INTERNACIONAL

Estados Unidos

Pornografia, uma crise de saúde pública

Por Filipe David
30 de novembro de 2017

“A pornografia tem efeitos potencialmente destrutivos nos seus usuários, incluindo doenças mentais e físicas", diz texto de projeto de lei que pretente proibir pornografia

Um projeto de lei na Flórida pretende declarar oficialmente que a pornografia representa uma verdadeira crise de saúde pública. De acordo com as estatísticas utilizadas na elaboração do projeto, hoje em dia, 27% dos homens entre 25 e 30 anos viram pornografia no início da puberdade. O texto explica que “a pornografia tem efeitos potencialmente destrutivos nos seus usuários, incluindo doenças mentais e físicas, dificuldades em criar e manter vínculos íntimos, desenvolvimento doentio do cérebro e das funções cognitivas, comportamentos sexuais problemáticos ou perigosos, e adicções”.

As maiores vítimas da pornografia são as crianças, cujos cérebros em desenvolvimento são mais sensíveis: “Uma criança que vê pornografia tem maior risco de desenvolver baixa autoestima, desordens alimentares e um desejo de iniciar um comportamento sexual perigoso”, diz o texto. O projeto também ressalta que a pornografia objetifica a mulher e aumenta a demanda pelo tráfico sexual, pela prostituição e pela pornografia infantil.

Se o projeto for aprovado, isso significará que o Estado deverá reconhecer a existência de um problema e investir em educação, prevenção, pesquisa e outras políticas públicas para proteger seus cidadãos.

Fonte: Life Site News
 

Para pesquisar, digite abaixo e tecle enter.