SÃO PAULO

FRIO EM SÃO PAULO

Baixas Temperaturas: Centros Esportivos da Prefeitura abrigam pessoas em situação de rua

Por Prefeitura de São Paulo
05 de agosto de 2019

Foram quase 500 acolhimentos nesta madrugada; população pode ajudar solicitando abordagem social ligando na Central 156

Reprodução da Internet

A Prefeitura intensificou as ações da Operação Baixas Temperaturas neste final de semana por causa da massa de ar fria que atingiu a capital paulista e derrubou as temperaturas desde sexta-feira. A operação foi lançada em maio na capital e visa ao acolhimento de pessoas em situação de rua durante o período de inverno. Apenas durante a noite de sábado e madrugada de domingo (dias 3 e 4 de agosto) foram realizados 451 acolhimentos pelas equipes de assistência social da Prefeitura. Outras 54 pessoas em situação de rua recusaram o atendimento.

O prefeito Bruno Covas esteve na Praça da Sé, na sexta-feira à noite, onde ônibus e vans estavam sendo utilizados para transportar (a aceitação do encaminhamento é facultativa) pessoas em situação de rua para os serviços de acolhimento da rede municipal. Entre as iniciativas deste ano, além da rede socioassistencial já existente, estão sendo oferecido alojamentos emergências temporários em quatro centros esportivos.

Covas também visitou o Centro Esportivo Edson Arantes, o Pelezão, na Zona Oeste, que é um destes espaços fornecidos para o acolhimento da população em situação de rua. O equipamento oferece 92 vagas masculinas e dispõe de alimentação e local para higienização.

“A ação deste ano conta com ônibus, além de vans, para levar a população até a rede socioassistencial e trazer de volta para o centro da cidade durante o dia. E a gente veio ver como está sendo feito esse atendimento, para melhorar e aperfeiçoar este serviço”, disse o prefeito Bruno Covas. “Nós antecipamos o processo do censo, que começaria a ser só em 2020. Já está na fase de homologação. Nós precisamos ter o número oficial, que é utilizado para nortear a providência de vagas em centros de acolhida e todo o atendimento”, explicou Covas. “A expectativa é que em 9 meses tenhamos o número”, finalizou o prefeito.

Outros centros esportivos utilizados para o acolhimento estão na Zona Norte, com 30 vagas femininas, e na Zona Sul, com 142 vagas masculinas. 

Durante a visita ao Pelezão, o prefeito conversou com alguns dos acolhidos que se queixaram da falta de emprego. “Eles não pedem casa e não pedem comida. Basicamente, eles pedem emprego. Isso mostra que grande parte dessa população em situação de rua é fruto da exclusão econômica e da recessão que a gente vive nos últimos cinco anos”, comentou. “A prefeitura tem atuado para reduzir burocracia e facilitar a abertura de novos empregos. O problema social número 1 é emprego”, finalizou.

Os acolhimentos em Centros Esportivos já superaram 2.712 desde 18/7, quando estes equipamentos começaram a ser utilizados na Operação Baixas Temperaturas.

Madrugadas frias
Lançada pela administração municipal no dia 22 de maio, a Operação Baixas Temperaturas segue até 20 de setembro e será reforçada sempre que a temperatura atingir um patamar igual ou inferior a 13°C ou sensação térmica equivalente. Desde o início da ação a rede de acolhimento administrada pela Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social (SMADS) já registrou mais de 822 mil acolhimentos (uma mesma pessoa pode ser atendida em todos os dias de operação e entrar várias vezes na soma) nos Centros de Acolhida e Centros Temporários de Acolhimento (CTAs). Destes, mais de 14 mil foram durante os plantões (noite/madrugada) da Coordenação de Pronto Atendimento Social (CPAS).

Desde o último dia 15 de julho, as ações para acolhimento das pessoas em situação de rua foram ampliadas com uma ação intersecretarias que resultou, entre outras ações, na implementação de quatro abrigos emergenciais. Além disso, a SMADS também está utilizando cinco ônibus em pontos de grande concentração desse público para agilizar o transporte de um número maior de pessoas. O resultado é que o número de acolhimentos durante as madrugadas tem sido recorde. Na madrugada de quinta-feira (dia 1/08), foram realizados 517 acolhimentos de pessoas em situação de rua.

O número de orientadores socioeducativos nas ruas durante a madrugada para abordagem e encaminhamento das pessoas para os abrigos aumentou de 30 para 50. Equipes ligadas à Secretaria Municipal da Saúde (SMS) também estão auxiliando nos atendimentos daqueles que necessitam de ações especificas de saúde. As ações de abordagem das equipes de assistência social também foram reforçadas com mais dez veículos.

A população pode ajudar as pessoas em situação de rua solicitando uma abordagem social por meio da Central 156, que funciona 24 horas por dia. A solicitação pode ser anônima, mas é importante ter as seguintes informações para facilitar a identificação: o endereço da via em que a pessoa em situação de rua está (o número pode ser aproximado); citar pontos de referência, além de características físicas e detalhes de como a pessoa a ser abordada está vestida.

A SMADS também atua diariamente, das 8h às 22h, por meio dos orientadores socioeducativos dos Serviços Especializados de Abordagem Social (SEAS), que fazem abordagens em pontos estratégicos da cidade, ofertando encaminhamentos (para as pessoas que aceitam) a rede de acolhimento e outros serviços da rede pública. No período das 22h às 8h, a abordagem é realizada pela Coordenadoria de Pronto Atendimento Social (CPAS), que deve ser acionada via Central 156.

Atualmente, a cidade tem 148 serviços para pessoas em situação de rua com aproximadamente 22 mil vagas, sendo 18.411 de acolhimento. A rede também conta com 128 Serviços de Acolhimento Institucional para Crianças e Adolescentes (SAICAs), que juntos disponibilizam 2.335 vagas. Para a operação foram aditadas vagas emergenciais, sendo 20 para SAICAs e 260 para a população de rua.

 

Para pesquisar, digite abaixo e tecle enter.