SÃO PAULO

Missa do Crisma

O sacerdócio ‘é uma graça inestimável’

Por Fernando Geronazzo
18 de abril de 2019

Afirmou o Cardeal Odilo Pedro Scherer, durante Missa do Crisma e da renovação das promessas sacerdotais, na Catedral da Sé

(Fotos: Luciney Martins)

O clero da Arquidiocese de São Paulo se reuniu com seu Arcebispo Metropolitano, Cardeal Odilo Pedro Scherer, na manhã desta Quinta-feira Santa, 18, na Catedral da Sé, para a Missa do Crisma. 

Nessa celebração que antecede o Tríduo Pascal, são abençoados os óleos utilizados nos ritos dos sacramentos do Batismo e Unção dos Enfermos e é consagrado o óleo do Crisma, utilizado nos sacramentos do Batismo, Confirmação e Ordem, e na dedicação de igrejas e altares. 

Nessa ocasião, os padres também renovam suas promessas sacerdotais, diante do Arcebispo, uma vez que, nesse dia, a Igreja recorda a instituição do sacerdócio cristão na última ceia. 

Além dos padres, concelebraram a missa o Arcebispo Emérito de São Paulo, Cardeal Cláudio Hummes, e os bispos auxiliares da Arquidiocese. 

POVO SACERDOTAL 

Na homilia, Dom Odilo recordou que todos  os cristão reunidos formam um “povo sacerdotal” ungido pelo Espírito Santo no Batismo. 

“Jesus Cristo, nosso Senhor e Redentor, é o Ungido do Pai, ‘cheio do Espírito Santo’, que anuncia ‘boas novas’, consola seu povo, alivia-o de seus pesos e males e lhe dá esperança. Ele faz de nós um povo sacerdotal: Para sermos testemunhas no mundo da redenção que Ele nos trouxe e comunicou”, afirmou.

MINISTROS DE CRISTO

O Cardeal também ressaltou que os padres e bispos foram ungidos ministros de Jesus Cristo no sacerdócio ministerial, para servir a Deus e ao seu povo. “E recebemos os dons necessários para servir os irmãos in persona Christi as ações sagradas nos divinos mistérios, na pregação da Palavra e no serviço da caridade pastoral e para comunicar à humanidade as riquezas da salvação e da vida eclesial”, continuou.

“É uma graça inestimável, que nunca saberemos agradecer e valorizar bastante”, enfatizou Dom Odilo, convidando todos os padres a renovarem as disposições e promessas sacerdotais. “Neste tempo, em que a Igreja vive em meio a desafios e tensões, peçamos a graça da generosa fidelidade e correspondência ao dom recebido”, acrescentou. 

COMUNHÃO E CONVERSÃO

Ainda segundo o Arcebispo, mais do que nunca, é preciso que haja uma verdadeira comunhão eclesial e ministerial, união de caridade sacerdotal, como Jesus pediu na última ceia, ao instituir o sacerdócio: “Permanecei em mim e eu permanecerei em vós”. 

O Cardeal reforçou a necessidade de uma verdadeira conversão pessoal, dos pecados, infidelidades e “de tudo aquilo que escandaliza o próximo e é contrário ao bom testemunho de Jesus Cristo”. Mas também da “conversão e renovação missionária”  vista de uma “Igreja em saída”, que vá ao encontro dos irmãos ausentes das comunidades e dos muitos espaços de dor e sofrimento. 

SACERDOTES DEDICADOS

Por fim, Dom Odilo salientou que essa era ocasião de agradecer a Deus pela generosa dedicação de tantos sacerdotes que se colocam cada dia ao serviço da Igreja nas múltiplas frentes de missão e responsabilidades eclesiais. 

“O povo de Deus é edificado por essa silenciosa e perseverante caridade pastoral, que não precisa ser espetacular nem cair imediatamente nas telas das mídias. Deus conhece cada ação e cada gesto de vocês no serviço sacerdotal e saberá recompensar a cada um”, afirmou.

GRATIDÃO

Em nome de todo o clero da Arquidiocese, o Padre Tarcísio Marques Mesquita, coordenador Arquidiocesano de Pastoral, expressou o afeto filial do presbitério para com seu arcebispo. 

“Ainda ha pouco, por meio das respostas afirmativas às suas interrogações de pai proferidas nessa sagrada liturgia, renovamos os nossos compromissos sacerdotais. Queremos vivê-los ao seu lado e sob o seu pastoreio!”, afirmou. 

Padre Tarcísio destacou que a constante presença de Dom Odilo junto aos padres os conforta e os incentiva a não esmorecer, “fazendo que se mantenha acesa a chama da fé”. 

“Suas palavras de pai firme e amoroso nos atinjam e nos salvem do hedonismo e indiferentismo tão próprios de nosso tempo. Que seu ministério episcopal, de pai e pastor, ecoe nos corações de nós padres e, sem formalidades e nunca por mera exigência, ponhamo-nos a rezar pela fecundidade de seu ministério”, manifestou o Padre, reiterando ao Arcebispo: “Pode contar conosco!˜. 

TRÍDUO PASCAL 

Nesta quinta-feira, às 19h, também na Catedral, o  Cardeal Scherer presidirá a Missa da Ceia do Senhor, com o rito do lava-pés, que recorda a instituição da Eucaristia e do Sacerdócio. 

Na sexta-feira, 19, às 15h, Dom Odilo presidira a Ação Litúrgica da Paixão do Senhor, com o rito de adoração da Cruz. 

No Sábado, 20,  às 19h, será celebrada a solene Vigília Pascal e, no domingo, 21, às 11h, a missa da Páscoa da Ressureição do Senhor. 


 

Para pesquisar, digite abaixo e tecle enter.