‘O fruto da Eucaristia é a vida eterna’

Por
08 de abril de 2020

A preparação da última ceia, na qual Jesus instituiu a Eucaristia, foi o destaque da liturgia da missa desta quarta-feira, 8, presidida pelo Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo, e transmitida pelas mídias digitais.

Além de revelar novamente a traição de Judas Iscariotes, o texto do Evangelho (Mt 26,14-25), chama a atenção para o fato de Jesus pedir aos discípulos que prepararem um lugar para a celebração da ceia.

NOVA ALIANÇA

Na homilia, Dom Odilo ressaltou que esse detalhe do Evangelho mostra que Jesus e os apóstolos não tinham um lugar fixo para morar e também seu desejo de celebrar a Páscoa entre os seus, como era costume entre os judeus.

O Arcebispo ressaltou, ainda, que ao celebrar a Páscoa, Jesus dá um sentido novo àquela celebração, mudando o significado do pão e do cordeiro pascal da ceia: o cordeio é o próprio Cristo e o pão é o seu corpo. “Esta é a ceia da nova aliança selada no seu sangue que haveria de derramar na cruz”.

“Acolhamos também nós, sempre com muita fé esse dom e esse mistério que celebramos na Eucaristia, lembrando daquilo que Deus fez e continua a fazer por nós”, exortou o Cardeal, lembrando que cada vez que se celebra novamente a Eucaristia se atualiza o único sacrifício de Cristo na Cruz.

COMUNGAR COM A IGREJA

“O fruto da Eucaristia é a vida eterna. Portanto, agradeçamos sempre a Deus por nos dar esta graça tão grande de podermos receber o corpo de Cristo”, destacou o Dom Odilo, que, ao mesmo tempo, reconheceu que, neste ano, a maioria dos católicos não poderão comungar sacramentalmente devido às medidas de isolamento social que impedem a celebração de missas com a presença do povo.

“Procure comungar espiritualmente com a Igreja que comunga”, afirmou o Cardeal, motivando os fiéis a estarem unidos espiritualmente às suas comunidades paroquiais, acompanhando as transmissões das celebrações. “Depois que passar esta pandemia, nós poderemos voltar às nossas igrejas e celebrar a Eucaristia e comungar normalmente”, completou.

SEMANA SANTA 

O Arcebispo reforçou o convite para que todos acompanhem de suas casas, em família, as celebrações do Tríduo Pascal que serão transmitidas pelas mídias sociais e meios de comunicação.

As celebrações presididas por Dom Odilo serão transmitidas pela rádio 9 de Julho e pelo Facebook. Veja os horários na imagem ao lado. 

No Domingo de Páscoa, 12, haverá um ato de Consagração da América Latina e do Caribe a Nossa Senhora de Guadalupe, transmitido diretamente do México, por iniciativa do Conselho Episcopal Latino-Americano (Celam).

(Colaboraram: Edilma Oliveira e Fred Oliveira)

Comente

‘É tempo de fraternidade, solidariedade e cuidado recíproco’

Por
08 de abril de 2020

Na missa desta Terça-feira Santa, 7, o Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo, na capela de sua residência, ressaltou as duas atitudes de infidelidade que Jesus sofreu em sua Paixão: a negação de Pedro e a traição de Judas Iscariotes.

Na homilia Dom Odilo destacou que o próprio Jesus faz referência a esses fatos durante a última ceia, como narra o Evangelho do dia (Jo 13,21-33.36-38). Após Cristo anunciar que é chegada a hora de sua Paixão, Pedro, por excesso de amor ao mestre, diz que o seguirá aonde for e dará a vida por ele. Jesus, por sua vez, responde “Em verdade, em verdade te digo: o galo não cantará antes que me tenhas negado três vezes”.

“Foi por fraqueza, excesso de amor e autoconfiança que Pedro negou Jesus. Ele não foi humilde e pretendeu contar mais com suas forças do que com a forca de Deus”, afirmou o Cardeal.  

É CHEGADA A HORA

Quanto à traição de Judas, anunciada pelo próprio Jesus durante a ceia, Dom Odilo enfatizou que o apóstolo foi ganancioso e pensou somente em si mesmo. “Jesus,  conhecendo em seu coração o que Judas tramava, não se intimida e diz que é chegado o momento da glorificação de Deus, da demonstração do maior amor de Deus pela humanidade, por meio da entrega da sua vida, da sua morte na cruz”, disse.

No momento da cruz, enfatizou o Cardeal, a glória de Deus se revela plenamente e seu amor vai até o extremo “para encontrar o homem e estender a sua misericórdia a todos”. 

“É chocante a atitude de Judas e que isso nunca passe por nossa mente, nem trair as pessoas ao nosso redor, muito menos trair o amor imenso de Deus para conosco. E se acontecer, por fraqueza, façamos como Pedro, arrependemo-nos, peçamos perdão e continuemos com ainda mais fidelidade e amor a seguir Jesus Cristo”, exortou o Arcebispo.

DOAR A PRÓPRIA VIDA

Ainda referindo-se sobre a última ceia, Dom Odilo destacou que esse momento manifesta a entrega de Jesus, que reparte o pão entre seus amigos e, nesse gesto, entrega a si mesmo. “Nesse tempo em que nós vivemos, precisamos muito desse gesto de entrega da nossa vida”, afirmou, recordando aqueles que estão se dedicando aos outros mesmo com o risco da própria vida, como os profissionais da saúde e aqueles que estão cuidando dos doentes.

O Cardeal lembrou-se, ainda, daqueles que ofertam o pão da caridade aos mais necessitados, sejam os que vivem nas ruas, como aqueles que passam por necessidades, estão sem trabalho e como sustentar suas famílias. “Portanto, é preciso que todos procuremos nos mobilizar para aliviar as necessidades dos nossos irmãos que passam por dificuldades”, enfatizou.

CUIDAR UNS DOS OUTROS

No fim da celebração, Dom Odilo reforçou o convite a intensificar a preparação para a Páscoa por meio da oração e da caridade e mesmo sem a possibilidade de ir à Igreja, que a Semana Santa seja vivida com profunda fé em família.

Recomendando novamente o povo a seguir as orientações das autoridades para evitar sair de casa para conter a disseminação do COVID-19, o Cardeal deu um recado àquelas pessoas que, por não serem consideradas do grupo de risco para desenvolverem a forma grave da doença, pensem que não seja necessário ficarem isoladas:

“Talvez alguém diga: ‘Eu sou forte, para mim não vai haver problema’, ‘Eu sou jovem e saudável’. Agradeça a Deus, mas pense nas outras pessoas. Você pode estar infectado, pode não sentir nada, mas pode contagiar outras pessoas. Portanto, todos têm que se cuidar para cuidar da vida e da saúde do outro. É tempo de fraternidade, solidariedade e cuidado recíproco”, afirmou.

SEMANA SANTA 

As celebrações do Tríduo Pascal presididas por Dom Odilo serão transmitidas pela rádio 9 de Julho e pelo Facebook. Veja os horários na imagem ao lado. 

No Domingo de Páscoa, 12, haverá um ato de Consagração da América Latina e do Caribe a Nossa Senhora de Guadalupe, transmitido diretamente do México, por iniciativa do Conselho Episcopal Latino-Americano (Celam).

(Colaboraram: Edilma Oliveira e Fred Oliveira)

ASSISTA AO VÍDEO DA MISSA DESTA TERÇA-FEIRA: 

Comente

'Somos chamados a socorrer os irmãos e, como Jesus, a ser servidores'

Por
06 de abril de 2020

O Cardeal Odilo Pedro Scherer presidiu a missa desta Segunda-feira Santa, 6, na capela de sua residência. Como tem acontecido desde o início das medidas de isolamento social recomendadas pelas autoridades para conter a pandemia do novo coronavírus, as celebrações eucarísticas do Arcebispo de São Paulo tem sido transmitidas diariamente pela rádio 9 de Julho e pelo Facebook.

Na homilia, Dom Odilo explicou que a liturgia do dia destaca os momentos que antecederam Jesus no seu caminho do Calvário, convidando todos a acompanharem o mistério central da fé cristã. “Nós celebramos a Paixão no rito e no sacramento, Jesus a viveu”, ressaltou.

Na Primeira Leitura (Is 42,1-7), o Profeta Isaías fala da figura do servo sofredor, eleito de Deus, em quem se compraz sua alma e “promoverá o julgamento das nações”, como uma profecia de Jesus e sua Paixão.

PERFUME DE CRISTO

Já o Evangelho (Jo 12,1-11) narra a cena de Maria, irmã de Lázaro, que unge os pés de Jesus, fazendo com que a casa inteira ficasse repleta do perfume de bálsamo. “Quem enche as nossas vidas com o perfume da sua presença, com a luz e a sabedoria que vem dele, senão Jesus, nosso Senhor e Salvador?”, destacou o Cardeal.   

O evangelista também destaca a atitude de Judas Iscariotes, que observa que o perfume usado pela mulher era muito caro e o dinheiro usado para compra-lo poderia ter sido dado aos pobres. Contudo, o texto ressalta que “Judas falou assim, não porque se preocupasse com os pobres, mas porque era ladrão”.

Ao destacar a ganância de Judas, Dom Odilo lembrou que por uma quantia muito menor, o discípulo traidor entregou Jesus para aqueles que queriam prendê-lo e mata-lo. “Jesus vale muito mais e não tem preço. Traição de judas foi um ato muito vil e baixo, que não tem nenhuma qualificação”, enfatizou o Arcebispo.

CONSOLO DOS AMIGOS

Ainda comentando o Evangelho do dia, Dom Odilo chamou a atenção para o fato de Jesus, ao se aproximar a sua Paixão, não se escondeu, mas foi à casa de seus amigos em busca de consolo e conforto entre aqueles que ama. “Procurar consolo e conforto é um gesto humano e ter a sensibilidade e acolher e consolar é humano e divino”, afirmou.

O Cardeal ressaltando que, nesses tempos difíceis de pandemia de COVID-19, todos são chamados a consolar aqueles que necessitam, especialmente os doentes que estão nos hospitais ou em isolamento. “Somos chamados a socorrer os irmãos e, como Jesus, a ser servidores”, enfatizou.

CELEBRAÇÕES

No fim da missa, Dom Odilo motivou todos a viverem intensamente a Semana Santa, especialmente a celebração do Tríduo Pascal, acompanhando, de suas casas, pelos meios de comunicação, as celebrações de suas paróquias e comunidades.

Veja na imagem ao lado os horários das celebrações da Semana Santa presididas pelo Arcebispo de São Paulo e transmitidas pela rádio 9 de Julho e pelo Facebook

Ainda nesta segunda-feira, Dom Odilo presidirá outra missa em sua residência, às 19h30, que será transmitida pela TV Canção Nova.  

JEJUM E ABSTINÊNCIA

O Arcebispo também recordou que a Sexta-feira Santa é dia de jejum e a abstinência de carne como gesto de penitência prescrito pela Igreja, estando dispensados as pessoas doentes, idosas, gestantes, lactantes e crianças.

Dom Odilo também esclareceu que, embora seja possível substituir a carne vermelha por algum tipo de peixe, isso não significa que as pessoas devam comprar um peixe caro. “A Igreja não manda comer peixe na Sexta-feira Santa, mas a fazer jejum e abstinência de carne”, frisou.

CONSAGRAÇÃO À VIRGEM DE GUADALUPE

O Cardeal lembrou, ainda, que, neste Domingo de Páscoa, 12, haverá um ato de Consagração da América Latina e do Caribe a Nossa Senhora de Guadalupe, transmitido diretamente do México, por iniciativa do Conselho Episcopal Latino-Americano (Celam).

(Colaboraram: Edilma Oliveira e Fred Oliveira)

ASSISTA AO VÍDEO DA MISSA DESTA SEGUNDA-FEIRA: 

Comente

‘Unamo-nos a Jesus Cristo no caminho de sua Paixão’

Por
05 de abril de 2020

O Domingo de Ramos e da Paixão do Senhor, neste dia 5, foi celebrado de forma diferente na Arquidiocese de São Paulo em boa parte do mundo. Devido à pandemia de COVID-19, os ritos que marcam o início da Semana Santa aconteceram sem a presença dos fiéis, a benção e a procissão dos ramos pelas ruas e praças.

O Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo, presidiu a celebração na capela de sua residência, sendo transmitida pela rádio 9 de Julho e pelo Facebook.

“Formamos uma grande comunidade, mesmo à distância, sem nos vermos, mas Deus está nos vendo”, afirmou Dom Odilo, no início da missa.

Nessa celebração, além de ser recordada a entrada solene de Jesus em Jerusalém, também se recorda a narrativa da Paixão e Morte do Senhor, este ano, segundo o evangelista São Mateus (Mt 21,1-11). 

MISTÉRIO DA FÉ

Na homilia, o Cardeal ressaltou que a celebração do Domingo de Ramos convida os cristãos a se unirem aos passos a Paixão de Cristo a fim de que cada um também possa se posicionar em relação a esse mistério da fé.

“Hoje, sabemos quem é Jesus, depois de muito testemunho de fé, temos mais clareza sobre quem ele é. Naquele tempo, Jesus deu sinais de quem ele é. Mas, mesmo assim, as pessoas estavam próximas dele não conseguiam enxergar. Por isso, quem o aclamou na entrada em Jerusalém fez coro àqueles que clamaram por sua morte”, destacou.

O Arcebispo continuou a meditação ressaltando que o relato do evangelista impressiona ao detalhar as torturas e humilhações sofridas por Jesus. “Aquele que foi aclamado, admirado e procurado durante a vida, sente-se abandonado por todos”, afirmou, recordando as palavras ditas por Cristo agonizante na Cruz: “Meu Deus, por que me abandonaste?”, tiradas do Salmo 21, também entoado na celebração.

CONFIANÇA EM DEUS

Dom Odilo enfatizou que esse não é um salmo de desespero, mas de abandono e confiança extrema em Deus, o único que finalmente pode salvar. Tanto que no final, diz: “Anunciarei o vosso nome a meus irmãos e no meio da assembleia hei de louvar-vos!”

O Cardeal Scherer reconhece que, diante desses fatos, muitos se perguntem por qual razão Jesus teve que sofrer tudo isso. “Este é um mistério que ninguém consegue explicar, a não ser se olharmos por outro olhar: Jesus tudo acolheu por amor”,  afirmou Dom Odilo, mencionando o trecho da Carta de São Paulo aos Filipenses (Fl 2,6-11), proclamado neste dia, em que diz que Jesus voluntariamente se esvaziou de sua glória, fez-se servo de todos, humilhou-se até a morte e morte de cruz.  

“Jesus, portanto, aceita voluntariamente a morte porque quer estar ao lado de todos aqueles que sofrem todo tipo de humilhação, zombaria e desprezo, para a todos resgatar, mostrar a sua salvação. ‘Ninguém tem amor maior do que aquele que dá a vida por aqueles que amam’”, completou o Arcebispo, recordando as palavras do próprio Cristo no Evangelho de São João (Jo15,13).

UNIR-SE À PAIXÃO

“Celebrando o Domingo de Ramos de uma maneira tão diferente, somos convidados também a nos unirmos a Jesus Cristo no caminho da sua Paixão, a aceitarmos, muitas vezes, as dores da nossa vida”, continuou Dom Odilo, convidando todos a fazerem um exame de consciência diante do mistério da Paixão, Morte e Ressurreição do Senhor.  

“Todos nós temos que reconhecer a nossa condição humana. Somos inconstantes, contraditórios, experimentamos momentos de infidelidade e desrespeito a Deus e podemos tornar ainda mais pesada cruz de Cristo”, afirmou o Arcebispo, acrescentando: “Temos, portanto a possibilidade de mudar, de sermos mais fiéis, humildes, ter mais amor pelo próximo e procurar fazer com que a cruz de Cristo, que pesa na vida de tantas pessoas, seja mais leve”.

RETIRO ESPIRITUAL

Na conclusão da missa, Dom Odilo renovou seu convite para que todos possam vivenciar a Semana Santa em família, respeitando as recomendações das autoridades para ficar em casa, mas unidos às suas comunidades paroquiais que irão transmitir as celebrações pelas plataformas digitais. “Que esta semana seja um verdadeiro retiro espiritual para todos nós”, afirmou.

Dom Odilo recordou, ainda, que a Sexta-feira Santa, 10, é dia de jejum e abstinência de carne como prescreve a Igreja, estando dispensadas as pessoas doentes, idosas, gestantes, lactantes e crianças.

SEMANA SANTA 

Ainda neste domingo, o Cardeal Scherer presidirá mais uma missa que será transmitida pelos meios de comunicação às 11h, horário em que ele costuma celebrar a Eucaristia na Catedral da Sé.

Veja na imagem ao lado os horários das celebrações da Semana Santa presididas pelo Arcebispo de São Paulo e transmitidas pela rádio 9 de Julho e pelo Facebook

LEIA TAMBÉM:

Com celebrar a Semana Santa sem sair de casa?

Comente

‘Nossa fé não é um fato de mídia social, é uma experiência vivida’

Por
04 de abril de 2020

“O fundamento da nossa fé é Jesus Cristo, o mesmo ontem, hoje e sempre”, afirmou o Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo, na missa da manhã deste sábado, 4, celebrada na capela de sua residência e transmitida pelos meios de comunicação.

Ao refletir sobre o Evangelho do dia (Jo 11,45-56), Dom Odilo explicou que esse trecho do texto bíblico se dá no contexto da ressurreição de Lázaro, que gerou grandes comentários na região. De um lado, havia aqueles que acreditavam em Jesus e, de outro, aqueles que queriam eliminá-lo, temendo que todos o seguissem e que isso provocasse a repressão das autoridades romanas sobre os judeus.  

O evangelista conta, ainda, que diante da proximidade da Páscoa judaica, todos na região se perguntavam se Jesus apareceria na festa, o que, de fato, fez, como mostra a narrativa da entrada solene de Jesus em Jerusalém, celebrado no Domingo de Ramos.

ENCONTRO COM CRISTO

O Cardeal Scherer ressaltou que esses fatos são um convite para que os cristãos manifestem o desejo de encontrar Jesus. “Temos que querer encontrá-lo, estar com ele e acompanhá-lo”, enfatizou, afirmando, ainda: “Nossa fé não é um fato de mídia social, em que as notícias duram muito pouco. Nossa fé uma experiência vivida. Por isso, nós nos fundamentamos na pessoa de Jesus, não apenas em notícias”.

Nesse sentido, o Arcebispo reforçou o convite para que todos celebrem intensamente a Semana Santa desejosos desse encontro com Cristo. “Este ano, celebraremos de maneira diferente. Não nas igrejas, nas procissões, nas celebrações de massa... Porém, nós faremos essa celebração, que será transmitida e comunicada da melhor forma para que, de casa, vocês possam também acompanhar e ter os seu momento de oração, de união a Jesus Cristo na sua paixão, morte e ressurreição”. 

ORAÇÃO DO PAPA

No fim da celebração, Dom Odilo renovou sua orientação para seguir as medidas preventivas para evitar a disseminação do COVID-19. “Ainda estamos no meio da tempestade, precisamos cuidar da saúde com paciência e prudência, seguindo as recomendações das autoridades sanitárias de isolamento social”, reiterou.  

Em seguida, o Arcebispo rezou a oração do Papa Francisco à Virgem Maria pelo fim da pandemia:

Ó Maria,

Tu sempre brilhas no nosso caminho

como sinal de salvação e esperança.

Nós nos entregamos a Ti, Saúde dos Enfermos,

que junto à Cruz foste associada à dor de Jesus,

mantendo firme a Tua fé.

Tu, Salvação do povo romano,

sabes do que precisamos

e temos a certeza de que garantirás,

para que, como em Caná da Galiléia,

possam retornar a alegria e a celebração

após este momento de provação.

Ajuda-nos, Mãe do Divino Amor,

a nos conformarmos com a vontade do Pai

e a fazer o que nos disser Jesus,

que tomou sobre si os nossos sofrimentos

e carregou as nossas dores

para nos levar, através da Cruz,

à alegria da Ressurreição. Amém.

 

Sob a Tua proteção, buscamos refúgio, Santa Mãe de Deus.

Não desprezes as nossas súplicas, nós que estamos na provação,

e livra-nos de todo perigo, Virgem gloriosa e bendita.

 

MISSA DIÁRIA

As missas presididas por Dom Odilo são transmitidas diariamente, às 7h, pela rádio 9 de Julho e pela página da Arquidiocese no Facebook.

(Colaboraram: Edilma Oliveira e Fred Oliveira)

ASSISTA AO VÍDEO DA MÍSSA DESTE SÁBADO: 

 

Comente

‘Deus é o único absoluto em nossa vida’

Por
03 de abril de 2020

Reconhecer Jesus como filho de Deus e dar testemunho dele para que todos nele creiam e tenham a vida eterna. Assim, o Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo sintetizou o sentido o Evangelho, na homilia da missa desta sexta-feira, 3, celebrada na capela de sua residência e transmitida pelos meios de comunicação.

FILHO DE DEUS

O Evangelho do dia (Jo 10,31-42) continua a narrativa da discussão de Jesus com as autoridades do Templo acerca de quem ele era e, mais uma vez, desejaram matá-lo. “Fica muito claro como, de fato, o motivo que leva a condenação de Jesus a morte é a afirmação de que ele é o filho de Deus”, ressaltou Dom Odilo, na homilia.

O Cardeal explicou, ainda, que no final do trecho bíblico, está a chave para compreensão do texto: “Jesus passou para o outro lado do Jordão... E muitos, ali, acreditaram nele”.

“O objetivo do Evangelho é mostrar quem é Jesus, dar testemunho dele, para que nele todos creiam e tenham a vida eterna”, enfatizou o Arcebispo, acrescentando que o grande objetivo do caminho quaresmal é a volta sincera para Deus, para que a vida seja orientada para ele.

PENITÊNCIA E CONVERSÃO

Recordando que esta é a última sexta-feira da Quaresma, Dom Odilo reforçou o sentido da penitência e do jejum. “Quando nos abstemos de coisas que poderiam ser boas, caímos na conta que tudo isso é indispensável, só Deus basta, é o único absoluto que não podemos deixar de lado na nossa vida”, afirmou.

O Cardeal recordou que a penitência leva ao arrependimento dos pecados e ao sacramento da Reconciliação. Contudo, reconheceu que a situação atual de isolamento social impede que muitas pessoas possam se confessar sacramentalmente.

Nesse sentido, Dom Odilo explicou quem, nessas circunstâncias, a Igreja orienta o fiel a fazer o seu exame de consciência diante de Deus, reconhecer o próprio pecado e pedir perdão a Deus com sinceridade, fazendo uma penitência como forma de agradecimento pelo perdão recebido.

EM FAMÍLIA

No fim da missa, o Arcebispo renovou o convite aos fiéis para estarem unidos em oração, acompanhando as celebrações transmitidas por suas paróquias e comunidades, especialmente as da Semana Santa. Ele recomendou, ainda, para que as pessoas aproveitem o tempo em casa para rezar mais, sobretudo em família, ler a Palavra de Deus, conviver, conversar, brincar e contar historia para as crianças.

“Enquanto isso, mantenhamos a prevenção, aquelas medidas sanitárias já conhecidas, devemos observar muito seriamente e assim estaremos cuidando na nossa vida e da vida dos outros”.

As missas presididas por Dom Odilo são transmitidas diariamente, às 7h, pela rádio 9 de Julho e pela página da Arquidiocese no Facebook.

(Colaboraram: Edilma Oliveira e Fred Oliveira)

LEIA TAMBÉM:

Em tempos de pandemia, católicos são chamados a santificar o domingo em suas casas

ASSISTA AO VÍDEO DA MISSA DESTA SEXTA-FEIRA: 

Comente

‘Nós cremos em Jesus Cristo, Filho de Deus Salvador’

Por
02 de abril de 2020

O Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo, celebrou missa na manhã desta quinta-feira, 2, transmitida pela rádio 9 de Julho e pela página da Arquidiocese no Facebook, direto de sua residência.

Dom Odilo celebrou a “Missa em tempo de pandemia”, novo texto litúrgico para missa votiva aprovado pelo Papa Francisco e publicado pela Congregação para Culto Divino e Disciplina dos Sacramentos na segunda-feira, 30, em que se reza pelas pessoas afetadas por esta crise pandêmica:

“Deus eterno e omnipotente, nosso refúgio em todos os perigos, olhai benignamente para as nossas aflições e angústias; como filhos, com fé Vos pedimos: concedei o eterno descanso aos que morreram, conforto aos que choram, cura aos doentes, paz aos moribundos, a força aos que trabalham na saúde, a sabedoria aos nossos governantes e a coragem para chegarmos amorosamente a todos glorificando juntos o Vosso Santo Nome”, diz a oração da coleta.

O FILHO DE DEUS

Na homilia, Dom Odilo meditou sobre o Evangelho do dia (Jo 8,51-59), no qual Jesus, ao ser interrogado pelas autoridades se ele havia visto Abraão, respondeu: “antes que Abraão existisse, eu sou”. 

O Cardeal explicou que, quando diz “eu sou”, Jesus atribui para si a existência de Deus e, por isso, se apresenta como Filho de Deus. “Para muitos, Jesus é um sonhador, um romântico, um poeta, um profeta que falou coisas interessantes, que fez coisas boas aos pobres e doentes. Porém, quando se fala que ele é Filho de Deus, muitas pessoas não aceitam”, ressaltou.

“Nós cremos em Jesus Cristo, Filho de Deus Salvador, que Deus o enviou ao mundo para ser a revelação da sua misericórdia, para ser o pontífice... Esse é o núcleo central da nossa fé cristã”, afirmou Dom Odilo, acrescentando que esses dias que antecedem a Semana Santa são uma ocasião propícia para os cristãos reverem e aprofundarem as bases da fé.

UNIR-SE À IGREJA

No fim da missa, o Cardeal renovou sua recomendação aos fiéis para que acompanhem as celebrações a as atividades da Igreja, especialmente de suas paróquias, que são transmitidas pelos meios de comunicação.

“Mesmo tendo que ficar em casa, não falta possibilidade de se unir à Igreja que reza, que celebra, que proclama a palavra, que está presente e conforta os doentes, que dá coragem e se une àqueles que lutam para ajudar os doentes”, afirmou o Arcebispo, reiterando sua comunhão com todo o povo de Deus.

“Contem sempre conosco, com a nossa presença, carinho e atenção. Eu rezo por vocês o dia inteiro, todos os dias”, manifestou Dom Odilo, reforçando a recomendação para que todos cuidem de sua saúde e previnam-se do contágio do vírus.

CONSAGRAÇÃO DA AMÉRICA LATINA

O Cardeal recordou, ainda, que no domingo da Páscoa, 12, haverá a consagração da América Latina e o Caribe à proteção de Nossa Senhora de Guadalupe, às 15h, por iniciativa do Conselho Episcopal Latino Americano (Celam), do qual Dom Odilo é o primeiro vice-presidente.

As missas presididas por Dom Odilo são transmitidas diariamente, às 7h, pela rádio 9 de Julho e pela página da Arquidiocese no Facebook.

LEIA TAMBÉM: 

Papa aprova texto de missa para tempo de pandemia

ASSISTA AO VÍDEO DA MISSA DESTA QUINTA-FEIRA: 

 

Comente

‘Que cresça em nós o coração de filhos diante de Deus, nosso Pai’

Por
01 de abril de 2020

O Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo, refletiu sobre o sentido da filiação divina na vida do cristão, durante a missa desta quarta-feira, 1º, na capela de sua residência.

A celebração foi transmitida pela rádio 9 de Julho e pela página da Arquidiocese no Facebook, devido às recomendações de distanciamento social para conter a pandemia de COVID-19.

JESUS REVELA O PAI

Meditando sobre o Evangelho do dia (Jo 8, 31-42), no qual Jesus fala às autoridade judaicas sobre seu Pai, Dom Odilo explicou que o reconhecimento de Deus como Pai é uma questão central da fé cristã. “Jesus lhes revela Deus Pai ,que se manifesta ao mundo no Filho”, afirmou.

“Há muitas ideias sobre Deus, formas de representá-lo. Porém, Jesus nos revelou como seu pai e disse que todos nós somos filhos desse Pai do céu”, continuou o Cardeal, ressaltando que esse Pai apresentando por Jesus é o criador, a quem se deve todo o ser e toda a existência. É um Pai providente, que se manifesta próximo, misericordioso e que revela a verdade.

“Um dos aspectos que recordamos no Batismo é a nossa profissão de fé em Deus Pai, que nos acolhe como filhos e filhas. No Batismo, nós somos feitos filhos de Deus”, recordou Dom Odilo. 

Citando a oração litúrgica do dia, o Cardeal Scherer convidou todos a pedir a Deus para que ouça “com paternal bondade aqueles a quem dais o afeto filial”. “Isso faz parte do cerne da nossa fé. Que cresça em nós o coração de filhos diante de Deus, que é nosso Pai”, exortou Dom Odilo. 

FIQUE EM CASA

Antes da bênção final da missa, o Arcebispo recordou a proximidade da celebração da Semana Santa, que começa no Domingo de Ramos, 5. “Procuremos nos organizar para acompanhar as celebrações, de preferência, as de suas paroquias, que serão transmitidas”, orientou Dom Odilo, reforçando a necessidade de seguir as recomendações das autoridades para o combate à pandemia.  

“É preciso ficar em casa, resguardar-se, evitar o máximo de contato com as pessoas, porque podemos, eventualmente, transmitir o vírus para as pessoas sem sabermos... Ninguém está livre disso, portanto cuidemo-nos muito”, destacou.

O Cardeal lembrou, ainda, de todos aqueles que já estão aflitos por terem alguém doente. “Minha solidariedade de modo especial para aqueles que têm doentes graves nos hospitais e que têm alguém falecido”, afirmou.

MANUAL DE ORAÇÕES

Por fim, Dom Odilo indicou para os fiéis o “Manual de Orações e da Vida Cristã par Católicos”, subsídio produzido pela Arquidiocese de São Paulo, em parceria com a Fundação Pontifícia Ajuda à Igreja de Sofre (ACN), que agora está disponível para o acesso digital gratuito.

As missas presididas por Dom Odilo são transmitidas diariamente, às 7h, pela rádio 9 de Julho e pela página da Arquidiocese no Facebook.

(Colaboraram: Edilma Oliveira e Fred Oliveira)

ASSISTA AO VÍDEO DA MISSA DESTA QUARTA-FEIRA: 

Comente

‘Deus não quer a morte do pecador, mas que ele mude de vida’

Por
30 de março de 2020

A misericórdia de Deus e o convite à conversão foram os destaques da liturgia da missa desta segunda-feira, 30, presisida pelo Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo, na capela de sua residência e transmitida pela rádio 9 de Julho de pela página da Arquidiocese no Facebook.

Na homilia, Dom Odilo destacou que as leituras do dia apresenta duas mulheres e a atitude de Deus em favor delas. Na primeira leitura, da Profecia de Daniel (13,41c-62) a jovem Susana é acusada injustamente de ter cometido um ato impuro, sendo condenada a morte, e o profeta Daniel ergue sua voz seu favor e  demonstra a injustiça cometida e a salva.

“Levantar a voz significa não compartilhar com a injustiça. Onde existe condenação injusta, nós devemos sempre erguer nossa voz. Daniel gritou e a verdade apareceu e, assim, a inocente foi salva e os culpados condenados”, afirmou o Cardeal.

A MULHER ADÚLTERA

Já o Evangelho (Jo 8,1-11) mostra a mulher adúltera que foi salva por Jesus do apedrejamento. Quando interrogado sobre sua opinião, o Senhor respondeu: “Quem dentre vós não tiver pecado, seja o primeiro a atirar-lhe uma pedra”. “E o texto diz que os acusadores começam a se retirar um após o outro, a começar dos mais velhos”, destacou o Arcebispo.

Jesus volta-se à mulher e diz “vá e de agora em diante não peques mais”. “Essa é a palavra da misericórdia. Houve pecado, porém Deus não quer a morte do pecador, mas que ele mude de vida. Deus não quer que morramos no nosso pecado, mas que nos convertamos e vivamos”, ressaltou Dom Odilo.  

RECONCILIAÇÃO

O Cardeal convidou todos a fazerem uma revisão de vida, reconhecerem os pecados e pedirem o perdão a Deus. Reconhecendo a impossibilidade da maioria dos fiéis de celebrarem o sacramento da Reconciliação, devido às recomendações de isolamento social para conter a pandemia, Dom Odilo recordou o que ensina a doutrina da Igreja a esse respeito.

“Quando é impossível se confessar, procure se colocar-se diante de Deus, em oração, arrepender-se, reconhecer os próprios pecados, renovar o propósito de levar uma vida santa, conforme os mandamentos e as bem-aventuranças, fazer penitência pelos nossos pecados e continuar a vida até que possamos novamente nos confessar”, orientou.

ATENÇÃO AO IDOSOS

Como tem feito todos os dias, no fim da missa, o Arcebispo reforçou seu pedido para que sejam seguidas as recomendações das autoridades para procurar ficar em casa, especialmente as pessoas idosas e consideradas dos grupo de risco para desenvolver a forma grave do COVID-19.

Ainda em relação aos idosos, Dom Odilo pediu que todos procurem ajudá-los em suas necessidades, para que não precisem sair de suas casas. “Vamos nos ajudar a assim evitar que as pessoas sejam contagiadas”, recomendou.

DOMINGO DE RAMOS

Por fim, O Cardeal recordou que no próximo domingo a Igreja celebra o Domingo de Ramos, abrindo a Semana Santa. Contudo, este ano, essas celebrações não acontecerão com a presença de fiéis.

Por isso, Dom Odilo pediu às pessoas acompanhem a celebração pelos meios de comunicação, em família, e manifestem sua sua participação colocando um ramo verde na porta de suas casas, mesmo que não sejam abençoados. “É o sinal de que somos católicos e estamos unidos na celebração da Semana Santa, aclamamos Jesus Cristo, nosso Senhor e Salvador”, afirmou.

As missas presididas por Dom Odilo são transmitidas diariamente, às 7h, pela rádio 9 de Julho e pela página da Arquidiocese no Facebook.

ASSISTA AO VÍDEO DA MISSA DESTA SEGUNDA-FEIRA: 

Comente

'Cada uma olhe para sua comunidade e se sinta parte dela'

Por
28 de março de 2020

Neste sábado da 4ª semana da Quaresma, 28, o Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo, presidiu a eucaristia na capela de sua residência, transmitida pela rádio 9 de Julho e pela página da Arquidiocese no Facebook.

Na homilia, Dom Odilo refletiu sobre o trecho do Evangelho de São João (7, 40-53), que mostra as discussão em torno de quem era Jesus. “Uns acreditam nele, outro começaram a questionar. É um pouco do que continua acontecendo hoje. Jesus ainda mexe com as consciências, com as posições de cada um, tira-nos todos de nossa posição de conforto”, afirmou o Cardeal. 

O Arcebispo ressaltou que o tempo quaresmal é a oportunidade de cada cristão rever a sua posição em relação a Jesus Cristo. “Qual é nossa posição diante de Jesus? Deixemos que sua pessoa, seu exemplo e sua palavra nos questione, quando fala das questões mais eternas e mais profundas”, exortou.

FÉ DA IGREJA

Dom Odilo lembrou ainda, que o testemunho da Igreja, desde os apóstolos, é referência para crer em Jesus como verdadeiro Deus e verdadeiro homem.

Nesse sentido, o Cardeal recomendou a leitura do Catecismo da Igreja Católica como uma das principais fontes para aprofundar o conhecimento da fé professada pela Igreja.

“Acompanhemos bem este tempo precioso da Quaresma, em que Deus se manifesta próximo e nos dá sua palavra em abundância, para que possamos reconhecer os seus caminhos de misericórdia, bondade e salvação”, afirmou o Arcebispo.

ORAÇÃO PELOS DOENTES

No fim da missa, Dom Odilo transmitiu sua bênção a todos os doentes e àqueles que cuidam deles. “Estamos todos preocupados com aqueles que já estão doentes e que poderão ficar enfermos. Por isso, devemos nos cuidar. Cuidemos uns dos outros, continuemos a levar a sério as recomendações das autoridades”, acrescentou.

O Arcebispo renovou seu apelo para que os fiéis continuem a viver a Quaresma de uma forma nova, mantendo-se unidos à Igreja. “A Igreja está mais ativa do que nunca, mesmo que não seja presencialmente”, afirmou o Cardeal, recordando, como exemplo, o momento de oração conduzido pelo Papa Francisco nesta sexta-feira, no Vaticano. “Mesmo com a Praça São Pedro vazia, todos estávamos unidos, acompanhando pelo meios de comunicação”, destacou.

UNIDOS À COMUNIDADE

Dom Odilo novamente recomendou que o povo se mantenha unido espiritualmente às suas paróquias, mas também esteja atento às suas necessidades materiais.

“O mundo está preocupado com as questões econômicas e nós também estamos preocupados com como iremos pagar as despesas fixas que continuam. Cada paróquia está se organizando para que cada paroquiano possa continuar a doar o seu dizimo. Cada uma olhe para sua comunidade e se sinta parte dela”, ressaltou o Cardeal.

De igual modo, o Arcebispo recordou as necessidades das instituições da Igreja que promovem o serviço da caridade. “Temos muitas obras que precisam do apoio para continuarem cuidando dos muitos pobres de nossa cidade”, concluiu.  

 As missas presididas por Dom Odilo são transmitidas diariamente, às 7h, pela rádio 9 de Julho e pela página da Arquidiocese no Facebook.

ASSISTA AO VÍDEO DA MISSA DESTE SÁBADO: 

Comente

Páginas

Para pesquisar, digite abaixo e tecle enter.