SÃO PAULO

Abas primárias

Sínodo Arquidiocesano

Em saída para ouvir a cidade

Por Fernando Geronazzo
05 de julho de 2018

Durante julho e agosto, agentes paróquiais arquidiocesanos, farão pesquisa domiciliar para levantamento da realidade religiosa.

Núcleo de Mídias da Arquidiocese de São Paulo

A partir da metade deste mês e durante agosto, agentes das paróquias da Arquidiocese de São Paulo vão a campo para a realização do levantamento da realidade religiosa em seus territórios. A pesquisa domiciliar faz parte da primeira etapa do sínodo arquidiocesano, que acontece em âmbito paroquial ao longo de 2018. 

Além das sínteses das reflexões dos encontros de grupos, que estão acontecendo nas paróquias e comunidades desde março, e do levantamento da realidade pastoral, que será realizado junto aos párocos da Arquidiocese, a pesquisa de campo tem o objetivo de identificar a realidade sociorreligiosa e trazer elementos de análise a serem usados nas assembleias paroquiais do sínodo, previstas para acontecer entre setembro e outubro, bem como para a etapa regional do sínodo, em 2019, e à fase arquidiocesana, em 2020. 

O questionário foi elaborado pela Comissão de Coordenação Geral do sínodo, que contou com o apoio da Coordenadoria de Estudos e Desenvolvimento de Projetos Especiais (Cedepe), da PUC-SP, para o desenvolvimento da metodologia da pesquisa.

A partir do cruzamento das informações dos limites paroquiais com os dados do último censo do IBGE (2010), os especialistas da Cedepe indicaram um número de entrevistas que devem ser feitas para garantir uma amostragem confiável do levantamento. Também será definido um critério de sorteio de domicílios usado pelas pesquisas de campo para que seja garantida a cientificidade e isenção do levantamento. 

Para agilizar a realização da pesquisa e a tabulação dos dados, a empresa Orgsystem desenvolveu um questionário digital por meio de um aplicativo para dispositivos móveis (celulares e tablets) com acesso à internet.  

 

PESQUISADORES

O levantamento será realizado por agentes voluntários indicados pelos párocos. Cada região episcopal contará com 50 entrevistadores e dois monitores que serão treinados pelos especialistas da Cedepe. Os critérios de indicação dos entrevistadores são: ter terminado o ensino médio ou similar; ter familiaridade no uso do tablet e/ou celular; sociabilidade; comunicabilidade; boa educação; experiência em pesquisa (esse item não impede a seleção do voluntário, é apenas um atributo a ser observado). 

Durante a pesquisa, os entrevistadores estarão devidamente uniformizados, com coletes e bonés personalizados, crachás com foto, identificação e contatos para a confirmação de sua autenticidade. Por isso, a Arquidiocese iniciará uma intensa campanha de divulgação do levantamento para conscientizar as pessoas da importância de acolher os pesquisadores em suas casas.
 

Para pesquisar, digite abaixo e tecle enter.