VATICANO

Sínodo Pan-amazônico

Há tempos, Papa planeja Sínodo para Amazônia, diz Cardeal Baldisseri

Por Filipe Domingues
06 de novembro de 2017

Amazônia ainda é carente de estruturas, de pessoal e de novas ideias, diz Cardeal Baldisseri

L'Osservatore Romano

A atenção especial do Papa Francisco à região da Amazônia já é de longa data. Conforme explicou o Cardeal Lorenzo Baldisseri ao O SÃO PAULO , em breve entrevista por e-mail, há mais de um ano o Pontífice já pensava em uma assembleia do Sínodo dos Bispos dedicada especialmente às questões da região Pan- Amazônica. “Cerca de um ano e meio atrás, recebi uma ligação telefônica do Papa, na qual me expressou a intenção de um possível Sínodo especial sobre a Amazônia”, contou Dom Lorenzo, que foi Núncio Apostólico no Brasil por dez anos e hoje é Secretário-Geral do Sínodo dos Bispos.

“Depois, passou bastante tempo e o Papa me disse que, naquele momento, era só uma ideia. Agora, como podemos ver, é um programa concreto”, afirmou o Cardeal. A chamada região da “Pan- Amazônia” inclui todo o território da floresta que se estende pelo Brasil, Colômbia, Peru, Venezuela, Equador, Bolívia, Guianas e Suriname. 

Segundo Dom Lorenzo, foi o Arcebispo Emérito de São Paulo, Cardeal Cláudio Hummes, quem estimulou esse projeto do Papa Francisco. “Já faz um bom tempo que o Santo Padre falava de uma atenção especial para a Amazônia e o Cardeal Hummes foi quem percebeu melhor do que ninguém esse desejo do Papa.” O Cardeal Baldisseri explicou que o objetivo é levar a Amazônia ao centro das atenções de toda a Igreja. “É uma terra de missão, no sentido clássico, onde houve a ‘ implantatio Ecclesiae ’, mas ainda carente de estruturas, de pessoal, de novas ideias.”

A associação entre problemas sociais e problemas ambientais que o Papa Francisco fez de forma inovadora na Encíclica Laudato Si’ se manifesta de forma explícita no contexto amazônico. De acordo com Dom Lorenzo, a Encíclica pode ajudar a orientar propostas para a região. “Para o mundo, é uma região única com problemáticas que dizem respeito à sobrevivência. O clima e o ecossistema foram fragilizados pela intervenção insensata e catastrófica do homem.” A Laudato Si ’ poderá ajudar a identificar “a urgência de uma intervenção positiva em favor dessa região”, diz.

O Papa Francisco anunciou em 15 de outubro sua decisão de convocar uma reunião especial do Sínodo para a Amazônia, que deve acontecer em outubro de 2019, no Vaticano. Ele disse que o objetivo é encontrar novas formas de evangelização, especialmente para indígenas, um povo esquecido e sem perspectiva. 

“Temos dois anos para preparar, mas os tempos ‘amazônicos’ são diferentes dos ritmos de outras regiões da terra. Temos que trabalhar desde já!”, disse o Cardeal Baldisseri. “A reação ao anúncio foi de entusiasmo e grande interesse, inclusive na Europa e na Ásia, onde se começa a aumentar a conscientização”, afirmou. 

Até o momento, desde 2014, existe a Rede Eclesial Pan-Amazônica, da qual Dom Cláudio Hummes é Presidente. A instituição reúne as conferências episcopais dos nove países da região. Dom Cláudio também é Presidente da Comissão Episcopal para a Amazônia na Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). “Em breve, teremos encontros na região com sucessivo e imediato contato da Secretaria-Geral do Sínodo dos Bispos”, contou Dom Lorenzo.
 

 

Para pesquisar, digite abaixo e tecle enter.