INTERNACIONAL

Pelo Mundo

Entregar a vida ainda mais

Por ACN
07 de mai de 2019

Na Comunidade Shalom, eles não aceitam desculpas quando o assunto é a evangelização dos jovens

ACN

A Comunidade Católica Shalom foi fundada em 1982, no Brasil. Seus membros são jovens, famílias, casais e sacerdotes, que vivem nas chamadas “vida de comunidade” e se dedicam ao trabalho de evangelização e instrução cristã, principalmente entre os jovens. A parte central da vida da comunidade, com seus 3 mil membros, espalhados por 20 países, é a celebração diária da Santa Missa, junto com a oração pessoal, a meditação das Sagradas Escrituras e a opção radical de seguir Jesus Cristo.

Na Comunidade Shalom, eles não aceitam desculpas quando o assunto é a evangelização dos jovens. Em entrevista à ACN, o fundador, Moysés Azevedo, disse que “às vezes, temos uma tentação de ficar esperando que os jovens venham até nós, de ficar nas nossas paróquias dizendo que os jovens de hoje não querem nada. Nós devemos ir ao encontro deles onde eles estão, com uma proposta audaciosa e criativa. Um testemunho de vida é fundamental. A vida de oração é o segredo, mas, sobretudo, o que evangeliza o jovem é um coração apaixonado pelos jovens”. Ele completa ainda dizendo que “se você pede pouco para um jovem, ele não dá nada; se pede muito, ele dá pouco; mas, se pede tudo, ele dá tudo!”

Um dos jovens que se tornou membro da Comunidade Shalom e entregou tudo há 25 anos é o hoje Padre Jairo Barbosa Leite, 46. Ele é um dos 19 sacerdotes da Comunidade que atualmente recebem ajuda da ACN para continuar sua missão de levar o Evangelho.

Padre Jairo precisou entregar ainda mais sua vida em outubro de 2015. Enquanto inspecionava o trabalho de restauração em sua paróquia, ele caiu de uma altura de cinco metros e ficou paralítico desde então. No entanto, ele se recusa a falar de sua situação como um “desastre” ou “coisa do destino”

Quando perguntado sobre o acidente, ele diz: “Naturalmente, foi um choque quando eu me dei conta que ficaria paralisado dali em diante. Mas, então, entendi que não era um fardo, mas sim uma graça. Muitas pessoas pensam que você só pode ser feliz se tudo está bem. Mas eu sou feliz, e sinto que recebi uma graça especial, justamente porque eu agora me encontro totalmente dependente dos outros. E posso mesmo alcançar as pessoas que estão longe da fé, pois elas inevitavelmente se perguntam como é que eu ainda posso ser feliz.”

Padre Jairo vê tudo como providência de Deus. “Mesmo paralisado, sentado numa cadeira de rodas, eu posso reconhecer o valor que meu serviço ainda tem, por meio da minha vida de oração, das vigílias noturnas, da celebração da Eucaristia, escutando confissões e dando os cursos educacionais que ainda posso oferecer. Eu sou feliz por saber que Deus pode usar meu sacerdócio dessa forma. Como é bom, apesar de minha fraqueza, poder confiar meus pecados a Deus e testemunhar sua intervenção!”, concluiu.

 

LEIA TAMBÉM: Filipinas: História de sucesso

Para pesquisar, digite abaixo e tecle enter.