SÃO PAULO

SETEMBRO AMARELO

O gesto da escuta faz toda a diferença

Por JENNIFFER SILVA E JOSÉ FERREIRA FILHO
15 de setembro de 2019

Campanha “Setembro Amarelo”

As estatísticas apontam que a cada 40 segundos uma pessoa comete suicídio no planeta, o que resulta numa média de 800 mil mortes por ano. O problema é a segunda maior causa de morte entre pessoas de 15 a 29 anos de idade, sendo que para cada suicídio há 26 tentativas. 
Os números fazem parte de um levantamento efetuado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e ganham relevância mundial em decorrência do Dia de Prevenção do Suicídio, lembrado todos os anos em 10 de setembro. 
De acordo com o organismo internacional, todos os países, sejam ricos ou pobres, registram casos de suicídio. No entanto, quase 80% desses óbitos são identificados em nações de renda baixa e média. A maioria das ocorrências acontece em zonas rurais e agrícolas, sendo que o envenenamento por pesticida é o método usado em 20% de todas as mortes. Outros meios comuns são o enforcamento e o uso de arma de fogo.
A OMS lembra que, nos países de renda alta, já foi reconhecido um vínculo entre suicídio e problemas de saúde mental, como depressão e transtornos de uso de álcool. Contudo, muitos suicídios, aponta a agência da Organização das Nações Unidas (ONU), são cometidos por impulso, em momentos de crise.

SETEMBRO AMARELO
A fim de intensificar esforços na prevenção do suicídio em nível mundial, teve início, em 2003, a campanha “Setembro Amarelo”. Articulada pela Organização Mundial da Saúde, Federação Mundial para a Saúde Mental e pela Associação Internacional de Prevenção do Suicídio, está presente em cerca de 40 países. No Brasil — cujas estatísticas apontam que a cada 45 minutos uma pessoa põe fim à própria vida —, as entidades responsáveis por sua organização e divulgação, desde 2015, são o Centro de Valorização da Vida (CVV), o Conselho Federal de Medicina (CFM) e a Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP).

SAÚDE PÚBLICA
A OMS considera a prática do suicídio um problema de saúde pública e recomenda que países identifiquem os principais métodos que algumas pessoas usam para pôr fim à própria vida. Com isso, é possível restringir o acesso a tais meios. Outras medidas para prevenir esse tipo de morte é a implementação de políticas para limitar o consumo abusivo de álcool e drogas.
O organismo internacional defende ainda o fornecimento de serviços de saúde mental eficazes. Analogamente, governos também devem oferecer acompanhamento médico após tentativas de suicídio.
Na avaliação da agência das Nações Unidas, é necessária uma abordagem integrada, que mobilize não apenas a saúde, mas também a educação, os meios de comunicação, instituições trabalhistas e o setor agrícola.
Cada suicídio é uma tragédia que afeta famílias, comunidades e países inteiros, afirma a OMS. Em muitos países, o tema é um tabu — o que impede pessoas que tentaram se suicidar de procurar ajuda. Até hoje, apenas alguns países incluíram a prevenção do suicídio em suas prioridades de saúde e apenas 28 nações relataram ter uma estratégia nacional de prevenção.

MISERICÓRDIA 
Em 16 de outubro de 2018, o Papa Francisco falou para a televisão da Conferência Episcopal Italiana sobre o suicídio e a misericórdia de Deus. Na ocasião, o Santo Padre afirmou: “O suicídio seria como fechar a porta à salvação, mas tenho consciência de que nos suicídios não há plena liberdade. Pelo menos acredito nisso. Ajuda-me o que o Cura D’Ars disse à viúva cujo esposo se suicidou jogando-se de uma ponte em um rio. Disse: ‘Senhora, entre a ponte e o rio está a misericórdia de Deus”.
É fazendo desta misericórdia uma inspiração divina que, cada vez mais, a Igreja demonstra preocupação com os altos números de suicídio e vem, juntamente, com seus fiéis buscando maneiras de contribuir para que a vida seja cultivada. 
Em Divinópolis (MG), Janaina Nunes é missionária consagrada da Comunidade Católica Missão Maria de Nazaré. Todos os dias, ela e outros missionários da comunidade atendem pessoas com o serviço de escuta por meio do projeto “Eu quero você vivo”.
A comunidade foi fundada há 14 anos e, desde então, realiza o trabalho de ouvir e rezar por aqueles que a procuram. Entretanto, o aumento no número de suicídios na cidade mineira fez com que os missionários percebessem a necessidade de organização e divulgação do projeto.

ESCUTA
“Todas as pessoas são, carinhosamente, muito especiais. Para mim, o que marca é poder fazer algo tão simples, que é escutar. Algo extremamente simples e que faz uma enorme diferença para as pessoas, tanto que elas desejam voltar”, continuou a missionária. 
Janaina reforçou que não se trata de um tratamento profissional, mas que diariamente pessoas com sintomas de depressão frequentam o local. Em geral, os atendimentos ocorrem uma vez por semana, mas em casos mais complexos é possível a escuta mais de uma vez por semana. 
Ela recordou, ainda, o caso de um homem que já frequentava o espaço e que, ao se divorciar da esposa, pensou em interromper a própria vida, mas, graças à ajuda dos missionários, não cometeu o suicídio. 

CONVERSA EM GRUPO
A Paróquia Pessoal Nipo-Brasileira São Gonçalo, localizada na Praça Doutor João Mendes, no centro histórico de São Paulo, abre suas portas todas as quartas-feiras, das 14h às 16h, para quem deseja atendimento profissional.
A inciativa partiu do então Pároco, Padre Lourenço Gomes, já falecido, há oito anos, para que a Paróquia pudesse oferecer uma ação social para a comunidade. Doutor Bruno Predomo, psicanalista que, a pedido do Padre Lourenço, iniciou o trabalho, contou ao O SÃO PAULO que os atendimentos ocorrem por meio do diálogo em grupo e, em casos específicos, há o tratamento individual. 
Para ele, o principal de um tratamento é a permanência nos encontros, o que, ainda, é uma dificuldade no atendimento realizado na paróquia do centro da capital paulista. Não há requisitos para a participação e não é necessária inscrição prévia.

Algumas Paróquias que têm Pastoral da Escuta

PARÓQUIA SANTÍSSIMA TRINDADE
Avenida Marechal Fiuza de Castro, 861 - Vila São Domingos – Telefone: 3735-0461
Segundas e sextas-feiras, das 18h às 20h30
Quartas-feiras, das 18h30 às 20h30
Quintas-feiras, das 14h às 20h30


PARÓQUIA NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO
Praça Silvio Romero, S/N - Tatuapé - Telefone: 2093-1920
Segundas-feiras, das 10h às 12h e das 14h às 17h
Terças-feiras, das 9h às 12h
Quartas-feiras, das 13h às 16h
Quintas-feiras, das 9h às 11h e das 13h às 15h
Sextas-feiras, das 14h às 18h30


PARÓQUIA SÃO GERALDO
Largo Padre Péricles, S/N – Perdizes - 3667-0660
Terças e quintas-feiras das 15h às 18h

Para pesquisar, digite abaixo e tecle enter.