INTERNACIONAL

MOÇAMBIQUE

Em Maputo, Dom Odilo visita os missionários da Aliança de Misericórdia

Por Redação
19 de agosto de 2019

Cardeal segue em vista missionária ao País, após ter passado na última semana pela Diocese de Pemba

O Cardeal Odilo Pedro Scherer esteve com os missionários brasileiros da Aliança de Misericórdia e visitou o Centro Social Paraíso, no bairro Hulene, na periferia de Maputo.

À sua chegada, moradores saudaram Dom Odilo com uma canção de boas-vindas, cuja letra dizia: “Jesus está no meio de nós”.

Dom Odilo brincou com as crianças, abençoou as mães, caminhou pelo bairro, visitou e falou com moradores. O Cardeal, também, foi até o lixão do bairro.

Ao fim da tarde, Dom Odilo celebrou a Santa Missa com os missionários.

 

Paraíso

“Paraíso, paraíso”!  É assim que os moradores de Hulene, bairro da periferia de Maputo, saúdam os missionários da Aliança de Misericórdia pelas ruas.

O bairro, na verdade, é uma favela que foi se formando no entorno do lixão da cidade, de onde os moradores tiram o seu sustento. Foi nessa região que os missionários da Aliança de Misericórdia escolheram fundar o centro social e de evangelização Paraíso.

Padre André contou à reportagem que há muitas pessoas que moram no lixão, sem qualquer abrigo.

José Augusto Ubsse , 40, foi uma dessas pessoas. Viveu no lixão por 19 anos até conhecer a Aliança da Misericórdia. Recentemente, foi contratado para trabalhar no Centro Social Paraíso.

“No Centro Social, as ‘Mamás’, que trabalham como coletoras no lixão, recebem formação sobre higiene pessoal, sanitária e instruções para bem cuidar de seus filhos. O Centro também oferece alimentação para as crianças que sofrem de desnutrição”, contou o Religioso ao O SÃO PAULO.

 

Encontrei a Cristo e, com Ele, a missão

Rosana Miranda Fernandes é natural de Caetité, na Bahia. Enfermeira, com 29 anos, chegou em Hulene a convite de Dom Francisco Chimoio, Arcebispo de Maputo. Rosana conheceu a Aliança em Belo Horizonte (MG), em 2016. Um ano depois, já estava em sua primeira missão, em São Paulo de Olivença (AM), no Alto Solimões. Há dois anos, vive em Moçambique. É uma das fundadoras do Centro Social Paraíso. “Vi que as mães trabalham no lixão com os filhos nas costas, respirando fumaça de lixo queimado o dia todo. Senti que tínhamos de fazer alguma coisa!”

“Nunca pensei antes em ser missionária. Para dizer a verdade, nem católica praticante eu era. Encontrar a Cristo e abraçar a missão foi uma mesma coisa. A providência é uma radicalidade, a missão é uma radicalidade, a experiência da pobreza e do desprendimento é uma maravilhosa aventura radical. E eu sempre amei aventuras”, disse Rosana acerca de sua vocação.

 

(Com informações do Padre Michelino Roberto)

Para pesquisar, digite abaixo e tecle enter.