SÃO PAULO

Santa Paulina

Igreja Santa Paulina é inaugurada no Heliópolis

Por Daniel Gomes
05 de julho de 2017

Paróquia criada em 2003 teve novo templo e altar dedicados em celebração presidida pelo Cardeal Odilo Scherer, na sexta-feira, 30 de junho

Luciney Martins/O SÃO PAULO

 

Na multidão de fiéis em frente à nova igreja no Heliópolis, na sexta-feira, 30 de junho, estavam reunidas diferentes histórias de fé, mas um só era o sentimento: o de concretização de um sonho. “Sempre esperei que um dia pudesse existir aqui uma igreja bonita assim”, comentou Belonice Santos, paroquiana, que há 40 anos mora no bairro localizado na periferia da zona Sul de São Paulo. “Essa igreja vai trazer muita alegria e mais gente para cá”, disse Maria Aparecida Paulina, moradora do bairro desde 1979.

O relógio marcava 19h30 quando o Padre Pedro Luiz Amorim, Pároco, entregou ao Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo Metropolitano, as chaves para a abertura do templo.

“Alegres vamos à casa do Pai e na alegria cantar seu louvor, em sua casa, somos felizes, participamos da ceia do amor”, cantavam os fiéis ao ingressarem no novo templo, ocupando todos os bancos e os corredores laterais e central.

Criada em 2003, a Paróquia Santa Paulina ainda não possuía uma igreja- matriz e a mobilização para construí-la se intensificou em 2008, quando a coleta da missa do centenário da Arquidiocese de São Paulo, em 8 de junho daquele ano, foi destinada para tal fim. Ao longo dos anos, houve ainda a colaboração financeira dos católicos da Alemanha e de outras pessoas e empresas.

“A igreja é para Deus e para a família de Deus. Tenham sempre muita alegria e, podem até dizer, muito orgulho dessa igreja que vocês vão cuidar bem, professar a fé, adorar a Deus, agradecer, pedir perdão e receber todo dom e graça de Deus. Que aqui seja sempre o sinal de que Deus habita este bairro, que tem casa no meio de nós”, afirmou o Arcebispo no início da celebração, que teve entre os concelebrantes no Heliópolis, além de Dom José Roberto Fortes Palau, Bispo Auxiliar da Arquidiocese na Região Ipiranga, e Dom Luiz Carlos Dias, Bispo Auxiliar da Arquidiocese na Região Belém.

 

O rito de dedicação

O rito de dedicação do templo e do altar teve início com a bênção da água, que foi aspergida sobre os fiéis (em sinal de penitência e memória do Batismo), o templo (para purificá-lo) e o altar. Na sequência, o Lecionário foi depositado sobre o ambão, de onde se proclamam as leituras da Palavra de Deus.

Após a homilia, o rito prosseguiu com a Ladainha de Todos os Santos; deposição sob o altar das relíquias de Santa Paulina, Santo Antônio de Sant’Anna Galvão, São José Marello e Santa Felicidade; prece de dedicação do templo; unção do altar e das paredes da igreja com o óleo do Crisma; incensação do altar, da igreja e do povo; revestimento e ornamentação do altar e, por fim, acendimento das velas e luzes ao lado do altar e das quatro cruzes que estão nas paredes da igreja.

 

A casa de deus

Dar testemunho da fé católica no bairro foi o pedido de Dom Odilo aos fiéis, na homilia. O Arcebispo destacou que a matriz-paroquial deve reunir a comunidade em um ambiente de amor, respeito, caridade, fraternidade, alegria e esperança. “Nós, pela fé, acolhemos a Palavra, acolhemos Jesus, o Pai e o Espírito Santo, e nos tornamos templos de Deus. São Paulo recomenda que cada um procure zelar por essa casa, para que seja casa de Deus bem cuidada”, expressou o Cardeal. “Cristo é a pedra angular, a rocha sobre a qual se edifica todo o templo de Deus”, afirmou. Dom Odilo também enfatizou que a igreja é o local para a reza e a escuta da Palavra de Deus, além do lugar do sacramento da Eucaristia. “Aqui o Pai nos chama ao redor da mesa, chama a sua família a se alimentar do pão vivo descido do céu”, afirmou, exortando a todos para a participação nas missas, em especial aos domingos.

 

Gratidão

Na parte final da celebração, o Cardeal agradeceu pelo empenho do Padre Pedro para a conclusão das obras, e o Sacerdote expressou gratidão a todos os que se empenharam com as doações nos últimos nove anos para a construção do templo, que foi efetivamente iniciada em agosto de 2016. “O templo, por ser muito bonito, é uma referência no bairro, e os moradores se sentem valorizados agora. Em um lugar que tem um histórico de luta por moradia, de repente quem também resolve fazer uma casa no meio de nós é Deus. Ele monta a sua casa em um lugar onde o povo tem muita dificuldade de moradia”, disse, ao O SÃO PAULO, o Sacerdote, que pediu aos fiéis o máximo de zelo com a nova igreja. Ao fim da missa, Dom Odilo lembrou que a cada ano, no dia 30 de junho, deve ser celebrado, de modo solene, o aniversário de dedicação da Igreja Santa Paulina, alguns padres que atuaram pastoralmente

 

Leia mais sobre a igreja:

O diálogo missionário com a comunidade

A inspiração bíblica

O sinal da fé na comunidade

Inauguração e dedicação da igreja-matriz da Paróquia Santa Paulina

(Foto: Luciney Martins)
(Foto: Luciney Martins)

Inauguração e dedicação da igreja-matriz da Paróquia Santa Paulina

Para pesquisar, digite abaixo e tecle enter.