SÃO PAULO

Sínodo Arquidiocesano

Coordenações de pastoral são instruídas para o 2º ano da caminhada sinodal

Por Padre Tarcisio Marques Mesquita
15 de abril de 2019

Dom Devair da Fonseca fala sobre alguns dados da pesquisa da etapa paroquial do sínodo

Padre Tarcísio Marques Mesquita

No sábado, 6, as coordenações de pastoral de toda a Arquidiocese de São Paulo reuniram-se no Centro Pastoral São José do Belém para um primeiro encontro neste ano.

Impulsionados pela etapa regional do sínodo arquidiocesano, agentes de pastoral, leigos, consagrados, membros de movimentos e novas comunidades, coordenadores de pastoral regionais, coordenadores de setor e responsáveis pela formação acadêmica dos candidatos aos ministérios ordenados tiveram a oportunidade de se aprofundar nos encaminhamentos que estão estruturados para a continuidade desta segunda etapa do sínodo.

Por meio do Instrumento de Trabalho do sínodo para o nível regional, Padre José Arnaldo Juliano dos Santos, Assessor Teológico para o sínodo arquidiocesano, discorreu sobre a importância de todos estarem inteirados sobre as sessões do sínodo nas regiões, verificando o que lhes cabe para o bom andamento dos trabalhos que serão desenvolvidos de agora em diante.

Calcado nos documentos da Igreja, particularmente os vinculados ao Concílio Vaticano II, Padre José Arnaldo frisou a razão da temática do sínodo ser “caminho de comunhão, conversão e renovação missionária”, assim firmando os diversos empenhos pastorais no princípio da unidade na diversidade, que tanto caracterizam a vida pastoral da Igreja.

Outro momento de aprofundamento foi propiciado por Dom Devair Araújo da Fonseca, Bispo Auxiliar da Arquidiocese na Região Brasilândia. Tendo nas mãos a publicação da pesquisa e do levantamento interno nas paróquias, o Bispo, retomando diversos itens desses documentos, demonstrou que há um imenso valor técnico neles sobre a realidade atual da Igreja Católica em São Paulo.

Pontuando vários dados pesquisados e levantados em cada paróquia, Dom Devair foi contundente ao afirmar o quanto a Igreja precisa se atualizar para encarar vigorosamente os imensos desafios da metrópole. “Há dados preocupantes sobre o decréscimo na participação da vida sacramental e pastoral da Igreja”, acentuou Dom Devair. Porém, por outro lado, “há motivos para, conhecendo melhor os desafios e as possibilidades deste momento, lançar um novo vigor sobre a ação evangelizadora da Igreja nesta grande cidade”, afirmou.

 

LEIA TAMBÉM: Arquidiocese reúne comissões regionais de coordenação do sínodo

Para pesquisar, digite abaixo e tecle enter.