NACIONAL

300 anos de Aparecida

‘Não tenham medo de ter a imagem de nossa senhora aparecida em suas casas’

Por Fernando Geronazzo
11 de outubro de 2017

Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo, presidiu, no domingo, 8, o oitavo dia da Novena da Padroeira do Brasil, no Santuário Nacional de Aparecida (SP)

Santuário Nacional de Aparecida

O Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo, presidiu a liturgia do oitavo dia da Novena da Padroeira do Brasil, no domingo, 8, no Santuário Nacional de Aparecida (SP). A celebração teve como tema “Senhora Aparecida, das águas ao acolhimento no amor”. 

Na homilia, Dom Odilo recordou que logo que foi encontrada pelos pescadores, a imagem de Nossa Senhora passou a ser honrada e acolhida pelas famílias da região. “Não foi logo uma basílica ou um grande santuário que acolheu a imagem, foi a casa dos pescadores, foi a casa das famílias que acolheu a imagem de Nossa Senhora da Conceição e que logo começou a ser chamada de Aparecida”. 

“Trezentos anos depois, certamente em muitos lares brasileiros está presente a imagem ou algum quadro de Nossa Senhora Aparecida. Uma imagem que lembra aquela que é a Padroeira do Brasil, dos brasileiros, e, mais do que tudo, é nossa mãe, que nós, carinhosamente, invocamos como Aparecida, sinal da nossa devoção em nossas famílias... Por isso mesmo, famílias católicas, não tenham medo de ter a imagem ou um quadro de Nossa Senhora Aparecida em suas casas”, afirmou o Cardeal Scherer. 

Ainda segundo o Arcebispo, a presença da Padroeira do Brasil nos lares lembra a fidelidade a Jesus, pois ela sempre diz: “Fazei tudo que Jesus vos disser”. 

“Nossa Senhora sempre de novo nos apresenta Jesus e nos indica para Ele, pois é isso também que pedimos a ela. Na oração da Salve Rainha, quando pedimos ‘mostrai-nos o fruto bendito do vosso ventre, Jesus’, ela o faz certamente”, disse. 

Ao citar o evangelho proclamado na celebração, que narra a cura do cego Bartimeu, Dom Odilo destacou as cegueiras que assolam o coração humano. “Lembremos dos cegos do coração, dos cegos sem fé em Deus, dos cegos sem moral, capazes de fazer as maiores ofensas ao próximo e a Deus e não sentir nada. É uma grade cegueira, a cegueira moral”, assinalou.

“Lembramos também os cegos pelo ódio, que leva à guerra, que leva à violência, que leva a tirar a vida do próximo... Lembramos os cegos da ganância, que perderam o senso moral, o senso ético da justiça, da honestidade, mergulhados em corrupção, não se dando conta do quanto isso faz mal ao próximo. Quanta cegueira!”, acrescentou o Cardeal. 

Por fim, Dom Odilo pediu que, pela intercessão de Nossa Senhora Aparecida, sejam curadas todas as cegueiras de todo Brasil e do mundo inteiro. 

 

Para pesquisar, digite abaixo e tecle enter.