SÃO PAULO

GERAL

Os desafios da pastoral urbana são tema de aprofundamento para o clero de São Paulo

Por
09 de agosto de 2019

220 presbíteros da Arquidiocese estudaram os conceitos de sinodalidade, missionariedade e urbanidade

Os desafios da evangelização em meio à liquidez de valores, à diversidade cultural, à quebra de paradigma e ao mal-estar da pastoral diante do descompasso entre mudanças de época foram alguns dos assuntos apresentados por Dom Joel Portella, Bispo Auxiliar da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro e Secretário-geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, na 17ª edição do Curso de Aprofundamento Teológico e Pastoral do Clero da Arquidiocese de São Paulo. 


Participaram do curso, entre os dias 5 e 8, no Mosteiro de Itaici, no município paulista de Indaiatuba, cerca de 220 presbíteros do clero da Arquidiocese de São Paulo, que estudam os conceitos de sinodalidade, missionariedade e urbanidade.


Dom Joel foi escolhido como assessor do curso pelo seu vasto currículo sobre o tema abordado. Cursou Teologia na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, onde também fez mestrado e doutorado em Teologia Pastoral, com ênfase em “Antropologia Teológica e Teologia Pastoral”, realizando seus estudos principalmente nos seguintes temas: evangelização, inculturação, pastoral urbana, teologia e urbanização. Em 2013, foi Secretário-executivo da Jornada Mundial da Juventude do Rio de Janeiro. Integrou a comissão de elaboração das Diretrizes da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil da CNBB. Ainda, Dom Joel foi nomeado, em 6 de outubro de 2018, como consultor para o Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida, do Vaticano.


A atividade teve início com uma palestra do Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo Metropolitano de São Paulo. Segundo Dom Odilo, “o curso tem não só um caráter teológico, de aprofundamento num tema, mas possui também um caráter pastoral, em sintonia com o nosso sínodo arquidiocesano e com as novas Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil, da CNBB, que têm como foco a ‘Igreja na cidade’”.

Sínodo arquidiocesano
Tema de profunda relevância no contexto atual de caminho sinodal na Arquidiocese, o conceito de “sinodalidade” é entendido como “a ‘comunhão e participação’ que o episcopado latino-americano vem pregando desde o Documento de Puebla”, destacou Dom Odilo. Mais ainda, afirmou que “a obra da evangelização não é missão de alguns poucos, mas algo que todo batizado deve realizar, pois recebeu o dom de Deus, justamente para transmiti-lo”.


Nesse sentido, animou os sacerdotes a aprofundar no acolhimento e na participação do sínodo arquidiocesano, não só em suas assembleias sinodais, mas, principalmente na interpretação do levantamento socioeconômico-religioso, realizado em meados de 2018, e que serve como principal instrumento de trabalho para analisar a realidade da presença da Igreja na cidade de São Paulo. Segundo Padre José Arnaldo Juliano, Teólogo-Perito do sínodo, “temos uma riqueza em mãos, fruto do primeiro ano do caminho sinodal da Arquidiocese, que nos proporcionará um ‘diagnóstico’ detalhado da vida religiosa em nossa metrópole”.


Para auxiliar a reflexão acerca dos resultados da pesquisa de campo, Padre José Arnaldo conduziu uma discussão de grupos sobre a relevância de cada bloco do questionário, a fim de que cada presbítero pudesse analisar, a partir de sua própria realidade, a relevância dos dados obtidos.

Mês Missionário Extraordinário
Comentando as dificuldades da pastoral urbana, Dom Joel Portella afirmou que a resposta da Igreja frente às mudanças de paradigmas encontradas na sociedade vai se dar a partir de uma nova contextualização da mensagem da Igreja, enfrentando tais mudanças com um espírito aberto, todavia fiel ao Magistério, de um modo diverso da forma como se vinha fazendo.


Chama a atenção, assim, a proposta do Papa Francisco em realizar, em outubro próximo, um Mês Missionário Extraordinário, que visa, de forma principal, fomentar uma cultura missionária permanente no seio da Igreja.


Durante o curso, em resposta ao pedido do Pontífice, foi apresentado o projeto missionário para a Arquidiocese de São Paulo, buscando mudar o modo de pensar e atuar da Igreja em São Paulo. “A Igreja é missionária de maneira permanente e em tudo o que ela faz; ela existe para a missão, e essa Igreja somos nós!”, pontuou o Cardeal.

Para pesquisar, digite abaixo e tecle enter.