VATICANO

Papa Francisco

Cada um carregue sua própria cruz, mas espere a Ressurreição

Por Filipe Domingues/ Especial O SÃO PAULO
21 de março de 2019

Papa Francisco afirmou durante a oração do Ângelus na Praça de São Pedro, que cada pessoa carrega sua própria cruz na vida

Reprodução da Internet

Ao comentar o texto do Evangelho do domingo, 17, o Papa Francisco afirmou durante a oração do Ângelus na Praça de São Pedro, que cada pessoa carrega sua própria cruz na vida, mas que, no fim de tudo, o modelo de Jesus Cristo apresenta a Ressurreição.

“Jesus sabe que os discípulos não citam a realidade da cruz, da sua morte, e portanto quer prepará-los a suportar o escândalo da Paixão e Morte de cruz, para que saibam que esta é a via pela qual o Pai Celeste fará chegar à glória o seu Filho, ressuscitando-O dos mortos”, declarou, referindo-se à passagem do Evangelho de Lucas que narra o episódio da Transfiguração de Cristo.

 

TRANSFIGURAÇÃO

No texto, os apóstolos Pedro, Tiago e João “pregustam” a realidade da Ressurreição quando veem “Jesus transfigurado no monte, que é o lugar de luz, símbolo fascinante da singular experiência reservada aos três discípulos”, recorda o Papa. Ao subir com o Mestre na montanha, eles o veem em profunda oração e percebem que seu rosto mudou de aspecto: enxergam em Jesus todo o esplendor que vem de Deus.

“A Transfiguração se cumpre em um momento bem preciso da missão de Cristo, isto é, depois que Ele revelou aos discípulos que deveria sofrer muito, ser morto e ressuscitar no terceiro dia”, recordou o Pontífice. “Cada um de nós tem sua própria cruz. O Senhor nos faz ver o fim deste percurso, que é a Ressurreição, a beleza, levando a própria cruz.”

Portanto, continua o Papa, a Transfiguração oferece uma perspectiva cristã do sofrimento humano. “É uma passagem necessária, mas transitória. O ponto de chegada ao qual somos chamados é luminoso como o rosto de Cristo transfigurado: nele está a salvação, a beatitude, a luz, o amor de Deus sem limites”, afirmou.

 

ORAÇÃO

Nas palavras do Papa Francisco, Jesus nos assegura que a cruz, as provas da vida, as dificuldades são parte do percurso. Porém, é possível subir com Ele “até o monte” por meio da oração: “A oração silenciosa, a oração do coração, a oração sempre buscando o Senhor”

Também durante o Ângelus, o Papa rezou pelas vítimas do atentado em uma mesquita na cidade de Christchurch, na Nova Zelândia, em que um homem armado matou 50 pessoas, na sexta-feira, 15. Francisco pediu aos fiéis na Praça de São Pedro um momento de silêncio “pelos nossos irmãos muçulmanos que foram mortos”.

 

LEIA TAMBÉM: Aos camilianos: doação amorosa aos doentes e sofredores Vatican Media

Para pesquisar, digite abaixo e tecle enter.