Jornal o São Paulo

NACIONAL

Pelo Brasil

Campanha da Fraternidade é apresentada na Assembleia Legislativa de São Paulo

Por Vítor Alves Loscalzo
30 de março de 2017

Em evento na Assembleia Legislativa de São Paulo, o Cardeal Odilo Pedro Scherer fala sobre os propósitos da Campanha da Fraternidade de 2017

 

José A.Teixeira/Alesp

 A Campanha da Fraternidade (CF) de 2017, cujo início se deu na Quarta-feira de Cinzas – como ocorre todos os anos –, foi apresentada, no dia 15, na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp). O tema neste ano é “Fraternidade: Biomas brasileiros e defesa da vida”.

Tradicionalmente, a campanha pro- movida pela Igreja Católica no Brasil res- ponde a anseios espirituais e sociais do país e, portanto, transcende o ambiente paroquial. O evento na Alesp teve a presença do Cardeal Odilo Pedro Scherer, arcebispo de São Paulo; Dom Pedro Luiz Stringhini, bispo de Mogi das Cruzes (SP); Padre Antônio Carlos Frizzo, coordenador regional da CF; Antônio Evangelista, secretário-executivo da campanha; e Padre Afonso Lobato.

 

O magistério da Igreja no meio ambiente

Em sua exposição sobre a Campanha da Fraternidade, Dom Odilo perguntou: “Por que a Igreja se interessa por este assunto?” O Cardeal prosseguiu esclarecendo ao público o fato de a prática da vida religiosa acontecer também em meio ao mundo e às pessoas, as quais habitam os mais diversos ambientes.

O Arcebispo de São Paulo fez uma síntese sobre o que diz o magistério da Igreja sobre a ecologia, relembrando o pontificado do Beato Paulo VI (1963 a 1978) e enfatizando que já na década de 60 a Igreja dirigia o seu olhar para essa realidade.

São João Paulo II, conforme expôs Dom Odilo, também convidou os fiéis a cuidarem do meio ambiente, não apenas por regras ecológicas, mas por um dever moral, assumindo, dessa forma, o papel de cocriadores.

A carta encíclica de Bento XVI, Caritas in Veritate, também foi citada pelo Cardeal. O documento reconhece que a Igreja tem responsabilidade com o meio ambiente e, portanto, deve fazer ouvir a sua voz nos ambientes públicos, “como está acontecendo neste momento”, destacou Dom Odilo.

 

Ações concretas

Em entrevista ao O SÃO PAULO, o Cardeal Scherer explicou que a arrecadação da Campanha da Fraternidade é realizada no Domingo de Ramos. “Está previsto na regulamentação da campanha que uma parte do que se arrecada vai para a CNBB, formando o Fundo Nacional de Solidariedade. Com esse fundo, a CNBB apoia projetos específicos que são apresentados a um conselho gestor e que estejam alinhados com a campanha. A outra parte da coleta se destina às dioceses, as quais também apoiam projetos de solidariedade social”.

Para pesquisar, digite abaixo e tecle enter.