SÃO PAULO

Chuvas

Igreja presta solidariedade às vítimas das enchentes em SP

Por Fernando Geronazzo e Daniel Gomes
13 de março de 2019

Muitas famílias ainda tentam se recuperar das perdas materiais

Paróquia Santa Cruz de Itaberaba

Alagamentos, trânsito parado, caos nos transportes públicos, deslizamentos e 13 mortes. Este foi o saldo das fortes chuvas na Capital Paulista e na Região Metropolitana de São Paulo entre a noite do domingo, 10, e a madrugada da segunda- -feira, 11.

Neste momento em que muitas famílias ainda tentam se recuperar das perdas materiais, choram seus mortos ou cobram das autoridades respostas sobre a eficácia dos sistemas de escoamento das águas pluviais, a Arquidiocese de São Paulo e outras dioceses de Província Eclesiástica de São Paulo prestam conforto espiritual e organizam campanhas para a arrecadação de itens em favor das famílias afetadas.

 

NA REGIÃO EPISCOPAL IPIRANGA

Na Capital Paulista, os locais mais atingidos pelas fortes chuvas foram os bairros do Ipiranga, Sacomã, Vila Prudente e arredores, na zona Sul.

Por causa da localização geográfica de várzea do Rio Tamanduateí e seus córregos afluentes, inúmeros moradores tiveram suas casas inundadas. Uma pessoa morreu por afogamento na esquina das ruas Matias de Albuquerque e Barão de Rezende, no Ipiranga.

Desde a manhã da segunda-feira, a Região Episcopal Ipiranga e o Núcleo Regional da Caritas Arquidiocesana se mobilizaram para atender as vítimas. Várias igrejas se organizaram para arrecadar doações de roupas, alimentos e móveis. Umas delas foi o Santuário Arquidiocesano Nossa Senhora Aparecida. Também a Paróquia Nossa Senhora das Dores, no mesmo bairro, manifestou o desejo de ajudar.

 

VILA ARAPUÁ

Os moradores da área de abrangência da Paróquia Nossa Senhora Aparecida, na Vila Arapuá, foram bastante atingidos, especialmente os próximos à comunidade da Vila Cristália.

Na segunda-feira, a Paróquia havia conseguido distribuir cestas básicas e roupas para 50 famílias. No entanto, o Diácono Feliciano Bonitatibus, gestor do Núcleo Regional da Caritas Arquidiocesana, chamou a atenção para a necessidade de doações de móveis. “Há famílias sem camas, colchões. Elas não podem voltar para casa”, afirmou ao O SÃO PAULO. “Esperamos que o povo de Deus da nossa Arquidiocese reconheça essas pessoas afetadas pelas chuvas como irmãos que necessitam da ajuda de todos”, acrescentou.

Paróquias que não foram prejudicadas pelas chuvas também se mobilizaram para ajudar, como a Paróquia São José, onde os fiéis prepararam alimentos para o socorro imediato das vítimas. A Paróquia Imaculada Conceição se tornou um centro de arrecadação de doações. A Paróquia Santa Edwiges e o Santuário São Judas Tadeu também disponibilizaram suas dependências para receber doações.

“É bonito ver as comunidades paroquiais se mobilizarem em favor das outras que estão necessitadas. Houve uma verdadeira rede de solidariedade, que brota da comunhão, do Evangelho. É a virtude da caridade que nasce no coração dos irmãos”, afirmou o Padre Pedro Luiz Amorim, Coordenador de Pastoral da Região Ipiranga.

 

NO ABC PAULISTA

Os estragos da chuva foram especialmente sentidos pelos moradores do ABC paulista: além dos alagamentos e desmoronamentos, dez pessoas morreram, sendo quatro em Ribeirão Pires, três em São Caetano do Sul, duas em Santo André e uma em São Bernardo do Campo.

A situação levou a Diocese de Santo André a unir esforços para prestar solidariedade às vítimas. Em 23 paróquias e centros comunitários em cinco cidades da área de abrangência da Diocese estão sendo recolhidas doações de itens de higiene pessoal, fraldas infantis, material de limpeza, água potável, colchões, cobertores, roupas, colchonetes e alimentos não perecíveis.

“Em nome de Jesus, estamos unidos neste momento de perigo e tristeza. Por todos os lados, vemos os sinais dos alagamentos, águas invadindo espaços e destruindo bens que são frutos de anos de lutas. Trata-se de um momento particular de dor e espanto, em que, em tempo oportuno, se deverá buscar as causas; agora uma só é a palavra: solidariedade. Rezemos e trabalhemos como comunidade solidária do Grande ABC. Que Deus ilumine a todos os que estão se empenhando para reparar os danos possíveis. Quem puder, una-se a esta causa, como voluntário ou com alguma doação”, expressou Dom Pedro Carlos Cipollini, Bispo de Santo André, na segunda-feira.

 

BEBÊ MORRE EM EMBU DAS ARTES

Na cidade de Embu das Artes, o bebê Bernardo Oliveira Lopes, de 1 ano e 2 meses, morreu soterrado após o deslizamento de terra sobre uma casa no loteamento do Jardim Pinheirinho. A Paróquia São Judas e Santa Clara, da Diocese de Campo Limpo Paulista, prestou assistência religiosa aos familiares, e o Pároco, Padre Luiz Antonio dos Santos, realizou as exéquias do bebê.

 

IGREJA ALAGA EM MOGI DAS CRUZES

Na Diocese de Mogi das Cruzes, na Província Eclesiástica de São Paulo, as águas invadiram a igreja-matriz da Paróquia Santa Cruz e outras casas no bairro Biritiba Ussu. Foi organizado um mutirão de doações que podem ser entregues em todas as igrejas da Diocese, como a Catedral Diocesana Sant’Ana (Praça Coronel Benedito de Almeida, s/nº, centro de Mogi das Cruzes) e a na matriz da própria Paróquia afetada (rua Maestro João Manoel do Nascimento, s/nº, Biritiba Ussu). Outras informações podem ser obtidas pelo telefone (11) 4792-1370.

 

Rádio 9 de julho promove ação solidária

Na semana em que a rádio 9 de Julho inicia as comemorações dos 20 anos de reabertura, a emissora da Arquidiocese de São Paulo também se mobiliza para ajudar as vítimas das chuvas. Na segunda-feira, 18, às 20h, será celebrada uma missa no Centro de Tradições Nordestinas (Rua Jacofer, 615, bairro do Limão), na qual serão arrecadados alimentos não perecíveis, produtos de higiene e roupas a ser destinadas às comunidades afetadas pelas enchentes.

As doações também poderão ser entregues ao longo da semana na sede da rádio (rua Manoel de Arzão, 85, na Freguesia do Ó). Outras informações pelo telefone (11) 3932-3393.

 

Pontos de arrecadação na Região Episcopal Ipiranga

* Paróquia Nossa Senhora Aparecida (rua Epiacaba, 59, Vila Arapuá) – Alimentos não perecíveis, móveis e colchões

* Paróquia Santa Paulina (rua Vicente Gaspar, 97, Passagem B) – Colchões, móveis, roupas masculinas e alimentos

* Paróquia Nossa Senhora das Dores (rua Tabor, 283, Ipiranga) – Alimentos não perecíveis, móveis e colchões

* Santuário Nossa Senhora Aparecida (rua Labatut, 781, Ipiranga) – Água, itens de higiene pessoal, alimentos não perecíveis

 

Pontos de arrecadação na Diocese de Santo André

* Em Santo André, há 11 locais, sendo que os centrais são:

* Santuário Senhor do Bonfim (rua Oratório, 1.458, Parque das Nações)

* Matriz Santo André (praça Presidente Vargas, 01, Vila Assunção)

* Catedral Nossa Senhora do Carmo (praça do Carmo, s/nº, Centro)

* Lar Menino Jesus (rua Piracanjuba, 542, Parque João Ramalho)

*São Bernardo do Campo: 

* Paróquia Nossa Senhora da Prosperidade (praça da Riqueza, 11, Prosperidade)

* Paróquia Sagrado Coração de Jesus (rua Padre Mororó, s/n, São José)

* Paróquia Nossa Senhora da Candelária (rua Castro Alves, 781, Oswaldo Cruz)

* Paróquia Sagrada Família (praça Cardeal Arcoverde, 100, Centro)

* Externato Santo Antônio (rua São Luís, 80, Santa Paula)

 

* Mauá:

* Paróquia Matriz Imaculada Conceição (praça Mons. Alexandre V. Arminas, 01, Matriz)

* Diadema:

* Paróquia Santa Rita de Cássia (rua Brejaúva, 191, Vila Santa Rita)

Fonte: Diocese de Santo André e Caritas Arquidiocesana de São Paulo

 

LEIA TAMBÉM: Com esperança de vida melhor, venezuelanos chegam a São Paulo

 

Para pesquisar, digite abaixo e tecle enter.