NACIONAL

Esporte

Brasil enfrenta Bolívia, Venezuela e Peru na fase de grupos da Copa América

Por Flavio Rogério Lopes
03 de fevereiro de 2019

Conmebol realizou no dia 24 no Rio de Janeiro o sorteio dos grupos da Copa América, que será no Brasil entre os dias 14 de junho e 7 de julho

Conmebol

A Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) sorteou no dia 24, no Rio de Janeiro, os grupos da Copa América, que será realizada no Brasil entre os dias 14 de junho e 7 de julho. A Seleção Brasileira, cabeça de chave do Grupo A, conheceu seus adversários na primeira fase: o Peru, a Venezuela e a Bolívia, adversária da estreia do torneio, que ocorrerá em São Paulo, no Estádio do Morumbi, no dia 14 de junho, às 21h30.

 

CAMINHO DO BRASIL

Na teoria, o grupo do Brasil é o mais fácil do torneio que reúne 12 países, sendo dez seleções da América do Sul e duas convidadas. A Seleção fará o segundo jogo da fase de grupos contra a Venezuela, na Arena Fonte Nova, em Salvador, no dia 18 de junho, no mesmo horário, e fecha a primeira fase voltando a São Paulo para jogar contra o Peru, na Arena Corinthians, no dia 22 de junho, às 16h.

Caso se classifique como líder do grupo, fará as quartas de final na Arena do Grêmio, em Porto Alegre, no dia 27 de junho. Caso passe em segundo, entrará em campo no Estádio do Maracanã, dia 28 de junho. Se avançar disputará a semifinal no Mineirão, em Belo Horizonte, dia 2 de julho, às 21h30. Já a grande final está confirmada para acontecer no Maracanã, em 7 de julho, às 17h.

 

RETROSPECTO

O retrospecto do Brasil em jogos de Copa América é favorável contra todos os adversários do seu grupo. A Seleção já enfrentou a Bolívia dez vezes na competição. Foram oito vitórias e duas derrotas. O segundo jogo da Amarelinha será contra a Venezuela. Em sete jogos no torneio, foram seis vitórias e um empate.

Por fim, a Seleção Brasileira terá os peruanos na fase de grupos. Foram 17 jogos, 11 vitórias, três empates e três derrotas. O último confronto contra a Seleção Peruana ocorreu na Copa América do Centenário em 2016, nos Estados Unidos. O Brasil perdeu por 1 a 0 e foi eliminado da competição ainda na fase de grupos. Após o resultado, o técnico Dunga foi demitido.

 

OS DESAFIOS

O coordenador técnico da Seleção Brasileira, Edu Gaspar, comentou em entrevista à CBF o destino do Brasil na Copa América e o desafio que será conciliar o tempo de descanso e a recuperação dos atletas entre os jogos.

“Temos de ter os cuidados para viajar o quanto menos, na hora certa, para que os atletas possam se recuperar no momento correto. Se vamos viajar pós-jogo, ou descansar e viajar no dia seguinte, há toda uma estratégia que está sendo montada para que possamos fazer a melhor logística para os jogos”, disse o coordenador.

Já o técnico Tite ressaltou que, independente dos adversários sorteados, o Brasil tem condições de encontrar o caminho para o título. Para o treinador, o segredo estará dentro da própria equipe.

“O (Francisco) Maturana foi muito sábio quando ele fez uma observação na apresentação. Ele disse que sorteio é sorteio. Mais do que isso, talvez o segredo e o processo de ter vitórias estejam dentro da própria Seleção. Está dentro de nós mesmos fazer o nosso melhor, um grande desempenho, para que tenhamos condições de passar essas etapas”, afirmou Tite.

 

OUTROS GRUPOS

A Argentina terá vida mais complicada que o Brasil. Terá que passar por Colômbia, eliminada nas oitavas da última Copa do Mundo, o Paraguai, do técnico Juan Carlos Osorio, e o Catar, que é a seleção convidada da Conmebol, por ser país sede da próxima Copa do Mundo de 2022.

Outro cabeça de chave é o Uruguai, que parou nas quartas na Copa da Rússia e que jogará contra o Chile, atual campeão da Copa América, contra o Japão, também convidado pela entidade Sul-Americana por ser sede dos próximos Jogos Olímpicos, e contra o Equador. Além dos dois primeiros de cada grupo, os dois melhores terceiros colocados também se classificam para a fase eliminatória.

(Com informações de CBF, Lance e El País)

 

Para pesquisar, digite abaixo e tecle enter.