ela foi conduzida em procissão até a Várzea do Ipiranga, local onde o Arcebispo abençoou a pedra fundamental da futura construção, obra que duraria 30 anos.

A nova paróquia foi oficialmente criada em 19 de setembro de 1942, e seu primeiro Pároco foi o Padre Mário Marques e Serra. Para que as obras não ficassem paradas, membros da comunidade e moradores do bairro estiveram empenhados em campanhas como a do tijolo, do livro, além de rifas e festas para angariar recursos financeiros.

A primeira missa, quando o prédio ainda estava sendo construído, aconteceu em outubro de 1949. A inauguração da nave central do templo se deu em 1955, e cinco anos depois a imagem da Padroeira chegou à matriz-paroquial, e até hoje pode ser vista no altar do Santuário. Os sinos da torre começaram a ser içados em 1970, mas a obra só se concluiu em 1991, quando o Cônego Cosmo Maestri já exercia a função de Pároco, o segundo da história da Paróquia.

 

O CONGRESSO QUE MUDOU UMA HISTÓRIA

Em 2011, Reny Avancini Peixoto, que durante o Congresso Eucarístico Nacional de 1942 tinha apenas 15 anos, falou ao O SÃO PAULO para a série de reportagens sobre as paróquias da Arquidiocese. À época, ela estava com 84 anos, quando contou à reportagem suas lembranças: “As procissões eram realizadas ali no centro, as adorações ao Santíssimo Sacramento, as confissões ao ar livre, missas e, sobretudo, o grande espetáculo que formava aquela multidão vista do alto. O fato tornava-se ainda mais impressionante, tendo em vista que a cena narrada apontava a participação de estimadas 500 mil pessoas, levando em consideração que São Paulo, no início da década de 40, tinha população que não passava de 1,5 milhão de pessoas”.

Ainda é Dona Reny quem conta como foi a chegada da imagem à região. “Após o término do Congresso, ela seguiu em procissão até a Várzea do Ipiranga, em 13 de setembro.” 

Nas paredes laterais do templo, está registrada toda a rica história, em pinturas em azulejo. De um lado, o aparecimento da imagem de Nossa Senhora, em Aparecida. Do outro, a construção da igreja, com a bênção da pedra fundamental, além de uma homenagem aos muitos leigos que ajudaram a construir a história, com seus nomes gravados para sempre. 

De concreto revestido de cobre, o altar da igreja tem a forma do globo terrestre, com a abertura no centro, onde está entronizada a imagem de Nossa Senhora Aparecida. Nas laterais, foram esculpidas, no próprio cobre, as bandeiras do Brasil e do Vaticano.  De acordo com Dona Reny, olhando para ele, ainda é possível ouvir o refrão do hino do Congresso, que teve a autoria de Furio Franceschini: “Brasileiros! Levantemos/ Nosso Cântico jucundo/Cristo vive, Cristo Reina/ Cristo impera em todo mundo./Cristo impera em todo mundo”.

 

ELEVAÇÃO À CATEGORIA DE SANTUÁRIO

Em decorrência das celebrações dos 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida, Padroeira do Brasil, e dos 75 anos de fundação da Paróquia, o Arcebispo Metropolitano de São Paulo, Cardeal Odilo Pedro Scherer, elevou, no dia 12 de outubro de 2017, a igreja à categoria de santuário.

No decreto, o Arcebispo Metropolitano reiterou a relevância histórica dessa igreja e da persistência dos fiéis para a construção do templo. Dom Odilo salientou, também, no mesmo documento, que a fé, a piedade, a Palavra de Deus e presença da Igreja Católica necessitariam ser intensificadas em toda a Arquidiocese com o Santuário. 

A igreja, que ainda passa por reformas, como a que está sendo feita na Gruta de Nossa Senhora de Lourdes, foi, em 19 dezembro de 1958, pelo decreto municipal número 4.104, classificada como patrimônio artístico e cultural da cidade. 

Na celebração do dia 12 de outubro de 2017, em entrevista ao O SÃO PAULO publicada à época, Maria da Conceição, 60, que integra a Pastoral da Caridade e é devota de Nossa Senhora Aparecida, disse que na Paróquia encontrou um espaço de acolhida para vivenciar a herança de fé transmitida pelo pai, desde que ele chegou à cidade de São Paulo, vindo de Lins, no interior do Estado de São Paulo. 

Emocionada, a paroquiana lembrou as idas ao Santuário Nacional, no Vale do Paraíba, e com alegria enalteceu sua felicidade em pertencer a uma comunidade fraterna que todos os meses assiste 120 famílias carentes com cestas básicas, fruto de doações. 

 

PASTORAIS, GRUPOS E MOVIMENTOS

Em agosto deste ano, membros do Santuário Nossa Senhora Aparecida reuniram-se para a implantação da Pastoral do Menor. Em entrevista ao O SÃO PAULO , Sueli Camargo, coordenadora arquidiocesana da Pastoral, comentou que o objetivo da Pastoral na Região Ipiranga foi estruturar os trabalhos para atender, sobretudo, a população de rua, formada por famílias em sua maioria. Padre Rodrigo Felipe da Silva, Vigário Paroquial, explicou que pretende, com a implementação da Pastoral, fazer exercitar a caridade e aplicar isso no Santuário com o envolvimento de paroquianos nas ações pastorais. “Estamos pensando na participação no Natal dos Sonhos, numa missão a ser realizada junto com a Comunidade Missão Belém e em outras atividades para que os agentes de pastoral do Santuário envolvam-se nas ações caritativas que já estão sendo realizadas na Arquidiocese e desenvolvam esse trabalho pastoral sempre mais intensamente na região em que está localizado o Santuário”, disse o Padre.

 

HORÁRIOS DO SANTUÁRIO

Missas: Segunda a sexta-feira, às 12h e às 19h30; Terça a sexta-feira, às 7h30; Sábado, às 7h30 e 16h; Domingo, às 7h, 8h30, 10h e 18h.

Dia 12 de cada mês:

Missas às 9h e às 15h em louvor a Nossa Senhora Aparecida na intenção dos enfermos, desempregados e pessoas idosas.

Novena Perpétua de Nossa Senhora Aparecida:

Quarta-feira, às 15h.

Horário de funcionamento da Secretaria:

Segunda a sexta-feira, das 8h às 19h.

Mais informações no site do Santuário ou pelo telefone: (11) 2063 4654.

 

LEIA TAMBÉM: Nossa Senhora Aparecida do Ipiranga

 

Para pesquisar, digite abaixo e tecle enter.