NACIONAL

Obra Kolping do Brasil

Obra Kolping do Brasil une católicos para transformar realidades sociais

Por Fernando Geronazzo
30 de outubro de 2019

Fundada há 170 anos, essa associação católica de leigos tem como principal objetivo atuar na superação da pobreza por meio da formação e do trabalho. 
 

O Santuário Nacional de Aparecida (SP) acolheu a 28ª Romaria Nacional da Obra Kolping do Brasil, no domingo, 27. Fundada há 170 anos, essa associação católica de leigos tem como principal objetivo atuar na superação da pobreza por meio da formação e do trabalho. 
Cerca de 1,2 mil pessoas participaram da missa presidida por Dom Orlando Brandes, Arcebispo de Aparecida (SP). Entre os concelebrantes estavam o Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo e Protetor da entidade no País, e os bispos e padres participantes da 41ª Assembleia das Igrejas Particulares do Regional Sul 1 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), concluída na mesma data (leia mais na página 10).
A romaria aconteceu no dia da comemoração do 28º aniversário da beatificação do Padre Adolph Kolping, fundador da associação, ocorrida em 27 de outubro de 1991. 

HISTÓRIA 
A Obra Kolping nasceu em 6 de maio de 1849, em Colônia, Alemanha, fundada pelo Padre Adolph, com o auxílio de sete jovens, sendo inicialmente chamada Associação de Jovens Aprendizes.
A missão da entidade é “transformar as realidades sociais no exercício da cidadania por meio do desenvolvimento profissional, ambiental, cultural, religioso e comunitário”. Sua visão consiste em “constituir uma sociedade evangelizada e justa em que todos tenham oportunidades de autorrealização e uma vida digna”. Seus valores são: “Fé em Cristo, solidariedade, honestidade, responsabilidade e qualidade”. 

NO BRASIL
A primeira comunidade brasileira da entidade foi formada em 22 de junho de 1923, em São Paulo (SP). Nos anos seguintes, expandiu-se pelo País. Hoje, a associação está em 17 estados, com 180 comunidades, abrangendo 59 dioceses, com cerca de 5 mil associados e 873 voluntários. 
Sua sede está localizada na Lapa, zona Oeste de São Paulo, e há comunidades atuantes em Carapicuíba – Diocese de Osasco (SP), e no bairro do Brooklin, na zona Sul da capital – Diocese de Santo Amaro. 
As principais atividades realizadas pela Obra Kolping do Brasil são voltadas para o desenvolvimento de crianças e adolescentes, formação de jovens e adultos, combate à fome e à seca, promoção integral da família e desenvolvimento comunitário. 

FORMAÇÃO E DESENVOLVIMENTO
Padre Pedro Arnoldo da Silva, Assistente Eclesiástico Nacional da Obra Kolping do Brasil, explicou ao O SÃO PAULO que a entidade desenvolve projetos de educação infantil, formação cultural e cidadã, atividades esportivas, “com o objetivo de possibilitar que essas crianças e adolescentes se formem como seres humanos em seus mais diversos aspectos, que atinjam seu máximo potencial e desenvolvam autonomia para que se tornem capazes de interferir positivamente no lugar onde vivem e possam contribuir com a transformação da realidade na qual se encontram”.
A associação também mantém projetos de formação profissional, geração de trabalho e renda, alfabetização de jovens e adultos, intercâmbio cultural, empreendedorismo e desenvolvimento de trabalhadores autônomos.
“O trabalho gera a oportunidade de superação da pobreza e todos os males que a acompanham. Por meio dele, muitas famílias têm sua condição elevada, tanto do ponto de vista econômico e material quanto em sua dignidade e autoestima”, explicou Padre Pedro.
Para a população do campo e do semiárido, a Obra Kolping desenvolve projetos de agricultura e pecuária familiar, além da construção de cisternas que coletam e armazenam a água captada das chuvas. Essas famílias também recebem formação para armazenar, tratar e utilizar a água de maneira sustentável.

FAMÍLIA E COMUNIDADE
Em relação à promoção da família, a entidade possui projetos de apoio psicossocial, apoio à moradia, assistência a pessoas com deficiência, promoção da terceira idade, assistência emergencial e projetos voltados às mulheres. “A partir do momento em que temos famílias fortes e bem alicerçadas, teremos uma sociedade melhor”, destacou Padre Pedro. 
A Kolping desenvolve, ainda, um programa que oferece capacitação de lideranças, formação associativa e sociopolítica, aquisição de equipamentos, reforma ou construção de unidades, negócios sustentáveis, realização de eventos, investimento em pessoas, materiais de comunicação e despesas de suporte aos projetos sociais.
“É por meio dessas ações de formação e convivência para os associados e líderes Kolping que é possível mobilizar pessoas para a causa da superação da pobreza, fazendo com que a ação aconteça efetivamente, transformando as realidades sociais”, acrescentou o Assistente Eclesiástico.

DOUTRINA SOCIAL DA IGREJA
Ao saudar os participantes da romaria no início da missa, Dom Odilo salientou a relevância do trabalho realizado pela associação no Brasil há 96 anos, que ensina como os católicos podem se organizar para transformar a sociedade a partir dos valores cristãos. 
“A Obra Kolping ajuda a pôr em prática a Doutrina Social da Igreja de forma muito concreta, contribuindo com a superação da pobreza e assistindo as famílias trabalhadoras”, afirmou o Cardeal.
Para saber como colaborar com a Obra Kolping do Brasil, acesse o site 
kolping.org.br.

Para pesquisar, digite abaixo e tecle enter.