'Cada uma olhe para sua comunidade e se sinta parte dela'

Por
28 de março de 2020

Neste sábado da 4ª semana da Quaresma, 28, o Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo, presidiu a eucaristia na capela de sua residência, transmitida pela rádio 9 de Julho e pela página da Arquidiocese no Facebook.

Na homilia, Dom Odilo refletiu sobre o trecho do Evangelho de São João (7, 40-53), que mostra as discussão em torno de quem era Jesus. “Uns acreditam nele, outro começaram a questionar. É um pouco do que continua acontecendo hoje. Jesus ainda mexe com as consciências, com as posições de cada um, tira-nos todos de nossa posição de conforto”, afirmou o Cardeal. 

O Arcebispo ressaltou que o tempo quaresmal é a oportunidade de cada cristão rever a sua posição em relação a Jesus Cristo. “Qual é nossa posição diante de Jesus? Deixemos que sua pessoa, seu exemplo e sua palavra nos questione, quando fala das questões mais eternas e mais profundas”, exortou.

FÉ DA IGREJA

Dom Odilo lembrou ainda, que o testemunho da Igreja, desde os apóstolos, é referência para crer em Jesus como verdadeiro Deus e verdadeiro homem.

Nesse sentido, o Cardeal recomendou a leitura do Catecismo da Igreja Católica como uma das principais fontes para aprofundar o conhecimento da fé professada pela Igreja.

“Acompanhemos bem este tempo precioso da Quaresma, em que Deus se manifesta próximo e nos dá sua palavra em abundância, para que possamos reconhecer os seus caminhos de misericórdia, bondade e salvação”, afirmou o Arcebispo.

ORAÇÃO PELOS DOENTES

No fim da missa, Dom Odilo transmitiu sua bênção a todos os doentes e àqueles que cuidam deles. “Estamos todos preocupados com aqueles que já estão doentes e que poderão ficar enfermos. Por isso, devemos nos cuidar. Cuidemos uns dos outros, continuemos a levar a sério as recomendações das autoridades”, acrescentou.

O Arcebispo renovou seu apelo para que os fiéis continuem a viver a Quaresma de uma forma nova, mantendo-se unidos à Igreja. “A Igreja está mais ativa do que nunca, mesmo que não seja presencialmente”, afirmou o Cardeal, recordando, como exemplo, o momento de oração conduzido pelo Papa Francisco nesta sexta-feira, no Vaticano. “Mesmo com a Praça São Pedro vazia, todos estávamos unidos, acompanhando pelo meios de comunicação”, destacou.

UNIDOS À COMUNIDADE

Dom Odilo novamente recomendou que o povo se mantenha unido espiritualmente às suas paróquias, mas também esteja atento às suas necessidades materiais.

“O mundo está preocupado com as questões econômicas e nós também estamos preocupados com como iremos pagar as despesas fixas que continuam. Cada paróquia está se organizando para que cada paroquiano possa continuar a doar o seu dizimo. Cada uma olhe para sua comunidade e se sinta parte dela”, ressaltou o Cardeal.

De igual modo, o Arcebispo recordou as necessidades das instituições da Igreja que promovem o serviço da caridade. “Temos muitas obras que precisam do apoio para continuarem cuidando dos muitos pobres de nossa cidade”, concluiu.  

 As missas presididas por Dom Odilo são transmitidas diariamente, às 7h, pela rádio 9 de Julho e pela página da Arquidiocese no Facebook.

ASSISTA AO VÍDEO DA MISSA DESTE SÁBADO: 

Comente

Cardeal Scherer: ‘Deus está perto de quem sofre’

Por
27 de março de 2020

O Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo, renovou o seu convite à oração e confiança em Deus durante a missa celebrada na manhã desta sexta-feira, 27, na capela de sua residência, transmitida pela rádio 9 de julho e pela página da Arquidiocese no Facebook.

Na homilia, Dom Odilo meditou sobre a primeira leitura, extraída do Livro da Sabedoria (2,1a.12-22), que narra o desejo dos ímpios de armarem ciladas contra os justo porque sua presença os incomoda. “Os ímpios tramam contra o justo porque ele é um espinho nos olhos dos ímpios. “Essa leitura é um convite par anos mantermos no caminho da justiça, da honestidade e da retidão, apesar de tudo”, afirmou.

Referindo-se ao momento atual de crise pandêmica, o Cardeal afirmou que este é um tempo de conversão, oração e penitência e, assim como diz a leitura, haverá aqueles que se incomodem e digam que a fé não ajudará a enfrentar essa dificuldade.

'DEUS VEM EM NOSSO SOCORRO'

Nesse sentido, o Arcebispo recordou as palavras do salmo responsorial (Sl 33), que diz: “Do coração atribulado está perto o Senhor”.  “Deus está perto de quem sofre, compreende a nossa fraqueza e vem em nosso socorro quando baixamos de nossos orgulho e clamamos por ele”, ressaltou.

Nesse sentido, Dom Odilo lembrou, ainda, que o Papa Francisco sempre tem conclamado os cristãos à oração, especialmente nesta-sexta feira, em que presidira um momento de oração e adoração na Praça São Pedro vazia, às 14h (horário de Brasília), seguida da benção Urbi et Orbi, por meio da qual é possível obter indulgência plenária.

VIDA EM PRIMEIRO LUGAR

O Cardeal reforçou que a importância de seguir as recomendações das autoridades sanitárias a não saírem de casa e, assim, evitarem a rápida disseminação do coronavírus.

“Neste momento, nós temos que nos ocupar com aquilo que que conta primeiro, a nossa vida uns dos outros, para depois cuidamos da economia.  Lutando todos juntos, com novos critérios de solidariedade, com menos egoísmo, mais justiça social conseguiremos superar os nossos problemas econômicos”, afirmou o Cardeal. 

No fim da celebração, Dom Odilo renovou o convite às famílias a redescobrirem o seu sentido e espiritualidade, cultivando momentos de oração comum e fortalecendo os laços que as unem.

As missas presididas por Dom Odilo são transmitidas diariamente, às 7h, pela rádio 9 de Julho e pela página da Arquidiocese no Facebook.

ASSISTA AO VÍDEO DA MISSA DESTA SEXTA-FEIRA: 

Comente

‘Na Anunciação do Senhor, celebramos o início da nossa redenção’

Por
25 de março de 2020

Na manhã desta quarta-feira, 25, o Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de SÃo Paulo presidiu a missa da Solenidade da Anunciação do Senhor, transmitida pelo rádio e pela internet direto da sua residência.

Na homilia, Dom Odilo recordou que, nessa solenidade, celebra-se o mistério da encarnação de Jesus Cristo no ventre da Virgem Maria. Ao ouvir o anúncio do anjo de que conceberia e daria à luz o Filho de Deus, Nossa Senhora acolhe e se entrega à Palavra de Deus. “Maria, portanto, coloca-se em uma atitude de grande fé e de disponibilidade para que a obra de Deus se realize nela e por meio dela para todo o mundo, afirmou o Cardeal.

O VERBO SE FEZ CARNE

O Arcebispo destacou que o foco principal dessa solenidade é expresso na oração litúrgica do dia, que diz: “Ó Deus, quisestes que vosso Filho se fizesse homem no seio da Virgem Maria; dai-nos participar da divindade do nosso Redentor, que proclamamos verdadeiro Deus e verdadeiro homem”.

“Aqui está em ação a obra de Deus, que envia o seu Filho, é um projeto da Santíssima Trindade de redenção da humanidade”, ressaltou Dom Odilo, acrescentando que o Verbo divino se encarnou para que cada ser humano participe da sua divindade.

O Cardeal lembrou, ainda, que a Anunciação  do Senhor é celebrada exatamente nove meses antes do Natal, solenidade que também tem como centro o mistério da encarnação. “O Verbo de Deus assume a nossa carne e é verdadeiro Deus e verdadeiro homem.. São Paulo diz que Jesus se esvazia da sua gloria para assumir a nossa veste humilde da humanidade”, completou.

“Hoje celebramos este mistério da fé, o início da nossa redenção... A nossa religião é unirmos a Jesus Cristo que se uniu a nós e nos unimos a ele pela fé e somos redimidos pela sua divindade”, enfatizou o Arcebispo.

A COMUNIDADE E OS POBRES

No fim da missa, Dom Odilo renovou o seu apelo para que os fiéis permaneçam unidos à comunidade eclesial mesmo em meio ao isolamento domiciliar recomendado pelas autoridades para conter a disseminação do novo coronavírus. “A Igreja é uma grande comunidade de comunidades, embora sejamos uma comunidade midiática, procuremos manter, os vínculos que nos une pela fé”, exortou.

O Arcebispo recomendou, ainda, para que os pobres não sejam esquecidos em suas necessidades básicas, como alimentação e hidratação, além do cuidado da saúde e higiene, por se tratarem de um grupo com maior risco de contágio do COVID-19.

“Nossas organizações que cuidam dos pobres precisam do nosso apoio para continuar a atendê-los e aliviar seus sofrimentos”, concluiu Dom Odilo.

As missas presididas por Dom Odilo são transmitidas diariamente, às 7h, pela rádio 9 de Julho e pela página da Arquidiocese no Facebook.

ASSISTA AO VÍDEO DA MISSA DESTA QUARTA-FEIRA:

Comente

‘A Igreja não entrou em quarentena, ela continha sua missão’, diz Dom Odilo

Por
24 de março de 2020

‘Jesus é a fonte da água viva a quem devemos acorrer’, destacou o Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo na missa da manhã desta terça-feira, 24, transmitida pela internet direto da capela de sua residência.

Na homilia, Dom Odilo refletiu sobre o trecho do Evangelho de São João que narra a cura do paralítico que vivia a beira da piscina de Betesda, em Jeresalém.

JESUS É O TEMPLO

O texto bíblico conta que aquele que conseguisse entrar nessa piscina quando suas águas eram agitadas por um anjo, seria curado de qualquer enfermidade. Quando questionado por Jesus se queria ficar curado, o homem paralítico disse que não tinha quem o ajudasse a se aproximar da piscina. “Jesus disse: ‘Levanta-te, pega tua cama e anda’. No mesmo instante, o homem ficou curado, pegou sua cama e começou a andar”.

“Jesus é o templo, dele sai a água viva que jorra abundantemente para todos que querem matar a sua sede e ter a vida em abundância. Não fiquemos morrendo de sede perto da fonte”, afirmou o Arcebispo.

O Cardeal convidou todos a, nesse caminho quaresmal, oltarem-se para Jesus Cristo, salvador da humanidade. “Procuremos rever nossa vida de fé. De repente, o coronavírus esta dando uma ocasião para que nós repensemos a vida”, refletiu. 

NÃO ESQUECER OS DOENTES

No fim da missa, Dom Odilo reforçou a recomendação para que as pessoas busquem estar unidas às suas comunidades, acompanhando e divulgando as celebrações que são transmitidas pelos meios de comunicação. Ele também orientou para que não se esqueçam das pessoas doentes, impossibilitadas de receber visitas devido ao risco de contágio.

“A Igreja não entrou em quarentena, ela continha sua missão, que é mais importante, agora, para os doentes e para todo povo que está vivendo uma situação de angústia”, afirmou o Cardeal, pedindo para que procurem se informar onde há doentes e comuniquem os padres para que, mesmo que nem sempre possam visitá-los, devido ao grande risco de contagio, façam-se próximos, entrando em contato por telefone ou mensagens. 

O Arcebispo enfatizou novamente a importância de seguir as recomendações das autoridades, para ficar em casa e manter o isolamento social. “Aproveite esse tempo para aprofundar os laços com os que vivem em sua casa, com os seus familiares”.

As missas presididas por Dom Odilo são transmitidas diariamente, às 7h, pela rádio 9 de Julho e pela página da Arquidiocese no Facebook.

ASSISTA AO VÍDEO DA MISSA DESTA TERÇA-FEIRA:

Comente

Dom Odilo exorta a testemunhar fé, mesmo nas dificuldades

Por
22 de março de 2020

O Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo, presidiu a missa neste domingo, 22, na capela de sua residência, transmitida, ao vivo, pela página da Arquidiocese no Facebook.

Em virtude da crise sanitária provocada pela disseminação do novo coronavírus, desde o sábado, 21, as celebrações e eventos religiosos com a presença do povo estão suspensas na Arquidiocese.

A CURA DO CEGO

Na homilia, Dom Odilo refletiu sobre o Evangelho proclamado no 4º Domingo da Quaresma, que narra a cura do cego de nascença. Ele ele explicou essa figura da narrativa bíblica é paradgmática e exemplar para todas as pessoas e enfatizou que que essa história está inserida na lógica quaresmal de preparação para a Páscoa.

“A cegueira é uma imagem da cegueira espiritual, para quem não tem fé, quem não consegue crer... A falta daquele olhar sobrenatural que nos faz perceber as coisas com os olhos de Deus”, explicou o Cardeal.

PEDIR A FÉ

O Arcebispo ressaltou que todos devem sempre fazer o pedido que o cego fez a Jesus: “Senhor, que eu veja”. “Quando nos falta o olhar da fé, ficamos presos a este mundo. Quem tem o olhar da fé transcende, vai além daquilo que já temos agora”, continuou. 

O gesto de Jesus para recuperar a visão do cego, ao fazer lama com a própria saliva e ungir os seus olhos. “Esse gesto nos recorda as unções feitas no Batismo”, destacou Dom Odilo, chamando a atenção para o fato de, em seguida, Jesus ter mandado o cego ir se lavar na piscina de Siloé, o que também recorda o rito batismal.

Depois de ser curado da cegueira, aquele homem teve de enfrentar os questionamentos das pessoas  sobre como ele estava enxergando. O Arcebispo explicou que esses são aqueles que não têm fé e questionam aqueles que creem.

Desse modo, o homem que voltou a ver dá testemunho da sua fé, mostrando não apenas que foi curado, como também mostrou quem foi que o curou. “Quem tem fé, quem tem os olhos abertos ao sobrenatural, agradeça a Deus, fique firme na fé e a professe, dê testemunho dessa fé, mesmo nas dificuldades, diante daqueles que o provocam”, exortou Dom Odilo, acrescentando que Deus jamais nega a fé a quem pedi-la com sinceridade.

UNIDOS À COMUNIDADE

Antes da benção final, Dom Odilo recitou uma oração feita por Dom Bruno Forte, Bispo de Bispo de Chieti-Vasto, Itália, propriamente para esse tempo de pandemia de coronavírus.

Ao se despedir do fiéis, o Cardeal reforçou o pedido para que sejam seguidas as recomendações das autoridades sanitárias para ficar em casa e sair somente em caso de extrema necessidade, sobretudo os idosos e pessoas consideradas do grupo de risco para desenvolver a forma grave do COVID-19. Ele também incentivou todos a viverem o Dia do Senhor em família.

“Não deixemos de acompanhar a vida da Igreja neste tempo. Procurem acompanhar a sua comunidade paroquial. A Igreja não é uma ideia que está no ar, é uma realidade muito concreta, é a comunidade de comunidades. Portanto, devemos nos manter unidos à comunidade a qual pertencemos... Quando passar essa crise, voltaremos todos e, com um grande abraço, com grande alegria, encontraremo-nos de novo na igreja”, afirmou o Arcebispo.

Ainda neste domingo, Dom Odilo presidirá outra missa às 11h, transmitida pela rádo 9 de Julho e pela página da Arquidiocese do Facebook. A partir desta segunda-feira, 23, às 7h, as missas diárias do Cardeal Scherer também serão transmitidas pela rário e pela internet.

ASSISTA AO VÍDEO DA MISSA PRESIDIDA PELO CARDEAL SCHERER:

LEIA TAMBÉM:

Oração em tempos de coronavírus

Senhor Jesus, Salvador do mundo,
Esperança que não conhece desilusão,
Tem piedade de nós e livra-nos do mal!
A Ti imploramos a vitória sobre o flagelo deste vírus,
Que se difunde rapidamente,
A cura dos doentes, a proteção dos que têm saúde
O auxílio para quem cuida da saúde dos outros.
Mostra-nos o teu rosto misericordioso
E salva-nos com teu grande amor.
Tudo isso Te pedimos pela intercessão de Maria,
Tua e nossa mãe, que fielmente nos acompanha.
Tu que vives e reinas pelos séculos dos séculos.
Amém.

(Dom Bruno Forte, Bispo de Chieti-Vasto, Itália)

Comente

Cardeal Scherer presidirá missa diária pela internet a partir do dia 23

Por
20 de março de 2020

Em entrevista concedida ao Padre Abério Christe, no programa “Em sintonia com a Fé”, da rádio 9 de Julho, na manhã desta sexta-feira, 20, o Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo, reforçou o pedido a todo o povo que siga as recomendações preventivas das autoridades sanitárias no combate à disseminação do novo coronavírus na cidade.

Dom Odilo informou, ainda, que, a partir da próxima segunda-feira, 23, às 7h, as missas diárias por ele presidida na capela de sua residência, serão transmitidas, ao vivo, pela rádio 9 de Julho (AM 1600kHz  ou pelo site) e pelo Facebook. Além dessas missas, já são transmitidas as celebrações eucarísticas do Cardeal Scherer na Catedral da Sé, aos domingos, às 11h.

“Todos precisam fazer a sua parte, porque está em jogo a saúde e a vida, sobretudo, das pessoas mais frágeis, idosas, doentes. Portanto, façamos a nossa parte e sairemos bem dessa situação”.

NAS IGREJAS

Sobres as recomendações próprias para as paróquias, comunidades e organizações eclesiais, Dom Odilo pediu a todos que tenham calma e aguardem novas determinações por parte da Prefeitura de São Paulo, que em breve serão publicadas. “Nós também nos adequaremos a essas determinações. Mas aguardemos que seja publicado esse decreto da Prefeitura”, afirmou.

Para as pessoas que participam das celebrações nas igrejas, o Arcebispo reforçou as recomendações dadas anteriormente: evitar contato físico, guardar distância segura, higienizar as mãos, entre outras.

GRUPO DE RISCO

O Cardeal ressaltou que algumas orientações da autoridades já são conhecidas e têm sido incentivadas pela Arquidiocese, como a recomendação para que os idosos e pessoas consideradas do grupo de risco para desenvolver a forma grave do Covid-19 fiquem em casa.

“Vamos nos acostumando a participar mais das celebrações transmitidas pelo rádio, televisão, internet”, aconselhou o Arcebispo. “É um momento de crise, de exceção e nós temos que nos adequar”, completou.

O Cardeal também tranquilizou os fiéis impedidos de participar das missas, recordando que a Igreja já ensina que as pessoas em situação de doença ou risco não são obrigadas a participar da missa. “Em tempos normais, quando não há nenhum problema de risco, as pessoas vão normalmente à Igreja. Porém, em tempos de risco de contágio e de prejudicar a saúde das pessoas que já estão frágeis, não há problema em ficar em casa e acompanhar as celebrações a partir de casa”, recomendou o Cardeal.

ATENÇÃO AOS POBRES

“Não descuidemos de modo nenhum da nossa saúde para podermos cuidar da saúde dos outros também. E, nesse tempo, pensemos, sobretudo, naquelas pessoas que precisam de grandes cuidados”, enfatizou o Cardeal, pedindo a todos que não se esqueçam dos mais pobres.

“A população pobre não tem muito como se cuidar e vivem um risco ainda maior. Demos continuar a nossa solidariedade mesmo não indo à Igreja, acompanhemos os apelos de solidariedade para ajudar àquelas entidades que estão trabalhando pelos pobres”, concluiu. 

Comente

Dom Odilo: ‘Todos temos necessidade de conversão’

Por
28 de fevereiro de 2020

O Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo Metropolitano, presidiu a missa com a o rito de imposição das cinzas na quarta-feira, 26 de fevereiro, iniciando o tempo litúrgico da Quaresma.

Dom Odilo iniciou a homilia citando a oração da liturgia do dia, que diz: “Concedei-nos, ó Deus, iniciarmos com este dia de jejum o tempo da Quaresma, para que a penitência nos fortaleça no combate contra o espírito do mal”. O Arcebispo destacou, ainda, que a Palavra de Deus proclamada na celebração traz um apelo à conversão das intenções e dos propósitos de vida, para que estejam orientados para Deus e seus mandamentos, e se conformem com os caminhos de Deus. “Todos temos necessidade de conversão”, sublinhou.

“Quantas vezes, desviamo-nos e escolhemos outros caminhos contrários aos mandamentos de Deus! E acabam entrando em nossa vida certos apegos ao mal, que nos são até cômodos e agradáveis, mas nos afastam de Deus, fazem muito mal a nós e aos outros. São as paixões desordenadas, os vícios que corrompem, é a vida superficial e irresponsável”, acrescentou o Cardeal.

‘DE QUE LADO ESTAMOS?’

Ainda referindo-se à oração inicial, o Arcebispo reforçou que o cristão deve ser um aliado de Deus no combate contra o espírito do mal. “Neste início da Quaresma, devemos perguntar, sinceramente: de que lado estamos? Do lado de Deus? Ou somos aliados do espírito do mal que combate contra Deus e contra tudo que é de Deus?”, indagou.

“A Quaresma é um caminho penitencial, durante o qual somos chamados a rever nossas posições e a voltarmos para Deus, a nos converter, a nos arrepender de nossos pecados, a nos purificar mediante a acolhida da misericórdia de Deus que sempre estende-nos a mão e nos levanta de nossas quedas”, continuou Dom Odilo.

FRATERNIDADE E VIDA

O Cardeal Scherer também falou sobre a Campanha da Fraternidade de 2020, aberta nessa ocasião, cujo tema é “Fraternidade e Vida: Dom e Compromisso”.

“A Igreja, mais uma vez, apresenta sua firme convicção e posição em favor da vida humana, da inviolabilidade e da dignidade da pessoa humana. Não cabe ao homem apossar-se do dom da vida, nem para suprimi-la, diante do aborto ou da eutanásia, ou mesmo mediante as muitas formas de violência direta ou indireta, nem para desrespeitá-la e vilipendiá-la por muitas formas”, afirmou Dom Odilo (leia mais nas páginas 10 e 11).

“Que o tempo penitencial da Quaresma ajude todos nós a tomarmos consciência novamente do dom precioso da vida humana e da vida da natureza e desperte em nós atitudes de verdadeira conversão e fraternidade”, concluiu o Cardeal.

No fim da celebração, o Arcebispo entregou o manual da Campanha da Fraternidade para leigos e religiosos representantes das regiões episcopais e vicariatos ambientais da Arquidiocese, como forma simbólica de envio para implementação da CF na Igreja em São Paulo.

(Colaborou: Daniel Gomes)

LEIA TAMBÉM: 

‘A Campanha da Fraternidade é um grito em favor da vida’, diz Cardeal Scherer

Comente

Em Roraima, Cardeal Scherer ressalta ‘situação de emergência’ dos imigrantes venezuelanos

Por
21 de janeiro de 2020

Entre os dias 7 e 13 de janeiro, o Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo, realiza uma visita missionária à Diocese de Roraima (RR).

Acolhido pelo Bispo Diocesano, Dom Mário Antonio da Silva, o Cardeal Scherer está conhecendo o trabalho de acolhida dos milhares de imigrantes venezuelanos que cruzam a fronteira após o agravamento da crise política e humanitária no país vizinho.

Nesta terça-feira, 7, Dom Odilo se reuniu com os membros das organizações eclesiais e civis que atuam na acolhida a apoio aos imigrantes.

“São iniciativas muito bonitas de solidariedade. Cada organização ajuda de alguma maneira e, assim, é um trabalho em rede, um trabalho de 'formiguinha'. Cada um faz alguma coisa e, no fim, muitas coisas para socorrer as situações de necessidade de tantos venezuelanos que aqui estão”, relatou o Cardeal, no programa “Encontro com o Pastor”, da rádio 9 de Julho.

MUITAS NECESSIDADES

O Arcebispo destacou, ainda, que a situação na fronteira é muito mais séria. “A situação é de grande emergência. Há carência de tudo. As pessoas estão com fome, desnutridas, cansadas, procuram trabalho, alguma forma de viver com dignidade, sustentar a família”, disse.

“A multidão é grande e as necessidades são muitas. Por isso, o Brasil todo precisa se envolver na ajuda a essas pessoas”, manifestou o Cardeal, ressaltando que Roraima é um estado pequeno e não consegue absorver a multidão que procura trabalho. “De toda forma, a primeira coisa que se faz é acolher, ver onde podem se abrigar, alimentar”, completou.

Pela manhã, Dom Odilo presidiu uma missa na casa dos Missionários da Consolata, onde, diariamente, é servido café da manhã aos imigrantes. Nós próximos dias, o Cardeal visitará a cidade Caracaraí, na fronteira com com a Venezuela. 

CAMINHOS DA SOLIDARIEDADE

Com o apoio do Fundo Nacional de Solidariedade – gesto concreto da Campanha da Fraternidade da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) – o projeto Caminhos da Solidariedade reúne diversas organizações que atuam em três eixos: articulação conjunta com a Igreja na Venezuela, integração e meios de vida.

Entre as entidades estão a Cáritas Brasileira, o Serviço Pastoral do Migrante (SPM), Instituto de Migrações e Direitos Humanos (IMDH), Serviço Jesuíta para Migrantes e Refugiados (SJMR).

Leia a reportagem completa na próxima edição do jornal O SÃO PAULO.

Comente

Cardeal Scherer celebra Natal com pessoas em situação de rua

Por
27 de dezembro de 2019

O Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo, presidiu a missa da Solenidade do Natal do Senhor no Arsenal da Esperança Dom Luciano Mendes de Almeida, na tarde desta quarta-feira, 25.

Como acontece em todos os anos desde que tomou posse como Arcebispo de São Paulo, Dom Odilo celebra o Natal na instituição localizada no Mooca, que, há 23 anos, atende, diariamente, 1.200 homens em situação de rua. Participaram da missa os acolhidos pela casa, voluntários e membros da Fraternidade da Esperança (SERMIG), que mantém a instituição.

Somente em 2019, foram atendidas 440 mil pessoas, somando os acolhidos diariamente e os do serviço de “pernoite baixa temperatura”. O Arsenal da Esperança não para nem no Natal, “dia em que celebramos o maior presente que a humanidade poderia receber: o nascimento de Jesus, o Filho de Deus que se tornou nosso irmão, dando-nos a dignidade que ninguém pode nos tirar”, como recordou o Cardeal Scherer, na homilia.

PRESENTES

Após a missa, foram distribuídos presentes a cada um dos acolhidos. Neste ano, cada um recebeu um kit contendo uma par de cuecas, meias, chinelos e uma camiseta, que tinha estampado o slogan “L’Amore ha già vinto” (em italiano: o Amor já venceu.

“Tudo isso é fruto de uma gigantesca Campanha de Natal que só foi possível graças ao apoio de dezenas de grupos, colégios, comunidades, famílias e amigos, aos quais agradecemos imensamente, pois de várias formas contribuíram para esse lindo gesto de solidariedade e esperança!”, afirmou o Padre Simone Bernardi, missionário da Fraternidade Esperança.

HÁ 23 ANOS

O Arsenal da Esperança foi fundado pelo italiano Ernesto Olivero e por Dom Luciano Mendes de Almeida, então Bispo Auxiliar de São Paulo, em 1º de fevereiro de 1996.

Sua sede fica onde era localizada a antiga Hospedaria de Imigrantes, estrutura construída na cidade de São Paulo para a “quarentena” dos imigrantes que chegavam à região a partir do final do século XIX para trabalhar nas plantações de café.

Hoje, além de uma cama limpa e refeição, o Arsenal da Esperança oferece uma oportunidade de integração, por meio de cursos de alfabetização, projetos de formação profissional, entre outras atividades.

Para saber mais sobre o Arsenal da Esperança, acesse o site.

(Colaborou: Padre Simone Bernardi)

LEIA TAMBÉM: 

Dom Odilo: ‘No Natal, celebramos o sublime mistério da fé’

Comente

O São Paulo recorda primeira mensagem de Natal do Cardeal Scherer

Por
26 de dezembro de 2019

Nesta última quinta-feira de 2019, a série “#TBT O SÃO PAULO” recorda mais uma edição histórica do semanário da Arquidiocese de São Paulo. A edição 2677, publicada em 18 de dezembro de 2007, trouxe seção “Encontro com o Pastor”, a primeira mensagem de Natal de Dom Odilo Pedro Scherer como Arcebispo Metropolitano e Cardeal da Igreja.

Dom Odilo foi nomeado Bispo Auxiliar de São Paulo, pelo Papa João Paulo II, em 28 de novembro de 2001, recebendo a Ordenação Episcopal em 2 de fevereiro o de 2002. Em 20 de março de 2007, foi nomeado Arcebispo Metropolitano pelo Papa Bento XVI e criado Cardeal em 24 de novembro daquele ano.

CONFIRA A MENSAGEM NA INTEGRA

Celebramos o Natal no ano centenário da Arquidiocese de São Paulo; é também meu primeiro Natal como arcebispo desta grande comunidade eclesial! Tenho, pois, a grata satisfação de apresentar meus votos de felizes festas natalinas a todo o povo da cidade, especialmente aos filhos e filhas desta Igreja particular.

A fé cristã nos revela que o nascimento de Jesus foi o maior acontecimento da história: o próprio Filho do eterno Deus quis vir ao mundo, assumindo a natureza e a forma humanas, nascendo criança pequenina. O inaudito aconteceu, o incrível tornou-se verdadeiro, aquilo que seria impossível ao homem tornou-se realidade por pura condescendência de Deus para com a humanidade.

O Eterno quis entrar no tempo, o Criador tornou-se criatura, o infinito quis ser contido nos limites deste mundo, o divino, no humano. Deus tornou-se próximo do homem, de cada ser humano, solidário com ele, seu companheiro e amigo no caminho, todos os dias.

Altíssimo Deus, que já habitava este mundo e nunca esteve longe dele, por meio do Filho nascido para este mundo, assumiu nova maneira de estar com os filhos dos homens, tornando-se um deles. Com o Natal de Jesus, o céu uniu-se à terra, o Criador e a criatura trocaram seus dons, o ser humano ganhou uma dignidade inigualável e o Divino assume feições humanas. A partir do nascimento de Jesus em Belém, nenhum ser humano precisa mais sentir-se sozinho nem esquecido neste mundo; cada um foi valorizado e amado pessoalmente pela ternura daquele que se fez pobre para enriquecer-nos com sua divindade; fez-se pequeno para que ninguém tivesse medo de aproximar-se dele e os corações altivos fossem desarmados e apaziguados.

O Natal aconteceu também para a cidade e o povo de São Paulo. Podemos, por isso, proclamar com certeza: “Deus habita esta cidade!” Ele quer estar com seus filhos, onde quer que eles estejam! Para todos os que vivem imersos em aflições e penas, veio trazer esperança e salvação. Por isso, convém alegrar-se e festejar; quem é cristão e crê compartilhe sua alegria com quem não crê, ou não é cristão. O Filho de Deus veio para todos!

E todos nós, que cremos em Jesus Cristo e acolhemos com amor a sua vinda, temos a missão de manifestar sua presença aos outros e de proclamar, como fizeram os pastores em Belém, aquilo que vimos e ouvimos. Que cada uma de nossas igrejas, paróquias, comunidades e casas religiosas seja um lugar de acolhida e de manifestação da presença amorosa de Deus nesta cidade; que cada organização da Igreja, cada associação, grupo, pastoral e movimento faça resplandecer a luz do santo Natal sobre a cidade; que cada obra social, cada escola, colégio ou hospital ligado à Igreja ajude a compreender que ele veio para estar perto de todos e para manifestar a todos o amor de Deus.

Que Deus habite sempre a cidade de São Paulo! Nossas casas abram suas portas para acolhê-lo na convivência diária dos lares e ambientes de trabalho; nossas famílias sintam a alegria e o consolo de sua visita; cada pessoa saiba que foi também para ela que o Filho de Deus se fez humano e veio habitar no meio de nós!

Feliz Natal a todos! Que a bênção e a paz de Deus sejam abundantes em todos os lares e na vida de cada pessoa! A esperança anime e sustente nosso caminhar também durante todo o ano novo de 2008!

Comente

Páginas

Para pesquisar, digite abaixo e tecle enter.