SÃO PAULO

MENINO JESUS

O Menino Jesus é acolhido em todos os lugares da metrópole

Por Flavio Rogério Lopes
08 de dezembro de 2019

A Novena de Natal, celebrada com as famílias, mobiliza pastorais e grupos nas paróquias e comunidades da Arquidiocese de São Paulo, visando à preparação para a festa do nascimento do Salvador. Os encontros realizados durante o Advento reúnem paroquianos, vizinhos e amigos em casas e apartamentos espalhados pela cidade

EVANGELIZAR NOS CONDOMÍNIOS

No Edifício Viadutos, a Pastoral Familiar da Paróquia Nossa Senhora da Consolação, na Região Sé, promove os encontros da novena de Natal. Terezinha Castilho, coordenadora da Pastoral, relatou que as famílias que acolhem a novena testemunham casos de perdão e reconciliação: “Quando chega o Natal, as famílias ficam mais sensíveis e alegres, principalmente as pessoas que moram sozinhas. Elas se sentem mais acolhidas por estarmos próximos e rezando com elas. É uma forma de levarmos Jesus para elas e suprir aquele momento de solidão”, disse à reportagem.
O trabalho, no entanto, vai muito além das novenas no tempo do Advento. Ao longo do ano, moradores do condomínio rezam o Terço nos apartamentos e, uma vez por mês, é celebrada a Santa Missa no salão do prédio. O mesmo acontece no Edifício Santa Margarida. 
“Essas experiências são muito marcantes para nós, pois, muitas vezes, pensamos que levaremos algo para as famílias e somos nós que saímos confortados ao ver como Deus é maravilhoso em nossas vidas. É uma alegria perceber a importância da família, pois ela é a base de tudo. O amor e o perdão são as coisas básicas que temos que levar a esses lares”, concluiu Terezinha.

IGREJA JOVEM

O grupo de jovens Teófilos, da Paróquia São José Operário, na Região Lapa, também realiza a Novena de Natal nas casas, mas a preparação para a vinda do Menino Jesus vai além dos nove dias de oração e reflexão com as famílias da comunidade. 
No ano passado, o grupo realizou um gesto concreto e promoveu uma ação solidária arrecadando roupas, cobertores e alimentos, que foram doados a uma instituição. 
“Tivemos o privilégio de visitar o local e conhecer as pessoas que ali habitavam, ouvimos suas histórias, conhecemos um pouco de sua rotina, comovemo-nos e rezamos todos juntos”, disse Giovana Céo, coordenadora do grupo. 
A jovem recordou que, a cada encontro da novena, existem momentos de partilha e os jovens manifestam suas alegrias e fragilidades. Giovana disse que o Natal é uma oportunidade para fortalecer a fé e a esperança desses jovens que são chamados a “descobrir o rosto de Cristo naqueles que sofrem e que estão à margem da sociedade”.
“As famílias nos acolhem sempre com muito amor e carinho, é muito satisfatório ver nos olhos deles a gratidão de escolhermos aquela casa e de acolhermos aqueles jovens, para caminharmos juntos e ajudar a levar a Palavra e o ensinamento que esse tempo nos proporciona”, concluiu a coordenadora.

ACOMPANHAR AS FAMÍLIAS

A Paróquia Santa Paulina está presente na comunidade de Heliópolis, na zona Sul, que já foi considerada a maior favela de São Paulo. A Paróquia foi criada em 2003, com o objetivo de ampliar o trabalho de evangelização naquela região, por meio do atendimento paroquial e de projetos sociais. 
Já a Pastoral da Criança tem como missão, em todo o Brasil, acompanhar as famílias e o desenvolvimento integral das crianças, desde o ventre materno até os 6 anos de idade, por meio de orientações básicas de saúde, nutrição, educação e cidadania, contribuindo para que as famílias e comunidades realizem sua própria transformação. 
“A nossa função é procurar crianças que realmente estejam precisando do nosso trabalho, não apenas de alimentação, mas do cuidado, do carinho e do amor que nós oferecemos”, enfatizou Veronildes da Conceição Santos, coordenadora da Pastoral da Criança da Paróquia Santa Paulina, em entrevista ao O SÃO PAULO. 
A Pastoral promove visitas mensais a famílias carentes e acompanha as crianças. Na época do Natal, lidera uma iniciativa, realizada há muitos anos na comunidade, que é a arrecadação de brinquedos para confecção de sacolinhas que são distribuídas às crianças em situação de vulnerabilidade social.

GESTO CONCRETO

Segundo Veronildes Santos, apesar dos problemas e dificuldades enfrentados diariamente, as famílias acolhem a Pastoral com muita alegria e cuidado: “Quando a gente fala do Menino Jesus e montamos o nosso presépio, é muito gratificante o cuidado e o carinho que as crianças e os familiares têm com o presépio.”
As 76 crianças que receberão os brinquedos no próximo dia 14 são cadastradas durante as visitas e são “adotadas” por padrinhos, muitas vezes anônimos, da própria comunidade ou de outros bairros, que doam os brinquedos. 
“Nós trabalhamos o ano inteiro, e todo mês é uma sensação diferente, mas quando chega a semana do Natal, quando celebramos o nascimento de Jesus, é uma emoção muito grande, pois trabalhamos com crianças muito carentes, e, ao vermos aquela felicidade estampada no rosto delas, sentimos uma felicidade enorme. Temos um grande carinho por essas crianças e trabalhamos com muito amor.”

Para pesquisar, digite abaixo e tecle enter.