INTERNACIONAL

Moçambique

Ciclone Idai: 1,4 mil casos de cólera

Por José Ferreira Filho
17 de abril de 2019

Oficialmente, já foram confirmados 1,4 mil casos de cólera em todo o País

Reprodução da Internet

Continuam os efeitos devastadores do ciclone Idai em Moçambique e nas demais regiões atingidas. A maior parte das comunidades ainda não tem acesso à água potável, o que aumenta os casos de doenças e contaminações.

Oficialmente, já foram confirmados 1,4 mil casos de cólera em todo o País, enquanto as equipes dos Médicos Sem Fronteiras atenderam mais de mil pacientes suspeitos da doença apenas em Beira e se preparam para enfrentar o aumento de casos de outras doenças transmitidas pela água, além da malária, infecções da pele e das vias respiratórias.

Segundo os dados oficiais do governo de Moçambique, 598 pessoas morreram por causa do ciclone. Além disso, há 1.522 feridos e 112 mil casas destruídas, danificadas ou inundadas. De acordo com a Organização das Nações Unidas, 1,85 milhão de pessoas precisam de assistência urgente. Ao menos 131 mil pessoas desalojadas encontraram amparo em 136 abrigos, e embora tenha sido reativado o fornecimento de água pública, a maior parte das comunidades ainda não tem acesso à água potável e eletricidade. Mais de 715 hectares de áreas de cultivo foram destruídos, justamente no início do período da colheita. Fora da cidade de Beira ainda há muitas áreas isoladas que continuam sem receber qualquer assistência.

A Igreja Católica em diversos países se organiza para ajudar a população moçambicana. Para saber como colaborar, leia na página 13 desta edição a entrevista com Dom Luiz Fernando Lisboa, brasileiro que atualmente é o Bispo da Diocese de Pemba, em Moçambique.

 

LEIA TAMBÉM: Congresso rejeita casamento gay no sudeste do País

Para pesquisar, digite abaixo e tecle enter.