NACIONAL

Maio Amarelo

O sentido é a vida!

Por Nayá Fernandes
17 de mai de 2019

Com o objetivo de diminuir acidentes no trânsito e ajudar as pessoas a compreender a importância da coletividade para facilitar a mobilidade de todos, Campanha é apoiada por 27 país

A campanha “Maio Amarelo” chega à sexta edição em 2019, com o tema “No trânsito, o sentido é a vida”. Entre os objetivos está o de envolver a sociedade em ações que suscitem a reflexão sobre uma nova forma de entender a mobilidade urbana.

Ao todo, 27 países apoiam o “Maio Amarelo”, que é realizado internacionalmente. O movimento deseja estimular os condutores a escolher um trânsito mais seguro, a partir da compreensão dos altos índices de mortes nas estradas e rodovias em todo o mundo.

A abertura oficial da campanha ocorreu em 24 de abril, em Vitória (ES), e vai até 28 de junho, em Natal (RN), cidade em que acontecerá o encerramento.

 

TRANSITAR EM LIBERDADE

Mônica Vieira, educadora de trânsito da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), em entrevista à rádio 9 de Julho, comentou sobre a campanha. “Queremos colocar a questão em pauta para a sociedade e, com isso, estimular a participação da população, empresas, governos e entidades”

Ela explicou, ainda, que o amarelo é uma cor que simboliza atenção, sinalização e advertência no trânsito. “As pessoas confundem trânsito com carro, mas trânsito não é carro, é muito mais que isso. Hoje, em vez da palavra trânsito, devemos usar o termo mobilidade. Ou seja, é trânsito, porque as pessoas têm necessidade de transitar, ir de um lugar para outro com segurança”, continuou Mônica.

A educadora ressaltou ainda que o grande desafio é conscientizar as pessoas para que a vida seja cada vez valorizada. “O comportamento no trânsito reflete o comportamento da sociedade. Somos no trânsito aquilo que somos no dia a dia. No trânsito, temos direitos e deveres. Não basta saber dirigir, porque o trânsito é muito mais que o veículo”, disse.

 

CÓDIGO DE TRÂNSITO BRASILEIRO

O Brasil é um dos únicos países da América Latina que possui um código de trânsito. De 1997, por meio da Lei nº 9.503, o Código de Trânsito Brasileiro dispõe sobre o trânsito de qualquer natureza nas vias terrestres do território nacional, abertas à circulação.

“Considera-se trânsito a utilização das vias por pessoas, veículos e animais, isolados ou em grupos, conduzidos ou não, para fins de circulação, parada, estacionamento e operação de carga ou descarga”, consta no primeiro parágrafo do primeiro artigo do Código.

Entre os objetivos do Código, está a regulamentação e fiscalização do trânsito, bem como as permissões, punições e disposições sobre o trânsito em geral.

No começo de 2019, houve a aprovação da Lei 13.804, que instituiu mudanças no Código de Trânsito Brasileiro. Entre elas está a cassação da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) de motoristas que usarem o automóvel para cometer crimes, por exemplo.

 

ME OUÇA!

Uma das iniciativas do “Maio Amarelo” consiste no desenvolvimento, pelo Observatório Nacional de Segurança Viária, de um mote (frase que explica a proposta da campanha) em que uma criança fala a um adulto sobre a sua percepção do que é considerado certo e errado. A mensagem pode ser acessada pela hashtag “Me ouça” e o slogan “No trânsito, o sentido é a vida”.

 

6 ATITUDES PERIGOSAS NO TRÂNSITO

- Ultrapassar o sinal vermelho

- Parar com o carro na faixa de pedestres

- Estacionar o carro numa vaga reservada

- Acelerar no sinal amarelo

- Dirigir enquanto fala ao celular

- Dirigir alcoolizado

A Assembleia Geral das Nações Unidas editou, em março de 2010, uma resolução definindo o período de 2011 a 2020 como a “Década de Ação para a Segurança no Trânsito”. O documento foi elaborado com base em um estudo da Organização Mundial da Saúde (OMS), que contabilizou, em 2009, cerca de 1,3 milhão de mortes por acidente de trânsito em 178 países. Aproximadamente 50 milhões de pessoas sobreviveram com sequelas.

São 3 mil vidas perdidas por dia nas estradas e ruas. É a nona maior causa de mortes no mundo. Os acidentes de trânsito são o primeiro responsável por mortes na faixa de 15 a 29 anos de idade; o segundo, na faixa de 5 a 14 anos; e o terceiro, na faixa de 30 a 44 anos. Atualmente, esses acidentes já representam um custo de US$ 518 bilhões por ano ou um percentual entre 1% e 3% do Produto Interno Bruto (PIB) de cada país.

Se nada for feito, a OMS estima que 1,9 milhão de pessoas devem morrer no trânsito em 2020 (passando para a 5ª maior causa de mortalidade) e 2,4 milhões, em 2030. Nesse período, entre 20 milhões e 50 milhões de pessoas sobreviverão aos acidentes a cada ano com traumatismos e ferimentos. A intenção da ONU, com a “Década de Ação para a Segurança no Trânsito”, é poupar, por meio de planos nacionais, regionais e mundial, 5 milhões de vidas até 2020.

Fonte: www.maioamarelo.com

 

LEIA TAMBÉM: Os nossos irmãos ainda vivem nas ruas, por quê?

 

Para pesquisar, digite abaixo e tecle enter.