SÃO PAULO

Pastoral da Saúde

‘É o próprio Jesus que entra na casa do doente e vai para junto do leito’

Por Flavio Rogério Lopes e Jennifer Silva
15 de março de 2019

Dom Odilo preside missa de abertura dos cursos da Pastoral da Saúde da Arquidiocese, dia 9

Luciney Martins/O SÃO PAULO

O Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo Metropolitano, presidiu a missa de abertura dos cursos da Pastoral da Saúde, na Paróquia Nossa Senhora da Saúde, na Vila Mariana, no sábado, 9.

Neste ano, são oferecidos os cursos de “Formação Inicial para Agentes da Pastoral da Saúde”, nas regiões episcopais, e de “Formação para a Pastoral Hospitalar”, no Mosteiro de São Bento, no Centro.

 

PREOCUPAÇÕES DE JESUS

Na homilia, Dom Odilo disse que a Quaresma é tempo oportuno para abrir o coração à escuta dos apelos de Deus e da Igreja, apresentados de muitas formas por meio da liturgia.

“A Liturgia quaresmal é uma grande Catequese, uma mistagogia, que nos repropõe o itinerário da nossa fé, recorda- -nos os mistérios de Deus em que cremos e nos torna sensíveis ao apelo de Deus”, afirmou.

O Cardeal Scherer lembrou que as pessoas enfermas nas casas e hospitais são preocupação central do serviço da Igreja e que o recado missionário da Quaresma é o de “termos as mesmas preocupações de Jesus, para que muitos possam receber essa visita salvadora”

Ainda segundo Dom Odilo, “nossa missão é também ajudar os outros para que possam ter a alegria do encontro com Jesus por meio de uma visita, de uma palavra ou de uma oração. É o próprio Jesus que entra na casa do doente e vai para junto do leito. A pessoa se sente exatamente visitada por Jesus”, concluiu.

 

PASTORAL E SÍNODO

Após a celebração, Dom Devair Araújo da Fonseca, Bispo Auxiliar de São Paulo e membro da Comissão de Coordenação Geral do sínodo arquidiocesano, conduziu a aula inaugural dos cursos, na qual apresentou os dados da pesquisa realizada por ocasião do sínodo.

Conforme dados da pesquisa, há grupos de Pastoral da Saúde em 166 das 295 paróquias da Arquidiocese, e, em 217 paróquias, há grupos da Pastoral do Enfermo. Ao todo, a ação pastoral das paróquias atendeu mais de 33 mil doentes no ano de 2017.

 

FORMAR AGENTES

Segundo Padre João Inácio Mildner, Assessor Eclesiástico da Pastoral da Saúde arquidiocesana, a perspectiva para este ano é formar os agentes para uma ampla ação da Pastoral na Arquidiocese de São Paulo.

“Nossa expectativa é que seja um ano muito fecundo e produtivo na formação de agentes, para que todos os doentes da Arquidiocese ou que estão internados aqui nos hospitais tenham assistência religiosa não só nos hospitais católicos, mas também nos filantrópicos e públicos”, disse ao O SÃO PAULO.

 

MÉDICO E SACERDOTE

Padre João também falou sobre a chegada do Padre Tiago Gurgel do Vale para a Pastoral da Saúde. Este sacerdote, formado em Medicina com Doutorado em Bioética, retornou ao clero arquidiocesano após um período de estudos em Roma.

Padre Tiago se diz muito feliz em contribuir com a Pastoral e na formação de novos agentes. “Quando eu trabalhava como médico, eu tinha esse contato com o doente, mas percebi que o contato com o doente, não mais como médico, era um contato na profundidade do ser humano. Uma relação entre almas, porque o paciente quanto fala com o médico, fala da dor física, mas, com o padre, ele fala de toda a sua enfermidade espiritual”, disse à reportagem.

 

LEIA TAMBÉM: Por um caminho de conversão, comunhão e renovação missionária

Para pesquisar, digite abaixo e tecle enter.