SÃO PAULO

Seminaristas em Missão

‘Este é nosso campo de missão’, afirma Cardeal Scherer

Por Fernando Geronazzo
12 de julho de 2019

Os representantes dos 11 grupos partilharam as experiências vividas ao longo da semana e destacaram as dificuldades e os aprendizados no contato com as variadas realidades pastorais da cidade 
 

                                                                                                                                                           

Na segunda-feira, 8, aconteceu a avaliação da Missão de Férias dos seminaristas da Arquidiocese de São Paulo, no Seminário de Teologia Bom Pastor, no Ipiranga. Participaram do encontro os seminaristas, formadores, padres e leigos que acolheram os grupos de missionários, além do Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo Metropolitano. 
Os representantes dos 11 grupos partilharam as experiências vividas ao longo da semana e destacaram as dificuldades e os aprendizados no contato com as variadas realidades pastorais da cidade. 

PÁRÓQUIAS
Ao relatarem as visitas feitas às casas, os seminaristas chamaram a atenção para o grande número de idosos e enfermos que vivem na cidade, muitas vezes sozinhos. Ao mesmo tempo, os missionários se depararam com testemunhos de amor de familiares que se sacrificam para cuidar dessas pessoas. 
Outro aspecto salientado pelos estudantes foi a receptividade dessas famílias, que abriram suas casas para acolhê-
-los e rezar com eles. Em muitos casos, encontraram pessoas que se afastaram da Igreja Católica por motivos banais, mas que ainda cultivam profunda fé e estão necessitadas apenas de uma palavra de carinho para que se interessem em retornar para a comunidade. 
Além de visitarem as casas, os seminaristas conheceram mais de perto as iniciativas pastorais das paróquias, realizaram encontros de formação, conheceram os desafios dos párocos no pastoreio das comunidades e participaram de momentos de oração e convívio fraterno com os fiéis. 

FRONTEIRA 
Os missionários que acompanharam os trabalhos do Hospital Heliópolis e das pastorais do Menor, Carcerária e do Povo da Rua compartilharam a experiência, para muitos inédita, com realidades de vulnerabilidade social na cidade. 
Na maioria dos relatos, os seminaristas enfatizaram o papel essencial da Igreja nessas realidades. De igual modo, os estudantes chamaram a atenção para a dedicação e abnegação de leigos, sacerdotes e religiosos que se dedicam integralmente ao serviço da caridade às pessoas que sofrem. 
Os missionários enfatizaram, ainda, o número insuficiente de agentes para atender a grande demanda de pessoas que necessitam de assistência espiritual e pastoral nessas realidades de fronteira. Outro aspecto ressaltado pelos seminaristas foi a necessidade do despertar de consciência sobre a responsabilidade da sociedade para enfrentar os problemas sociais urgentes da cidade. 

RENOVAÇÃO MISSIONÁRIA
“Vocês fizeram o que os discípulos fizeram ao voltar da missão, contaram a Jesus as experiencias que viveram”, afirmou Dom Odilo, após ouvir todos os relatos. 
O Cardeal ressaltou que a semana missionária é uma grande oportunidade de os futuros padres da Arquidiocese conhecerem a realidade social, humana e religiosa da cidade. “Este é o nosso campo de missão, é para isso que vocês estão se preparando”, disse. “Com o passar dos anos, vocês terão um mosaico das realidades de nossa Arquidiocese. Esse é o objetivo dessa experiência missionária”, continuou. 
Ainda segundo o Arcebispo, os missionários não só tomaram contato com experiências positivas, como também com exemplos negativos que os ajudarão a discernir sobre a melhor maneira de agir quando forem sacerdotes. Isso ganha um significado especial no contexto do sínodo arquidiocesano de São Paulo, que tem como objetivo a conversão e renovação missionaria da Igreja na cidade.

COLABORAÇÃO DAS COMUNIDADES
Aos leigos que acompanharam os seminaristas na missão, Dom Odilo dirigiu um especial agradecimento, enfatizando que eles também colaboram no processo formativo dos futuros padres com seus exemplos e percepções da realidade pastoral em que estão inseridos. 
Os padres que acolheram os missionários ressaltaram o quanto a presença dos seminaristas foi positiva para as comunidades e pastorais. “É muito gratificante saber que nossos paroquianos puderam sentir que ajudam na formação dos seminaristas ao acompanhá-los na missão”, destacou o Padre Rafael Alves Pereira Vicente, Pároco da Paróquia Cristo Rei, na Região Brasilândia. 
Padre Gilson Frank dos Reis, da Missão Belém, enfatizou que a experiência de encontro com a população em situação de rua permitiu que os seminaristas vissem essa realidade sob uma nova perspectiva. “A população de rua, muitas vezes, é invisível aos olhos das pessoas. A partir do momento que nos aproximamos dela e conhecemos suas histórias, nós nos tornamos sacerdotes mais sensíveis a essa realidade e ajudamos o povo a enxergar esses irmãos que necessitam da nossa atenção e cuidado”, disse. 
Padre Ricardo Cardoso Anacleto, Pároco da Paróquia Nossa Senhora dos Remédios, na Região Sé, definiu a experiência missionária como surpreendente. Ele explicou que o território de sua Paróquia é marcado por um grande contraste social, com a presença de pessoas com poder aquisitivo elevado e, ao mesmo tempo, outras em situação de extrema pobreza. Na avaliação do Sacerdote, isso reflete a realidade de muitas paróquias da Arquidiocese e permite aos seminaristas uma experiência do desafio cotidiano dos párocos e fiéis das comunidades. 

Para pesquisar, digite abaixo e tecle enter.