NACIONAL

Abas primárias

COMEMORADO EM 16/05

Conheça a origem do Dia do Gari

Por Redação
16 de mai de 2018

Atividade no Brasil foi iniciada na segunda metade do século XIX, no Rio de Janeiro

Prefeitura Rio de Janeiro

Neste dia 16 de maio, é comemorado o Dia do Gari, profissionais da limpeza pública e privada que recolhem o lixo das moradias, edifícios comerciais e residenciais, além de varrer as ruas e cuidar de carpir grama. Eventualmente, também trabalham no desentupimento de bocas-de-lobo e na desinfecção de ruas.

HISTÓRIA

O nome profissional de gari é em homenagem ao francês Pedro Aleixo Gary, primeira pessoa a assinar um contrato de limpeza pública com o Ministério Imperial, trabalhando a partir de 11 de outubro de 1876. A remoção de lixo das casas e praias do Rio de Janeiro.

Vencido o contrato em 1891, foi substituído por seu primo, Luciano Gary. Um ano após, a empresa foi extinta e inaugurada a Superintendência de Limpeza Pública e Particular da cidade, realizando um trabalho muito aquém do proposto em termos de limpeza pública.

Os cariocas, acostumados com a limpeza das ruas após a passagem dos cavalos, mandavam chamar a turma do Gary. Aos poucos, o nome se generalizou e até hoje são chamados garis.

EXPERIÊNCIA

Para concluir sua tese de mestrado, o psicólogo social Fernando Braga da Costa varreu as ruas da USP, a fim de comprovar a existência da “Invisibilidade Pública”, ou seja, o trabalhador de rua nada mais é que um ser invisível, tratado pela população menos que um poste ou um orelhão. Foram oito anos de experiência diária, por meio turno, compartilhando sujeira, desprezo, descaso dos transeuntes, tratado como uma máquina invisível de limpar.

O sociólogo declara haver uma mudança total na sua maneira de pensar, e a seu ver os garis são tratados de maneira pior que animais de rua; são tratados como uma "coisa". Às vezes por pressa, falta de sensibilidade ou educação, deixamos de enxergar e valorizar essas pessoas que fazem um trabalho importante e essencial para nossa sociedade.

DIGNIDADE HUMANA

Recorrentemente, o Papa Francisco tem falado sobre a dignidade para os trabalhadores, igualdade na retribuição salarial entre homens e mulheres e respeito pelos direitos conquistados.

Francisco lembra que é urgente um novo pacto social humano, um novo pacto social para o trabalho, que diminua as horas de trabalho de quem está na última fase laboral, a fim de criar trabalho para os jovens que têm o direito-dever de trabalhar.

“O do trabalho é o primeiro dom dos pais e das mães aos filhos e às filhas, é o primeiro patrimônio de uma sociedade. É o primeiro dote com o qual os ajudamos a levantar voo para a vida adulta.” declarou Francisco, em discurso aos delegados da Confederação Italiana Sindical dos Trabalhadores, em junho de 2017.

Por isso, reitera o Pontífice, mundo do trabalho é uma prioridade humana. “Por conseguinte, é uma prioridade cristã, nossa, e inclusive uma prioridade do Papa. Porque se origina daquele primeiro mandamento que Deus deu a Adão: ‘Vai, faz crescer a terra, trabalha a terra, domina-a’. Sempre houve uma amizade entre a Igreja e o trabalho, a partir de Jesus trabalhador. Onde houver um trabalhador ali estarão o interesse e o olhar de amor do Senhor e da Igreja. Penso que isto é claro”, afirmou o Pontifice, em visita pastoral a Gênova, em maio de 2017.

(Com informações de Porto Web e Vaticano News)

Para pesquisar, digite abaixo e tecle enter.