INTERNACIONAL

China

Governo destrói dois santuários marianos como forma de repressão

Por Filipe David
07 de novembro de 2018

As autoridades chinesas destruíram o Santuário de Nossa Senhora das Sete Dores, em Dongergou, e de Nossa Senhora da Montanha, em Anlong

Como parte de sua política de repressão religiosa, o governo chinês destruiu dois santuários marianos no País, apenas um mês após a assinatura de um acordo com a Igreja, por meio do qual os bispos aprovados pelo Partido Comunista foram oficialmente reconhecidos pelo Vaticano.

As autoridades chinesas destruíram o Santuário de Nossa Senhora das Sete Dores, em Dongergou, e de Nossa Senhora da Montanha, em Anlong. Ambos eram locais históricos de peregrinação para os católicos, tanto da Igreja “oficial”, reconhecida pelo governo, quanto da Igreja “subterrânea”, fiel a Roma. 

O governo alegou que o santuário de Anlong foi destruído porque não tinha as permissões de construção necessárias. Católicos locais dizem, no entanto, que a destruição faz parte da política oficial de “achinesar” a religião católica.

Fontes: Catholic Herald/ ACi
 

LEIA TAMBÉM: Atentado antissemita em Pittsburgh

Para pesquisar, digite abaixo e tecle enter.