VATICANO

5 ANOS DE PONTIFICADO

Biografia do primeiro papa latino-americano contada por quem o conhece

Por Redação
13 de março de 2018

Descendente de uma família de imigrantes italianos, nasceu no bairro de Flores, na cidade de Buenos Aires, no dia 17 de dezembro de 1936

Vatican Media

“Todos os dias, Jorge Mario Bergoglio abria pessoalmente a sede do arcebispado de Buenos Aires. Não morava no Palácio Episcopal, mas num pequeno apartamento de um bairro próximo. Era fácil vê-lo, lá pelas 5h30 da manhã, atravessando a rua ou lendo os jornais e tomando mate. Prefere ônibus e metrô a carros oficiais”, contou, ao O SÃO PAULO em Março de 2013, Sergio Alejandro Ribaric, teólogo argentino, doutorando em teologia pela PUC-Rio.

Papa Francisco, o Cardeal Bergoglio, é um dos cinco filhos de um operário ferroviário, descende de uma família de imigrantes italianos e nasceu no bairro de Flores, na cidade de Buenos Aires, no dia 17 de dezembro de 1936. Formou-se como técnico químico, mas escolheu a vocação sacerdotal e ingressou no seminário da "Companhia de Jesus" em 1958, aos 22 anos.

 

Há 5 anos, cardeais elegeram o 1º papa latino-americano

Embora torcedor do time de San Lorenzo, nunca pôde se dedicar ao esporte porque, aos 14 anos, sofreu uma grave infecção no pulmão, e a partir daí, sempre teve cuidados com sua alimentação e também por isso, fazia a sua própria comida. Como um bom argentino, gosta de tango, do escritor argentino Jorge Luis Borges e de rezar todas as manhãs.

Entre 1964 e 1966, foi professor de literatura e de psicologia e em 13 de dezembro de 1969 foi ordenado sacerdote. Foi mestre de noviços nos anos de 1972 e 1973, quando foi escolhido provincial dos jesuítas na Argentina, função que exerceu durante seis anos. Em março de 1986, foi confessor e diretor espiritual, na cidade de Córdoba. Em maio de 1992, o Papa João Paulo 2º o nomeou Bispo titular de Auca e auxiliar de Buenos Aires, Arquidiocese da qual se tornou titular em 1998.

“Na Arquidiocese de Buenos Aires, sempre incentivou a presença nas favelas e comunidades pobres. É conhecido por seu trabalho nas ‘villas', (como são conhecidas as favelas argentinas) e por apoiar os chamados ‘curas villeros' (Padres que se dedicam aos pobres). Durante a gestão dos Kirchner, enfrentou corajosamente os presidentes, afirmando que era imoral, ilegítimo e injusto continuar permitindo que a desigualdade continuasse crescendo no país”, continuou Sergio.

Padre Mário Geremia, gaúcho e na ocasião Pároco da Santa Cecília e São Pio X, na zona sul do Rio de Janeiro, foi aluno do Cardeal Bergoglio na cidade de São Miguel de Buenos Aires, nos anos de 1987 e 1988. “Lembro com muito carinho suas aulas de teologia pastoral nas quais ele conseguia integrar conteúdo e prática. A maioria dos jesuítas da época foi profeta no combate à violência da ditadura militar da Argentina e ele foi um dos que sempre esteve ao lado das vítimas”.

“É um grande defensor do Concílio Vaticano 2º e os documentos mais apreciados por ele são o Evangelium Nunciandi e a Gaudio et Spes. Nos primeiros gestos como Papa, eu pude confirmar o mesmo Padre, professor, Bispo e Cardeal que sempre foi. Como latino-americano, me sinto bem representado pelo Papa Francisco. Creio que a Igreja e a humanidade vão ganhar com sua presença humilde, sabia, amiga e santa”, ressaltou Padre Mário.

“Logo que reconheci o nome do cardeal Bergoglio, veio à minha mente a vez que lhe dei a mão e comentei que era postulante da Congregação Filhas de São Paulo. Queria pedir-lhe que rezasse por mim, mas antes que pudesse abrir a boca, ele me disse: ‘Rezem por mim'. Sempre assinava suas mensagens assim e terminava as homilias pedindo que rezássemos por ele. Recordo seu tom de voz, suave e tranquilo, muito baixo, às vezes. Mas, na hora de denunciar uma injustiça, podia levantar sua voz e realizar gestos enérgicos e surpreendentes”, contou irmã Gabriela Flores.

Matéria originalmente publicada na edição especial do O SÃO PAULO, de 19 a 25 de Março de 2013

LEIA TAMBÉM

Francisco no início de seu Pontificado: ‘cuidar das pessoas que estão na periferia do nosso coração’

Para pesquisar, digite abaixo e tecle enter.