INTERNACIONAL

Canadá

Mais de 1% das mortes são por eutanásia

Por Gustavo Catania Ramos
09 de mai de 2019

A lei do suicídio assistido foi promulgada no Canadá em junho de 2016

Reprodução da Internet

Em novo relatório do governo canadense, constatou-se que mais de 1% das mortes no País ocorrem por meio da eutanásia.

O 4º Relatório sobre Assistência Médica para Morrer no Canadá revelou que, de janeiro a outubro de 2018, 2.613 pessoas receberam “assistência médica para morrer”, um eufemismo para eutanásia. Esse número corresponde a 1,12% de todas as mortes.

Os casos registrados são de eutanásia por meio de aplicação de droga por enfermeiros ou médicos. Apenas uma pessoa se auto aplicou a droga. No Canadá, a aplicação da droga em casos de suicídio assistido não precisa ser feita pela própria pessoa que deseja cometê -lo, ao contrário do que ocorre nos Estados Unidos.

A lei do suicídio assistido foi promulgada no Canadá em junho de 2016 e, desde então, aproximadamente 7 mil canadenses foram mortos devido a esta lei.

A maioria dessas mortes acontece em hospitais; 5% ocorrem em casas de repouso e 4% em hospícios. Apenas 7% dessas mortes são de pessoas entre 18 e 55 anos. A maioria é de pessoas acima de 72 anos. Aproximadamente 60% dos casos são de pessoas com algum tipo de câncer; 16% optam por esse tipo de morte por possuir problemas circulatórios e/ ou respiratórios.

Muitas poucas pessoas tiveram a requisição para o suicídio assistido negada. Apenas sete, segundo o Relatório.

O Catecismo da Igreja Católica considera a eutanásia um grave atentado contra a vida e contra a dignidade da pessoa humana: “Quaisquer que sejam os motivos e os meios, a eutanásia direta consiste em pôr fim à vida de pessoas deficientes, doentes ou moribundas. É moralmente inaceitável” (2277).

Fonte: ACI Digital
 

LEIA TAMBÉM: Igreja é atacada por membros da Guarda Nacional Venezuelana

Para pesquisar, digite abaixo e tecle enter.