SÃO PAULO

Gerhard Ludwig Müller

Publicado em português o primeiro volume das ‘Obras Completas’ de Ratzinger

Por Fernando Geronazzo
24 de abril de 2019

Parte da coletânea da produção teológica do Papa Emérito Bento XVI será apresentada em São Paulo pelo Cardeal Gerhard Müller

Na sexta-feira, 26, e no sábado, 27, o Cardeal Gerhard Ludwig Müller, Prefeito Emérito da Congregação para a Doutrina da Fé, estará em São Paulo para participar de dois eventos de lançamento do 11º volume da “Teologia da Liturgia – O Fundamento Sacramental da Existência Cristã”, das “Opera Omnia” (Obras Completas), o primeiro em Língua Portuguesa, do teólogo alemão Joseph Ratzinger, hoje Papa Emérito Bento XVI.

O Cardeal Müller é o editor responsável pela tradução e organização da coleção dos escritos teológicos de Ratzinger. Ao todo, serão 16 volumes que reúnem escritos, artigos, conferências, prefácios, resenhas e livros de Ratzinger.

 

O VOLUME

Com 705 páginas, o 11º volume reúne artigos, conferências, homilias e obras sobre o tema que já foram publicados separadamente, como a obra “Introdução ao Espírito da Liturgia”, ou outras que nunca foram traduzidas para o Português, como um “Um Canto Novo para o Senhor”.

O Monsenhor Antonio Luiz Catelan Ferreira, Assessor da Comissão Episcopal Pastoral para a Doutrina da Fé da CNBB, e Coordenador da edição brasileira das “Obras Completas”, explicou ao O SÃO PAULO que foi o próprio Bento XVI que manifestou ao Cardeal Müller o desejo de que o trabalho editorial de suas obras completas começasse pelo 11º volume, pois a Liturgia e os sacramentos têm prioridade no seu pensamento teológico.

“Ratzinger entende que a Teologia nasce da Liturgia em seu conjunto, pois é na Liturgia que a Escritura, a Tradição e a vida da Igreja estão em ato. É ali que a Teologia encontra seu ponto de partida e seu fundamento permanente”, explicou o Monsenhor, recordando que, assim como o Concílio Vaticano II começou pelo documento sobre a Liturgia, simbolicamente, as “Obras Completas” do teólogo alemão começam por essa temática.

 

CARREIRA ACADÊMICA

Joseph Ratzinger iniciou sua carreira acadêmica em 1952, um ano após a ordenação sacerdotal, como professor na Escola Superior de Filosofia e Teologia de Frisinga, na Alemanha, lecionando Teologia Dogmática e Fundamental.

Em 1953, obteve o doutorado em Teologia com a tese “Povo e Casa de Deus na Doutrina da Igreja de Santo Agostinho”. Sob a orientação do professor de Teologia Fundamental Gottlieb Söhngen, obteve a habilitação para a docência com dissertação sobre “A Teologia da História em São Boaventura”.

Em 1969, tornou-se catedrático de Dogmática e História do Dogma na Universidade de Ratisbona, onde chegou a ser Vice-Reitor. Obteve, ainda, dez títulos de Doutor Honoris Causa em diversas universidades pelo mundo.

Arcebispo de Munique e Cardeal da Igreja desde 1977, Ratzinger foi nomeado Prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé em 1981 por São João Paulo II, cargo que exerceu até a morte deste Pontífice, a quem sucedeu em 2005.

 

NO VATICANO II

Monsenhor Catelan ressaltou que Ratzinger sempre foi considerado um teólogo à frente de seu tempo, que deu uma considerável contribuição para o Concílio Vaticano II em todas as suas fases. Inicialmente, o então padre participou como Perito Pessoal do Cardeal Joseph Frings, e, mais tarde, como membro de diversas comissões.

Ratzinger contribuiu, por exemplo, com as propostas de melhoramento da Constituição, sobre a Revelação Divina, Dei Verbum. Também trabalhou na redação do decreto Ad Gentes, que relaciona a atividade missionária da Igreja com a missão do Filho no mundo, que tem na Igreja a sua continuação, tornando evidente que a missão pertence à própria natureza da Igreja.

“Hoje há o conhecimento de textos que ele preparou para discursos que o Cardeal Frings fez durante o Concílio e em congressos que foram significativos para as mudanças de rumos de alguns documentos conciliares”, acrescentou.

 

MENTE BRILHANTE

Para o Monsenhor Catelan, Ratzinger, hoje com 92 anos, é considerado uma das inteligências mais brilhantes vivas atualmente e um dos intelectuais mais notáveis da atualidade. “Como teólogo, está entre os maiores da segunda metade do século XX e início do século XXI”, assegurou o Monsenhor ao O SÃO PAULO.

O Coordenador acredita que a publicação das obras completas de Ratzinger ajudará a enriquecer o estudo da Teologia no Brasil, uma vez que os textos na sua maioria não eram acessíveis em Língua Portuguesa. “É a primeira vez no Brasil que será traduzida a obra completa de um teólogo. Essa é uma prática comum na Europa. Em Português, só existem algumas obras dos grandes nomes da Teologia”.
 

Tema: “Teologia da Liturgia – O Fundamento Sacramental da Existência Cristã”

26/04, às 9h – PUC-SP, campus Ipiranga (Avenida Nazaré, 993, Ipiranga)

27/04, às 15h – Faculdade São Bento (Largo São Bento, Centro)

28/04, às 11h – Concelebração eucarística na Catedral da Sé


 

OBRAS COMPLETAS DE JOSEPH RATZINGER

Volumes I e II – Estudos científicos relacionados à qualificação acadêmica de Ratzinger: a tese de doutorado sobre a Eclesiologia de Agostinho, e Habilitação sobre a Teologia da História e sobre a Compreensão da Revelação de Boaventura. Além de estudos e textos relativos a Agostinho e Boaventura;

Volume III – Parte do discurso “O Deus da fé e o Deus dos filósofos” (1959), e atribui-se a ele todos os outros textos sobre o mesmo âmbito temático da encíclica Fides et Ratio (1998), de São João Paulo II.

Volume IV – “Introdução ao Cristianismo” (1968) e textos adicionais sobre a confissão de fé, Batismo, conversão, seguimento de Cristo e a realização da existência cristã.

Volume V – Tratados sobre a Doutrina da Criação, Antropologia, Doutrina da Graça e Mariologia, apresentada neste contexto como uma doutrina da graça incorporada à história da salvação.

Volume VI – “Jesus de Nazaré” (2007) e estudos da Cristologia.

Volume VII – Textos sobre a Teologia do Concílio: aqueles nascidos no contexto da preparação do Vaticano II, relatos escritos sobre o que viveu diretamente, comentários formulados como conclusões, e intervenções sobre a recepção dos textos conciliares.

Volume VIII – Obras eclesiológicas, especialmente, os escritos sobre o ecumenismo.

Volume IX – Trabalhos no campo da Epistemologia e Hermenêutica teológicas, estudos em interpretação da Sagrada Escritura e a correlação entre Revelação, Tradição, Escritura e Magistério.

Volume X – “Escatologia”(1977) e outros estudos e textos sobre a esperança, morte, ressurreição e vida eterna.

Volume XI – Textos sobre a Teologia da Liturgia e o fundamento sacramental da Existência Cristã.

Volume XII – Textos sobre o ministério eclesiástico, apresentados sob o título de “Proclamador da Palavra e Servo da vossa alegria”.

Volume XIII – Entrevistas dos primeiros tempos e as três publicadas em forma de livro: com Vittorio Messori (1984/85) e com Peter Seewald (1996 e 2000).

Volume XIV – Seu vasto trabalho homilético, com meditações e discursos menos conhecidos e até agora inéditos.

Volume XV – Sua autobiografia, “Aus Meinem Leben” (1997/98), e outros textos biográficos, contribuições pessoais, discursos para jubileus, homenagens etc.

Volume XVI – Bibliografia completa das obras de Ratzinger em Alemão e amplo índice sistemático para todos os volumes.

(Fonte: Sociedade Ratzinger do Brasil)

 

LEIA TAMBÉM: ‘A Páscoa é o início de um mundo novo’, afirma Francisco

 

Para pesquisar, digite abaixo e tecle enter.