NACIONAL

NOTA

Pastoral do Menor e Pastorais Sociais divulgam nota de repúdio sobre o caso de tortura com adolescente em SP

Por Regional Sul 1 CNBB
12 de setembro de 2019

Leia a nota na íntegra abaixo

Regional Sul 1 da CNBB

A Pastoral do Menor, bem como as Pastorais Sociais do Regional Sul 1 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) , divulgaram na segunda-feira (09) nota de repúdio diante do caso ocorrido com adolescente de 17 anos que foi torturado na cidade de São Paulo.

REPÚDIO À TORTURA DE ADOLESCENTE EM SÃO PAULO

Leia a nota na íntegra abaixo:

A Pastoral do Menor, em sintonia com as pastorais sociais da Igreja Católica, apresenta veemente repúdio e indignação diante do fato ocorrido com o adolescente de 17 anos, torturado no Supermercado Ricoy, na Vila Joaniza, Zona Sul da Cidade de São Paulo.

Cenas como estas, de extrema crueldade, em pleno século XXI, são reflexo de como a prática de tortura está enraizada e difundida na sociedade brasileira. Resquício de uma herança que remonta ao tempo da escravidão, tal brutalidade lamentavelmente está vigente nos dias atuais, apesar da lei que determinou a abolição da tortura.

Tais atitudes ferem os princípios do Evangelho, violam os preceitos da Lei de Deus e transgridem as leis brasileiras expressas na Constituição Federal de 1988. O Estatuto da Criança e do Adolescente prevê no seu art. 5º que “nenhuma criança ou adolescente será objeto de qualquer forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão, punido na forma da lei qualquer atentado, por ação ou omissão, aos seus direitos fundamentais”.

As pastorais da Igreja Católica expressam solidariedade e apoio ao jovem e a seus familiares, esperando das autoridades competentes rigorosa apuração. Ao mesmo tempo, as pastorais lamentam que crianças e adolescentes em situação de rua estejam em constante perigo e expostos a toda forma de maus-tratos e abandono, devido à ausência de políticas públicas, especialmente do direito elementar que é a educação básica.

A Igreja Católica no Brasil, em 2018, promoveu sua Campanha da Fraternidade conclamando os cristãos e toda a sociedade brasileira a envidar contínuos e eficazes esforços com vistas à superação da violência. O tema: Fraternidade e Superação da Violência foi acompanhado do lema: “Vós sois todos irmãos” (Mt 23,8).

É inconcebível que o Brasil, um País predominantemente cristão, apresente a contradição de se colocar, segundo dados estatísticos, entre os mais violentos. A mensagem de Jesus Cristo indica caminhos de conversão individual e social, isto é, um modo de pensar e agir segundo o mandamento do amor ao próximo e o princípio da fraternidade universal, em vista da edificação de uma sociedade alicerçada na justiça e no respeito aos direitos de todos os cidadãos, especialmente os mais pobres e excluídos.

O momento atual exige um persistente esforço de união, reconciliação e compromisso na edificação de uma sociedade justa, democrática e sustentável, nos parâmetros de uma ecologia integral, isto é, na defesa incondicional da vida humana e na preservação do meio ambiente.

Deus não deixará faltar “a esperança que não decepciona” (Rm 5,5), a coragem dos que perseveram até o fim, a firmeza dos profetas e a luz do Espírito Santo, apontando para novos e mais largos horizontes. “Felizes os que têm fome e sede de justiça porque serão saciados” (Mt 5,6).

São Paulo, 09 de setembro de 2019.

Marilda dos Santos Lima
Coordenadora da Pastoral do Menor Nacional

Sueli Maria de Lima Camargo
Executiva da Pastoral do Menor da Arquidiocese de São Paulo

Pe. Walter Merlugo
Assessor Estadual da Comissão Episcopal Pastoral para a Ação Social Transformadora
Em nome dos/as agentes das Pastorais Sociais do Regional Sul 1 da CNBB

Para pesquisar, digite abaixo e tecle enter.